História Sorte - Jeon Jungkook - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Incesto, Jeon Jungkook, Jungkook, Kookie, Revelaçoes, Romance
Visualizações 46
Palavras 3.143
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tava pensando em algo bacaninha para esse cap>.>
(já coloquem os coletes à prova de balas)

Música: The Dream - Code Blue (Official Lyric Video) Fifty Shades Darker Soundtrack 2017

Espero que gostem!
~gesook

Capítulo 10 - The differences are drastic.


Capítulo IX

Coréia do Sul, Seul.

Domingo, 16h32min

Com rapidez, ajeitou o seu moletom e terminou de passar o perfume forte e embriagante em seu corpo, se retirando do próprio quarto à passos rápidos e desajeitados. Estava feliz por algum motivo desconhecido, mas não estava se importando para sentimentos naquele momento, queria apenas reencontrar-se com Kwan para sentir os lábios do jovem novamente.

Jurava que aquele sentimento que sentia em seu corpo era paixão, mas não sabia que Jungkook havia conseguido muito mais que a metade do seu coração de aço. Como Jungkook conseguia aquilo tão facilmente? Ele nem ao menos se esforçava para ter o que queria.  Jungkook sabia que S/N não era fácil de conquistar, era quase impossível ter o amor da jovem para si, mas não era impossível faze-la se entregar a si, e se dependesse, em um piscar de olhos iria tê-la sobre a palma das suas mãos.

— Aonde vai?— ouviu a voz de Jungkook atrás de si, fazendo-a virar-se rapidamente

— Para a casa do Kwan.— falou, girando nos calcanhares e indo até a porta principal

O silêncio de ambos entregava o quanto estavam constrangidos com tudo o que estava acontecendo entre eles. S/N já viu Jungkook aos delírios enquanto se tocava e ele já viu-a fazendo o mesmo. Jungkook tinha uma vontade enorme de impedir S/N de ir até a casa de Kwan, queria tê-la em seus braços, queria ficar dentro da jovem da melhor forma possível, queria satisfaze-la. As imagens de S/N se masturbando passavam por sua mente rapidamente, fazendo-o lembrar do corpo, do rosto, dos olhos e das mãos da pequena. Se perguntava todos os dias sobre uma única coisa, por que se apaixonou por S/N?

— Eu irei te buscar.— falou, ouvindo um suspiro longo e alto da brasileira

— Eu sei me cuidar, Jungkook.— falou, encarando o mais velho fixamente, vendo as bochechas coradas do maior — Não quero que me busque.

— Eu sou o seu pai, S/N-

— Não, você não é o meu pai!— esbravejou, vendo Jungkook abaixar a cabeça rapidamente e apenas assentir, sentindo seu coração de despedaçar por completo com aquelas palavras tão frias

— Desculpa...— sussurrou, encarando-a e vendo a menor se retirar da casa e fechar a porta bruscamente, fazendo o barulho ecoar por toda a casa

O que aconteceu com S/N? Jungkook não fazia ideia. Ela estava tão fria que Jungkook suspeitava que S/N guardava mágoas. Pensou que tinha sido perdoado quando aconteceu o acidente em seu carro, mas a situação apenas piorou. S/N guardava mágoas, e não eram poucas.

Depois de minutos parado diante a porta, ouviu o barulho estridente da campainha ecoar por toda a casa, e com rapidez abriu a porta na esperança de ser S/N.

— Elisa-

— Posso entrar?— questionou, mantendo uma expressão preocupada no rosto — É urgente.

Sem falatórios, deixou a mais nova adentrar a sua casa rapidamente, vendo-a com uma expressão preocupada no rosto — o que era raro para si —. Nunca viu Elisa tão aflita daquela forma, parecia que a jovem pressentia algo ruim, e mesmo não sabendo, Jungkook tinha total certeza que não era uma notícia boa.

— Fale logo.— ordenou, encarando-a fixamente, mantendo sua expressão séria no rosto

— Shin Hesoo está tentando pegar S/N.— falou rapidamente, encarando Jungkook

— Pare de delirar, Elisa...

— É sério!— bufou irritada, cruzando os braços rapidamente — Ele falou para mim.

