História Sorry - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Longfic, Taoris
Exibições 31
Palavras 3.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieee, eu iria postar de madrugada mas dormi :v então roubei o not de tarde e to postando agr
Não vou mais me prolongar tnt nas notas iniciais, entaum nós nos vemos no final
Quero panfletar, pra quem n viu/ouviu, o Chen nosso lindo mozão, fez uma música com o Alesso, ela se chama Years e tá mt bom, quando dá, acendo e apago as luzes aq de casa enquanto ouço, minha baladinha pessoal, poderia dizer q até cansei de tnt ouvir... mas n kkkkkk eu nunca vou cansar
Só isso msm
Boa leitura 🙆💕

Capítulo 4 - Vizinho


Fanfic / Fanfiction Sorry - Capítulo 4 - Vizinho

     SEHUN POV ON

  Ele estava a centímetros de meu rosto, sua boca entreaberta e olhos vidrados, descerrei meus lábios vagarosamente tendo como resposta uma mão posta em meu pescoço e pequenos olhinhos delineados se fechando, apenas me provando algo que já havia cogitado antes. Afinal das contas, não seria tão difícil concluir os planos que rondavam minha mente.

 - Hyung? – o chamei – O que você está fazendo?

 O miudinho a minha frente afastou-se num pulo, pondo a mão no seu rosto em uma falha tentativa de esconder a vermelhidão impregnada ali. Murmurava vários “nada” à medida que dava passos descoordenados para trás.

 - Está tudo bem com você?

 Perguntei me levantando e andando em sua direção, fazendo-o se afastar ainda mais até atingir suas costas na parede fria. Seu semblante indicava a um misto de confusão e pânico.

 - Você está muito quente – levei minha mão a sua testa quando consegui o alcançar – Está doente? É melhor se deitar um pouco. Vem, eu fico com você até melhorar

 Segurei em sua mão o puxando, como o mesmo havia feito minutos atrás, até seu quarto. Mas não consegui ao menos sair da sala, ele forçou seu corpo para trás e se soltou de minha mão rapidamente

 - N-não, e-eu estou bem – forçou um sorriso – eu ainda tenho que desenhar

 - Tem certeza? – depositei minhas mãos em sua cintura – Eu posso dormir aqui se quiser

 - Não precisa, eu já disse que estou bem, okay? – disse rapidamente, não pensei que fosse possível vê-lo ainda mais ruborizado que antes, o que ele pensou?

 Assenti e voltei ao meu lugar, observando o quão desajeitado estava para pegar o bloco e seu lápis 6b. BaekHyun abaixou a cabeça e ficou concentrado na folha em branco a sua frente, mas não mexendo se quer um músculo de sua mão.

 - Sabe, eu não sou especialista nem nada, mas acho que deveria olhar para mim se quer me desenhar – brinco um pouco para tentar quebrar o clima tenso ali instalado, não conseguiria nada se me tratasse desse modo

 - Sim, eu sei – ri um pouco nervoso me olhando

 - Qual pose você quer? – questionei me ajeitando um pouco na cadeira – tem a pose fofinha – pus minhas mãos em baixo do queixo e fiz minha melhor cara, fazendo-o rir – tem a pose machão – forcei meu braço delineando cada traço de meus músculos, que o fez revirar os olhos – e a minha preferida, a lacradora – cruzei as pernas e levei meu dedo até a boca, dessa vez o pequeno gargalhou

 - Oh céus, são tantas opções boas que até estou em um conflito interno para decidir – fez a pose do grande pensador enquanto falava com um tom sarcástico, pelo menos está menos nervoso - pega isso aqui - joga um ramo pequeno de flores em meu rosto

 - Tão delicado e carinhoso você, em!

     SEHUN POV OFF

     KRIS POV ON

 Sook não falava nada a mais de 10 minutos, nem ao menos comia, se limitava a remexer sua comida com o garfo, não muito diferente de mim.  Aquele silêncio já estava me consumindo por inteiro

 - Então – comecei mas não sabia ao certo o que deveria falar – aqui é bem agradável, não acha? – que tipo de merda eu tenho na cabeça? Já viemos aqui mais de 5 vezes

 - Sim – foi só o que saiu de sua boca

 Namorávamos a quase 4 anos, mas, para falar a verdade, nunca soube ao certo como conversar com ela, fora sempre tão formal e educada que de certo modo me intimidava. Tinha medo de falar normalmente e acabar lhe ofendendo ou a fazendo interpretar de modo errôneo, o que me levou a velha questão que tanto me perguntava, afinal, por qual motivo estava com ela? E simplesmente não achava nenhuma resposta, tanto para estar com ela, quanto para não estar. Acho que talvez tenha apenas me acomodado de mais, nunca deixando nosso relacionamento sair da rotina

