História Sorriso de Verão - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Tags Inverno, Jikook, J-suga, Kookmin, Outono, Primavera, Sobi, Sope, Sugahope, Verão, Yoonseok
Exibições 65
Palavras 1.931
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Fantasia, Fluffy, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa é pra Pamie.
Parabéns pelos 23 aninhos! <3 Obrigada por ser uma pessoa maravilhosa e a melhor unnie que eu poderia querer.
Te ama muito. Tomara que goste e que alegre seu dia! <3

Capítulo 1 - Sobre Hoseok e seu calor


 

 

 

O Verão estava demorando para chegar naquele ano.

A Primavera durava mais tempo do que de costume e Jimin, que aprendera a gostar bastante de conversar comigo, tagarelava no banco da praça ao meu lado, dissertando sobre o quanto suas flores estavam lindas naquela vez.

Jimin, como sendo Primavera, tornava-se deveras narcisista quando o assunto era suas flores.

Eu não o culpava nem um pouco por gostar tanto delas, pois eram realmente lindas. E também não o culpava por gostar tanto de mim, embora às vezes seu falatório me incomodasse um pouco — mas tentava não demonstrar. Em toda a existência de Jimin, eu fui o único com quem ele já trocou mais do que algumas palavras — e não sem razão. Por algum motivo, eu fui o único ser humano que pôde ver as Estações.

Além do mais, só o que Jimin podia fazer quando via Verão ou Inverno era cumprimentá-los e, imediatamente, partir. E ele só conhecia Verão e Inverno, seu sucessor e seu antecessor, respectivamente. Portanto, nunca havia conhecido Outono.

Assim como Inverno e Verão nunca haviam se encontrado. Eram as extremidades opostas do ciclo, e não havia como se encontrarem.

Nunca se encontrariam.

Eu sempre pude vê-los, todos eles. E quando descobriram isso, passaram todos a conversar comigo, já que em seu período de estadia onde eu vivia, frequentemente possuíam tempo livre. Eu quem lhes dera, inclusive, o que eles chamavam de nomes mortais. Seus nomes eram Primavera, Verão, Outono e Inverno, entretanto, à medida em que conversávamos, me pediram para escolher nomes humanos a eles e acabei por escolher Jimin, Hoseok, Namjoon e Jeongguk. E eles adoraram.

Quando passei a conversar bastante com Verão, me apaixonei.

Não sabia como defini-los, mas talvez entidades fosse apropriado. Eram eles quem faziam as estações: Jimin, a Primavera, sucedia o Inverno e era responsável por derreter o gelo, além disso, fazia as flores desabrocharem. Hoseok, o Verão, fazia o sol nos aquecer e às vezes derretia sorvetes de criancinhas distraídas. Namjoon, que era Outono, adorava fazer a brisa levar as folhas dos galhos das árvores; ele era quieto e não chamava muita atenção para si. Por último, Jeongguk, o Inverno, era como um garoto incompreendido que não entendia porque as pessoas se escondiam e fugiam de sua neve; ele também esculpia flocos perfeitos e às vezes possuía uma singela crueldade infantil.

Eles eram como peregrinos que viajavam o mundo todo, e ficavam apenas algumas semanas em um lugar específico.

Sim, demorou muito para que eu compreendesse isto e ainda não sei como consegui, de fato, fazê-lo.

Tanto eles quanto eu também não compreendíamos como eu podia vê-los, tocá-los e falar com eles; Hoseok tinha uma hipótese inacabada de que eu estava entre dois mundos.

De qualquer forma, essa parte não importava muito. O que importava era que fiquei amigo de todos eles, e passava meus dias conversando com a estação da vez.

E o que mais importava era que, por mais que eu gostasse de Outono, Inverno e Primavera, meu coração pertencia ao Verão.

— Yoongi! — Jimin gritou ao meu lado com sua voz fina, me assustando.

— O que foi? — Virei-me para encará-lo.

Jimin era realmente bonito, ah, todos eles eram.

— Você parou de prestar atenção de novo!

Suspirei.

— Desculpe, Jimin, eu estava pensando…

— Pensando em Verão?

Ele sabia, todos sabiam do que Hoseok e eu tínhamos.

— Sim.

— É sempre assim. — Ele fez um biquinho, parecia uma criança. Jimin sabia ser impertinemtemente infantil. — Sempre que estou de saída, você começa a não me dar mais atenção porque fica pensando em Verão… e nem aproveita minha presença!

