História Sorria sempre para mim - Capítulo 175


Escrita por: ~

Postado
Categorias Violetta
Visualizações 156
Palavras 5.369
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 175 - 2 temporada - Capítulo 23


Violetta:_ Como é que é? - Me sentei na cama me enrolando no lençol e já me afastei do Leon.

Fran:_ Ele.. ele.. - Ela soluçava de chorar.

Violetta:_ O que? - Entrei no banheiro e vesti meu roupão, voltei para o quarto e Leon já havia vestido a cueca e me olhava preocupado.

Leon:_ Foi alguma coisa com ela? A Julinha? Meus pais? - Neguei e pedi calma com a mão.

Violetta:_ Francesca?

Fran:_ Ele morreu Violetta, ele não aguentou.

Violetta:_ Como assim? Quando?

Leon :_ Amor.. - Me olhou desconfiado.

Diego:_ Amor você não tá bem, me dar esse telefone. - Ouvi alguns passos e em seguida sua voz. - Oi Violetta.

Violetta :_ Dih..

Diego :_ É verdade, o Puff.. - Respirou fundo. - Você precisa ver como a Fran tá..

Violetta :_ Eu imagino, mas como?

Diego:_ Á alguns dias o Puff tava desanimado sabe? Não queria comer, nem brincar.. levamos no veterinário e ele disse que era por causa da idade e agora, bom.. encontramos ele morto.

Violetta :_ Ah meu Deus! - Me sentei na cama e coloquei a mão no rosto. - Tudo bem, obrigada por avisar.

Diego :_ Eu sei que o Leon era muito apegado também, então.. segura as pontas aí.

Violetta:_ Digo o mesmo.. - Respirei fundo e desliguei. Leon me olhava atento, preocupado e diria até que desesperado. - O Puff.. - Lágrimas transbordavam meus olhos já.

Leon:_ O que tem ele? - Sorriu e quando se deu conta que eu chorava desfez o sorriso. - Não. - Negou. - O Puff? Não, claro que não. - Sorriu. - Vi ele semana passada e ele tava bem. É impossível. - Falou firme.

Violetta:_ Amor.. - Ele se sentou na cama derrotado.

Leon:_ É impossível. - Sussurrou.

Violetta:_ O Diego disse que alguns dias ele não queria comer e nem brincar, desanimado sabe? Levaram no veterinário e agora encontraram ele.. ah! - Não consegui terminar de falar. Escorei a cabeça em seu ombro e ele aos poucos soltou o ar deixando seus ombros pesados cair-em.O abracei pela cintura e fiquei fazendo carinho em suas costas. Ficamos assim por muitos minutos e quando o olhei, vi que ele chorava.  - Amor..

Leon:_ É impossível. - Sussurrou se levantando e indo para a janela do nosso quarto, se escorou nela colocando um dos braços sobre a cabeça e ficou lá.

Violetta:_ Eu sei que é complicado.. que é dolorido perder um bichinho que a gente é apegado, mas não podemos fazer nada.

Lein:_ Tudo bem eu ficar um pouco só? - Sussurrou.

Violetta:_ Não.Claro que não. - Enxuguei meu rosto, me levantei e beijei suas costas. - Só não esquece que a gente te ama.. - Ele abriu um pequeno sorriu e voltou a fitar o mar na nossa frente.

O deixei sózinho e desci, fui até a cozinha, tudo estava em silêncio, calmo e tranquilo. Acendi a lâmpada da cozinha e resolvi fazer um chá pra mim, enquanto a água fervia me escordei no balcão e fechei os olhos.

*

Leon:_ Não Puff, não pode correr atrás da titia Violetta. - E ele continuava correndo. - Não Puff, assim não cara! - Eu corria na frente rindo, Puff atrás e Leon rindo também atrás de nós dois. - Amor eu falei, não vem com essa blusa que ele quer rasgar cara. - Pegou Puff no colo e beijou sua cabeça. - Danadinho!

*

Leon :_ Amor aqui a pipo.. - Me viu com Puff no colo. - Bom trabalho Puff, quando eu disse pra cuidar da minha namorada enquanto fazia pipoca. - Foi tenta tira-lo e ele rosnou. - Ah Puff, já.Voltei pode sair.. - Rosnou mais uma vez. - Cachorro mal, cachorro muito mal.

Violetta:_ Amor deixa ele. - Ri acariciando seu pelo.

Leon:_ E eu vou ter que assistir filme longe da minha namorada por que o Puff não deixa eu chegar perto. - Resmungava do outro sofá.

Violetta:_ Amor ciumes? Do Puff amor? - Ri alto e ele fez um bico enorme. Puff como se entendesse saiu do meu colo e se sentou no chão olhando para Leon que correu para o meu lado em seguida me abraçando.