 - Me perdoe Wu Yi Fan – pediu assim que parei o carro em frente à sua casa

 - Pelo que? – não compreendi direito o que ela queria com isso

 - Por hoje, eu não fui uma boa companhia, estou perdida em alguns problemas. Não se preocupe, não é nada demais – completou quando percebeu que lhe perguntaria se estava bem – eu acho que já vou indo

 - É que – ela parou de se levantar do banco e me olhou – achei que quisesse que eu ficasse com você hoje

 - Não precisa – sorriu gentilmente

 Meu celular vibrou e pela pequena melodia percebi ser uma mensagem, o tirei do bolso de meu casaco e deixei um sorrisinho bobo escapar de meus lábios assim que vi quem era o dono de tal chamado, não passando despercebido por Sook, que se esticou sutilmente do passageiro tentando ler

 - Kris? – estranho um pouco, ela nunca se refere a mim deste modo

 - Sim? – respondo me virando e pondo o celular novamente em meu bolso

 - Fica comigo hoje? – pede se aproximando

 - Mas você disse – me interrompe com um beijo – quanto tempo?

 - A noite toda – sussurra em meu ouvido

     KRIS POV OFF

     TAO POV ON

 Acordei sentindo uma pontada na lateral de minhas costas e praguejando o porquê deste sofá ser tão desconfortável, não parecia que havia tirado um cochilo, e sim que uma manada, de algum bicho que eu não sei, passou, deu a ré e passou por cima de meu corpo novamente. Sentei já tendo que fazer malabarismo com meu celular para não cair no chão, eu acabei dormindo com ele sobre meu peito esperando uma resposta de Kris, que teve a audácia de visualizar mas nem ao menos responder, olhei as horas e ai sim me levantei em um pulo, correndo até o quarto enquanto penteava meu cabelo com os próprios dedos, eu estava atrasado e claramente fodido

 - Eu não queria falar nada mas, cara, você tá horrível mesmo – riu Kai

 Como todo intervalo estávamos reunidos em uma mesa do refeitório

 - E ai, se fodeu muito? – perguntou SuHo dando uma mordida em seu sanduíche

 - Um pouco – respondi tomando um gole de meu suco – na próxima sim eu estarei totalmente fodido

 - Ah, nem é tão ruim assim, olhe o Chen, todo fodido e ainda sorri – comenta Baek rindo um pouco

 - Não vem com essa não – retrucou

 - Para né, se tem mó cara de pass...

 - OLHA O BULLYING COMIGO, XIUMIN FALA ALGUMA COISA – bate na cabeça do amigo

 - Sei de nada não moço, to comendo meu salgadinho aqui na maior humildade – coloca outro salgadinho na boca tentando conter a risada

 - EU TO VENDO VOCÊ RIR, É. PRA. VOCÊ. ME. DEFENDER. SEU. IDIOTA – discursa entre tapas

 - Meu deus, cala a boca, parece aqueles chiuaua fresco de madame, só grita – Kai diz levando a ponta dos dedos até as têmporas, as massageando

 - GRITO MESMO, E SE RECLAMAR GRITO MAIS ALTO – bate a mão na mesa

 - Calma meu menino bullying – Fala acomodando a cabeça de JongDae em seu peito, logo a acariciando

 - Chan fucking Yeol, te dou dois segundos para se afastar dele

 - Ou? – Chen faz seu melhor olhar desafiador

 - Eu invoco quantos demônios for preciso para te pegar durante a noite – Byun abre um sorrisinho de canto

 - Ele já me soltou – diz rápido tentando se soltar dos braços de Park

 - Soltei não – o grandão responde ainda o segurando

 - SEU ORELHUDO ME SOLTA, EU NÃO MORO MAIS COM A MINHA MÃE, NINGUEM VAI ME PROTEGER – se esperneia um pouco se soltando – Min, você vai dormir lá em casa hoje, né – faz uma carinha fofa, acho que se ninguém ficar com ele essa noite, o mesmo não vai nem mesmo ficar em casa

 - Se ele não se fode de um jeito, se fode de outro – KyungSoo implica

 - AISH SEU...

 Chen para de falar assim que Kris chega, porém sem a sua velha cara matinal de quem acordou querendo matar meio mundo, ele estava mais... alegre? Quem fica alegre de manhã? Logo atrás vem Sook, ficando em pé atrás dele, mas ela sim estava diferente, possuía um sorrisinho de vitória enquanto me olhava, nunca a tinha visto assim

 - Estava tão ocupado assim ontem? – perguntei o vendo fazer uma cara de quem não entendeu – para não me responder, bastava dizer que não queria ir

 - Ah, desculpa, acho que a culpa é minha, não é amor? – se refere a Kris – estávamos – faz uma pausa – resolvendo um problema pendente – lhe lança um sorriso sacana, fazendo-o engasgar e tossir com seu suco

