História Sorry not Sorry - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens I'M, Joo Heon
Tags Angst, Best Friends Rappers, Bts, Clube De Rap, Hoseok, Hurt/comfort, Jookyun, Namjoon, Pouco Fluff, Scoups, Seventeen, Yoongi
Visualizações 32
Palavras 1.962
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - I know it was my fault, but i still can't apologise


Três anos depois daquele dia na casa dos pais de Changkyun com pretexto de vestibular, o Im e o Lee continuavam namorando. O problema foi que aí que as merdas começaram a acontecer. Eles haviam se tornado estranhamente famosos. Namjoon tinha terminado a faculdade, dava aulas particulares para quem pagasse bem e tinha se tornado trainee numa empresa conhecida de hip-hop. Yoongi tinha debutado em uma empresa pequena, seu stage name continuava o mesmo, e estranhamente, ele conquistou vários fãs. Eles continuavam amigos e constantemente se viam pelos cantos. 

Mas o problema não era com eles. Jihwan e Changkyun estavam brigando. Não como normalmente, por causa de um lugar na mesa de jantar, por causa de um jogo na steam, por causa de ciúmes, ou coisas cotidianas e bobas. Eles brigavam por causa da família Im, que não aceitava o filho deles namorando com "um fracasso" como o aspirante a rapper. Jihwan estava com o orgulho ferido, e doía ainda mais saber que o namorado não tinha o defendido. Ele ficou duas semanas sem nem mesmo olhar na cara do mais novo, o que deixou Changkyun desesperado. 

Jooheon conitnuava com seu sonho de ser um rapper de sucesso, ele tinha assinado com uma empresa, e se tudo desse certo, seu debut aconteceria logo. Pelo menos, era o que ele rezava todos os dias pra acontecer. Seu ralacionamento com Changkyun piorava conforme o mais novo o deixava de lado pela maldita faculdade de física. Ele se sentia triste por todas as vezes que estavam juntos, sabia que Changkyun estava querendo ir embora, e quando não estavam, sentia que ele não sentia sua falta, isso o destruía por dentro, mas pelo menos, lhe dava alguma inspiração para suas músicas. 

- Chang, vamos - 

- Agora não, Jihwan. 

- Kyun, por que -

- Eu to ocupado, Jihwan. 

- Kyunnie, você quer - 

- Preciso entregar esse projeto. 

- Chang, -

- Eu tenho que ir, Mark está me esperando. 

Essas eram, basicamente, todo o tipo de conversa que tinham, e Jihwan estava cansado, cansado da sua companhia lhe empurrando com a barriga, com o namorado lhe ignorando, sem seus amigos, que trabalhavam como camelos e agora, com a avó doente, numa cama de hospital. Seu mundo parou por um segundo quando logo após chegar na sala de estar do namorado, o telefone celular tocou. 

- Senhor Lee? Acredito que sua avó esteja precisando de você no momento. Estamos no Hospital St. Marie, e ela solicita sua presença. Não existem contatos de outros familiares, você poderia informá-los?

- E-eu... uh... Claro, claro. Eu vou... Aparecer ai, estou saindo agora mesmo. 

- Jihwan? - Changkyun apareceu na porta do seu quarto, ele esfregava os olhos, parecia ter acabado de acordar. - Você não me acordou por que, eu - 

- Agora, não. Eu preciso ir. - Jihwan gira em seus calcanhares e se encaminha para a porta. 

- Ei, mas eu achei que - 

- Changkyun, agora não. Eu realmente preciso ir. - Ele passa pela porta, mas Changkyun segura seu braço. 

- Por que isso agora? Não é você que me implora pra ter algum tempo livre com você? Qaudno eu tenho você ainda vai embora desse jeito? Que foi? Não quer mais ficar comigo? - Jooheon tirou um momento para encarar o namorado. Fúra transbordava de seus olhos, mas sua voz saiu calma, apesar do ódio que sentia se alastrar pelo seu coração. 

- Com todo respeito, vá se foder, Im. 

