História Sorte - Jeon Jungkook - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Incesto, Jeon Jungkook, Jungkook, Kookie, Revelaçoes, Romance
Visualizações 67
Palavras 2.169
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de indicar a música, só tenho uma coisa a dizer...
discupa :]

(quebrem a campainha da casa do Jungkook, por favor ;-;)

Música: Ed Sheeran - Thinking Out Loud
Espero que gostem!
~gesook

Capítulo 8 - I should not have kissed you.


Capítulo VII

Coréia do Sul, Seul.

Sexta, 12h32min

O café quente escorria por sua garganta lentamente, causando calafrios por todo o seu corpo. Faltava poucos minutos para ir até a delegacia novamente, mas estava com uma vontade imensa de voltar para a sua casa e ver como S/N estava — já que não a levou na faculdade —.

Colocou a nota de dinheiro exata do preço do café sobre a mesa e logo foi em direção a saída da cafeteria, saindo do estabelecimento e indo até seu carro à passos calmos. Eram tantas coisas em sua cabeça que não sabia no que pensar ou como agir, apenas esperava o que vinha sobre o seu corpo. Agora o problema não era apenas Elisa, mas também Kwan.

Estava tão entediado por não ter nada para fazer além do trabalho que podia ficar andando por todos os lugares de Seul — se não fosse tão inseguro de ficar sem saber algo sobre S/N —. Mesmo com tantas coisas para se preocupar, só conseguia pensar no que Elisa poderia fazer para S/N nessa situação, e mesmo tendo tantas opções para se livrar dessa mulher, tinha medo de perder S/N por um mínimo descuido. Tinha certeza que mesmo denunciando-a, não iria conseguir se livrar dela tão cedo, e tudo isso por causa de uma possessão fora do normal.

Acelerou o carro um pouco mais até chegar a delegacia, estacionando-o no grande estacionamento do local e se retirando do veículo rapidamente. Trancou o automóvel com calma e foi até a entrada da delegacia, adentrando no estabelecimento rapidamente e vendo algumas pessoas em busca de alguma denuncia, mas o que o intrigou foi quando viu seus pais ali, com expressões preocupadas nos rostos e olhando para todos os lados daquela delegacia. Foi em direção aos mais velhos à passos rápidos, ajeitando sua farda de policial discretamente.

— Mãe? Pai?— se aproximou dos dois, sentindo o olhar dos menores recair sobre a sua pele

— Jungkook — encarou seu pai, vendo-o muito mais preocupado que sua mãe —, roubaram todo o nosso dinheiro da conta bancária, e não era pouco.

— Como assim?— questionou, encarando-os seriamente — Não tem como roubarem a conta de vocês.

— Eu sei.— sua mãe sussurrou, abaixando a cabeça logo em seguida — Mas, você falou para alguém a senha do nosso cartão?

— Não! De jeito nenhum!— falou, sentindo as imagens de Elisa invadirem sua mente — Eu nunca faria isso.

— Precisamos fazer algo.— seu pai falou para a mais velha entre eles, vendo-a suspirar longamente enquanto encarava fixamente os olhos negros e brilhantes do seu filho

— Você deu a senha para a Elisa, Jungkook?— indagou, tendo total certeza que a ex-namorada do seu filho havia roubado seu dinheiro por completo

— Não!— umedeceu os lábios, sentindo o nervosismo corromper o seu corpo — Eu nunca faria isso!

— Então como nos roubaram?— seu pai questionou, encarando o mais novo fixamente

— Eu não sei, pai.— suspirou, passando as mãos pelo rosto em uma forma de acalmar-se — Me roubaram também.— admitiu

— Por que não nos contou?!— sua mãe questionou, ficando irritada em poucos segundos

— Desculpa — sussurrou, encarando-a fixamente —, eu escondi muitas coisas de vocês.

— Tipo o quê?— seu pai indagou, cruzando os braços

— A S/N voltou.— falou, vendo as expressões espantadas dos mais velhos

Não devia ter contado, pois sabia muito bem que seus pais nunca foram a favor desse relacionamento que tinha com a brasileira, só porque a jovem não é coreana como eles queriam. Para eles já era um absurdo ter a adotado, agora ouvir dos próprios lábios do filho que ela voltou só os deixou ainda mais desapontados.

— Jungkook-

— Pai, eu não vou deixa-la voltar para os pais biológicos novamente.— falou firmemente — Agora se me der licença, preciso voltar a trabalhar...

— Espere.— sentiu as mãos de sua mãe segurarem seu braço, deixando-o arrepiado — Nós iremos visita-lo hoje. Quero ver como S/N está se comportando.

— Mas-

— Sem "mas", Jeon.— falou, soltando-o logo em seguida — Bom trabalho.

