História Sorry for being who I am. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Suho
Tags Chansoo, Chanyeol, Exo, Kyungsoo, Lemon, Long Imagine
Visualizações 146
Palavras 1.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Cheguei. ♡
Ces tão bem?

Capítulo 5 - Possível infarto e namorado.


 — Que? — Os olhos do baixinho arregalaram-se. — Isso é uma brincadeira?

— Não. — Chanyeol comprimiu os lábios.

— Eu tenho namorado! — Soo tentou soltar-se dos braços alheios mas não deu em nada.

— Eu não ligo. — a voz do maior saiu rouca e baixa. — Eu juro que eu nunca mais peço isso pra você... Por favor, Soo.

Por um instante Kyungsoo se perdeu em busca de seus pensamentos. Aquele pedido fez sua mente se tornar um espaço em branco, ele até jurou ter ouvido um grilo. Não disse que sim, nem que não. Pelo contrário, ficou estático.

O baixinho prendeu a respiração quando os lábios cheios de Chanyeol pressionaram-se aos seus. Não entendeu seu corpo, mas por algum motivo o de cabelos preto fechou os olhos. O beijo era suave e lento, de início apenas um encaixar de lábios, mas logo a língua do Park tocou o lábio inferior do baixinho, pedindo permissão para invadir a mesma.

Uma onda elétrica percorreu o corpo do maior quando foi colocado contra a pia e sua língua foi tocada pela do outro.

Com um estalo interior o menor acordou do transe que o outro havia lhe proporcionado. Seus o olhos arregalaram-se, seu pulmão reclamou da ausência de ar e o baixinho espalmou as duas mãos no peito alheio, empurrando o Park para longe.

Sua boca estava entreaberta, seu coração disparado e a voz falhou. O baixinho olhou em volta, a procura de algo para bater no Park mas estava em completo colapso mental. Saiu correndo da cozinha com a destra nos lábios ainda em choque com o que havia acontecido.

Ele subiu os degraus da escada de dois em dois, como se sua vida dependesse daquilo e entrou no quarto, batendo a porta em seguida.

Suas pernas estavam trêmulas. Ele se jogou na cama enquanto fitava o teto. Seu peito descia e subia descompassado. Por um instante chegou a cogitar a idéia de um possível infarto.

Soo fechou seus olhos lentamente, na tentativa de se acalmar um pouco. Um grito de susto trancou-se na sua garganta quando seu celular tocou do nada.

Levantou a cabeça a procura do mesmo e saiu tropeçando pelo quarto para pegar o objeto sob a mesa do computador.


• voice call ON •

— Oi Soo.— a voz calma de Kai cruzou a linha.

— Ah. — sentiu uma ponta de desespero. — Oi amor.

— Tá tudo bem, pequeno? — o moreno moveu-se na cama.

— Tá. Tudo. É. Tá. — suspirou.

— Tem certeza?

— Uhum.

— A gente pode se ver?

— Você vem pra cá? Minha mãe tá no trabalho e. Hmn. Tô com um problema aqui.

— Problema?

— Com duas orelhas enormes. Quando você chegar a gente conversa. Hmn?

— Tá bom então pequeno. Tô indo. Beijo.

— Beijo.

• voice call OFF •


O baixinho apenas deu uma leve arrumada nos seus cabelos e desvencilhou-se de qualquer pensamento que pudesse diminuir seus dias de vida.

Chanyeol depois que saiu da cozinha não quis procurar o menor. Achou melhor deixar tudo como estava.

Caminhou pela casa e acabou no sofá para assistir algo na TV. O Park tinha uma clara expressão de tédio no rosto, sua mão estava sustentando sua cabeça e seu cotovelo no braço do sofá.

Sua atenção fora roubada pelo som da campainha. O maior levantou devagar e caminhou até a porta, abrindo a mesma e dando de cara com Kai que teve seu sorriso desmanchado ao ver o Park.

— Chanyeol? — o maior arqueou a sobrancelha e direcionou seu olhar para o baixinho que apareceu logo atrás do castanho.

— Vou deixar vocês sozinhos. — Chanyeol comprimiu os lábios e entrou.

O maior pegou seu moletom, colocou os tênis e saiu pela porta, evitando olhar para Kai e Kyungsoo.

Soo e Kai se olharam por um breve momento e o baixinho pediu para que o moreno entrasse, fechando a mesma assim que Kai parou do lado de dentro, encarando o menor.

— O que aquele cara tá fazendo aqui?

— Eu te falei que tinha um problema grande.

— Park Chanyeol?

O baixinho assentiu.

— Vem que eu te explico tudo.

Os dois subiram para o quarto de Kyungsoo. O menor explicou o que Chanyeol estava fazendo lá e como as coisas seriam dali pra frente.