Me aproximei de Primavera no banco e arrumei a coroa de flores que ele sempre usava nos cabelos vermelhos, pois a mesma estava torta. Dei-lhe um beijo na bochecha e afaguei seus fios ruivos; ele sorriu e parou de birra.

— Me desculpe. Vou aproveitar melhor sua presença daqui em diante, a todo momento em que estiver comigo.

— É por isso que eu gosto de você, Yoongi! — Ele me abraçou, e sussurrou no meu ouvido. — Sinto que Verão chega amanhã.

O afastei para encará-lo, ver se falava sério.

— Verdade?

Jimin riu. Sua voz fina rindo admitia um timbre doce e, portanto, sua risada era extremamente gostosa de se ouvir.

— Alguma vez estive errado? Portanto, vou-me embora em breve.

Olhei para o céu daquela tarde. Logo escureceria, então me levantei.

— Vamos para a minha casa? — Perguntei. Mas imaginei que Jimin talvez fosse querer ficar um pouco mais.

Ele tinha os olhos fixos no jardim de flores do parque. Ao lado do banco, onde estava sentado, no chão, havia uma pequenina roseira com um único botão que não se abrira. Meu amigo ficou repentinamente triste.

Jimin tocou o botãozinho com a ponta do dedo indicador e o mesmo, em questão de segundos sob nossos olhares atentos, abriu e transformou-se na linda rosa vermelha que merecia ser.

Primavera suspirou.

— Assim que eu me for, elas morrerão.

Se referia às flores. Todas elas, sem exceção, morriam quando Verão chegava. Às vezes o sol de Verão as queimava.

— É o ciclo da vida, Jimin. Mas você vai para outro lugar e fará com que outras flores desabrochem. É assim e sempre será…

— Vá na frente. — Jimin me cortou. Eu era realmente péssimo em consolar os outros. — Te encontro quando escurecer.

 

 

Voltei para casa triste por Jimin. Sua existência era por aquelas flores. Ele dava vida a todas elas, dava-lhes a chance de desabrochar para exibir suas cores e perfumes. Por isso às vezes tornava-se um tanto quanto vaidoso. Ele tinha orgulho de todas elas. Mas suas flores eram tão efêmeras que ele ficava triste assim, toda vez, quando partia de algum lugar.

Jantei, tomei banho e me deitei para dormir, estranhando Jimin ainda não ter voltado. Não vi quando ele chegou, mas dormi muito bem e tive sonhos com Hoseok e, quando acordei, Jimin estava lá, afagando meus cabelos.

Afinal, Primavera nunca dormia. Nenhum deles dormia.

— Ande logo Yoongi, se arrume. Em breve, Verão estará nos esperando.

Me vesti em roupas brancas e leves para saudar Verão. Iria com Jimin até o parque que ficava no centro de Seul, mas quando saímos Hoseok nos aguardava em meu quintal.

Jimin virou-se para mim.

— Mande lembranças minhas a Inverno quando o vir e… diga que o amo.

— Deixe comigo! — Respondi prontamente.

Primavera era apaixonado por Inverno, e era recíproco. Eles apenas se viam algumas vezes por ano, quando Inverno tinha de partir e Primavera reclamava posse do lugar. Eles se amavam assim havia milênios, trocando pouquíssimas palavras em apenas alguns minutos por vez. Eu ainda tinha sorte de poder ficar com Hoseok por algumas semanas, e às vezes ainda era mesquinho a ponto de me queixar disso.

Desde muito tempo, Jimin e Jeongguk pediam-me favores. Eu servia de “correio” para os dois amantes. “Conte-me mais sobre Inverno” ou “Conte-me mais sobre Primavera” eram palavras que eu frequentemente ouvia quando estavam comigo.

Eu não me importava. Na verdade, até gostava de fazer aquilo, porque os via felizes. Jimin apenas ficava triste de não poder deixar presentes a Jeongguk, visto que Jeongguk vivia lhe deixando esculturas de gelo.

Elas derretiam assim que, após Jeongguk ir, Jimin as tocava.

Já Jimin não podia deixar nenhuma de suas flores para Jeongguk, porque elas sequer sobreviviam a Hoseok.

Primavera se afastou de mim e foi até Verão, para que Verão reclamasse a posse.

Verão se abaixou, porque era mais alto que Primavera; e o menor segurou seu rosto, esticou-se nas pontas dos pés e beijou a testa de Verão.