Leon:_ Por isso que te amo. - Rimos.

*

Leon :_ Pega lá Puff, pega! - Jogou um galho no jardim da chácara.

Violetta:_ Acho que ele não vai trazer..

Leon:_ Ah ele vai, quer ver.. - Puff chegou com uma flor natural. - Puta que pariu Puff, a rosa da mãe , ferrou cara, ferrou. Bora enterrar! - E começou a cavar um buraco com Puff pra enterrar a flor.Ri alto.

*

Leon:_ Da patinha pra Fran da Puff, como eu te ensinei.. - Puff deu. - Aê cara..

Francesca:_ Coisa linda! - Beijou sua cabeça.

Violetta:_ Da patinha pra mim agora Puff.. - Ele não deu. Rimos.

Leon:_ Da patinha pra Vilu da Puff.. - E agora ele deu. Rimos alto.

*

Vi que chorava e sorria meio a lembranças, sai do transe ouvindo a água fervendo, coloquei em uma xícara com o saquinho do chá em seguida. Resolvi ver como Leon estava, do corredor já ouvi nossas vozes, risadas e brincadeiras. Como a porta estava entre aberta vi que ele assistia os nossos videos em que Puff estava incluído. Na cama várias fotos dele espalhadas e ele deitado entre elas sorrindo e enxugando as lágrimas. Aquele momento era dele e eu respeitaria aquilo.Desci e me sentei no sofá apenas com o abajur ao lado ligado, comecei a tomar meu chá e fiquei pensando em algumas coisas que talvez melhoraria o astral dele e dela mas tudo parecia ser em vão.

Leon:_ Sou muito grande pra ter seu colo? - Sussurrou.

Olhei em volta e ele tava escorado na parede, sorri de lado e coloquei a xícara na mesa de cento batendo em meu colo. Ele se deitou e me apertou forte, ficou olhando minha barriga e depois de um tempo falou. - É uma pena você não ter conhecido o melhor animalzinho do mundo amorzinho.. - Acariciou minha barriga. - Você ia amar ele.

Violetta:_ Oh meu amor. - Acariciei seu rosto e ele sorriu enxugando as lágrimas. 

Ai como eu odiava vê-lo daquela forma e não poder fazer nada. Ficamos alguns minutos calados enquanto eu fazia carinho em sua cabeça, até ele pegar o celular e abrir o twitter, vi muitas fotos do Puff então deduzi que elas já sabiam. Leon abriu a pasta e selecionou uma foto.

"Pra sempre meu campeão"

Ele ficou olhando algumas replys e resolvi fazer o mesmo.

"Pra sempre minha nuvem de algodão.♥" 

{foto nas notas finais}

Me acomodei melhor no sofá com ele e ficamos apenas nos olhando, acabamos dormindo assim. Acordei no outro dia com a secretaria eletrônica.

Esmeralda :_ Filho não sei se você vai querer vir mas.. eu queria você aqui comigo, aliás, vocês.. - Falou chorosa. - Vem pra cá vem..- Respirou fundo. -Mamãe te ama. 

Olhei para ele que estava acordado.

Violetta :_ Oh amor, acordou? Nem vi..

Leon:_ Mal dormi a noite. - Beijei sua nuca e ele sorriu de leve.

Violetta:_ Bom dia.. - Hoje havíamos invertido o papel. 

Leon:_ Vamos pra Buenos Aires!

Violetta :_ Você quer?

Leon:_ Eu preciso. - Ouvimos um barulho e quando vimos era Olga que já chegou falando o quanto sentia muito por aquilo.Depois de tomarmos café, enquanto eu tomava banho e me arrumava Leon tentava entrar em contato com o piloto do jatinho. Me arrumei
e enquanto ele tomava banho, eu arrumava a mala.

Violetta:_ Vamos voltar amanhã?

Leon:_ É.. amanhã você tem consulta. - Concordei.Separei oque precisariam-os e guardei tudo na mala. Quando terminei ele também havia terminado. Vestia calça escura, camiseta branca, tênis vermelho e jaqueta preta. Lindo!  - Andres já tá no esperando.. 

Violetta :_ Vamos com ele?

Leon:_ Só vai embarcar a gente, lá em Buenos Aires meu pai vai buscar a gente com um amigo segurança dele. - Concordei com a cabeça. 

A viagem foi tranquila graças a Deus, e apesar da nossa tristeza estar clara ele ainda atendeu os fãs em Buenos Aires que deram uma "força" para ele. Carlos apesar de tentar desconversar um pouco no caminho para casa, também não escondia a tristeza. E quando chegamos lá? Ah.. Esmeralda caiu no choro ao abraçar Leon que segurava as lágrimas o máximo que podia. - E a Fran?

