História "Sorte" de Garota - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Comedia, Mistério, Romance
Exibições 37
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Pressentimentos


Fanfic / Fanfiction "Sorte" de Garota - Capítulo 13 - Pressentimentos

Passou a manhã inteira tentando decorar suas falas do trabalho, era a única coisa da aula que realmente prestara atenção. Ellie não gostava muito da ideia de estudar, mas depois que começou a morar sozinha, entendeu o quanto era importante. Era importante se tornar alguém, e não depender do dinheiro dos seus pais, única coisa que ainda os ligavam.

Ensaiou a sua apresentação com Luph de platéia, ele parecia ter se agradado com a performace, o que era bom, por que se conseguia agradar seu gato crítico, conseguia agradar qualquer um.

Tomou um banho longo, precisava relaxar um pouco antes de mais um dia de aula, vestiu sua roupa mais horrível, que era praticamente igual as outras, e desceu para preparar seu almoço, macarronada! Sim, algo semelhante ao miojo, não dava pra se livrar dos vícios assim tão fácil. Almoçou, escovou os dentes, deu um longo beijo em Luph, e atravessou a porta em direção ao colégio.

Chegou ao mesmo tempo em que Ethan, e notou que ele parecia triste, com certeza algo havia acontecido. Tentou pará-lo, mas o garoto apenas acenou com a cabeça e cruzou o portão.

Ellie não entendera nada daquilo, Ethan sempre fora legal com ela, mas agora, simplesmente a tinha ignorado. Alguma coisa estava errada, ela precisava descobrir. Andou em direção ao garoto,  e o parou em meio ao pátio, tocando em seu ombro.

— O que — perguntou um pouco confuso, virando-se para a garota. — Ah, é você gatinha.
— Você não parece nada bem.
— Eu to bem.
— Se estivesse eu saberia.
— Eu vou ficar bem, eu prometo.
— Ethan, você já cuidou de mim várias vezes, agora me deixa cuidar de você.
— Não é algo que entenderia.
— Só vai saber se me contar.
— Tem uma garota…
— E o que tem ela?
— Ela? Não sei, mas eu to apaixonado.
— Não acredito!
— Eu disse que não entenderia.
— Ela já sabe?
— Não,  e nem vai.
— Como assim? Por que? Ela estuda aqui?
— Estuda sim.
— Qual o problema então? Você só precisa falar com ela.
— Não é tão fácil assim.
— Claro que é Ethan, você é bonito, inteligente, defende as garotas em perigo — Ellie falava, olhando fixamente — É um amigo incrível.

Ethan saíra no meio da conversa sem dar a Ellie qualquer explicação, o que a fez pensar que provavelmente estava correndo em direção a garota para contar o que sentia, teve uma breve inveja dela sem nem ao menos a conhecer, qualquer pessoa seria sortuda em ter Ethan como namorado, ele era muito fofo, e cuidava bem das pessoas que gostava. Correu para sala, estava curiosa pra saber quem era a garota, e qual havia sido sua reação. Estava mais ansiosa que o próprio Ethan.

Chegou na sala, e deu por falta de dois membros do seu grupo, viu apenas Mathew e Amy, ambos guardando lugares. O material de Ethan ao lado da mesa de Amy, fez Ellie criar algumas teorias sobre a misteriosa garota. Será que Ethan estava apaixonado por ela? Mas, se era ela, ele já deveria estar na sala. Ellie sentou-se ao lado de Mathew já que Aaron não havia chegado, até que, o professor entrou, dando ínicio na aula.

Ethan chegou logo atrás, e se juntou ao grupo. Estava com a mesma cara da qual Ellie lembrara em frente ao colégio, o que fazia ela ter certeza de que ele ainda não tinha dito nada a garota. Queria questioná-lo, mas ele estava ao lado de Amy, e se sua teoria estivesse certa, era melhor ela saber por ele, e não por que não conseguiu manter a língua dentro da boca.

Duas aulas se passaram, e nada de Aaron aparecer. Já estava intrigada com Ethan, mas tinha espaço de sobra pra mais um, ficou imaginando várias coisas que poderiam estar acontecendo com ele agora, o que a fez lembrar…

— Mathew! — Ellie falou arqueando a sombrancelha para o garoto.
— Juro que não fiz nada!
— Esqueceu de me dizer por que faltou aqueles dias…
— Eu tava doente.
— Tanto mistério pra isso?
— Nossa, adoecer é pouco pra você?
— Não, desculpa, é que eu imaginei coisas bem diferentes.
— Ainda bem que foi só doença mesmo, do jeito que você é maluca, inventaria até uma abdução.
— Não exagera!
— Quem disse que eu to? Você imagina várias coisas, mas não consegue nem enxergar algo na sua frente.
— Não mesmo.
— Exatamente! Pera… Acabou de concordar comigo, está se sentindo bem?
— Não enche garoto!
— Sim, você está mais que normal.

Mathew tinha razão, mesmo Ellie não querendo admitir, mas ela sempre pensava as piores situações possíveis, e no fim se surpreendia. Será que Aaron estava apenas doente? E se estivesse precisando de ajuda? E se estivesse caído nesse exato momento pedindo socorro?

Imediatamente pegou suas coisas e correu a saída, ignorando os gritos da professora, continuou andando em direção ao portão do colégio. Estava desesperada, com um pressentimento ruim, olhou para frente para ver a sua casa, pensou em passar para deixar suas coisas, mas não havia tempo, seguiu em direção a casa de Aaron, era onde precisava estar agora, alguma coisa lhe dizia.

Andou o mais rápido possível entre as ruas, mas mesmo assim parecia nunca chegar a lugar nenhum. As pessoas passavam por ela a encarando como se Ellie parecesse louca, e de fato era o que parecia agora, já estava próxima, resolveu diminuir o passo, estava completamente exausta.

Tocou finalmente o portão, e com o pouco fôlego que lhe restara chamou pelo nome de Aaron, sem sucesso. Havia chegado tarde demais? Ao notar que o portão estava aberto, simplesmente entrou, subindo as escadas, enquanto continuava chamando pelo garoto. Ficou alguns minutos esperando na porta, até que resolveu entrar, esperava encontrar Aaron estirado no chão, mas suspirou em alívio ao ver o mesmo vazio. Restava saber onde o garoto estava. Começou a andar pela casa, esperando ouvir qualquer barulho, até que alguém chegara por trás dela, tapando seus olhos.

— Não se entra assim na casa dos outros… — o garoto dizia, impedindo Ellie de vê-lo.
— Aaron, tira a mão!
— Não vai querer ver isso.
— Tira a mão agora!
— Foi você quem pediu…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...