Estava feito. Jimin se distanciou de Hoseok — ele tinha de ir.

— Até logo, Yoongi! Tchauzinho, Verão. — Ele fez sinal com a mão e começou a andar. Retribuí, sorrindo para meu amigo ao vê-lo se afastar. Jimin não podia perder tempo, afinal, estava indo se encontrar com Jeongguk.

Ele andaria muito.

Voltei a atenção para Hoseok, que já fazia seu trabalho. O sol surgiu entre as nuvens e nos banhou com sua luz e calor.

As flores remanescentes do meu jardim começavam a morrer.

Então Hoseok veio até mim e me tomou nos braços. Senti seu cheiro, brinquei com os cabelos castanhos de sua nuca.

— Senti sua falta. — Foi tudo o que disse antes de me beijar.

Hoseok colou os lábios nos meus, e sendo Verão, seus beijos eram sempre quentes — assim como ele como um todo — e eu praticamente derretia em seus braços. Seus lábios me tiravam o ar, sua língua me tirava a sanidade. E cada vez mais eu acreditava que havia nascido para amá-lo.

Hoseok era intenso demais para um mortal como eu.

— Também senti sua falta. — Disse quando ele se afastou.

Era impossível descrever a saudade que eu tinha sentido de Hoseok, seu calor, seus toques… seu ser.

 

 

Foram semanas maravilhosas, sempre eram. Hoseok sempre me acompanhava em toda parte, até mesmo no meu emprego — mesmo que ele sempre se sentasse na mesma mesa enquanto eu servia café para todos os clientes e às vezes não falasse comigo enquanto eu trabalhava, apenas saber que ele estava lá e que me esperaria para voltarmos juntos para minha casa já me aqueciam o coração.

Hoseok ficava me observando com cara de bobo e eu tinha que me controlar para não interromper meu turno para ir até ele e beijá-lo.

No parque, nos deitávamos na grama enquanto as crianças se divertiam porque era isso o que faziam todos no Verão — inclusive, eu, mas com o próprio Verão. Hoseok tinha a pele de um moreno tão bonito e só de ficar próximo a ele, a minha pele branca começava a pegar cor também.

E Hoseok sorria constantemente para mim.

Jimin que me perdoe com suas flores, mas o sorriso de Hoseok sempre seria a coisa mais linda que tive a sorte de ver em toda minha vida.

Quando Verão estava prestes a ir embora, ele fazia os pores de sol mais bonitos só para mim. O crepúsculo deixava tudo com aquela cor alaranjada.

— Quando retornar, me verá com outra cor de cabelo.

Hoseok se levantou e subiu sobre mim, cobrindo minha visão do céu. Apoiou as mãos na grama ao lado de minha cabeça.

— Vai pintá-los?

— Vou.

— De que cor?

— Rosa. Como as nuvens que fez para mim hoje.

Ele sorriu e me dei conta do quanto era sortudo por ter a chance de amá-lo.

E me beijou, mais uma vez roubando-me todos os sentidos. Eu chegava até a ficar tonto algumas vezes.

 

No dia seguinte, no parque, Verão me abraçou e me beijou longamente antes de se afastar e ir até Outono.

Outono se abaixou para que Verão lhe beijasse a testa, como sempre. E depois se despediu.

— Até logo, Yoongi. Eu te amo.

Congelei no lugar, pude ouvir meu coração batendo como se estivesse em meus ouvidos.

Aquela era a primeira vez em que Hoseok dizia aquelas palavras. Do modo como rodava o mundo todo, devia saber dizer aquilo em várias línguas, ele era muito observador.

— Também te amo. — Respondi, antes que ele se afastasse.

Namjoon veio até mim, vestido em seu sobretudo marrom de sempre. Ele tocou em um galho da árvore que havia atrás de mim e a primeira folha de Outono caiu.

Outono adorava ouvir histórias das outras estações. Todos me contavam, e eu contava a ele. Ele era um ótimo ouvinte, não falava muito, mas às vezes perguntava várias coisas e eu tinha de pedir calma a ele para conseguir responder tudo.

— Conte-me histórias de Primavera, Yoongi? — Mantinha um interesse singular por Jimin, pois nunca o conheceu.

— Claro! — sorri para Outono, observando Verão já ao longe, caminhando sem olhar para trás, indo ao encontro de Primavera.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Bjokas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...