História Sorry but, I love you - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias NCT 127, NCT U
Tags Nct
Exibições 15
Palavras 1.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Rápido não?
Boa leitura.

Capítulo 3 - Memórias são o pesadelo permanente da mente




Já se passara meia hora e Ten ainda estava sentado no chão seu passado se reproduzia como um filme em sua mente, levantou-se e foi para o banheiro de seu quarto, tirou o casaco que usava, peça essa que já tinha virado rotina no copo de Ten, olhou para seu braço e viu as inúmeras cicatrizes que tinha ali, muitos podem até achar besteira mas o fim de seu relacionamento com Taeil tinha revirado a sua mente, Ten com certeza e envergonhava com as coisas que tinha feito em seu passado as manhãs que acordava e sentia vontade de se matar, cortava os pulsos queria se livrar daquela dor de uma vez por todas, mas alguém sempre chegava e o salvava, lembrava das noites de bebedeiras e drogas mas dessas noites a que mais marcou sua vida foi a noite em que encontrou Mark em uma boate.
                             ~ FLASHBACK ON ~
A música alta e a as luzes da boate por mais incrível que pareça acalmava Ten, o cheiro de álcool estava em todo lugar, bebia tudo o que via pela frente, mas isso não era suficiente ele queria algo a mais, ele queria drogas, ele necessitava das drogas, o comprimido de ecstasy já estava fazendo efeito em sua mente, no meio de tantas pessoas ele encontrou aquele que mais queria esquecer, com o cigarro suspeito na boca ( o qual ele nunca teve coragem de experimentar) lá estava Mark dançando alegremente.
-Oh Ten, eu não sabia que você freqüentava esse tipo de lugar.- Disse  Mark apagando o cigarro com um brilho extra nos olhos.
-Não costumava freqüentar até você aparecer na minha vida.- Ten estava tenso, ainda não tinha se acostumado com a idéia de que foi traído com uma criança.
-Eu sempre estive na sua vida, mas você só descobriu agora- As palavras de Mark tinha uma pontada de sarcasmo enorme.- Sabe o Taeil ficou tão sem graça depois que você descobriu tudo, não é mais a mesma coisa, ele não tem aquele fogo que costumava ter- Terminou de falar suspirando.
-Não me provoque Mark- Ten tentava a todo custo se controlar, mas as bebidas e drogas que tinha ingerido a pouco tempo não o ajudavam.
-E se eu não quiser, o que você vai fazer? Vai me bater?- Mark sabia muito bem como manipular as pessoas e não faria diferente com Ten.
-Pior que isso, vem comigo- Ten puxou Mark pelo braço até a porta da boate, saíram de lá e foram direto para um motel que tinha ali perto.
Entraram no quarto e Ten jogou Mark na cama partindo para um beijo apressado, cheio de desejo, de raiva e de luxuria, separaram-se quando a falta de ar se fez presente. Quando se deu conta a roupa dos dois já estava jogada em qualquer canto do quarto, eles se beijaram novamente apenas de cuecas. Na havia romantismo, muito menos carinho entre os dois, Ten queria se vingar e Mark, bom esse já não se satisfazia mais com o que Taeil lhe dava, a excitação dos dois já era visível.
-Ajoelha- Disse Ten num tom quase rude e Mark o fez imediatamente liberando o membro do outro da cueca, Ten soltou um gemido, pegou seu membro e contornou a boca de Mark que o lambeu na glande- Já está apressado Mark? Eu ainda tenho muita coisa pra você, me escuta bem, você só vai fazer o que eu mandar qualquer gracinha você vai se arrepender ouviu?
-S-sim Ten, vamos logo com isso- Dito isso sentiu o membro de Ten em sua boca e começou a fazer o que ele já tinha uma certa experiência, já Ten sentia como e estivesse na nuvens o mais novo sabia muito bem o que fazia, mas percebeu o que ele e tocava e não gostou muito do que viu.
Mark sentiu um tapa enorme em eu rosto e se assustou.
-Quando você ouviu que podia se tocar Mark? Eu não me lembro de ter dito isso.- Ele não se importava com o mais novo, queria apenas o seu prazer, o outro nada disse apenas o olhou.- Eu estou falando com você, quem disse “Mark pode se tocar”?
-N-ninguém- Disse num tom baixo, sua voz poderia parecer amedrontada mas no fundo ele estava amando ser tratado daquela maneira.
Ten tirou seu membro da boca de Mark e o puxou para mais um beijo, sentiu o gosto de seu membro misturado com o gosta da saliva de Mark, mas ele queria sentir outro gosto, se abaixou e começou a chupar Mark que só sabia gemer, depois de alguns minutos deixando o membro de Mark encostar em sua boca, sentiu que o menor estava chegando ao seu ápice e parou, Mark gemeu em reprovação e Ten deitou o mais novo na cama e levou dois dedos a boca do mesmo que o chupou com vontade fazendo com que os dedos do outro ficasse bem melado, quando Ten sentiu que já estava bom, levou um dedo a entrada do outro que gemeu sofrido, apesar de já ter se relacionado muitas vezes Mark era muito apertado, Ten introduziu o segundo dedo em Mark mas dessa vez beijou o pescoço do outro, chupou deixando marcas roxas na pele alva e beijando logo em seguida como um pedido de desculpas. Cansou de usar apenas os dedos e se posicionou na entrada de Mark, segurou uma de suas mãos ao se deslizar para dentro do outro, afinal ele não era ruim.
-Você é tão apertado Mark, parece até que ainda é virgem- Falou entre gemidos. E o esperou se acostumar com o volume dentro de si, sentia as paredes internas do menor tentarem se livrar do volume de Ten.
-V-vamos logo Ten por favor- Aquilo foi como músicas para os ouvidos de Ten que começou a estocar o mais fundo que pode dentro de Mark, não demorou muito para acertar o ponto doce do menor se concentrando em acertar apenas ali, e aumentou a aumentar o ritimo das estocadas.
Tudo que se ouvia era o som dos gemidos altos que saiam descontroladamente da boca dos dois e o barulho de peles se chocando, Mark logo chegou a seu limite contraindo sua entrada sobre o membro de Ten.
-Aaaahh você tá me esmagando- Disse Ten liberando seu liquido dentro de Mark.
Deitou-se ao lado de Mark e adormeceu, não fazia a mínima idéia de como havia chegado em casa no outro dia, por mais que ele tentasse se lembrar ele não conseguia não se preocupava com Mark, o garoto já era maior de idade, ele podia se cuidar.
                                 ~FASHBACK OFF~
Era inevitável, Ten se sentia sujo sempre que se lembrava daquilo, depois dessa noite nunca mais voltou a beber ou usar drogas, se mudou para Seul e começou a viver de novo, tinha saído daquele inferno chamado Busan e não voltaria pra lá de novo, entrou em baixo do chuveiro e sentia a água levar o cansaço do seu dia de seu corpo, queria que ela levasse seu passado junto.
Terminou seu banho e não sentia fome apenas avisou sua mãe que não jantaria e deitou em sua cama, queria ter um sono tranqüilo, no momento era o que ele mais precisava.


Notas Finais


Até daqui a pouco ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...