Esmeralda :_ Acabou de subir com a Julinha que dormiu.

Leon:_ Ah.. - Concordou. -  E ele? Vocês.. 

Esmeralda :_ A Francesca fez questão que ele fosse enterrado no nosso jardim, já que a maior parte do tempo ele morou aqui e sempre trouxe o melhor pra nós. - Sorriu enxugando as lágrimas. Leon me olhou e eu concordei com a cabeça, seguimos de mãos dadas para o jardim na parte da frente da casa, aonde havia uma flor de algodão em cima da terra remexida e grama recém plantada.

Leon:_ E ai garotão. - Sorriu se sentando na grama.Fiz o mesmo. - Tá quietinho agora não é? - Rimos. - Tô sentindo sua falta já.. mas eu não vou ficar triste, sabe por que? Por que isso foi o que você menos fez a gente fazer. - Concordei.

Fran:_ Ele tá bem não tá? - Ouvimos sua voz.

Olhamos e ela estava escorada na casa chorava baixinho e os olhos inchados não escondia que tinha feito aquilo a noite inteira.Me levantei e fui até ela a abraçando forte.

Violetta:_ É claro que sim.. - Ela sorriu me olhando, acariciou minha barriga por uns segundos e foi até Leon a onde se sentou ao lado dele.

Leon:_ Força Pi, força. - Beijou sua testa. Não segurei as lágrimas, não mesmo. 

Fiquei ali observando os dois em silêncio observarem a flor se desmanchar com o vento.Muitos julgariam-os como "moles", "bestas" e até mesmo falariam que aquilo era "perca de tempo" mas aquilo era o que menos importava. Ele havia feito parte do nosso dia-a-dia durante muitos anos, trago momentos inesquecíveis e resultado boas risadas e bons aprendizados, sim.. aprendizados, hoje sem dúvida alguma eu entendia aquela frase; "Cães não precisam de carros luxuosos, casas grandes ou de roupas chiques. Água e alimento já são o suficiente. Um cachorro não liga se você é rico ou pobre. Esperto ou não. Inteligente ou não. Entregue o seu coração e ele dará o dele. De quantas pessoas podemos dizer o mesmo? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial? Quantas pessoas nos fazem se sentir extraordinário?"

Diego:_  Amor.. - Ele chegou quebrando o silêncio.Olhamos e ele segurava um filhote de cachorro com uma fita vermelha no pescoço. An!

Fran abaixou a cabeça. Leon pareceu entender e tocou seu ombro.

Leon:_ Qualé Fran, você não tá trocando o Puf, até por que ele é insubstituível.Você só tá fazendo o que ele queria que fizesse.

Fran:_ Cuidando de outro cachorro?

Leon:_ Não.. - Sorriu de leve. - Sendo feliz. - Ficou calado alguns segundos. - Você sabe muito bem que quando tava triste ele fazia tudo que era gracinha pra te animar, e eu tenho certeza que ele deve tá fazendo isso agora.. - Ela o olhou por alguns segundos, me olhou, concordei com a cabeça, ela sorriu enxugando as lágrimas, abraçou Leon bem forte sorrindo, depois que se afastou dele, olhou a flor de algodão por alguns segundos pensativa e se levantou.

Fran:_ Você sempre será o meu preferido Puff. Sempre. - E caminhou até Diego . Leon se levantou e se pós ao meu lado com as mãos em minha cintura.

Diego:_ Dessa vez é fêmea.. ter um monte de filhotinho e nunca faltar um. - Rimos.

Fran:_ E você será a Anny. - A pegou com cuidado sorrindo e Lucas a abraçou de lado. Sorrimos juntos.

             2 Meses depois.

E dar pra acreditar como o tempo estava passando tão rápido? Consultas, exames, alongamentos, caminhadas, compras, visitas, tudo aquilo parecia está influenciando para que o tempo passasse depressa o que era bom e ao mesmo tempo "ruim". Bom por saber que daqui a alguns meses já teria minha filha aos meus braços e ruim por me desfazer da minha barriga e de todas aquelas sensações pela qual sentia, apesar de dormir com certa dificuldade, as vezes algumas dores incomodar, ficar com os pés inchados, mudar de humor de cinco em cinco minutos, a recompensa era enorme, era maior que qualquer coisa. Os desejos durante a madrugada, os movimentos dentro de mim, escultar aquele coração.. ah, como Deus havia sido generoso comigo..

Leon:_ Amor, você tá com 7 já, não pode ficar nesse movimento todo.

