História Sortilégio - Capítulo 40


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Brigas, Confusão, Intrigas, Obsessão, Ódio, Romance, Triângulo Amoroso
Visualizações 33
Palavras 1.757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Relevem qualquer erro, está uma confusão aqui em casa então não tive tempo de revisar.
Estava sem idéias pra foto de capa então escolhi essa daí mesmo 😍😍😍

Capítulo 40 - Too Young To Be A Grandmother


Fanfic / Fanfiction Sortilégio - Capítulo 40 - Too Young To Be A Grandmother

             Alice


"Hora de acordar princesa." Foi assim que acordei depois da noite maravilhosa que tive, com o som da voz dele me chamando, e dando vários beijos no meu rosto.

Fingi que ainda estava dormindo, só para que ele continuasse me beijando, era muito bom ser acordada daquele jeito.

"Eu sei que você está acordada." Falou com um riso, passando o dedo por toda a extensão do meu pescoço, me causando arrepios. Me mexi na cama e virei de frente pra ele, só pra ver um Nicholas com o cabelo todo arrepiado, com cara de sono ainda e aquele sorriso perfeito.

"Bom dia." Falei acariciando seu rosto.

"Como você está ? Está sentindo alguma dor ?" Perguntou, com certeza estava preocupado se tinha me machucado na noite passada.

"Estou ótima." Respondi enroscando minhas pernas na sua. "A única dor que estou sentindo é a de ter que sair dessa cama, por mim passaria o dia todo aqui com você." Concluí passando a mão pelo seu abdômen, arrancando um suspiro dele.

"Podemos fazer isso então, passar o dia todo aqui." Sugeriu me virando de barriga pra cima, e subindo em cima de mim.

"Você sabe que não podemos, temos aula hoje." Rebati tentando tirar ele de cima de mim. Mais graças aquela fraqueza matinal, estava sem força nenhuma. Nicholas pegou minhas duas mãos e às prendeu acima da minha cabeça e começou a beijar meu pescoço e orelha.

"Um dia à menos de aula não vai fazer mal nenhum." Falou no meu ouvido com uma voz rouca, que cara eu faria qualquer coisa que ele pedisse.

"Nick... Não podemos." Discordei dele, mesmo querendo muito ter ele de novo.

"Por que não ?" Quis saber, soltando uma das minhas mãos, para por a sua por baixo da camiseta que eu estava usando, me fazendo perder totalmente minha linha de raciocínio.

"Porque..." tentei responder, mais ele jogou sujo segurando meu seio e fazendo a mesma coisa que tinha feito na noite anterior. "... droga... não faz isso." Pedi ofegante, já completamente rendida ao seu toque, sentindo que ele já estava pronto pra me fazer dele de novo.

"Desculpa, mais não dá Alice, agora que provei não consigo ficar sem te sentir." E sem dizer mais nada me beijou. E eu não resisti, a única coisa que fiz foi ajudá-lo a tira a bermuda que estava usando, e me entreguei pra ele mais uma vez.



                  ☆    ☆     ☆



"Espero que tenham usado proteção, é tudo que eu digo." Falou minha mãe assim que nos viu, quando descemos duas horas depois procurando algo para comer.

"Mãaaaae." Protestei abrindo a geladeira.

"Só não quero surpresa, ainda sou muito nova pra ser avó." Disse pegando às chaves do carro dela e saindo de casa.

Levei uma fração de segundos pra processar o que ela tinha dito, e congelei ali mesmo, com a porta aberta. Nós não tínhamos usado preservativo.

"Tá tudo bem ?" Nicholas quis saber, vendo que tinha alguma coisa errada.

"Vem aqui." Arrastei ele até o lado de fora.

"O que foi ?" Seu semblante agora era preocupado. 

"Nós não usamos preservativo." Falei assustada.

"Qual é o problema ? Você toma remédio, não toma ?" Perguntou já despreocupado.

"Não." Respondi. Nicholas ficou em silêncio, pensativo por alguns minutos me deixando nervosa.

"Agora já foi. E quer saber eu vou adorar se tiver um filho com você." Falou me deixando chocada.

"Isso é sério Nicholas. Eu só tenho 17 anos, não posso nem pensar em ter um bebê agora, eu tenho planos sabe, estudar, passar no vestibular, ir pra faculdade. Um filho agora pode atrapalhar tudo." Falei entrando em pânico, seria muita falta de sorte ficar grávida logo na minha primeira vez, e sem contar que ele já vai ter um filho. "E você já vai ser pai." Lembrei ele de forma amarga olhando pra longe.

"Fica calma, isso não vai acontecer." Tentou me tranquilizar em relação a ter um filho agora.

