História Sonserinos Também Amam - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Draco, Dramione, Hermione
Exibições 83
Palavras 1.092
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Genteee desculpe a demora, de coração. Sei que técnicamente já é domingo, então espero que me perdoem e prometo que isso nunca mais se repetirá. É que eu passei o dia todo fora, e confesso que nem lembrei que hoje era dia de postar.

Anyways, espero que vocês gostem e tenham uma boa leitura!

Capítulo 10 - Amnésia


Draco

    

       Madame Pomfrey exibiu uma cômica expressão de espanto ao me ver entrar na enfermaria com uma pequena Weasley petrificada em meus braços. Eu a ajudei a acomodar a garota, mas admiti que não poderia ficar ali por muito tempo.

                      —Entregue isso para Dumbledore, por favor. Ele certamente virá ver Gina assim que ficar sabendo do que houve, então entregue isso a ele. É muito importante, então tenha cuidado. — eu lhe estendo um papel um pouco amassado com uma caligrafia torta, escrita às pressas, e um pequeno embrulho de papel pardo.

                       A mulher assente, mas parece muito confusa e preocupada. Afinal, ela estava acostumada com a monotonia de um ou outro jogador de quabribol com um braço quebrado, ou algum novato que caíra nas escadas. A enfermaria parecia estar bem mais movimentada naquela semana.

                     No longo percurso do lago até a enfermaria, eu tivera bastante tempo para pensar sobre tudo o que estava acontecendo. Fui tomado pela sensação de que eu havia me acomodado ali em Hogwarts. Eu ainda não havia feito nada para descobrir o que acontecera com meus pais, ou o que Greyback queria com o vira-tempo e todos esses ataques violentos. Eu havia deixado tudo para Dumbledore resolver, quando na realidade a única preocupação dele era manter Hogwarts funcionando e seus alunos a salvo.

                     Por fim, cheguei a uma conclusão do que deveria fazer. Por mais que me doesse ter que deixar Hermione para trás, nada disso se tratava mais dela, e ela estaria muito mais feliz com aquele amiguinho ruivo. Eu precisava deixar Hogwarts. Assim eu estaria protegendo a escola, e eu precisava voltar para casa. Eu precisava saber o que havia ocorrido de fato para ter certeza de como agir.

                    Portanto, depois de deixar Gina a salvo, me preparei para pegar o primeiro trem para Wiltshire. Eu precisava visitar a mansão Malfoy.

     

 

               Hermione

 

      Despertava calmamente, abrindo seus olhinhos esverdeados que transbordavam inocência, depois dando um bocejo longo e delicado. Gina Weasley se parecia com uma fadinha acordando. E isso só serviu para deixar Hermione mais brava ainda.

                   Antes do feitiço de petrificação ser revertido, Dumbledore havia lhe explicado toda a situação. Que Gina fora encontrada por Malfoy perto do lago, segurando o que sobrara do Vira-tempo. Gina havia se tornado uma traidora, e não havia mais nada que ela poderia fazer para tentar se inocentar.

               —O que houve? Não consigo me lembrar de nada....

               Exceto aquilo.

               Hermione nunca se considerara uma garota violenta. Com poucas exceções de sua infância, de quando perdera sua paciência com Draco, nunca batera em ninguém. Mesmo assim, naquele momento, Hermione sentiu uma vontade incrível de puxar com toda a sua força aquele cabelo cor de cenoura e fazer aquele nariz empinado e sardento sangrar.

                 E para sua própria surpresa, aquela raiva que sentia não era apenas por Gina ter fingido ser sua melhor amiga enquanto roubara seu Vira-tempo, e possivelmente ter sido quem sabotou seus testes também. O que mais a irritou foi pensar que aquela garota conspirava com o monstro que além de ter ferido dezenas de estudantes, havia sequestrado os pais de Draco. Aquele era o homem responsável por todo o sofrimento de Draco, e Gina Weasley o estava ajudando.

              Mesmo sob os olhares de Dumbledore, que claramente eram um sinal para que ela permanecesse quieta, fossem quais fossem seus pensamentos, Hermione não conseguiu obedecê-lo por muito tempo.

            —Como você pode?! Como teve coragem de fazer isso com Draco? De fazer isso comigo! Tem ideia de como ele sofria por isso? Você é um monstro Gina, e eu não consigo acreditar que um dia já te considerei uma amiga.  — as palavras transbordaram de minha boca como uma cachoeira, e eu teria continuado ali por horas, se o olhar de Dumbledore não fosse tão assustador.

         —Eu nunca faria nada que pudesse ferir Draco. — Gina responde, calma.

          Ele me mandou sentar com um gesto, e eu não pude fazer nada senão obedecê-lo.

         Dumbledore fez algumas perguntas simples para Gina, como qual seria o motivo de ela ter saído de Hogwarts em um dia frio como aquele, mas todas as respostas da menina foram a mesma. Não importava a pergunta, tudo o que ela dizia era “Não me lembro.”

          Toda aquela insistência em uma coisa que claramente não era verdadeira me deixou muito irritada. Tudo o que eu queria era poder sair logo dali e conversar com Draco. Ele era inteligente e teria novas teorias sobre o que estava acontecendo. Eu estava cansada de todo aquele interrogatório inútil. Só queria vê-lo.

           Depois do que poderia ter sido horas, Gina foi liberada, e eu pude ficar a sós com Dumbledore. Eu estava curiosa para saber se ele tirara alguma conclusão disso tudo.

          —Podemos achar certo padrão entre o ocorrido com Rony e Gina. Ambos sofreram acidentes e dizem que não conseguem se lembrar do motivo. — ele diz, pensativo.

         —Rony é inocente, professor. Eu sei disso, tenho certeza! — eu exclamo, um pouco irritada. Tudo parecia tão óbvio para mim.

         —Eu nunca disse que ele é culpado de nada, apesar de ser isso que apontam as circunstâncias. — Dumbledore diz, sério. — Na realidade eu acredito que a Srta.Weasley tenha dito que não se lembra de nada apenas por ter percebido que isso serviu para inocentar seu irmão. Precisamos chamar alguém mais qualificado para solucionar tudo isso. Eu não creio que apenas nós dois sejamos capazes de solucionar esse mistério.

           —Claro que não! —eu digo, e Dumbledore ergue suas sobrancelhas, surpreso —Onde está Draco, afinal? Por que ele não está aqui agora, nos ajudando a pensar? Ele é o centro de tudo isso, é a pessoa mais importante, o motivo de tudo.

           Dumbledore solta um sorriso um pouco melancólico, e se senta novamente.

          —Vejo que você e o Sr.Malfoy finalmente deixaram de lado aquelas rivalidades infantis. Parece que estão se tornando amigos, então. Como o Vira-tempo era tudo que te envolvia nisso tudo, e agora ele se foi, foi uma opção sua continuar nos ajudando. Vejo que quer o bem de Malfoy, mesmo tendo ele feito comentários desagradáveis a seu respeito durante muito tempo.

         —Onde quer chegar com isso? — pergunto, desconfiada.

         —A verdade é que Draco Malfoy deixou Hogwarts está tarde, logo após deixar Gina Weasley nas mãos de Madame Pomfrey. Não sei dizer se voltará ou não, mas ele está determinado a descobrir o que houve com seus pais.

         A informação demora alguns segundos para ser digerida por mim. Então Draco não estava mais aqui. Nós não éramos mais uma dupla. Ele resolvera partir para resolver seus problemas.

        E deixara claro que não precisava mais de mim.


Notas Finais


Ficou bom?? Espero que sim. Comente, favorite e compartilhe com os amigos potterheads!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...