E assim, Jihwan saiu do apartamento. Naquela noite, ele descobriu sobre a doença terminal da avó, que muito preocupada sobre como ele ia se sentir, omitiu dele. Ele se sentiu puto, ele se sentiu traído, ele chorou. Sua avó disse que era para não distraí-lo de seu sonho, que ela queria que ele fosse um músico de sucesso, que desse orgulho pra ela assim, não cuidando da doença dela, que não poderia ser curada. Naquela noite, ele ligou pra única pessoa que iria lhe ouvir sem julgar o que sentia, sem fazer com que ele se sentisse mal. Ele ligou pra Seungcheol. 

O Im ficou largado no apartamento. Por mais que tivessem brigado, Jihwan nunca havia mandado se foder. Changkyun estava em choque. Ele tentava ligar, ele mandou-lhe mais de 30 mensagens, perguntou aos amigos se tinham o visto. Ninguém lhe respondia. Ele acabou dormindo encolhido numa parte da cama que tinha se acostumado a dividir com o namorado. Para no dia seguinte, receber uma mensagem de Seungcheol contando resumidamente o que houve, e de repente, Changkyun se sentiu mal, mas ele não sabia o que fazer para ajudar, então ele não falou com Jihwan. Ele simplesmente não apareceu mais pra ele. Quando marcavam de sair, inventava uma desculpa, quando ele pedia para ir até sua casa, dizia que estava muito cansado, quando ele lhe mandava mensagens, ele as ignorava. Ele não sabia lidar com o Jihwan triste, depressivo. 

E assim o tempo voou, e meses depois, Jihwan foi chutado da empresa. Ele nem sabia o que fazer, ele tinha perdido a única coisa que o mantinha na linha. Ele surtou. Changkyun não pode mais ignorá-lo quando um dia o encontrou na porta do seu apartamento. Ele não disse nada, apenas abriu a porta e entrou. Quando fechou a porta atrás de si, Jihwan se sentou no sofá e pediu pro namorado fazer o mesmo batendo no espaço ao seu lado. Changkyun não negou, indo, ainda que contra a sua vontade. 

- Eu fui expulso da empresa. - Ele começou. Sua voz estava grossa, ele parecia rouco. 

- Eu soube. - Foi a única coisa que Changkyun conseguiu dizer.

- É só isso? - A indignação começava a tomar conta de Jihwan. 

- O que quer que eu diga? - Changkyun responde, na defensiva. 

- Eu não sei, que você é meu namorado, que me ama, que sente muito? Eu não sei, qualquer coisa que uma pessoa normal faria?

- Bom, eu não sou uma pessoa normal então, desculpa por isso. - Ele diz ironicamente, fazendo o Lee bufar. - Eu não sabia que eu tinha que me desculpar por coisas que eu nem mesmo posso controlar quando virei seu namorado. 

- Você tá de sacanagem com a minha cara, Changkyun? - Ele pergunta, alterado. - Você só pode estar. Eu acabei de perder mais uma chance de seguir meu sonho e você me diz uma porra dessas. Até parece que você não acredita em mim. - Ele fica de pé. 

- Seja realista, Jooheon, você não é Yoongi, você não ia conseguir isso! - Changkyun grita de repente se levantando também. 

- Você... - Ele não completa a frase preso na incredulidade do momento. 

- Seja sincero consigo mesmo, Jihwan. Você está há anos tentando, não está dando certo! Seja homem, siga em frente! Para de ficar insistindo no que não está dando certo, parece que você gosta de fracassar! 

- Mas que porra você está dizendo?! - Ele grita indignado. - Eu pensei que você gostasse de mim, que você entendesse que eu amo a música, que eu quero tanto ser bom nisso. 

- VOCÊ NÃO É! - Changkyun grita de volta. - Não é o suficiente. 

- Eu não... Eu simplesmente não acredito que você consegue ser egoísta a esse ponto. 

- Do que você -

- Que você era o tipo de pessoa que não quer uma coisa e por isso faz com que eu não queira também, só porque você é um fodido de um covarde. 

