História Sorte de Gato Preto - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Romance
Exibições 38
Palavras 893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Vou começar a postar com mais frequência..
Boa Leitura

Capítulo 7 - O som da liberdade.


Fanfic / Fanfiction Sorte de Gato Preto - Capítulo 7 - O som da liberdade.

   Voltei para a casa e deparei com o loiro sentado a mesa, estava na hora da janta e eu estava faminta. Antes de tudo entrei no quarto e guardei a pulseira junto a outras joias ainda me perguntando oque havia acontecido.
  - Ela gostou da coroa - Falou o garoto logo que sentei ao seu lado.
  - Ela esta linda - Falei olhando a garotinha brincar com minha irmã e mais um garotinho que eu não conhecia.
  - Eu ainda não sei seu nome. - Fui direto ao ponto.
  - Nataniel - Ele respondeu com um lindo sorriso.
  - Posso te chamar de Nath? - Perguntei.
  - Sim, como devo te chamar? - Perguntou Nath para mim.
  - Meu amigos gostam de me chamar de las - Respondi ele sorriu.
  - Então las, oque estava fazendo lá fora sozinha nesse escuro? - Ele quis saber, mas eu não sabia como responder.
  - Vamos jantar estou faminta. - Falei levantando e pegando meu prato.
  
   Depois que todos foram embora não demorou para todos da casa irem dormir, já estava acostumada a dormir tarde então era a única acordada.
  - Ele é lindo - Falou Popy.
  - Verdade. Pode me explicar direito oque esta acontecendo agora que tenho mais tempo. - Perguntei penteando meus cabelos encima da minha cama.
  - Sim... Muitos anos atrás havia uma árvore diferente, ela tinha o poder de fortalecer todo o mal e o rancor das pessoas. Então nascemos, pequenos animais capazes de dar poderes para combater esse mal.
   Eu apenas a escutava imprecionada com a história.
  - Já ouve uma heroína de Coblens e agora havera outra vez, seu dever é afastar todos o mal e assim essa árvore ficara fraca e você vai conseguir mata-la. - Contou Popy.
  - Poderes? - Perguntei confusa.
  - Sim, mas para isso você precisa estar com a pulseira. Quando suspeitar de algo, basta você colocar a pulseira perto do quadril que suas roupas vão se transformar e te fortalecer. Mais uma coisa sua indentidade é secreta. Então é mais fácil se transformar para treinar a noite. - Terminou de me explicar.
  - Posso tentar? - Perguntei colocando a não na pulseira.
  - Quando quiser - Falou ela.
   Assim que aproximei a pulseira de meu quadril ela se transformou em um cinto e minha roupa mudou completamente, a flauta apareceu em minhas mãos e uma mascara em meu rosto.
   Já com a transformação completa, pulei a janela e vi que a lua brilhava mais essa noite. Olhei para a flauta, eu não sabia tocar mas mesmo assim tentei, assim que toquei um som maravilhoso saiu da flauta e a ponta começou a brilhar, toquei a ponta da flauta na grama e a grama se iluminou ficando macia e mais verde.
   Sorri comigo mesma.

   Enquanto isso na casa de Nataniel...

   Assim que cheguei em casa minha mãe e minha irmã foram dormir me deixando do lado de fora sozinho.
  - Nossa como a lua esta linda hoje. - Falei surpreso.
   Caminhei até o balanço de minha irmã e quando me aproximei vi um luz vinda de trás do balanço.
   Fui me aproximando lentamente até me deparar com uma caixinha vermelha, peguei e abri dentro dela havia um anel e nele desenhado uma patinha de gato.
   Experimentei o anel e senti algo estranho acontecer. Minhas roupas se uniram e ficaram pretas com um sininho no pescoço, uma mascara cobriu meu rosto e na minha cabeça apareceu orelhas de gato, olhei para minhas mãos e havia se formado um bastão cinza que parecia ser de prata.
   Apertei a patinha desenhada na lateral do bastão e ele cresceu me levantando do chão. No alto conseguia ver tudo e de la sorri, agora parecia mais livre não sabia oque estava acontecendo mais era bom. Vi um árvore brilhar e crescer, vi seu frutos crescendo e suas folhas mais verdes.
   Corri em direção a árvore curioso. Cheguei subi no telhado da casa com ajuda do bastão de lá vi uma menina com mascara e roupa de raposa, ela tocava uma flauta e corria arrastando ela pelo chão fazendo tudo brilhar e se tornar mais verde.
  
    De volta para Lacey

   Corria sentindo o vento em meu rosto, meus cabelos voavam e a cada passo batiam em meus ombros por causa do pequeno impacto, cada vez que tocava a flauta sentia o som da liberdade e mesmo com meus pés cobertos conseguia sentir a grama macia. Era maravilhoso poder sentir essa liberdade que não sentida desde criança.
   Enquanto corria puxava minha flauta fazendo ela tocar na grama, sentia tudo brilhar por onde eu corria.
   Não estava cansada mais mesmo assim parei e quando virei-me vi um gato preto em cima do telhado da casa de minha vó. Não era um gato preto comum, ele era um garoto loiro de olhos verdes brilhantes.
   Assim que me aproximei ele desceu do telhado com ajuda de um bastão, nos encaramos por alguns minutos.
   Quando ia abrir minha boca para falar fui interrompida por uma explosão vinda de trás de algumas árvores. Logo depois uma menina gigante apareceu vestida de princesa, eu já sabia quem era ela.


Notas Finais


Adivinhem quem é a princesa??...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...