História Sophie - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Age Gap, Hentai, Incesto, Lime, Lolicon
Visualizações 33
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oie!
Espero que gostem, perdoem os eventuais erros e aproveitem a leitura!

Capítulo 13 - No Regrets


Capítulo 13 – No Regrets.

 

O sol brilhava e queimava absoluto no céu azul celeste de San Andrés naquela manhã. A praia mais próxima do nosso hostel estava lotada, mas não nos importamos. Alugamos duas espreguiçadeiras e tirei o short jeans claro que cobria a parte inferior do meu biquíni violeta escuro. Soltei os meus longos cabelos e fechei os olhos após repousar as costas. Pedro deitou-se na sua espreguiçadeira ao meu lado e aproveitamos aquela manhã ensolarada. Na noite anterior, estávamos tão cansados da viagem que apenas tomamos um banho e nos deitamos para dormir e descansar um nos braços do outro.

Aqui, neste lugar, eu me sinto bem. Desde que saímos da minha casa, eu não sinto que devo satisfações à ninguém. Não sinto que os meus desejos são reflexos imundos da minha alma e o mais importante, não sinto que poderei machucar os pais por causa das minhas decisões. Completarei quinze anos de idade amanhã e ainda sou responsabilidade da minha família. Tudo o que faço ou que deixo de fazer é responsabilidade deles, caso algo não saia como o esperado. Eu tenho esse desejo dentro de mim. Uma chama tão ardente que me consome, que me faz querer gritar de desespero. É um incômodo que me corrompe mais e mais a cada dia, mas quando olho para o rosto de Pedro, eu já não sei distinguir o certo do errado.

Pedro e os seus profundos olhos escuros de víbora, os cabelos negros como carvão e a boca pecaminosa de onde saíam as palavras mais sujas e mais bonitas que um homem já havia dito para mim. Tomei a decisão de entrar naquele avião em direção ao paraíso de San Andrés porque queria que ele me fizesse mulher, que amasse cada mínima parte do meu corpo, que me beijasse e que jurasse estar ao meu lado até o dia da sua partida. E sei que ele fará tudo que eu quiser. No entanto, eu tenho o fogo que me mata e a dúvida.

Como qualquer adolescente, eu tenho dúvidas. Eu não sei se amo Pedro como uma mulher ama um homem, mas sei que o meu corpo grita por ele. E exatamente por esse motivo, eu tenho dúvidas. Não quero que a nossa relação seja algo vazio e superficial. Não quero que ele apenas me foda, me faça feliz por alguns dias e vá embora sem nunca mais se preocupar comigo. Não quero usá-lo como um objeto assim como não quero que ele me use. Eu quero tê-lo no meu coração e isso será possível depois que eu entender o que ele realmente sente por mim.

Frequentemente, eu me pergunto: O que está acontecendo com você, Sophie?

Ainda não sou capaz de nomear esse sentimento. Ou fenômeno? Sinceramente, não faço a mínima ideia.

Olhei para o lado e o encontrei de olhos fechados, cobertos pelos óculos de sol. A pele morena irradiava um calor e uma sensualidade indescritível. Pequenas gotículas de água cobriam o seu peito naturalmente esculpido. As pernas descansavam, calmas. As duas mãos repousavam ao lado do corpo e como se soubesse que estava sendo observado, Pedro se virou e abriu os olhos. E eu pude vê-los através das lentes escuras por conta da claridade.

— O que você tanto olha? – ele perguntou suavemente.

Me virei para o lado dele e respondi:

— Você. Você por inteiro. Gosto de te observar.

— Assim como eu gosto de te admirar, meu amor. Mas o que foi? Está cansada da praia?

— Um pouquinho, sim. – menti. — Depois do almoço nós podemos dormir um pouco e aproveitar o luau que vai acontecer na Praia dos Coqueiros.

— Como quiser. – ele ficou em silêncio por um segundo. — Amanhã é o seu aniversário. Já pensou no que quer fazer?

— Sim. – respondi e dei um dos meus sorrisos travessos. — Só posso dizer que você terá uma grande participação nesse que será um dos dias mais importantes da minha vida.

— Sinto-me honrado. – ele riu e pegou uma garrafinha de água que estava numa pequena mesa entre nós dois. — Ah, não se esqueça de ligar para a sua mãe. Eu já falei com ela, mas agora é a sua vez.

— Não me faça lembrar que eu tenho uma casa e pais neuróticos.

Quando me sentei, percebi que Pedro observava as minhas pernas.

— Caso queira ir para o quarto, nós podemos aproveitar a ducha juntos. O que acha?

— Não tão cedo, querido. Você terá o que desejar quando eu não tiver mais dúvidas.

Ele tirou os óculos e me encarou visivelmente preocupado. Os olhos como duas pedras de ônix que queimavam.

— E você ainda tem dúvidas?

Tirei os óculos da mão de Pedro e os coloquei no meu rosto para que ele não pudesse enxergar a verdade estampada no fundo da minha alma.

— E que garota não tem dúvidas? Eu não devo ser a primeira.

— Sophie... – ele segurou a minha mão esquerda. — Não quero que se sinta pressionada a fazer nada disso. Quero que isso seja prazeroso para os dois. Eu quero o seu bem, meu amor.

Inclinei-me para beijar o seu rosto e ele fez o mesmo. Afinal, as pessoas estranhariam uma troca de beijos normal entre um casal com uma diferença de idade tão grande. O que é normal para os outros, é estranho e condenável para nós somente por causa dos anos que nos separam.

Pedro ficou de pé e me ofereceu a mão que estava livre. Levantei e o abracei por alguns segundos. Ele beijou a minha testa e disse:

— Vamos para o nosso quarto? Quero tomar um banho e depois pretendo te levar para almoçar no restaurante que vende o melhor camarão com creme da Ilha de San Andrés.

— Mal posso esperar! – e saímos abraçados. Pedro sorria e eu também. E sim, a vida pode ser fácil quando você se permite abraçar as oportunidades e viver um dia de cada vez com leveza.

E eu mal podia esperar para tomar a minha decisão, pois não seria capaz de viver uma vida de remorsos e arrependimentos.


Notas Finais


Gostaram?
Comentários?
Acompanhamentos?
Favoritos?

Bjs e até o próximo! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...