História Sorte ou azar - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Piper Chapman, Vauseman
Exibições 153
Palavras 3.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Realmente não sei guardar capítulo pronto.

Capítulo 5 - Fogo e desejo, silêncio e sons.


...
- Piper!? _ chamei e ela olhou, que dia foda esse! _ então quer dizer que você que é a vândala que rouba livros e ainda os macula com agradecimentos?! _ perguntei com sorriso nos lábios por finalmente conhecer mais da minha loira.
Ela me olhava com um misto de expressões e se pronunciou:
- Desculpa, como é!? _ ela é maravilhosa, como pode uma pessoa ser assim tão encantadora!?
- Meu livro Srta. _ levantei o mesmo mostrando a ela sobre o que falava. – Foi você quem o achou e o sequestrou.
- Ah sim, nossa então é seu!? _ seu rosto havia se iluminado ainda mais com o sorriso que brotará em seus lábios. – Pois é, você o esqueceu e como a aula estava chata eu acabei por começar a ler ele e bom... acabei me apaixonando pelo enredo.
- Sim, é linda a estória dele, só me dei conta do quanto senti falta dele agora que o tenho de volta em meus braços, mas sei que ele estava em boas mãos.
- (risos) Ele salvou meus dias do marasmo e relaxou meus pensamentos _ ela sorria lembrando de algo. – Assim como a dona dele. _ essa parte saiu quase inaudível, mas eu ouvi, e no exato momento abri um sorriso que acho que tomou meu rosto todo.
- Então, você está mais calma, depois do ocorrido de hoje!? _ ela ficou vermelha, e mesmo que parecesse impossível ficou mais linda ainda.
- Sim, ele é um babaca, eu vou informar aos advogados do meu pai, sobre essa situação, talvez consiga uma liminar para que ele mantenha a distância. _ ela parecia segura do que falava.
- Bom enquanto essa tal liminar não vem, que tal ir almoçar comigo, prometo que te protejo caso o babacão volte. _ falei docemente, para que ela não assustasse, e quando ela ia responder uma voz que eu conheço a tempos berra ao meu lado.
- Vause sua doida, como você está? Deve estar bem né, afinal ontem levou o Loirão para a cama! _ Nicole e sua boca abençoada por Murphy, PQP nessa hora eu olhei para ela como se apontasse uma arma no meio de sua testa e pigarreei indicando Piper com os olhos, e no melhor estilo Nicole ela continuou. – E aí P. fiquei sabendo do Brad, mó imbecil esse cara, se precisar eu conheço uns caras que iam adorar ajudar a colorir o rosto dele de roxos. _ eu fiquei estática a Nick conhece a Piper.
- Vocês se conhecem!? _ indaguei surpresa.
- Sim, nós fazemos algumas aulas juntas. _ a voz dela agora era um sussurro.
- Ué Vause está surpresa porque!? Eu e essa loira linda temos muitas estórias né P. _ Nicole falava com uma malicia na voz que me fez ferver por dentro e ao encarar Piper ela estava totalmente sem graça.
- Bom, então não quero atrapalhar nada entre vocês, eu já vou indo. _ falei rapidamente e me já ia me retirar quando a Nick gritou.
- Eieieiei... que isso Alex, nós não temos nada, qual é! Vocês estavam conversando numa boa, vamos aproveitar e almoçar todas juntas! _ Nick parece ter lido meus pensamentos, pois havia mudado sua postura imediatamente.
- É vamos almoçar todas juntas, aproveita e chama Serena sua namorada. _ Piper falou as últimas palavras com certo tom que não compreendi.
POV Piper
Na última semana eu encontrei um pedacinho de paz dentro do Constance, o jardim da biblioteca, e no horário de almoço eu fico lá, hoje mais do que nunca preciso desse cantinho. Sentei-me na grama embaixo de uma das árvores para meditar, mas não conseguia me concentrar, pois meus pensamentos me acertavam como dardos no alvo por tudo que aconteceu hoje, mas um pensamento era o mais inquietante de todos, aqueles olhos, a forma como eles se fixara em mim, a forma como eu não podia deixar de olhar de volta, eu nunca senti isso em toda vida, aquela garota que eu só sei o sobrenome. Eu me perguntava o que levou ela a me defender daquele jeito, e o que fazia com que naquele breve momento só por assistir sua bravura eu me sentisse tão protegida, eu divagava sobre isso quando escuto alguém me chamar.