— Você falou com ele?— questionou, encarando-a com desdém

— Ele me obrigou a falar.— suspirou — Pensei que ele ainda estava na cadeia.

— Eram apenas dez anos de prisão!— exclamou, arregalando os olhos ao perceber que o mais velho estava a solta — Droga! Não é possível!

— É possível sim!— se aproximou do mais velho — Ele está tentando pega-la novamente, e se você ficar ainda mais distraído, vai perde-la para sempre.

Girando nos calcanhares, Elisa se retirou da casa e fechou a porta bruscamente.

Era horrível ter que concordar com ela.

17h02min

— Prefiro algo que envolva terror.— S/N falou, rindo da expressão reprovadora de Kwan

— Engraçadinha.— zombou de um jeito sarcástico — Esse filme está ótimo.— apoiou sua cabeça no ombro esquerdo da jovem,  abraçando a cintura da mesma delicadamente

— Devíamos estar estudando, não é?— indagou, sorrindo ao sentir um leve selar em seu pescoço

— Você é inteligente, por que iríamos estudar?— riu, focando seus olhos no filme que passava na grande televisão — Pessoas inteligentes humilham os inexperientes.

— Não fale isso.— se virou para o jovem, encarando fixamente os olhos negros do maior — Todos nós somos inteligentes, só precisamos de prática.— apertou o nariz delicado e sutil do jovem, vendo um sorriso encantador surgir nos lábios rosados do oriental

— Você é muito orientadora.— falou, aproximando seu rosto ainda mais com o da jovem

— Eu sei.— falou convencida, fazendo-o rir — Sempre faço as escolhas certas.— afirmou, sendo surpreendida por leve selar em seus lábios

Jungkook era tão diferente de Kwan, não chegava nem perto do romantismo que o Lee tinha com as garotas. Jungkook era bruto e realista, mas ao mesmo tempo cuidadoso, e se fosse comparar Lee Kwan com Jeon Jungkook, a diferença era drástica. Kwan era desejado por todas as garotas da faculdade, era romântico, sonhador e criativo, mas Jungkook era o antônimo disso. Era frio quando precisava, sempre foi realista e nunca teve a mente aberta como a dos outros adolescentes. Os dois ultrapassaram a barreira do coração de S/N.

As mãos quentes e macias do maior acariciavam o mais delicado possível o quadril da jovem, enquanto as bocas se movimentavam em uma forma sincronizada e lenta. S/N gostava dos toques do jovem, gostava do jeito que Kwan era tímido quando fazia algum contato físico com a menor, gostava de tudo em Lee Kwan. Ele era tão encantador que a brasileira entendia muito bem o porquê do oriental ser tão desejado pelas jovens.

Por que Jungkook não era assim?

Jungkook apenas se satisfazia com o corpo que desejava, sempre falava para muitas mulheres que fazia aquilo apenas por diversão ou deleite, mas nunca se atreveu a ter um relacionamento sério depois do acontecido com Elisa. Ele poderia estar muito bem casado nesse exato momento, mas de alguma forma o mundo o impedia.

— Desculpa, eu não resisti...— Kwan sussurrou contra o lábios da brasileira, vendo-a sorrir timidamente para o mesmo

— Tudo bem.— abraçou-o — Me sinto bem com você.

Por um lado S/N tinha razão, mas por outro, ela estava totalmente errada. Precisava de Jeon Jungkook para si, pois era ele que completava o seu coração vazio.

Um suspiro aliviado se fez presente nos lábios de Kwan e quando o maior menos esperou, S/N selou seus próprios lábios aos dele novamente. S/N queria ter certeza que estava apaixonada pelo seu melhor amigo, queria ter certeza que o que sentia por Jungkook era passageiro, queria ter razão de todas as suas expectativas.

Seus lábios se movimentavam lentamente contra os de Kwan, já sentindo a língua tímida do maior invadir sua boca lentamente. Era incrível a diferença entre o seu ego com Kwan e com Jungkook. Quando ficava com Kwan se sentia dominadora, mas com Jungkook se sentia uma maldita submissa. Jungkook conseguia fazer com que suas palavras sumissem e que não protestasse absolutamente nada, mas Kwan deixava S/N comandar absolutamente tudo.