— Obrigado.— deu às costas rapidamente

Podia se arrepender de todas as suas escolha que já fizera para S/N, e uma delas envolvia o acordo que fez com os pais biológicos da jovem por causa dos seus próprios pais — que ordenaram a abandona-la o mais rápido possível —. S/N não fazia ideia que os avós que sempre a elogiaram e brincaram consigo a odiava, não fazia ideia que aqueles idosos que tanto amava não se sentiam felizes por estar ao seu lado. Eles queriam uma neta verdadeira, uma neta que não seja adotada ou algo do tipo, pois sabiam que Jungkook podia ter qualquer mulher que quisesse; só não sabiam que ele iria se apaixonar logo por S/N.

17h21min

Abriu a porta calmamente e logo deixou sua maleta de trabalho sobre a mesa de centro da sala de estar, desabotoando os primeiros botões de sua camisa de policial e deixando que o ar frio se colidisse com a pouca pele exposta. Fechou a porta principal da casa e se jogou no simples sofá da sua sala, nem ao menos pensando em S/N.

Ficava cada vez mais preocupado quando via as notícias horríveis que passava nos canais de televisão, não gostava nem um pouco do que ouvia e muito menos do que pensava sobre o que Elisa poderia fazer.

— Jungkook?— ouviu a voz de S/N vindo do corredor dos quartos e logo se virou, vendo-a apenas com uma grande camisola azul e com a sobrancelha esquerda arqueada

Se não tivesse se apaixonado por ela, não iria achar aquela visão tão sexy.

— O que foi?— questionou, controlando sua respiração que insistia em se descompassar ao olhar as pernas da brasileira e os seios que tinha uma boa parte à mostra

— Olhe isso...— se aproximou do Jeon e logo se sentou ao lado do mais velho, fazendo-o corar fortemente ao ter a perfeita visão dos seios descobertos da jovem — Eu só tenho a metade do dinheiro que consegui no Brasil.— mostrou o celular para o Jeon, e mesmo extremamente constrangido, encarou a tela do aparelho — Você pegou o meu dinheiro?

— Não...— sussurrou, engolindo seco ao vê-la cruzar os braços e deixar os seios bem mais à mostra

— Você nunca sussurra quando está falando a verdade.— falou, suspirando longamente — Me devol-

— Arrume essa blusa.— ordenou, vendo-a arregalar os olhos ao perceber que estava sem sutiã na frente de Jungkook

— D-Desculpa...— sussurrou, ajeitando a camisola e encolhendo-se no estofado

— Eu não peguei o seu dinheiro, não se preocupe.— tomou a postura firme novamente, encarando o corte um pouco cicatrizado da jovem — E se arrume, pois meus pais vão vir aqui.

— T-Tá...— se levantou do sofá rapidamente, girando nos calcanhares e indo até o próprio quarto sem se importar com qualquer argumento do Jeon

Estavam tão envergonhados que mal perceberam as bochechas esquentarem.

Jungkook pegou seu celular rapidamente e discou o número de Elisa, esperando a coreana atender o mais rápido possível.

— Alô?— ouviu a voz da jovem, sentindo a raiva corromper o seu corpo em poucos segundos

— Por que está nos roubando?— questionou, ouvindo a risada da mais nova

— Roubando?— suspirou — Como assim, Jungkook?

— Não se faça de boba, Elisa.— cerrou os punhos fortemente — Todo o dinheiro dos meus pais sumiu, e só você sabia a senha do cartão deles.

— Eu não sei do que está falando, Jungkook.— falou firme, confusa ao extremo — Por que eu roubaria vocês?

— Porque você sabe que temos uma boa quantia de dinheiro na conta bancária.— falou, ouvindo um longo suspiro da jovem

— Eu não roubei absolutamente nada.— afirmou — E você sabe muito bem que a vítima não é apenas você.— riu, fazendo Jungkook ficar ainda mais bravo — Esqueceu do que aconteceu com S/N quando ela era pequena?

— Isso foi a 12 anos atrás!— falou — Ela já deve ter esquecido disso.

— Isso foi um trauma para ela, Jungkook.— falou, e mesmo assim Jungkook negava — Não seria tão fácil esquecer algo daquele tipo.

— Eu sei que foi você.— Tentou de alguma forma se livrar daquele assunto — E espero não ter que te denunciar.

— Eu não te roubei.— falou firme — E você sabe o que acontece se me denunciar.

Desligou a chamada. Jungkook odiava concordar com a mulher que o deixou tão decepcionado quando era apenas um adolescente.

Ficou mais longos minutos sentado naquele sofá, esperando pelo menos algo vindo de S/N, e assim foi. A jovem esbravejava de raiva, o que fez Jungkook pensar na possibilidade da brasileira estar brava por não conseguir terminar algum exercício da faculdade, o que fez o mais velho sorrir.

