História Sorte de Gato Preto - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Exibições 34
Palavras 769
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora, mas ta aqui a noite da festa...

Capítulo 6 - Noite da Festa


Fanfic / Fanfiction Sorte de Gato Preto - Capítulo 6 - Noite da Festa

   O vestido que escolhi é lindo, com um tom rosa delicado e levemente armado.
   Eu estava na frente do espelho fazendo os últimos detalhes da maquiagem. Já ouvia as vozes das pessoas, mas não queria me misturar a eles, pelo menos não hoje.
   Respirei fundo antes de abrir a porta do quarto e passar pelo corredor até chegar a sala (a sala e a cosinha são juntos), assim que entrei na sala todos os olhares se voltaram para mim, senti minha bochecha corar. Também percebi que não havia homens apenas mulheres, presumi que os homens estariam próximos a churrasqueira se divertindo.
   Depois de cumprimentar todas as mulheres me dirigi ao lado de fora onde se localizava a churrasqueira.

   Fiquei um tempo conversando com os homens e voltei a sala desta vez despercebida e assim permaneci por longos minutos no sofá.
   Não estava mais aguentando respirar o mesmo ar de todas aquelas pessoas desconhecidas. Lembrei-me da rede que meu pai havia pendurado assim que voltou da casa vizinha, ela não estava muito longe da casa acho que não seria perigoso ir até lá por poucos minutos.

   No caminho para a rede ouvi um choro que parecia ser de criança. Estava escuro mas consegui ver uma garotinha junto a um menino loiro.
  - Oque aconteceu com ela? - Perguntei me aproximando.
  - Ela disse que uma mulher quebrou a coroa dela. - O garoto respondeu e quando se virou pude ver que era ele, ele veio na minha festa.
  - Não é justo, se eu não fosse tão pequena eu iria..
  - Não iria nada, porque revidar não é coisa de princesa. - O loiro a interrompeu já sentindo oque ela diria.
  - Ela era uma coroa linda de flores. - A menina falou cruzando os braços.
   Flores? Lembrei que tinha uma coroa feita de floras.
  - Te dou uma, mas quero um beijo. - Falei e logo o rostinho dela se iluminou com um sorriso.
  - Esta no meu quarto ele é o segundo a direita. - Falei esperando o beijo.
  - O meu irmão te da um beijo ele que te acha bonita. - Falou ela e saiu correndo.
  - Não liga para ela. - Falou o garoto rindo - vou atrás dela - Ele falou e logo depois me deixou.
   Continuei caminhando. Quer dizer que ele me acha bonita? Não, acho que ela estava apenas brincando.
   Sentei na rede pensando: Se a festa era para mim porque estava me sentindo excluida? Agora tenho certeza que não devia estar aqui, e amanhã faria  meu pai me levar de volta.
   Me sentei na rede e apoiei a cabeça nas mãos, iria começar a chorar se não fosse por uma luz bater em minhas costas. Olhei para trás rapidamente e a luz ficou mais fraca até sumir, levantei e caminhei em passos lentos até lá.
   Vi uma caixinha decorada e sem pensar a peguei, oque tinha dentro não era nada de mais, apenas uma pulseira com um pingente que parecia  um rabo de raposa.
   Coloquei a pulseira e um objeto apareceu em minhas mãos, era uma flauta grande. Olhei para baixo e vi minha roupa se transformar, passou a ser uma roupa só e bem colada, tinha as cores laranja e marrom. Senti algo na parte de trás do meu corpo, era um rabo de raposa da mesma cor da roupa.
   Me surpreendi e soltei o instrumento rapidamente, arranquei a pulseira de mim e depois a joguei contra uma das árvores, assim que a pulseira caiu no chão uma pequena raposinha do tamanho de meu punho apareceu, ela flutuava e me observava.
  - Ola meu nome é Popy, você deve ser a Lacey. - aquele pequeno animal falou.
  - Sim sou eu, oque é você, oque foi aquilo? - Falei calma mais assustada
  - Esta falando da roupa? Sim está, bom você foi escolhida Lacey. Escolhida para proteger essa cidade e o seu dever... - Ela falava mais antes que ela continuasse eu perguntei.
  - Espera como assim escolhida? como assim proteger? Proteger de quem? - Perguntei, eu estava tão confusa.
  - Pegue sua pulseira, é ela que te da todos os poderes - Ela falou.
   Me abaixei e peguei a pulseira com medo de a colocar apenas segurei.
  - Lacey? - Ouvi meu pai chamando. E nesse instante popy sumiu. Oque aconteceu aqui?
  - Estou indo - Respondi e fui em direção a casa com a pulseira nas mãos.


Notas Finais


Só quero avisar que essa fanfic não é só romance mas também aventura. Agora a menina ganha a responsabilidade de proteger a cidade e vai ter uma ajudinha...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...