Delicadamente, Kwan deitou S/N em sua cama sem desgrudar seus lábios e subiu encima da jovem calmamente, sentindo as pernas da brasileira se entrelaçarem em seu quadril. As mãos de S/N acariciavam os cabelos macios do jovem calmamente e Kwan se deliciava com o gosto e o corpo da ocidental, sentindo cada parte do corpo da mesma que nunca havia sentido. Não se conteve em apertar delicadamente as nádegas da menor, ouvindo um gemido contido mas ao mesmo tempo extremamente sexy da jovem sair entre o beijo.

— Estamos indo rápido demais...— Kwan sussurrou, separando seus lábios dos de S/N lentamente e sentindo os olhos tocantes da brasileira se fixarem nos seus — Desculpa.

— Tudo bem.— sorriu, roubando um selar rápido do jovem — Só quero que fique bem.

18h43min

Olhava para o seu relógio diversas vezes enquanto pensava nas palavras que Elisa havia dito. Era a primeira vez que Jungkook estava extremamente amedrontado por não estar com S/N em casa, ele estava com medo de perde-la

Elisa tinha razão, Hesoo iria tentar ter S/N novamente se Jungkook continuasse se distraindo. Se odiava tanto por deixar S/N voltar sozinha para a casa que não sabia o que fazer. Sua cabeça estava cheia de problemas, e isso ele não podia negar.

Shin Hesoo. Park Elisa.

Se dependesse de Jungkook, eles não iriam encostar um sequer dedo em sua filha, pois Jungkook estava decidido que não iria abandona-la.

Ouviu o barulho da campainha ecoar pela casa e logo foi em direção a porta, abrindo-a rapidamente na esperança de ser a jovem, e assim foi. S/N estava com uma expressão normal no rosto, diferente do Jeon que estava extremamente aliviado ao vê-la ali, na sua frente. Não falavam absolutamente nada, ficaram em um silêncio absurdo e indecifrável, e sabiam muito bem o porquê da tamanha tensão em seus corpos.

S/N adentrou a casa ao perceber que estava a longos segundos encarando os olhos negros do Jeon, deixando sua bolsa sobre uma poltrona perto de si. Jungkook continuava ali, pensando na possibilidade de Hesoo ter ameaçado S/N novamente ou pior que isso; e todos esses pensamentos faziam o Jeon ficar ainda mais agoniado. Hesoo não iria esquecer S/N tão rápido, ele lutaria até o final para se satisfazer com o corpo da jovem, e Jungkook não iria deixar isso acontecer, não mesmo.

— Aconteceu alguma coisa?— a mais nova questionou, encarando Jungkook com desdém

Jungkook não conseguia responder, estava vidrado sobre seus pensamentos drásticos e aterrorizadores, ele queria se derramar nas lágrimas ali mesmo, queria se culpar por tudo o que fez com S/N e por todos os seus descuidos que cometeu com a jovem. Aquela sensação de arrependimento invadia o seu peito de uma forma avassaladora, isso fazia o seu coração frágil se despedaçar por inteiro, porém se não fosse pela presença de S/N, ele estaria chorando desesperadamente pelos arredores daquela simples casa.

— Pode me abraçar?— questionou, fechando a porta lentamente e logo trancando-a, não resistindo em encarar a jovem que o encarava confusa — Por favor...

Ao perceber o medo presente de Jungkook, foi em direção ao maior à passos lentos e logo o abraçou, tentando ao máximo deixa-lo confortável por alguma razão desconhecida em sua mente. Estava apaixonada? Claro que não. Diferente de Jungkook, S/N não era frágil quando se envolve paixão, ela sentia apenas atração, nada além desse maldito sentimento.

Enquanto sentia os braços quentes e fortes do mais velho em sua cintura, resolveu encara-lo, percebendo a grande dilatação das pupilas negras do oriental quando a olhou, o que a deixou preocupada por algum motivo desconhecido. Acariciava cada extremidade da pele clara e sutil de Jungkook, tentando de alguma forma acalma-lo ao perceber que a respiração do mesmo estava extremamente descompassada. Os olhos de Jungkook não conseguiam desviar dos de S/N de forma alguma, era como se fossem ímãs, sempre se interligavam de alguma forma. Os ombros do mais velho estavam tensos, assim como os de S/N — que agora estava desconfortável com aquele clima estranho entre os dois —, e se não fosse por Jungkook, aquilo nunca iria acabar.