- Piper!? _ instantaneamente olhei para a pessoa que me chamava _ então quer dizer que você que é a vândala que rouba livros e ainda os macula com agradecimentos?!
Fiquei confusa sobre tal acusação, então ela me explicou e por Deus agora o responsável por aquele perfume que me manteve inebriada era a garota que me defendeu! Isso só pode ser brincadeira do destino pensei, continuamos conversando e o papo fluía constantemente e eu só pensava em como alguém poderia ser ao mesmo tempo tão dócil e forte, ela inspira uma segurança uma certeza, que não sei de onde vem. Ela me chamou para almoçar e quando eu ia responder, Nick e toda sua espontaneidade explodiram, e de um jeito que eu não soube reagir, ao que parece Nick conhece ela muito bem, pois já chegou perguntando se ela havia conseguido levar uma garota para a cama, no mesmo momento eu lembrei de que ela estava com Serena mais cedo e lembrei da forma como Serena a puxava, então ela era a nova namorada da Serena, dessa vez ela se superou mesmo, nunca pensei que ela gostava de garotas, mas se bem que alguém como a Vause é difícil não gostar! Mas que porra estou pensando!? Sou desperta pela pergunta da morena sobre o fato de conhecer Nick, respondi que fazemos algumas aulas juntas, me assustei com a fraqueza da minha voz, e Nick ressaltou a surpresa de Vause e só então reparei seu semblante e estava um tanto quanto possesso, e Nick ainda insinuou que tivemos algo, nesse momento o “um tanto quanto possesso” virou totalmente possesso e no mesmo momento ela falou que iria partir, e eu só pensava sobre o almoço que não iria acontecer para aplacar essa curiosidade sobre ela. Nick mais do que depressa a chamou e explicou que não havia nada entre nós já que ela havia usado o motivo de nos deixar a sós e que podíamos almoçar todas juntas, e eu descobri que seu nome é Alex. Confesso que eu estava uma bagunça por dentro então resolvi me expressar.
- É vamos almoçar todas juntas, aproveita e chama Serena sua namorada. _ eu falei a isso e no mesmo momento me senti um amargor na boca e no peito.
- Ela não é minha namorada. _ Alex disse rápido e certeiro. – Vamos só nós, assim aproveitamos para descobrir o que mais temos incomum do que gosto por livros e amigas sem bom senso. _ ela apontava para Nick que reclamou na hora.
- Que isso gente, para de se fazer de difícil que eu sei que sou a melhor parte do dia das duas, e nem adianta negar! _ Nick sempre conseguia tirar um sorriso meu.
- Certo, tem alguém aqui precisando de um choque de realidade, já sei onde iremos almoçar. _ agora Alex sorria, e toda aquela irritabilidade de segundos atrás sumiu. – Piper você gosta de comida russa? _ Alex sorria zombeteiramente.
- Quer me fuder né Alex, a última vez que eu vi a Red ela falou tanto na minha orelha que até hoje ela está vermelha e isso faz uns dois meses. _ antes mesmo de eu responder Nick já se pronunciou.
- Eu nunca comi eu acho, mas parece perfeito. _ respondi à pergunta de Alex e dei a língua para Nick.
- Perfeito, vamos indo então. _ o sorriso da Alex poderia iluminar NY toda no Natal.
- Piper você não vai se juntar a essa girafa albina para me fuder também. _ Nick tinha uma expressão de piedade estampada.
- Nicole você sabe muito que não curto foder ninguém em grupo prefiro sozinha. _ dei uma piscada e sorri com malicia. As brincadeiras desse tipo com Nick eram comuns.
- Ei P. não brinca com fogo que uma hora você não resiste aos meus encantos_ Nick dizia em meio as risadas.
- Olha eu prefiro não ficar sabendo das aventuras eróticas do pseudo casal, ok! _ Alex estava vermelha, mas sua voz estava calma.
- Acho que tem alguém com ciúme aqui heim! _ nesse momento eu olhei para Alex e ela me olhou e acho que nossas expressões de surpresa eram as mesmas. – Alex eu não vou te trocar pela Piper você é meu amor mais antigo!
- Obrigada pela parte que me toca Nicole! _ eu disse fingindo decepção.
- Não liga para ela Baby, Nick só sabe falar asneiras. _ então eu quase derreti, Alex se aproximou e passou os braços pelos meus ombros e me abraçou. O cheiro que antes eu me inebriava pelas páginas do livro, agora estava enterrado no meu nariz, e seu corpo colado no meu, foi ...  Eletrizante.
