História Sorte Grande - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 45
Palavras 908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem, como prometido, parte dois!
E espero que gostem!
Ah, e obrigado por ler a parte 1. Você é demais!

Capítulo 2 - Conhecendo a família


Fanfic / Fanfiction Sorte Grande - Capítulo 2 - Conhecendo a família

Antes das 15 horas já estava no apartamento deles, conforme o endereço que o Pac me mandou no whats.
Toquei a campainha e esperei, enquanto pensava se tinha pego uma mochila boa, se estava ou não vestida direito para a ocasião e se tinha ligado o alarme do carro.
Quando Mike abriu a porta e veio me cumprimentar, me disse no ouvido:

-Você está radiante.

Apenas sorri e perguntei se podia entrar, sendo respondida em seguida por Pac:

-Claro que pode princesa!

Acho que fiquei vermelha nessa hora. Receber elogios me alegra, mas se vier dele, aí me desmonta de vez.
Logo que entrei, perguntei por Cellbit.

-Ele saiu-disse Pac indo pra cozinha-Quer comer alguma coisa?

-Ah, não, muito obrigada.

-Então senta aí, ele já chega.

-Ué, tá de regime moça?-disse Mike sentando ao meu lado

-Sim e não-respondi me virando pra ele.

Pac foi pra sala com uma lata de Pepsi e um sanduba nas mãos. Depois de se ajeitar no sofá e ligar a TV, disse pra mim:

-Espero que saiba cozinhar. Não aguento mais a comida do Tayr. Não que ele cozinhe mal, a comida é super gostosa, mas tô enjoado já.

-Concordo-disse Mike olhando pra fora-Eu não quero engordar outra vez. Já não basta ter que comer fast food sempre que a gente sai.

-Não se preocupem rapazes. Minha mãe me ensinou a cozinhar e, modéstia a parte, ensinou muito bem.

A campainha tocou e eu fiz questão de ir atender.

Abri a porta e era Cellbit, com umas sacolas na mão e o celular na outra.

Peguei as sacolas -realmente pesadas- e fui cumprimentá-lo.

-Oi!! -Disse com o jeitinho meigo que só ele tem-Prazer!

-Oi! O prazer é meu, Rafa.

-Dani, né? Seja bem vinda, você é parte da família agora!

-Muito obrigada! Tenho certeza que não vão se arrepender da escolha.

Depois que ele entrou, eu fechei a porta e fui pra sala. Sentei no sofá e Cellbit me olhou, dizendo:

-Se apresente! Queremos saber sobre você, Bolacha de Maizena.

-Bom, meu nome é Dani, eu tenho 19 anos e mo...rava sozinha aqui em São Paulo faz uns... 5 ou 6 meses.

-Certo. Agora, nos fale sobre sua escolaridade, moça bunita-disse Mike com um sorriso

-Bom, eu tenho o ensino médio completo, tenho curso de inglês certificado, curso de informática e estou correndo atrás de faculdade. Esse foi um dos motivos pelo qual estou em São Paulo.

-Ah, quem diria hein?

-Mike, isso lá são modos?-disse Pac dando um tapinha no coco do Mike

-Nem liga Dani,o Mike é assim mesmo - falou o loiro com uma xícara da Hatsune Miku na mão

-Mas, fugindo do assunto, o que te trouxe aqui?-disse Pac desligando a TV.

-O meu carro-eu disse em tom irônico

-Isso eu sei né, quero saber suas razões.

-Ah eu vim atrás de uma vida melhor. Vim procurar um bom emprego e uma faculdade boa, apesar de que o custo de via aqui é bem alto. Não sei como vocês aguentam pagar aluguel do apê.

-Bom, acho que já temos todos os dados necessários pra te contratar-disse o loiro tomando um gole de Nescau-Você quer mesmo trabalhar aqui? É bem puxado...

-Sim, eu quero. Não ligo pra isso. Eu quero ser o orgulho dos meus pais antes deles partirem.

-Certo.

Vi que Pac foi pro quarto e ouvi o barulho de gavetas batendo, logo concluí que ele procurava algo.

Ele voltou e vi em suas mãos umas folhas, uma caneta e uma espécie de cheque -que eu não tenho a mínima ideia de pra que vai servir- e logo ele foi pra copa/cozinha e me chamou.

-Leia e assine esses termos. Sendo maior, a responsabilidade é sua, entendido moça? Apesar que faremos de tudo pra que nada aconteça pra você.

-Entendi-disse eu pegando as folhas e a caneta.

Após uns minutos sozinha lendo, notei que os três estavam no quarto de Cellbit, conversando. Ouvi alguma coisa ou outra, e então ouvi Mike dizer:

-É mas vocês tem que ver moços, que ela tem só 19. A gente tem que cuidar muito bem dela, do contrário um puta processo vai vir pra gente responder.

-Mas é claro que a gente vai cuidar bem dela! Ela não vai ser nossa empregada, vai ser nossa irmã-disse Cellbit.

Eu terminei de ler e assinar os papéis e fui pro quarto deles.

-Licença rapazes, onde fica o banheiro?

-Anh, tipo assim, atrás de você?

-Ah, sim. Obrigado.

Eu fui pro banheiro e lá chorei de emoção. Fiquei pensando no quanto três desconhecidos poderiam ser tão importante pra mim, e no quanto uma garota como eu se tornaria tão importante pra eles.

Mike bateu na porta e disse:

-Moça, a gente vai sair. Vem com a gente!

-Já vou Mike!-disse enxugando o rosto meio às pressas.

Logo que saí, ele estava à minha espera na porta do banheiro. Ele passou o braço por cima do meu ombro e disse com um lindo sorriso:

-Bem vinda à família dos doidos, maninha.

Nós rimos e fomos conversando até o carro de Cellbit -que pra ser sincera eu nem sabia que dirigia- e eu fui pensando no quanto minha vida mudou em menos de 1 ano.

Obrigado Senhor, se não fosse você colocar aqueles anjos chamados pais na minha vida, eu nunca teria conseguido. Obrigado mesmo, do fundo do meu coração.

Essa é a 1 e meia -quase segunda- pétala do meu trevinho de sei lá quantas folhas.


Notas Finais


Obrigado se você leu até aqui, você é especial!
Muito obrigado às pessoinhas lindas que-tanto no face quanto aqui na Spirit- comentaram ou deram like, vocês são fundamentais pra mim!
Um beijo pra quem quiser,
Uma bolacha pra quem gosta e,
Fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...