Selou seus lábios pela segunda vez com os de S/N.

Era impossível não resistir aos lábios convidativos e deleitosos de S/N, Jungkook iria beija-la de qualquer forma, pois até mesmo a brasileira sabia que ele não iria aguentar por tanto tempo ficar afastado de si. Parecia que seu estômago havia se embrulhado em milésimos, pois sentir S/N tão próxima de si era bom, era ótimo. Parecia errado em sua mente, mas ele não queria se separar de S/N de forma alguma, queria continuar ali, saboreando os lábios adocicados da jovem por mais tempo.

— Eu-

— Não fale nada.— S/N ordenou, percebendo o alívio repentino do mais velho — Não quero que se desculpe.

E sem aguentar mais aquele afastamento entre os lábios, Jungkook os selou novamente, só que agora o ósculo estava bem mais excitante e com um significado maior que antes. Os dedos de S/N acariciavam lentamente os fios ralos da nuca do jovem enquanto Jungkook a apertava ainda mais contra o seu corpo, aprofundando ainda mais aquele beijo preciso e magnífico que ocorria. Os lábios se encaixavam perfeitamente, Jungkook e S/N perdiam a noção do tempo naquele momento, e não seria agora que Jungkook iria fugir e desistir como antes. Mesmo com tantas preocupações sobre a sua mente, não iria desistir de tê-la para si, S/N era a sua paz e ele sabia muito bem disso.

Ofegantes e surpresos, se separaram do beijo enlouquecedor, e com rapidez, Jungkook desabotoou cada botão da sua camisa social negra, vendo S/N tirar o simples moletom que vestia e deixar os seios majestosos e belos à mostra — ainda cobertos pelo sutiã —. Jungkook jogou sua camisa em qualquer lugar daquele chão, roubando os lábios de S/N novamente para si, só que as línguas estavam bem mais precisas que antes. Não estavam se importando com absolutamente nada que acontecesse fora de sua casa, mas estavam decididos do que iriam fazer.

Jungkook levou S/N até o sofá da sala de estar à passos rápidos, deitando-a no estofado e ficando entre as pernas da jovem, não resistindo em começar a se livrar das outras peças do seu corpo. S/N via toda aquela cena com uma satisfação enorme, não aguentando ao ver a enorme marca do pênis ereto de Jungkook por detrás da calça moletom.

Apenas com sua cueca boxer, Jungkook deslizou a calça moletom negra da jovem pelas pernas da brasileira, tirando os sapatos da mesma delicadamente e os jogando no chão. Mesmo constrangido de mostrar o seu corpo para a sua filha, colou o corpo da jovem com o seu delicadamente, selando seus lábios novamente com os da menor. Era incrível a forma que os lábios de S/N se movimentavam perfeitamente nos do Jeon, e aquele sentimento enlouquecedor de querer protege-la para todo o sempre invadiu por completo o coração frágil de Jungkook. Aquela sensação era boa, ter total liberdade para vislumbrar o corpo da brasileira o fazia feliz, pois aquela paixão tinha um grande motivo.

S/N arqueou um pouco suas costas ao sentir Jungkook ondular o quadril em direção a sua genital, causando uma sensação prazerosamente gostosa em si. Sentiu as mãos grandes e acolhedoras do Jeon ir até a abertura do seu sutiã, soltando-o sem nenhuma dificuldade, como se o mais velho fosse experiente naquela ação. Separou seus lábios dos de Jungkook com uma mordida leve e excitante no lábio inferior do maior, arrepiando-se por completo ao ouvir um suspiro rouco e sexy vindo dos lábios com um doce gosto de chocolate do mesmo. Jungkook jogou a peça íntima da brasileira no chão calmamente, encarando-a fixamente enquanto acariciava o quadril da mesma. Desceu suas mãos até a última peça da jovem e com uma facilidade imensa, tirou a calcinha da jovem tão rápido que a fez suspirar ao sentir o membro do maior bem mais nitidamente.