Violetta:_ Mas amor, eu quero ajudar arrumar o quarto da nossa filha.

Leon:_ Eu sei bebê, mas eles tão montando os móveis, eles sabem o que tão fazendo, além do mais eu tô aqui, eles não vão fazer nada de errado.

Violetta:_ Ai amor.. - Mordi os lábios.

Leon:_ Vai dar tudo certo, calma. - Sorriu. - Hoje você tá nevosa demais..

Violetta:_ É. - Me sentei no sofá. - Ansiosa pra ver tudo pronto..

Leon:_ Já já meu amor, já já. - Riu se sentando ao meu lado. - Primeiro dia de folga das férias.

Violetta:_ Ah, me conta.. como foi o show de ontem? - O olhei e ele concordou com a cabeça.

Leon:_ Foi bom, lindo como sempre, minhas fãs sempre arrasam. - Sorriu. - A pior parte foi na despedida.. mas elas me entenderam desde do momento que souberam.

Violetta:_ Faz um mês já né que ficaram sabendo?

Leon:_ Por aí.Que logo em seguida saiu a gente na revista Caras dando entrevista direitinho.

Violetta:_ Ah ontem mesmo olhei mais uma vez. As fotos ficaram lindas..

Leon:_ E eu tava olhando do nosso book. - Sorri e ele acariciou minha barriga.

Violetta:_ Ai filha de vagar. - Ri passando a mão na barriga. - Assim a mamãe não aguenta.

Leon:_ Devagar amorzinho. - E ela foi se acalmando na minha barriga, e ele caiu na risada.

Violetta:_ O que amor?

Leon:_ Tava lembrando da primeira vez que ela se mexeu.

Violetta:_ Ah meu Deus! - Ri alto lembrando.

...

Vilu:_  Boa noite amor. - Me deitei ao seu lado e ele me abraçou pela cintura.

Leon:_ Boa noite amores! -  meu rosto em seguida minha barriga e fechou os olhos, fechei os olhos e ele começou a acariciar minha barriga, o sono estava chegando quando do nada ele me chamou. - Amor..

Vilu:_ Hum? - Sussurrei.

Leon:_ Por que você não me que tava com fome? A Olga já foi mas eu posso preparar seu lanche.

Vilu:_ Que? - Abri os olhos e o olhei.

Leon:_ Sua barriga tá roncando.

Vilu:_ Claro que não. - Ri.

Leon:_ Uai, então.. - Passou a mão na minha barriga quando senti algo se movendo dentro de mim. Foi automático por a mão na minha barriga, me sentei assustada. - VIU? AMOR DO CÉU, QUE É ISSO MUIÉ?

Vilu:_ Eu-u.. eu.. - Fiquei quietinha e calada tentando sentir aquela sensação mais uma vez.

Leon:_ VAI NASCER NÉ? AH MEU DEUS VAI NASCER! - Deu um pulo da cama e correu pro closet, voltou vestindo a calça e com uma blusa no ombro. - VAI NASCER, É AGORA. AMOR CALMA, RESPIRA, UH! RESPIRA, UI! CALMA, VAI DAR TUDO CERTO, NEM DÓI.QUER DIZER DÓI MAS EU NÃO QUERO TE ASSUSTAR ENTÃO EU TÔ FALANDO QUE NÃO DÓI MAS NA VERDADE DÓI E MUITO, DEVE SER UMA DOR DESGRAÇADA, MAS EU TÔ FALANDO ISSO PRA NÃO..

Vilu:_ Leon !

Leon:_ AS CONTRAÇÕES TÃO AUMENTANDO? - Pegou o telefone fixo do meu lado e nem discou nada, já colocou no ouvido. - MÃE? ALÔ? MÃE VAI NASCER, MÃE FALA COMIGO MUIÉ! AH MEU DEUS ESQUECI DE DISCAR. - Revirei os olhos. - VOCÊ TÁ SENTINDO DOR? MISERICÓRDIA SENHOR. OLGAAA! - Gritou. - Ah não ela já foi.Bora amor, bora que eu te carrego. - E já foi me pegando nos braços.

Vilu:_ Amor me coloca no chão. - Ri.

Leon:_ NÃO RIR MUIÉ, NÃO RIR POR QUE SE NÃO NOSSA FILHA VAI SAIR MAIS RÁPIDO.

Vilu:_ Deixa de ser assim? -  me soltei dele, assim que coloquei os pés no chão senti a mesma sensação de antes, coloquei a mão na barriga mais uma vez.

Leon:_ OLHA AÍ, OLHA AÍ, EU TÔ FALANDO QUE SE RIR NASCE MAIS RÁPIDO, PARA COM ISSO MUIÉ!