 - Vadia – Baek sussurra em um riso soprado, sendo observado por todos os curiosos naquela mesa, logo tentando se consertar – é, quer dizer, VAI DIA... E VEM NOITE, HOJE É DIA DE FRITA – faz uma dancinha, claramente muito nervoso pensando se a desculpa ia colar ou não – eu, err, vou, ali, pegar, ãh, já volto – se levanta e some na fila do refeitório, deixando todos com cara de “wtf

     TAO POV OFF

     BAEKHYUN POV ON

 Okay, eu devia ter guardado aquele pensamento para mim mesmo, mas sinceramente, não me arrependo, o que aquele ser quer com isso? Sempre foi recatada e quieta, e de repente sai bostejando pra tudo que é lado, ela quer o que? Provocar alguém? Provavelmente. Só sei que tá na hora daquele poste chinês levar um belo de um tapão na fuça

 SeHun ainda nem me olhou na cara hoje, será que ele está com vergonha de mim, ou algo do tipo por ontem? Não o culpo, eu também acharia estranho e me afastaria se fosse comigo. Nem eu sei o porquê de ter feito o que fiz, ou quase feito, não tenho nem trinta anos e já estou ficando louco, se pelo menos eu parasse de pensar nisso. Por que eu insisto em lembrar daqueles olhos a todo instante?

 O que eu estou fazendo da minha pobre vidinha? Já devo ter feito um milhão de perguntas para meu eu interior mas não consigo responder uma sequer, se ao menos essa fila andasse... oito minutos em uma fila para pegar um maldito pudim que eu nem quero, alguém me mata

 Volto para mesa e todos ainda continuam sentados comendo e discutindo alguma coisa, ótimo, é só sair que perco as treta tudo, me sento no mesmo lugar tirando a colher do guardanapo e com os ouvidos bem atentos para tentar entender alguma coisa da conversa

 - Claro que não pode

 - Como não pode Kyung? Assim você me decepciona – choraminga JongIn

 - Eu não vejo nada de errado – comenta SeHun – se os dois querem, não tem porque não fazer, não é mesmo Baekkie? – me lança um olhar sugestivo

 - S-sim – respondo mesmo não sabendo do que estavam falando, recebendo um olhar estranho de Yeol

 - Viu, até ele concorda – diz SuHo – não tem problema se pegarem as vezes – termina a frase rindo

 - Vocês parecem santos casamenteiros, até quando vão insistir nisso? A gente não tem nada – olha para JongDae – e nem vai ter – volta a falar

 - Iiiii, acho que o Xiumin não te quer

 - Fica quieto – Lay tem como resposta um pedaço de borrachinha acertar sua testa

 Eles estão falando de amigos se pegarem, é isso? Mas então porque ChanYeol tá me olhando com essa cara?! E por que caralhinhos Oh perguntou aquilo para mim com um jeito tão sugestivo? Devia ter ficado na fila do pudim mesmo

[...]

 Dar os últimos retoques em um desenho nunca havia sido tão demorado como este, tirava e acrescentava traços de cinco em cinco minutos, sentia que não estava do jeito que queria, não representava verdadeiramente a beleza de meu modelo. Sem contar, as desculpas que inventava para mim mesmo, como tomar água ou ir no banheiro apenas para não precisar olhar aquela figura por muito tempo, minha mente se tornava uma tremenda confusão sempre que voltava a trabalhar aquela imagem. Não compreendia o que estava se passando comigo, mas pressentia algo nada bom que ainda teria por vir se continuasse.

 Joguei-me no sofá, encarando uma teia de aranha no canto do teto, quando que eu me tornei tão relaxado? Me levanto indo até o quartinho escuro que tranquei Chen e volto com uma vassoura, rindo enquanto me lembrava do moreno quase tendo um ataque cardíaco quando estava preso lá, passo a vassoura pelo teto, tirando a teia e qualquer outro resíduo de sujeira que tenha, só não contava com a possibilidade de alguma sujeirinha cair em meus olhos. A campainha toca e pelo olho magico, vejo minha avó, coço meu olho que já estava vermelho e lagrimejando enquanto abro a porta

 - Oi vó – lhe dou um abraço apertado, já fazia muito tempo desde que a vi pela última vez

 - Oooh amorzinho, não precisa chorar de saudade – diz me soltando – a vovó tá aqui agora – sorri

 - Não é isso não vó – riu um pouco – entra

 Como se fosse a dona da casa, joga sua pequena bolsa no sofá e se senta

 - Qual é o botão da novela? – pergunta olhando para o controle

 - Não tem novela essa hora – me sento ao seu lado no sofá

 - Só perguntei qual o botão, e não se estava passando

 - Sempre tão carinhosa

 Rimos juntos, ela nunca foi uma senhora senil e tradicional, se é que posso falar isso, na verdade se eu sou uma cobra venenosa é graças a essa senhorinha do meu lado. A porta de frente se abre, chamando a atenção de nós dois, passando por ela, vem SeHun, com um balde gigantesco de pipoca e uma sacolinha branca, desde quando dei permissão de entrar sem bater? Vou começar a trancar a porta