-  Isso não é amor, Jihwan. É a porra duma obsessão. Você acha que o mundo gira em torno de você querer ser um músico, e outra qualquer faceta da sua personalidade é deixada de lado por isso! Você está se destruindo, seu imbecil! 

- Não, Changkyun! Você é quem faz isso. Você nunca tem tempo pra sair com ninguém, você nunca tem tempo pra conversar, nunca tem tempo pra dormir juntos, você que está completamente fora da minha vida por causa da sua faculdade e em nenhum momento eu sequer reclamei do teu comportamento. 

- Eu - 

- Cala a boca! Sabe por que eu não disse nada? Isso mesmo, porque eu sei que é fodidamente importante pra você essa merda dessa faculdade. Porque eu não quero te impor coisas, porque o nosso relacionamento sempre foi uma questão de parceria e não de demanda. Eu não mando em você, e você não pode escolher, de repente de uma hora pra outra, mandar em mim. 

- Você não pode - 

- Cala a porra da boca, Changkyun! Você não sabe o que é ser como eu, você não entende porque você sempre teve o que você precisou, você não sabe o que eu tive e ainda tenho que fazer pra conseguir o que eu tenho hoje. Você não sabe porque você nunca se importou em estar lá e eu, NUNCA, te obriguei. Mas logo hoje? Hoje, que eu to na merda, que tudo o que você pode imaginar de horrível aconteceu comigo, LOGO HOJE, VOCÊ GRITA COMIGO ACHANDO QUE PODE ME DIZER QUE EU SOU O EGOÍSTA DESSA HISTÓRIA? - Ele avançava na direção do Im conforme falava. - Não, você simplesmente não pode. Porque sempre quem foi egoísta nessa história aqui, foi você. 

- Você não entende que eu to tentando te alertar pro seu próprio bem? Que você está fracassando e isso está te machucando? - Ele pergunta numa voz suplicante. 

- Pois saiba, que eu vou tentar quantas vezes for necessário. Eu vou fracassar quantas vezes eu puder aguentar. Enquanto eu me mantiver em pé, enquanto eu me mantiver vivo, o meu sonho é a minha meta. E enquanto eu não atingir isso, eu não vou descansar. É o que eu quero, o que eu sempre quis. Mas se você não quer ficar com um namorado vagabundo e fracassado como teu pai disse, eu não vou te obrigar. Eu também não quero ficar com um moleque mimado que acha que o mundo gira em torno do que ele acha melhor pros outros. 

- Talvez o meu pai estivesse certo! Talvez você seja um fracassado! - Changkyun grita em desespero. Jihwan ri sem humor. 

- Eu sou mesmo. No momento, realmente sou. Mas não vou ser isso de agora, pra sempre. Eu vou conseguir isso. 

- Jihwan, você não vê que você só não tem nada, porque você quer algo que não está ao seu alcance? Você não é um rapper. Você não precisa se forçar a ser como o Yoongi só porque ele tá fazendo sucesso!

- Você acha que eu quero isso por causa dele?

- Não, eu - 

- Sim, você me acha um fracassado que só quer ser como o Nam e o Yoongi. Você não me acha talentoso e você está desistindo de mim por isso. Porque você não quer mais namorar um fracassado. - Ele lê os olhos de Changkyun e lágrimas começam a cair, de raiva. - Você é muito idiota de pensar que eles chegaram onde estão por acomodação ou simplesmente talento, eles fizeram tudo o que eu faço e talvez até mais que eu, mas não se preocupe, Changkyun, eu vou te mostrar.- Ele se vira para ir embora. Prestes a passar pela porta, ele olha diretamente nos olhos de Changkyun. - Eu vou fazer você engolir essas palavras, uma por uma. 

- Você está terminando comigo? - Changkyun grita quando ele já está longe. 

- Não que eu precise, você fez isso sozinho. - Ele diz, a luz do elevador iluminando seu rosto antes dele entrar no mesmo e sumir. 

E naquele momento, Changkyun percebeu que amores vem, e eles chegam na exata hora que tem de chegar. Mas eles também vão embora, na exata hora em que eles devem. 


Notas Finais


Foi isso minha gente, espero que tenham gostado, fuizzzzzz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...