Vilu:_ Luan.. - Não aguentei tamanha emoção quando tive a certeza daquela sensação. Comecei a chorar.

Leon:_ VOCÊ TÁ COM DOR? SEJA HOMEM LEON! - Começou a andar de um lado para o outro. - SEJA HOMEM E TENHA CORAGEM DE FAZER O PARTO!

Vilu:_ Amor.. - Peguei sua mão que estava geladinha e coloquei sobre minha barriga.Novamente senti aquela sensação que nenhuma lei física seria capaz de distinguir.

Leon:_ Am..-or! - Gaguejou. - Amor do céu. - Colocou a cabeça na minha barriga. - Noss.. nosso, nosso amorzinho amor! Nosso bebê. - Me olhou e seus olhos estavam cheio de lágrimas. - Amo-o-r!

Vilu:_ É amor, é ela! - Sorri passando a mão em seu rosto enxugando suas lágrimas.

Leon:_ Meu Deus do céu cara que coisa linda. - Acariciou minha barriga e senti quase que um "chute", rimos juntos. - Devagar amorzinho, devagar.. - E naquele dia passamos a noite em claro sentindo aquela sensação única; uma parte sua tendo os primeiros contatos com as pessoas que mais a amavam no mundo.

...

Leon:_ Cê rir do meu desespero né? - Riu. - Mas só eu sei o quanto fiquei preocupado com você.

Vilu:_ Foi engraçado vai. - Ri.

Leon:_ E quando a gente soube que era nossa Manu vindo pra nós?

Vilu:_ Ai amor, foi tão lindo! - Sorri fazendo carinho em seu rosto

...

Angie:_ Preparados papai e mamãe?

Leon:_ Sim, sim, sim! - Deu pulinhos batendo palmas e eu ri.

Angie:_ Então é..

Leon:_ Não, não, não! Calma. - Parou de pular e ficou sério. - Preciso me concentrar.

Vilu:_ Amor você está bem? Está pálido.

Leon:_ Não, calma, eu tô! - Respirou fundo. - Agora vai..

Angie:_ É..

Leon :_ NÃO! - Colocou a mão no rosto. - Eu não consigo, ai eu tô nevoso.

Vilu:_ Amor?

Leon:_ Não, agora vai, é sério!

Angie:_ Leon? - Riu.

Leon:_ Respira Leon, você consegue. É só a noticia da tua vida, só isso. - Riu. - Só isso. - Parou de rir e seus olhos se encheram de lágrimas. - Ai meu Deus eu vou ser pai, eu vou ser pai.

Vilu:_ Bom, parece né! - Apontei pra barriga e a drº riu.

Leon:_ Leon você é foda cara, você e o Leon Junior são uma dupla infalível.

Vilu:_ Ai Deus! - Cobri o rosto com a mão. - Viajando já..

Leon :_ Você fez um ótimo trabalho, agora é só descobrir e pronto.

Angie:_ Vocês tem certeza que querem saber agora? O Leon, ele não está bem.. - Riu.

Vilu:_ Sim, queremos

Leon:_ Sim! Não, quer dizer, só um minuto. - Respirou fundo. - Vai!

Angie:_ É u..

Leon:_ NÃO! PARA, PARA, PARA COM ISSO!

Vilu:_ Leon pelo amor de Deus quer parar com isso? Fala drº pode falar!

Leon:_ PERA! - Ele ergueu o celular a onde mostrou que o áudio estava ativado.Ah ele gravava, é claro. Ele segurou minha mão e fechou os olhos.

Angie:_ É uma menina! - Riu animada

Vilu:_ AH MEU DEUS, UMA MENINA! - Olhei para o visor e comecei a chorar emocionada.

Leon:_ UMA MENINA! - Deu um pulo. - UMA MENINA! UMA ME-NI-NA! - Respirou fundo. - UMA PRINCESA. AH MEU DEUS, OBRIGADO, OBRIGADO! - Começou andar de um lado para o outro. - UMA PRINCESA LINDA, UMA PRINCESINHA, UMA MENININHA.- Parou de andar e me olhou. - AH AMOR! - Me abraçou e me deu um selinho. - Nossa princesa amor, nossa princesinha tá vindo pra nós.

Vilu:_ Amor. - Mal conseguia falar tamanha emoção.

Leon:_ Ela vai ser parecida com você, ela vai ser linda! - Sorri e ele beijou minha mão, senti algo molhado e vi que ele chorava. - Obrigado, obrigado por me dar esse presente, o mais lindo do mundo..

Vilu:_ Obrigada por existir! - Lhe dei um selinho demorado e ele encostou a cabeça em meu peito me abraçando com cuidado.

