História Sorry Not Sorry - 2Jae - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Markson, Yugbam
Visualizações 90
Palavras 1.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello bbs 💕
Enfim tomei vergonha na cara e vim atualizar a fic.
Me desculpem pela demora..

Capítulo 3 - Maluquinho


- Bom, é impressão sua. Eu estava olhando para o chão. - desviou o olhar. 

- Ok então. - Youngjae riu fraco.

- Sente-se, vamos conversar. - sentou-se no sofá sendo seguido por Youngjae que sentou ao seu lado. 

- Quer fazer alguma pergunta senhor JaeBum? 


JaeBum não segurou a risada o que fez o menor olhá-lo confuso. Por que estava rindo? 


- Youngjae, não me chame de senhor. Por favor. Eu me sinto velho, e eu não sou velho. 

- Então me chame somente de Jae. - sorriu. 

- Combinado. Eu estou precisando de atendentes aqui, como meu irmão já deve ter te contado. Gostei de você, espero que não me decepcione. 

- Eu não vou. - suspirou e ergueu seu olhar para JaeBum. - Preciso desse emprego. Deixei a minha princesinha em casa, ela está tão tristinha, preciso de dinheiro não só para mim, preciso para ela. - olhou para as próprias mãos. - Desde que a Daisy nasceu, ela é a minha bebê. Se ela me vê a chamando de bebê com certeza diria que já está muito grandinha para esses apelidos. - riu fraco. 

- Quantos anos ela tem? - Im perguntou curioso. 

- Quinze aninhos. 

- Você deve babar muito ela. Por isso que leva reclamação. - Youngjae o olhou.

- Ela é a minha bebê! Um dia quando você tiver filhos vai saber como é. Eu e meu irmão sempre fomos os pais dela, agora ela só tem a mim. 


JaeBum achou aquelas palavras tão  fofas. Ele quer dar uma chance para Youngjae, mesmo sem conhecê-lo, ele parece  ser uma boa pessoa. Além disso parece ser tão cuidadoso com a sobrinha, tão amoroso. 

Sorriu olhando para o menor ao seu lado. Youngjae também tinha um pequeno sorriso no rosto, nervoso ele desviou o olhar logo se levantando. 


- O que foi? - JaeBum perguntou confuso. 

- Você ficou calado, bom, eu já vou indo. Isso significa que eu não consegui o emprego não é?! Eu vou atrás de outro, não tem problema. Eu vou conseguir. Não vou desistir, eu não desisto fácil. Fala para o Jin que depois eu converso com ele. Tchau, eu tenho que ir. A Daisy está sozinha em casa. - JaeBum riu do nervosismo do outro e se levantou ficando em pé na sua frente. 

- Jae, calma. Fique calado, você é muito maluquinho. - falou na tentativa de acalmar Youngjae. 

- Está dizendo que sou louco? Eu não sou louco! Eu sou uma pessoa totalmente normal ok?! - riu fraco apontando para si mesmo. 

- Eu não falei que você é louco. - olhou para os olhos do outro. - Talvez só um pouco. - Youngjae rolou os olhos e cruzou os braços. 

- Aish, estou indo. - se virou. 

- Onde pensa que vai? - JaeBum segurou sua mão. 


Youngjae sentiu um breve arrepio e ficou parado ali mesmo, no meio da sala, tendo sua mão segurada pela de JaeBum. 

Olhou para o maior e em seguida para suas mãos. JaeBum rapidamente a soltou ao perceber o olhar dele ali. 


- Vou para casa. 

- Sem saber o horário que precisa chegar amanhã? - ficou boquiaberto sem entender. 

- Horário de que? 

- Como assim de que? Você virá para a inauguração. Quero te contratar, algum problema? 

- Isso é sério? - sorriu.

- Sim. - assentiu também sorrindo. 

- Obrigado. - pulou em cima de JaeBum o abraçando. 

- Oh, não foi nada. - retribuiu o abraço sorrindo tímido. 


Youngjae fechou os olhos e pôde sentir o cheiro de JaeBum. Um perfume tão doce, tão bom de se sentir. Apertou um pouco mais o abraço e se soltou.

Ainda sorrindo olhou para JaeBum que estava com as bochechas levemente vermelhas. 


- Desculpa. - riu fraco. 

- Não tem problema, é que não costumo abraçar alguém assim. - coçou a nuca.

- Assim como? 

- Ninguém nunca me abraçou assim antes. 

- Fui o primeiro?  - sorriu vendo o maior assentir. - Que honra. - riram. 

- Estou feliz por ter você trabalhando comigo. 

- Não mais que eu. Que horas tenho que chegar amanhã? 