- Pelo visto eu serei trocada! _ Nick disse rindo então Alex tirou um braço e a puxou para um abraço triplo.
- Jamais você é minha anã preferida e nunca vou te trocar. _ como estávamos amassadas, ouvimos o barulho da barriga de Alex.
- Pelo amor de Deus Vause, vamos comer antes que esse monstro saia e devore a gente! _ entre gargalhadas pegamos um taxi e fomos para o tal restaurante.
POV Alex
A velocidade com que afirmei que Serena não era minha namorada assustou até a mim. Quando olhei para Nick ela sorria, porra ela sacou. Depois continuamos a conversa e resolvemos almoçar no restaurante da Red, ela era a russa mais durona que já conheci e também uma das mulheres mais inteligentes, meus pais a conheceram na Rússia, seu marido havia morrido e ela vendia algumas iguarias russas nos pontos turísticos de Moscou e meus pais provaram e depois de algumas horas conversando minha mãe soube que ela e os três filhos dela estavam com problemas, e como dona Diane tem o coração maior que o Sol, pediu mexeu uns pauzinhos e conseguiu com que Red e os filhos viessem para NY e juntas elas abriram um restaurante, foi uma época feliz, pois eu era criança e ver minha mãe cozinhar era maravilhoso e bom Red se tornou uma tia muito próxima assim fomos crescendo. E bom os filhos dela se tornaram nossos amigos, e costumávamos sair junto até que eles casaram e da última vez a cabeçuda da Nick se meteu em problemas, porque o fogo no cú de fazer apostar, a levou a quase ser presa por tentar comprar bebida com uma identidade falsa, e como Fred filho do médio de Red é policial ela soube do fato e comeu o fígado da dela e digo que foi muito bem feito. No meio da conversa Nick insinua de novo que teve/teria algo com Piper e mais uma vez minha raiva inflama, eu tentei segurar a voz e manter a calma, Nick não é besta sabe muito bem que eu estou afim da Piper, pois ela está me testando então ela começou a falar umas asneiras e desfez da Piper, nessa hora foi involuntário meu gesto e me abracei a Piper para aplacar a desfeita de Nick. Depois seguimos para o restaurante.
Red nos recebeu super bem e foi supersimpática com Piper ensinou para ela algumas coisas sobre a cozinha russa, ao que parece ela tem uma paixão por culinária, e Red ao saber disse a convidou para ajudar a preparar os pratos, ela estava tão feliz que acho que se ela pudesse flutuaria. Ficamos na mesa eu e Nick.
- Então quer dizer que você ultimamente está com uma tara em loiras lindas. _ Nick dizia me olhando e mastigando um canudo, que arranquei de sua boca a fazendo bater os dentes uns nos outros.
- Para com essa nojeira e tara coisa nenhuma, Serena foi algo inesperado. _ Falei de modo banal.
- Porra Vause, isso machuca. _ ela olhava os dentes no reflexo dos talheres – Então se Serena foi inesperado, Piper você esperava se envolver? _ ela não para nunca senhor!
- Que se envolver Nicole, nós apenas estávamos conversando, ela estava com meu livro, apenas isso e se você quiser continuar com esses dentes na boca sugiro que encerre por aqui seu interrogatório. _ falei com tom de ameaça.
- Eita porra! É sério mesmo o lance! _ ameacei um soco em sua direção. – Vixe tá bom não falo mais nada. Por Deus Alex você tem que liberar essa tensão logo! _ nada respondi, apenas ignorei.
Alguns segundos depois Piper chegou com Red e nossos pratos, ela estava com o cabelo todo preso e exalando alegria. Comemos, conversamos e quando estávamos quase indo embora, recebemos um comunicado via mensagem de que as aulas estavam temporariamente suspensas por hoje. Digamos que calhou muito bem, continuamos conversando quando a Nick pulou da cadeira e gritou.
- Puta merda! Esqueci que tenho uma partida superimportante hoje! _ ela estava assustada e desesperada para sair dali.
- Vause você paga hoje eu tenho que ir, afinal hoje terei a revanche que você me fez perder! _ claro o Cloud.
Nick saiu e logo em seguida Piper disse que teria que ir para a casa se eu a acompanhava, eu lógico que fui, no taxi ficamos em silencio, mas um silencio contemplador e nada desconfortável. Ao chegar em frente ao prédio dela que relativamente é perto do meu lar/canteiro de obras, ela me fez uma proposta.