Leon:_ Eu amo vocês, amo mais que tudo. - Sorri enxugando suas lágrimas. - Uma princesinha.. uma princesa cara!

...

Leon:_ É por que eu sou a princesa do meu papai, poxa. - Sorri e lhe dei um selinho.Ela chutou minha barriga. - Oh filha devagar..

Vilu:_ Agitada.

Leon:_ Que nem o papai aqui né Manu? - Sorri concordando.

*:_ Senhor Leon. - Um dos montadores de móveis apareceu na escada.

Leon:_ Já volto. - Fiz bico. - Lá tem pó, quando a Olga limpar tudo, vamos arrumar, tudo bem? - Sorri animada, ele me deu um selinho e subiu as escadas, cerca de dois minutos depois eles desceram, agradeci e assim que Olga fechou a porta, ela subiu com vários produtos de limpeza nas mãos. Como não poderia subir agora, peguei meu celular e entrei no twitter.

"A cada dia que passa te amo mais, mais e mais. #7Meses." {notas finais }

Fiquei conversando um certo tempo com elas, torno de vinte minutos, até da vontade de ir ao banheiro, me despedi e assim que voltei para a sala Leon descia as escadas.

Leon:_ Vem amor, vem! - Sorri grandemente e dei a mão para ele, subimos com cuidado e ele me parou frente a porta.

Olga :_ Tem certeza que não querem ajuda?

Vilu:_ Não Olga, não precisa.

Leon:_ A gente esperou tanto por isso que a gente mesmo quer fazer sabe? Montar, falar "foi a gente", "foi nós dois".

Olga:_ Entendo e isso é lindo! - Sorriu. - Boa arrumação. - Saiu com os produtos nas mãos. Leon me olhou com um sorriso largo no rosto e concordou. Coloquei a mão na fechadura e assim que abri dei pulinhos de alegria.

Leon:_ NÃO PULA MUIÉ! AH MEU DEUS! - Ri concordando. - Não faz essas coisas comigo não. 

Vilu:_ Ai amor desculpa, mas é por que tá lindo demais!

Leon:_ Lindo vai ficar agora.. - Apontou para as caixas em um canto com todas as coisas; decoração, jogo de berço, roupas, sapatinhos, fraldas, toalhas, produtos de higiene, enfim tudo mesmo. 

Começamos pela parte da decoração; cortinas, jogo de berço, poltrona, abajur, bonecas, entre outros e assim foi nossa tarde toda; inteiramente voltada para o quarto da nossa filha. Parei apenas uma vez para jantar e quando voltei só faltava guardar as roupinhas já lavadas e passadas. Decidimos deixar as bolsas prontas, faltava dois meses mas.. nunca se sabe não é? Quando acabamos nos sentamos na poltrona e ficamos olhando atentamente cada detalhe. - O banheiro também ficou massa cara.

Vilu:_ Também gostei.. 

Leon:_ Dar pra acreditar que esse negocinho vai caber o pé da nossa filha? - Apontou pra um sapatinho, sorri.

Vilu:_ É.. e ainda tem gente que acredita que os sonhos não se realizam. - Ele me olhou sorrindo grandemente.

Leon:_ Eles não sabem o que é ser feliz. - Me abraçou, lhe dei um beijo cuidadoso e encerramos com selinhos. - Vou tomar um banho, tô todo suado.

Vilu:_ Humhum, vai lá, já já eu vou! - Me levantei para que ele pudesse fazer o mesmo.

Leon:_ Te amo! - Beijou minha bochecha e saiu. - Aliás, amo vocês. - Sorri concordando enquanto ele fechava a porta novamente. Fui até o berço e fiquei o alisando. 

Vilu:_ Já já amor, já já. - Olhei em volta e tudo parecia um sonho, um sonho  pelo qual jamais queria acordar. Decidi mostrar para as meninas, e foi o que fiz.

"Amores vocês não vão acreditar! ♥" -

Começaram a tentar adivinhar o que era, e até surgir boato que já teria ganhado bebê surgiu. - 

Não amores, não ganhei, rs. Vejam por si!" 

"♥" (1)

"Quartinho pronto." (2)

"Bolsas prontas." (3)

"Lembrançinhas prontas." (4)

{notas finais}

"Tudo pronto amores, agora é só aguardar." 

Toc-toc. - Fui até a porta e sai a fechando em seguida.

Vilu:_ Oi Olga.

Olga:_ Vocês tem visitas!

Vilu:_ A essa hora? - Olhei no relógio. - Quase 21:00 da noite.

Olga:_ Garanto que vão gostar. - Sorriu desconfiada e concordei.Ela desceu na frente e logo em seguida eu.