 - Quem é ele? – minha vó pergunta apontando para Oh, que estava pregado no chão desde o momento em que viu que eu tinha visita – se fosse para ninguém responder, nem teria feito uma pergunta – diz se levantando, assim que não havia tido nenhuma resposta

 - É, pra-prazer, eu sou Oh SeHun – se curva um pouco

 Minha vó chega mais perto do mesmo e o olha por um longo tempo, por que sinto que não vem coisa boa?

 - Cadê aquele moço alto dos cabelos vermelhos e orelhas fofas? – pergunta, agora, me olhando

 - E-eu não sei

 - Vocês terminaram? Gostava tanto dele, mas esse rapaz também é muito bonito. – diz o olhando de cima a baixo, deixando Oh totalmente constrangido e um pouco encolhido sobre o olhar da senhora a sua frente  – É seu novo namorado?

 No mesmo momento, me afogo com minha própria saliva, e SeHun abre um sorriso brincalhão no rosto. Quer ver que vai sair merda daí!

 - Sim – ele responde deixando minha vó feliz

 - Que bom, bem vindo a família – comemora o abraçando, ele já pode se considerar morto e embalsamado

 - Não vó, não, ele é só meu vizinho – lhe lanço um olhar fatal, indicando que da próxima ele não escapa

 - Então você está sozinho? – pergunta triste – É por isso que estava chorando?

 - Você tava chorando? – SeHun pergunta sério

 A única coisa que se passava em minha mente é, “MEU DEUS DO CÉU VÓ, CALA A BOCA”, eu juro que não vou aguentar mais nada que sair da boca dela

 - Não estava chorando, tinha uma sujeira no meu olho

 Os dois me olharam desconfiado, me fazendo perceber minha resposta, mesmo sendo verdade, parecia um desculpa barata

 - Afinal – recobro minha consciência – o que você está fazendo aqui?

 - Eu pensei que poderíamos assistir algum filme – responde erguendo a sacolinha branca em sua mão, talvez contendo alguns filmes

 - Se é assim eu já vou indo – diz minha vó, pegando sua bolsa de cima no sofá – até outro dia meu bem – se despede apertando minha mão e deixando um papelzinho nela – nem adianta recusar

 Se despede de SeHun com um abraço e some pelo corredor do prédio, olhei para a minha mão e tinha algumas notas, típico, penso rindo um pouco

     BAEKHYUN POV OFF

     CHANYEOL POV ON

 Como eu odeio elevador, um cubículo apertado, estranho, com chances de cair e você se esborrachar, mas acima de tudo, demora uma eternidade, devo estar esperando a mais de dez minutos ele chegar ao térreo, só não vou de escada porque seria muito cansativo subir tantos lances. Quando a porta se abre, uma senhora de aparência gentil sai de lá e anda em minha direção, como um fleche, lembro ser avó de Baek

 - Oi meu jovem – me abraça – você continua muito bonito – tenta alcançar meus cabelos com sua mão, mas por ser muito baixa, acabo me encolhendo um pouco para que possa efetuar o ato

 - Oi senhora Yang Mi, como vai? – a cumprimento recebendo um sorriso

 - Eu vou muito bem, apenas atrasada – diz olhando seu relógio – fiquei triste por saber de você e meu Baekkie

 - Desculpa, eu não entendi

 - Não se preocupe, você vai achar uma boa pessoa, assim como Baekkie achou – continua, me ignorando – só espero que não seja por você que ele estava chorando

 - Ele estava chorando? – vejo ela assentir com a cabeça

 - Pode subir, ele deve estar assistindo filme com o vizinho alto e bonito, ele disse que não – fez uma pausa – mas acho que estão namorando – sussurra a última parte como se fosse para ninguém nos ouvir


Notas Finais


Eu tenho uma perguntinha pra fazer kkkkkk
Vcs gostam de xiuchen?
Pq já q alguém gostou do chen na fic, eu faria um cap com uns 60% de atenção para ele, e já tenho tudo bolado, mas n sei se vcs gostariam ;-;
E também n quero fazer tds os couples, acho meio cansativo tds estarem juntos
E eu repito kkkkkkk n consigo dar atenção a todos os personagens, então se quiserem q alguém apareça mais vezes, basta pedir
Eu sou toda ouvidos, e obg para quem comentou no cap anterior, eu sou tão criancinha q fico toda boba 👀😂💞 hueheuehueu
Até semana q vem minhas frôres <3
🌼😘🌼


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...