História Sorte de Gato Preto - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Exibições 7
Palavras 1.122
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OIII
Que saudade de escrever.. Bom eu não consegui arrumar o meu celular, mas agora vou começar a escrever pelo computador, ou seja, vou postar diariamente ou um dia sim e um dia não.
Boa Leitura...

Capítulo 18 - Floquinho de Neve


Fanfic / Fanfiction Sorte de Gato Preto - Capítulo 18 - Floquinho de Neve

- Não sei oque você está falando. - Falei tentando disfarçar o nervosismo.

Antes que ele respondesse eu percebi um pequeno floquinho de neve entrar pela janela e sumir quando tocou em minha cama.

Sem falar nada sai correndo do meu quarto, eu sabia que se avisasse Chat ele poderia surtar e me trancar em algum lugar. Encontrei um lugar seguro para me transformar e corri de volta para meu quarto.

- Chat vilão novo. Lacey me avisou, tire o resto da família e leve-os para um lugar seguro.

- Já levou Lacey? - Ele perguntou parecendo preocupado comigo.

- Sim. - Respondi já a caminho do novo vilão.

Quando sai para fora de casa me deparei com um lugar branco e sem vida, completamente congelado e frio. Procurei por alguns estantes antes de me deparar com uma menina vestida de noiva, a expressão dela parecia triste e raivosa.

- Chat não demore. - Falei para mim mesma sabendo que aquela garota não iria ser fácil.

- Eu procuro por uma garota chamada Lacey! - A menina gritou.  Oque eu fiz dessa vez?

- Mas porque? - Perguntei esperando resposta.

No lugar de uma resposta a garota apontou seu buque para mim, desviei e quando olhei o lugar onde eu estava ficou completamente congelado. Essa garota não estava aqui para brincar, mas ainda não sei oque fiz para ela. 

Toquei uma nota e encostei a flauta no chão, para minha surpresa nada aconteceu. Ela era completamente imune aos meus poderes.

- Cheguei! - Gritou Chat.

- Ela ta com raiva da Lacey, eu não sei porque os meus poderes não atingem ela. - Falei.

- Calma! Vou tentar fazer alguma coisa. - Ele respondeu parecendo seguro de si.

Ele partiu para cima da garota que tentou se proteger, mas não conseguiu.  Ele jogou a garota para cima de uma árvore que não estava congelada.

Não estando congelada eu podia usar meus poderes. Consegui atingir a árvore e fazer os galhos onde a garota estava crescer e prender ela.

- Porque você está com raiva da Lacey? - Perguntei me aproximando da árvore onde a garota estava presa.

- Porque eu não gosto dele! E ela deu esperanças para ele! Eu odeio ele! - Ela gritou.

- Clara? - Falei sem querer.

- Espera! Não foi Lacey que ajudou o loirinho e sim Volpina. - Chat falou.

- Não! Ele me disse que foi Lacey. - Ela gritou. 

Com minha distração ela conseguiu se libertar dos galhos e jogar longe minha flauta para longe e me puxando para perto dela.

- Você vai me levar para onde ela está.

 

                   Ponto de Vista de Chat

 

A garota voou para longe levando Volpina consigo. 

- Não!!!! Espera.. - Gritei.

- Você fica ai gatinho. - Ela falou e logo congelou meus pés no chão.

Olhei para meus pés e quando voltei a dirigir o olhar para as garotas elas já haviam sumido.

- Oque eu faço agora? - Me perguntei.

 

Eu não sabia onde Lacey estava, depois que ela me viu no quarto dela ela saiu correndo. Também não sei onde Volpina está, realmente espero que ela esteja bem. 

Do nada algo se mexeu atras das árvores,  era o loirinho.

- Acho que cheguei tarde de mais. Onde está Lacey? e Volpina? e Clara? - Ele perguntou correndo até mim.

- Clara me prendeu aqui e levou Volpina para achar Lacey. - Falei.

- Me tira daqui! Eu tenho que ajudar elas, oque você fez o completo contrario! - Gritei.

- Calma. Isso nunca foi minha intenção.

- Deu para ver bem suas intenções. - Provoquei.

Ele sem falar nada entrou para dentro da casa voltando com um esqueiro. Ele aproximou o esqueiro de meus pés fazendo o gelo derreter.

- Obrigado por nada. - Provoquei mais uma vez antes de pegar a flauta de Volpina e correr para tentar encontra-las.

- Espera eu posso ir também? Acho que sei onde elas estão.  - Ele perguntou.

- Se não atrapalhar mais ainda. Pode. - Falei.

- Acho que você está bravo comigo, mas eu nunca iria saber que Clara era assim. - Ele falou me fazendo sentir pena dele.

- A culpa não foi toda sua. Afinal eu sei como é se confundir por amor. - Falei.

- Agora vamos logo elas precisam de nós. - Falei e logo partimos.

No caminho ele me disse que provavelmente elas estariam no ginásio, nos dirigimos para lá.

Quando chegamos tivemos uma surpresa.  Lacey estava lá, mas nada de Volpina.

- Onde está Volpina? - Perguntei me aproximando dela que estava amarrada.

- E.. eu não... eu não sei.  - Ela respondeu, parecia nervosa.

Então ela e o loirinho trocaram olhares e ele ficou com uma expressão de preocupação no rosto.

- Chat vai procurar Clara, eu desamarro Lacey e tiro ela daqui. - Falou ele.

- Mas deixe a flauta comigo. - Ele falou apenas obedeci.

 

        Ponto de Vista de Lacey

 

- Ela sabe quem sou eu. - Falei para Lucas logo que Chat foi a procura de Clara.

- Ela vai esquecer assim que voltar ao normal. - Ele falou me desamarrando.

- Ótimo, só não podemos deixar que ela conte para Chat. - Falei

Assim que me libertei, me transformei novamente em Volpina e peguei minha flauta que agora transformei em arco e flecha.

- Tenho que acabar logo com isso. - Falei saindo dali.

Sabia que eles deviam estar mais para o cento da cidade. Encontrei ela e Chat lutando com socos e chutes, não posso negar que ela era forte. 

- Volpina. - Ela falou ainda lutando com um tom de deboche na voz.

- Mexer comigo tudo bem, mas você mexeu com meu amigo e meu namorado também e isso não vai passar em branco! - Gritei.

Confesso que tinha um pouco de medo de usar o arco e flecha, mas naquele momento o medo havia sumido completamente. Eu não quis mirar em seu buque ou em algum  acessório, mirei diretamente em seu peito. 

Acertei sua perna por ela tentar desviar. Mas mesmo assim a garota voltou ao normal assim como tudo oque estava congelado.

- Namorado? - Chat perguntou se aproximando.

- Apenas me encontre amanhã de tarde no lago. Afinal já passou das cinco da manhã. - Falei.

- Como quiser. - Ele respondeu me dando um beijo na mão e saindo.

 

- Você deve ser a Clara. - Falei me aproximando da garota que agora se mostrava com medo e confusa .

- Sou. Oque aconteceu? - Ela perguntou.

- Você deixou o ódio e o rancor tomarem conta de seu coração....

Depois de alguns minutos conversando com ela, me despedi de Lucas e fui para casa muito cansada.

 

 

 


Notas Finais


Foi que consegui escrever por enquanto....
Até o próximo capítulo provavelmente amanhã bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...