Vilu:_ Maxi? Nathy? Que visita boa! - Abracei primeiramente ela.

Nathy:_ E aí mamãe, como você vai? - Acariciou minha barriga. - E você Manu?

Vilu:_ É, estamos bem. - Sorri.

Maxi:_ Mas que barrigona Vilu.. a gente não se ver ao que?

Vilu:_ Umas duas semanas.. na festa de despedida.

Maxi:_ Despedida nada, festa de férias. - Rimos.

Nathy:_ E o Leon?

Vilu:_ Ah, está no banho.Vem.. vocês querem jantar? - Apontei para a sala de refeição.

Maxi:_ Não, não, a gente já jantou. Estavam-os vindo de uma churrascaria agora e resolvemos passar aqui.

Nathy:_ Eu nem queria vim por ser tarde.

Vilu:_ Bobagem. - Ri. - A gente dorme tarde..

Maxi:_ Eu falei.

Vilu:_ Vamos se sentem.. - Sorri apontando para o sofá. - E bebida? Sobremesa?

Nathy:_ Não precisa, a gente já comeu muito.

Maxi:_ E como. - Fez careta e rimos.Me sentei no sofá, Maxi puxou o puf pra minha frente e se sentou puxando Nathy para seu colo. - Nossa amor, se quando você ficar grávida ficar assim vai ficar bom demais . - Nos olhamos sem entender. - Não por que cara.. - Apontou pro meu busto, em seguida minhas coxas.

Nathy:_ Ah safado!

Vilu:_ Deixa o Leon ouvir isso.. - Rimos.Puxei o celular do meu bolso e tirei uma foto deles.

"Olha quem veio nos visitar." 

Vilu:_ Mas e as férias?

Maxi:_ Curtindo né.

Vilu:_ É o certo. - Ele se esquivou e passou a mão na minha barriga.

Maxi:_ Oi titio! - Sorriu. - Manu? - Ela então se mexeu. - Sorri também.

Nathy:_ Ah amor! - Se levantou parecendo lembrar de algo, então pegou duas sacolas de presente de cima do sofá.

Vilu:_ Ah, não precisava gente.

Maxi:_ A gente fez questão.Afinal, sou ou não sou o padrinho dessa princesa? - Ela me entregou os presentes. - Esse é o meu, e esse é da Nathy. - Sorri e abri primeiro o dele. Era um vestido branco cheio de babados e rodado.

Vilu:_ An que coisa linda!

Maxi:_ Eu que escolhi.

Nathy:_ Verdade, ele que escolheu.. agora o meu! - Riu animada se sentando ao meu lado. Abri e era um biquíni vermelho com branco. - O primeiro!

Vilu:_ Ah meu Deus! - Ri. - Que lindo.

Maxi:_ Vai ficar gatinha, ah vai.. 

Leon:_ Quem? - Riu descendo as escadas. Vestia uma bermuda xadrez, camiseta cinza, calçava um chinelo preto e os cabelos arrepiados molhados, o cheiro então nem se fala, invadiu a sala toda. - E ai cara! - Maxi se levantou e o cumprimentou, em seguida Nathy e por fim se sentou ao meu lado e me deu um selinho.

Maxi:_ Tamo aqui falando da sua filha.

Leon:_ Ah! - Sorriu todo besta em seguida olhou para meu colo. - Ah, tá brincando que minha filha vai usar né? - Ergueu o biquini. 

Vilu:_ Lindo né amor?

Leon:_ Amor, lindo é, mas é curto demais!

Maxi:_ Ah meu Deus a menina nem nasceu e já tá com ciume.

Vilu:_ Ele é, é muito ciumento.

Nathy:_ Percebe-se. - Sorriu. - Mas não faz mal Leon , ela vai usar com você segurando ela no braço.

Leon:_ Ah, aí sim né! - Rimos.

Vilu :_ Olga serve um sorvete pra gente? 

Olga:_ Só um minuto. 

Maxi:_ Então, bora jogar uma? - Apontou pro vídeo-game. 

Leon:_ Pra já!

Vilu: Vem Nathy, deixa eu te mostrar o quarto da minha filha, por que esses dois aí já era..

Leon:_ Ah amor.. pode? - Fez bico, lhe dei um selinho.

Vilu:_ Pode amor, pode. - Sorri e ele fez o mesmo.

Nathy:_ Jura que já tá pronto? Ah eu quero ver ein! - Subimos juntas e ela não escondeu o entusiasmo ao ver cada detalhe. - Que lembrancinha fofa! E o banheiro? Nossa é enorme. E esse tanto de roupa? Já tem mais que eu. - Ri. 