Se levantou lentamente do sofá e foi até a porta do quarto da jovem, abrindo-a lentamente e vendo S/N sentada sobre a cama enquanto tentava fazer algumas lições para estudar. A jovem já vestia uma calça jeans azul, uma blusa branca simples e um par de tênis, apenas concentrada nos exercícios que tinha que fazer.

— Precisa de ajuda?— questionou, sentindo os olhos da brasileira em si

— Não.— falou firmemente, voltando a encarar o caderno em suas mãos

Com calma, Jungkook se sentou ao lado da pequena e encarou as coisas escritas nos papéis, vendo diversos textos no papel. Sabia que S/N fazia faculdade de fotografia, mas não fazia ideia que a jovem se interessava tanto no assunto daquele jeito.

— Precisa lembrar disso?— indagou, vendo-a assentir ainda com os olhos colados nas letras — Eu posso te ajudar.

— O que vai adiantar?!— bufou irritada, encarando o Jeon logo em seguida — Não sou mais uma criança para ser orientada como antes, e você sabe que daqui a alguns meses irei estar morando sozinha!— falou firmemente, estremecendo dos pés a cabeça ao sentir os olhos negros e hipnotizantes de Jungkook em si

— Para de ser infantil.— pegou o caderno das mãos da jovem delicadamente, lendo algumas linhas do que estava escrito — Você não está nem um pouco concentrada.

— Concentração não dá em nada.— falou, ouvindo uma risada fraca vindo do mais velho

— Respire fundo.— ordenou, vendo-a arquear a sobrancelha esquerda

— Não.

— Apenas faça o que eu estou pedindo.— sorriu fraco, deixando o caderno sobre o criado-mudo

— Não irei fazer isso.— falou, cruzando os braços calmamente

— Quer minha ajuda ou não?— questionou — Apenas faça o que eu estou pedindo.

S/N respirou fundo e soltou o ar contido em seus pulmões, se estressando mais ainda ao perceber que não se acalmava de jeito algum.

— Ah... Que merda!— esbravejou, encolhendo-se no acolchoado ao perceber que o Jeon estava ainda mais próximo de si — Eu não consigo me concentrar!

— Olhe para mim.— ordenou, vendo-a negar pela timidez — Eu estou mandando, S/N.

Mesmo sendo intimidada, encarou os olhos negros do Jeon lentamente, sentindo seus pelos se arrepiarem ao perceber a grande aproximação do seu rosto com o de Jungkook. Suas respirações se colidiam de uma forma descompassada, seus lábios clamavam por um beijo, seus olhos se conectavam de uma forma estranha.

Jungkook segurou delicadamente o rosto de S/N e com sutileza, colou suas testas, vendo os olhos da brasileira se fecharem lentamente, diferente dos lábios que se entreabriam em busca de um beijo.

Queria beija-la. Queria prova-la.

Selou seus lábios com os de S/N rapidamente, entreabrindo os mesmos igualmente a S/N, já sentindo a língua quente da jovem invadir sua boca de uma forma gostosa e excitante. Sentia o hálito de menta de S/N se juntar com o seu de uma forma deliciosa, e com toda aquela energia boa em seu corpo, deixou que sua língua fizesse uma dança lenta e sutil com a de S/N. Toda aquela delicadeza e romantismo que tinham no começo no ósculo, se foi por completo. Jungkook se deliciava dos lábios de S/N de uma forma surreal, nem ao menos percebendo que já se encontrava encima da jovem enquanto sentia as mãos tímidas da mesma acariciarem suas costas delicadamente.

Nem ao menos sabiam como estavam a tanto tempo se beijando sem ao menos se separarem, mas tinha certeza que aquilo era por causa da grande necessidade que tinham um pelo outro. O primeiro fio de saliva se fez presente quando separaram seus lábios, e sem um aviso prévio, S/N trocou a posição com o Jeon e selou seus lábios novamente com os do maior, sentindo as suas nádegas serem apertadas pelas grandes mãos do mesmo. A sensação de ter os lábios de Jungkook grudados aos seus era ótima, Jungkook beijava extremamente bem, e aquela vontade louca de perder a virgindade com o seu pai se fez presente.

O pênis duro pelo tesão que sentia roçava na intimidade de S/N lentamente, e sentir o quadril da mais nova se movendo contra o seu membro era a melhor sensação que podia sentir. Seus olhos se cruzaram, suas respirações estavam desreguladas, seus lábios tensos por mais, e foi apenas com o tocar da campainha que todo aquele ótimo clima se foi.

— M-Me desculpa!— Jungkook se afastou rapidamente de S/N, se levantando da cama e ajeitando suas vestimentas — E-Eu prometo que isso não ira acontecer mais, S/N.

— Jungkook.— tentou para-lo, mas apenas se afastou ao ver o quão arrependido o maior estava

— Me perdoe.— se retirou do quarto à passos rápidos, tomado pela culpa e o arrependimento

Aquilo iria chegar longe demais.


Notas Finais


Vazei :]

~gesook


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...