Com timidez, Jungkook deslizou a cueca boxer por suas pernas grossas calmamente, deixando seu membro ereto e pulsante exposto aos olhos de S/N. Parecia que o coração de Jungkook iria explodir de paixão ao vê-la tão entregue aos seus braços, e ele gostava daquela sensação. Era como se fossem várias bombas prestes a explodir em seu peito.

Jungkook se posicionou melhor sobre o corpo da jovem e segurou o seu pênis apenas com a mão esquerda, dando leves pinceladas com a glande inchada e rosada por toda a vagina da pequena, fazendo-a suspirar. A lubrificação natural da jovem facilitava um pouco a ação que o Jeon iria fazer, mas ainda sim iria doer. Segurando-se muito para não penetra-la por completo, introduziu sua glande lentamente, e percebendo o desconforto alheio, invadiu-a por completo o mais cuidadoso possível.

— J-Jungkook...— afundou as unhas nas costas do mais velho, sentindo os braços do mesmo abraçarem sua cintura delicadamente

— Desconte a dor em mim.— sussurrou, encarando os olhos da brasileira fixamente

Enquanto ondulava o seu quadril em direção a entrada da jovem, sentia o interior da mais nova tentar expulsa-lo de qualquer forma, mas ao invés de isso ser desconfortável, era extremamente bom sentir seu membro sendo apertado pelas paredes vaginas da pequena. Selou seus lábios aos de S/N calmamente, sentindo a língua ávida da brasileira invadir sua boca, assim como a sua invadia a da mesma. Jungkook sugava os lábios de S/N para tentar de alguma forma acalma-la, sentia seus braços serem apertados pelas mãos da jovem fortemente, e quando menos esperou, sentiu o quadril da pequena se remexer ao seu encontro.

Delicadamente, começou a ir e voltar dentro da jovem, ouvindo os gemidos sôfregos e arrastados da ocidental. Os seus corpos se encaixavam perfeitamente, as suas mãos sempre descobriam partes novas dos corpos de cada um, as suas bocas eram verdadeiros ímãs e o sentimento era o mesmo.

Era tão bom estar com Jungkook daquela forma.

As penetradas que antes eram lentas, estavam bem mais rápidas e os gemidos contidos de S/N se transformaram em verdadeiros gritos de prazer. Jungkook bombeava dentro da jovem com desejo e prazer, estava se sentindo ótimo ao perceber que causava tantas sensações em S/N, e uma delas era a grande excitação. S/N arqueava as costas todas as vezes que Jungkook conseguia atingir o seu ponto de prazer e suspirava todos os momentos que sentia a pélvis do maior roçar contra o seu clitóris prazerosamente, e com toda certeza havia se perdido no tempo com tantas sensações.

Com rapidez, Jungkook se afundou ainda mais no interior da jovem, vendo-a tentar controlar a respiração extremamente descompassada. Beijava cada parte do busto de S/N, sentindo o cheiro que tanto ama de cereja, mesmo estando tão fraco por conta do suor que escorria por seus corpos.

Sentindo as pernas da jovem tremerem, viu-a arquear as costas e atingir um orgasmo avassalador e extremamente deleitoso, o que o deixou satisfeito ao extremo. Continuou a bombear dentro da jovem até chegar em seu ápice, e assim foi. Derramou todo o seu sêmen no interior da jovem, se retirando dela com um pouco de dificuldade por conta da fraqueza dos braços e pernas.

Exaustos, satisfeitos e surpresos. Essa eram as palavras que os definiam naquele exato momento.

Sentindo um leve empurrão da jovem para se retirar de cima da mesma, percebeu no que havia se encrencado apenas se entregando para a jovem. Se levantou rapidamente do sofá e com um grande constrangimento carregado em seus ombros, se vestiu desajeitadamente, vendo-a se levantar do sofá extremamente confusa.

— O que acon-

— Por favor, me perdoa.— implorou ao terminar de se arrumar, vendo os olhos arregalados da jovem — N-Não podíamos ter feito isso. Me desculpe!

— Jungkook-

— Eu prometo que nunca mais irei te tocar.— se afastou da jovem, correndo até o seu quarto e se trancando no cômodo rapidamente

Se arrependimento matasse, Jungkook nunca estaria vivo.


Notas Finais


Até!
~gesook


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...