Vilu:_ Foi meu papai e as fãs do meu papai que me deu poxa. - Imitei voz de criança e ela riu.

Nathy:_ Você tá feliz não é? - Sorriu.

Vilu:_ Ah.. e tem como não está? Tenho tudo que sempre sonhei. Meu marido, minha filha, minha casa.. 

Nathy:_ Vocês merecem!

Vilu:_ Ai! - A abracei e ela correspondeu. 

Descemos e eles estavam jogando parecendo duas crianças, apenas rimos e nos sentamos, e assim foi boa parte da nossa noite. Comendo sorvete enquanto conversavam-os e viam-os eles jogando. Quando deu quase 00:00, eles se despediram e foram, decidi tomar outro banho e quando voltei Leon já cochilava. - Boa noite amor.. - Lhe dei um selinho.

Leon:_ Boa noite amores. - Sussurrou sonolento.E como todas as noites aquela era a hora em que a Manu mais se mexia dentro de mim não me deixando dormir, como de costume liguei o abajur e fiquei lendo o livro e fazendo carinho na minha barriga pra ver se ela se acalmava, deu uma da manhã, duas e nada.

Vilu:_ Amor.. - Sussurrei e ele já ergueu a cabeça todo preocupado.

Leon:_ Ham? O que? Que foi? Tá com dor? Ela tá mexendo? É desejo?

Vilu:_ Amor calma. - Sorri. - Ela está se mexendo demais..

Leon:_ Ah! - Respirou aliviado. - Por que não me chamou?

Vilu:_ Fiquei com dó de te chamar.. - Fiz bico.

Leon:_ Oh princesa. - Me abraçou pela cintura. - Vem cá vem, bora cantar pra ela se acalmar.. uma bem antiga mas que eu gosto muito... - E cantou uma, duas, três, quatro, cinco e nada.

Vilu:_ Oh filha..

Leon:_ Tá danadinha hoje ein? - Riu. - Que nem o papai aqui.

Vilu:_ Amor olha.. - Apontei para minha barriga e o pé dela estava marcando certinho.

Leon:_ Ain cara, olha o tamanho disso, olha amor. - Ele passou o dedo com cuidado por cima e ela chutou.

Vilu:_ Ai! - Gemi. - Isso as vezes da uma falta de ar.

Leon:_ Amor, quer ir no hospital?

Vilu:_ Amor é normal, calma, relaxa, estamos bem! - Acariciei minha barriga.

Leon:_ Tem certeza? Amor cara, não me esconde nada.

Vilu:_ Você sabe que não escondo..

Leon:_ Fico preocupado. - Respirou fundo e me puxou para seu peito. - Nãna bebê do papai. - Acariciou minha barriga.

Não sei se foi pelos carinhos ou pelo cansaço mas acabei dormindo e no outro dia apesar da noite mal dormida acordei disposta, as 08:00 me levantei decidida a ir até a ONG hoje, já que desde que havia anunciado a minha gravidez não tinha ido lá, aliás.. para quase canto nenhum.Depois de tomar banho, me maquiei bem leve, me vesti. {notas finais }

Deixei os cabelos soltos e sai do banheiro. Leon estava sentado na cama com o rostinho amassado, cabelinho bagunçado e carinha de sono.

Vilu:_ Bom dia amor! - Beijei seu rosto.

Leon:_ Bom dia. - Sorriu e bocejou. - Tá arrumada.. vai sair?

Vilu:_ Vou sim amor.

Leon:_ Pra onde?

Vilu:_ Vou na ONG, estou morrendo de saudades de todos.Mas fica calmo que o Ramalho vai comigo.

Leon:_ Amor.. tem certeza? Cara, é melhor deixar pra ir quando a Manu nascer, assim eles já conhecem ela.

Vilu:_ Amor ainda falta dois meses, é rápido lá.

Leon:_ Mas amor.. não tem necessidade.

Vilu :_ Leon .Eu quase não saio pra canto nenhum, não vou ficar presa.

Leon:_ Não é ficar presa, é só.. evitar.

Vilu:_ Gravidez não é doença amor.Para..

Leon:_ Mas essa madrugada mesmo você tava meia ruim cara, fica.

Vilu:_ Ah não amor, eu vou.

Leon:_ Amor por favor eu tô pedindo.

Vilu:_ Amor.. - Fiz bico. - Eu vou.

Leon :_ Eu tô pedindo..

Vilu:_ E eu afirmando. - Revirei os olhos e fui andando até a porta, ele deu um pulo e parou frente dela.

Leon:_ Você não vai.

Vilu:_ Que? Leon o que é isso? Eu entendo que você quer nos proteger mas me proibir de sair de casa? Isso já é demais!

-

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...