- Al já que eu fiquei com seu livro por uma semana porque não sobe e escolhe um meu? _ eu a olhei e no mesmo minuto concordei.
Já no elevador:
- Al!? _ eu perguntei e ela corou.
- Desculpa eu sei que não temos tanta intimidade, saiu sem querer. _ ela fica linda quando sente vergonha.
- Eu aceito seu apelido se você aceitar um meu! _ falei com um sorriso.
- Depende, desde que não seja algo ridículo! _ ela disse rindo.
- Relaxa, não será eu aposto, mas ele virá de forma espontânea! _ dei uma piscadela para ela e parecia que todo sangue do corpo dela se concentrava em sua face.
O elevador sinalizou nossa chegada ao andar dela, saímos e a casa dela era muito requintada até um pouco exagerada. E como não vi sinal dos pais dela perguntei e ela disse que o pai estava na empresa e que a mãe deveria estar em alguma loja ou spa. Subimos até o quarto dela e ela em mostrou sua minibiblioteca.
- Uau! Alguém aqui é fã de Anne Rice. _ ela tem muitos títulos da autora entre outros. – Assim fica difícil escolher, o que me sugere!? _ ao virar ela estava muito próxima, e foi inevitável não olhar para ela a desejando, afinal passei parte da manhã e tarde a venerando.
- Na verdade eu não sei. _ ela disse em um sussurro, nessa hora eu fitava a sua boca, tão beijável, tão suculenta. – Do que você gosta?
- De você! _ falei e sem pensar mais a beijei, foi um beijo doce, minhas mãos assumiram a cintura dela, que até então só recebia o beijo, quando dei indícios que iria me afastar, as mãos dela voaram para minha nuca e uma sensação inexplicável me atingiu, ela correspondia ao meu beijo com uma maestria que parecia conhecer minha boca a tempos. Os beijos foi ficando intenso e nossas línguas, disputavam sensações, e quando demos por nós estávamos na cama dela aos beijos e nossas mãos já passeavam por nossos corpos. E em uma fração de segundos eu tive uma lufada de sanidade. Nos erámos fogo e desejo, silêncios e sons!
- Pipes, acho melhor irmos com calma! _ ela parecia um tanto assustada enquanto eu sentava na cama.
- Claro, desculpa, acho que me empolguei. _ ela estava rubra. – Ei meu apelido! _ ela desconversou e sentou na minha frente.
- Eu disse que ia surgir espontaneamente! _ ri e dei um selinho nos lábios dela, ela levantou e foi até a estante que tinha os livros, pegou um e me trouxe.
- Toma leia esse! _ peguei o livro e vi que era O Diário de uma Paixão.
- Interessante! _ eu disse erguendo uma sobrancelha. Ela veio sentou no meu colo e me deu um selinho.
- Eu tenho uma suspeita de que você goste de romances que tenham um toque de magia e bom para mim esse é cheio dela! _ eu a olhava e seus oceanos estavam tão límpidos que se pudesse eu os eternizava em uma fotografia.
- Certo Srta. Pipes. _ ela sorria e eu comecei a beijar seu pescoço e subi até seus lábios. Nesse momento meu celular tocou e eu atendi com ela ainda no meu colo, era meu irmão.
- Será que é pedir muito para você chegar no horário no jantar com seu irmão? _ Poutz havia esquecido completamente.
- Eu juro que foi sem querer, eu já estou indo. _ ele nem falou nada mais e desligou.
- Baby eu preciso ir, eu esqueci que tenho um jantar com meu irmão! _ ela me olhava e deu um beijo molhado e gostoso na boca.
- Pode ir eu te libero. _ ela piscou para mim e levantou, deixando seu bumbum maravilhoso no mesmo nível que meus olhos, ela estava me provocando.
- Baby nunca brinque com fogo, hoje eu perdoo porque eu realmente preciso ir. _ a agarrei pela cintura e beijei sua nuca.
- Veremos Vause quem está brincando com fogo então! _ eis em minha frente minha perdição e ela me beija como se sua vida dependesse disso!
- Eu realmente preciso ir, faremos assim amanhã conversamos certinho sobre quem está brincando com o que! _ falei me separando dela e selando nossos lábios rapidamente. – Venha me leve até a porta assim poderei voltar! _ ela ria da minha superstição.
Nos despedimos com mais beijos e abraços e eu partir, meus lábios não se cansavam do sorriso, e meu coração agora batia em uma frequência que eu nunca senti antes.


Notas Finais


😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...