Kai estava deitado na cama do baixinho que usava o peito do moreno como travesseiro. O indicador do menor acariciava a clavícula do moreno pelo espaço aberto dos botões da camisa.

— E como você tá lidando com isso? Ele morando aqui, aquele lance de vocês dois…

— E incômodo. Mas, garantiu meu curso de verão.

— Pelo menos tem um lado bom. — Kai sorriu. — Eu não tô pronto pra ser namorado de um ator famoso.

Riu e tocou a cintura do menor, apertando o local. Irritando o menor. Que se contorceu na cama com aquilo. Ele odiava quando Kai fazia aquilo.

Depois de dar alguns tapas em Kai, o baixinho fitou o namorado e deixou um beijo no pescoço do moreno, arrancando-lhe um suspiro arrastado o que fez Soo sorrir de canto e dar um breve chupao na pele bronzeada do maior.

— Soo. O Chanyeol pode chegar alguns qualquer momento... — Kai apertou de leve o ombro do baixinho.

— Você nunca deu bola para quem está ou não em casa. — beijou novamente o pescoço alheio.

Kai não de moveu, apenas suspirou novamente. Soo sentou sob o corpo do moreno atacando seu pescoço de novo, começando a rebolar sob o membro - desacordado - de Kai.

Sua animação logo esvairiu-se quando não teve nenhum sinal do outro. O baixinho suspirou e se jogou ao lado do moreno.

— O que tá acontecendo? Parece que perdeu o tesão em mim. — suspirou. — você nunca negou fogo.

— Não meu amor. — Kai apoiou-se no braço, ficando de lado na cama. — eu só ando exausto. Escola, aulas de dança, testes frustrados, pressão dos meus pais… desculpa.

— Tudo bem, eu entendo. — o menor forçou um sorrisinho que passou desapercebido pelo outro.

Os dois ficaram ali por um longo tempo, sem dizer muita coisa. Kai estava de olhos fechados, tendo os cabelos acariciados pelo menor.

— Preciso de água. Quer algo? — Soo sentou na cama.

— Não, pequeno. Obrigado.

Kyungsoo saiu do quarto e foi para a cozinha. Serviu um copo de água e encostou-se no balcão, enrolando um pouco ali.

O namoro com Kai era perfeito, exceto pelo fato que os dois praticamente não se tocavam mais. Na visão do menor, nem os beijos eram mais a mesma coisa. O baixinho sentia falta do namorado.

O beijo com o outro fez ele sentir aquela sensação que antes, Kai lhe causava.

Balançou a cabeça afastando os pensamentos que envolviam o Park. O beijo fora apenas fruto da carência misturado com a persuasão de Chanyeol.

Depois de largar o copo na pia Soo voltou para o quarto. Encontrou o namorado dormindo. Kai estava realmente cansado e ele sabia que se ficasse ali, ficaria rolando na cama e acordaria o moreno. Então, cobriu o maior e saiu dali, voltando para o andar de baixo e se jogando no sofá enquanto dava uma breve olhada no celular.

Chanyeol havia matado tempo na casa de Suho, mas não gostava muito de ficar fora de casa quando seu pai não estava, era algo que não lhe agradava. Sempre atraia confusões. Então resolveu ir para a casa - isto é, lugar que deveria chamar dessa forma -.

Resolveu voltar a pé, assim matava mais tempo. O que ele não esperava era que o caminho fosse maior do que ele havia imaginado. Não era absurdo, mas garantiu-lhe uma ardência nas pernas.

Assim que parou na porta da casa que iria morar, levou as mãos nos joelhos respirando pesado.

Logo em seguida voltou a ficar ereto eles ler tateou os bolsos em busca das chaves, encontrando a mesma no bolso de trás. Abriu a porta lentamente não queria atrapalhar seja lá, o que o casal pudesse estar fazendo. Tirou os tênis e fechou a porta lentamente.

Grunhiu surpreso ao se deparar com o baixinho no sofá.

— não esperava te encontrar aqui.

— Hmn. — Soo deu de ombros.

— Seu namorado já foi? — o maior sentou na outra ponta do sofá.

— Tá dormindo. — Kyungsoo continuava com os olhos fixos no celular.

— Você deve ter dado uma puta canseira nele. — Chanyeol riu soprado.

— Quem me dera. — o baixinho pensou alto de mais.

— Tá me dizendo que esse seu mau humor todo é falta de Sexo? — Chanyeol apoiou os cotovelos nas coxas, fitando o baixinho.


Notas Finais


Que menino mais ousado esse Chanyeol heim.
Aaaa~ tenho que agradecer vocês pelos comentários e o amor que tão dando pra esse ChanSoo conturbado ♡

Amo vocês ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...