- Hm, chegue as cinco da tarde. Temos que organizar as coisas antes das sete horas. 

- Ok. Agora eu tenho que ir. Muito obrigado mesmo. - agradeceu mais uma vez. 

- Pare de me agradecer tanto Jae. - sorriram. - Traga a Daisy, quem sabe ela se anima um pouco. 

- Vou trazê-la. - caminharam até a porta. - Tchau. - Youngjae se despediu com um sorriso fofo nos lábios.  

- Até amanhã. - sorriu também vendo o outro se distanciar. 


Fechou a porta e se assustou ao ver Jinyoung sentado no sofá sorrindo para si. 


- Hyung você é o melhor! 

- Eu sei. - se gabou. 

- Gostou dele? - Jinyoung perguntou pegando o celular ao senti-lo vibrar no bolso. 

- Ele é um fofo. - sorriu fechado. - Por que está sorrindo tanto? Quem te mandou mensagem ai em? 

- Ninguém JaeBum. Ninguém. - bloqueou a tela. 

- Se não fosse ninguém você não estaria sorrindo igual um idiota. - se aproximou do irmão para tentar pegar o celular do outro. - Deixa eu ver Jin! - se esticou mas Jinyoung pulou por cima do sofá e correu até a porta.  

- Eu não sei que horas volto. Tchau hyung. - saiu. 

- Não acredito que me deixou curioso. - se jogou no sofá.  



                          °°°


Youngjae caminhou em passos mudos até a sobrinha que estava de costas e abraçou a menor que se assustou.


- Daisy! - a garota se engasgou e só aí que Youngjae pôde perceber que ela bebia um suco de caixinha. 


Deu leves tapas nas costas da menina que aos poucos parou de tossir. 

Ela se virou e deu dois tapas no ombro do mesmo, em seguida pondo a mão no peito e suspirando. 


- Titio você quer me matar de susto? - ele riu.

- Desculpa princesa. - abraçou a garota de lado. 

- Por que está tão feliz? - notou o sorriso do tio. 

- Eu consegui o emprego. - sorriram e se abraçaram.

- Eu sabia que ia conseguir titio. 

- Amanhã você irá comigo para a inauguração da lanchonete, use aquele vestido que eu e seu appa te demos há um tempo.  - desfizeram o abraço. 

- Sim, eu vou usar ele. E o seu chefe, é legal? 


Youngjae suspirou e sorriu fechado assentindo. 

Ele lembrou de JaeBum, de como é bonito, gentil, legal, de como gostou do abraço que lhe deu e como achou fofo ver as bochechas dele coradas. 


- Ele é muito legal, você vai adorar ele. - falou deixando um pequeno sorriso escapar. - Daisy notou a reação do tio e sorriu apertando as bochechas do mais velho. 

- Ele deve ser muito bonito mesmo pra te deixar todo derretido. 

- Não tem ninguém derretido por ninguém aqui. Para de ver coisa onde não tem. Aish. - a garota riu. 

- Ok, amanhã eu vou avaliar ele direitinho. Como o meu appa e o tio Jin sempre dizem você já está encalhado há muito tempo. 

- Daisy! Me respeita criança. E eu não estou encalhado, só não achei ninguém que faça o meu coração acelerar com um olhar ou que me faça desejar um beijo a todo momento. Não encontrei a pessoa certa ainda. Isso não significa que estou encalhado. 

- Você vai achar alguém que te mereça titio. Você vai ver, quem sabe aparece um príncipe pra você. Montado num cavalo branco, com os cabelos ao vento, sorrindo e estendendo a mão para você subir no cavalo. - os olhos de Youngjae chegaram a brilhar por um breve momento mas ele logo balançou a cabeça rindo do que a sobrinha acabará de dizer.

- Você ainda anda lendo muitos contos de fadas? 

- Olha o meu tamanho titio, eu não leio mais contos de fadas. Eu prefiro hentais e lemons. - arregalou os olhos ao ouvir o que tinha acabado de falar ao lado do tio super protetor e cuidadoso. 

- Você prefere o que Daisy? Eu não escutei direito. - olhou para a garota. 

- Eu falei que prefiro romances nos livros, sagas, essas coisas. Eu leio isso titio.  - olhou para os lados. - Vou passar o vestido para usar amanhã. - saiu correndo o deixando sozinho na cozinha. 

- Minha sobrinha é uma figura. - riu.




                          ••••




Notas Finais


Na vida eu sou a Daisy. :) 😂
Os primeiros capítulos são parados eu sei, mas ainda terá muitas coisas por aqui. Só aguardem.

Bye💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...