"Mais e se acontecer ?" Insisti deixando uma lágrima cair. Eu estava com medo, eu sou nova demais pra ser mãe, tem tantas coisas que ainda quero fazer, e ter um filho não é uma delas, mesmo se for do cara que eu amo. 

"Não vai. Ok." Afirmou me abraçando. "E se acontecer, eu estou aqui e vou cuidar de vocês, não vou te deixar." Disse isso com tanta convicção que me acalmei um pouco. "Agora vem, vamos comer que eu to morrendo de fome."

Depois de tomar café da manhã fora de hora, fui para o meu quarto ainda pensando no assunto.


                Nicholas


Às coisas aconteceram de uma forma tão inesperada, sem ser planejado, que na hora nem me lembrei de usar proteção, só pensei nisso quando a mãe dela tocou no assunto, quando descemos.

Na hora não liguei porque pensei que Alice tomava algum remédio, mais ela me disse que não, eu deveria saber disso já que ela nunca tinha feito isso antes, agora estamos os dois preocupados.

Mais não me arrependo, foi a melhor noite que já tive, ver a expressão de prazer no rosto dela, a felicidade no seu olhar, e principalmente acordar com Alice alí nos meus braços, sabendo que dessa vez fizemos muito mais do que apenas dormir, me fez sentir o cara mais feliz e sortudo do mundo.

Depois do almoço nós estávamos assistindo TV na sala, Alice estava quieta, perdida em seus pensamentos, deitada com a cabeça no meu colo.

"Você ainda está pensando naquilo ?" Perguntei me referindo ao medo dela de não termos usado preservativo. 

"Sim."

"Desencana linda, não tem como isso acontecer."

"Eu tento mais não consigo." Falou dando um suspiro.

"Se te deixar mais tranquila, nunca  ouvir falar de mulheres que engravidaram na primeira relação." Falei tentando tranquilizar ela.

"Mais nós fizemos duas vezes, e nas duas vezes não nos lembramos de usar preservativo." Argumentou me olhando com aqueles olhos lindos.

"Para de pensar nisso e me dá um beijo vai." Pediu abaixando pra beijar ela, que retribuiu, só quebramos o beijo porque meu celular começou a tocar. Peguei o aparelho e olhei na tela vendo quem era.

"Lucas ? O que será que ele quer ?" Perguntei pra mim mesmo.

"Atende e pergunta." Alice disse sentando.

      Chamada On

Nicholas: Alô

Lucas: Olha vou ser bem rápido, minha irmã passou mal e precisa ver você, então se não for pedir muito será que pode vir aqui ?

Nicholas: Como assim passou mal ? Em qual hospital vocês estão ?

Lucas: Não estamos mais no hospital, já voltamos pra casa, você vem ou não ?

Nicholas: Estou indo.

       Chamada Off


"O que aconteceu ?" Alice perguntou assim que desliguei o telefone.

"Parece que a Beatriz não está bem." Respondi, estava preocupado, afinal de contas ela está esperando um filho meu. "Vou ir lá ver como ela está. Quer ir junto ?"

"Melhor não, esqueceu do que aconteceu da última vez, se ela não está bem, minha presença não vai ajudar em nada." Disse com um olhar triste, Alice sempre fica assim quando se lembra que Beatriz está grávida.

"Não vou demorar, prometo." Dei um beijo nela e saí. Dirigi até a casa deles pensando na noite que tive com Alice, hoje eu realmente estava feliz.

Quando cheguei quem abriu a porta foi o Lucas.

"Ela está lá em cima." Informou dando espaço para que eu entrasse. "Mais antes de você subir é bom saber que o médico disse que ela não pode ficar nervosa, então veja lá o que vai dizer pra minha irmã. Ok." Me alertou, fiz que sim com a cabeça e subi.

Bati na porta do quarto dela e entrei. Beatriz estava deitada na cama e um pouco pálida. 

"Que bom que você veio." Disse dando um sorriso fraco assim que me viu.

"Oi. O que aconteceu ?" Perguntei me sentando nos pés da cama.

"Eu comecei a sentir uma dor na barriga, então o Lucas me levou para o hospital, o médico disse que era princípio de aborto, aí ele me medicou e quando viu que eu estava bem, me liberou" Explicou.

"Como assim princípio de aborto ?" Perguntei confuso. 

"Ele disse que é porque sou nova demais, talvez não consiga chegar até o fim da gestação." Falou e começou a chorar.

"Calma, você não pode ficar assim, pode fazer mal para o bebê." Tentei acalmá-la.

"Só estou com medo de perder o nosso filho."

"Isso não vai acontecer, ok. Aonde estão seus pais ?"

"Eles foram pra um congresso de médicos, só voltam daqui vinte dias." Respondeu enxugando os olhos.

Fiquei com ela mais um pouco conversando sobre o que o médico disse, e fiquei bem preocupado, pelo que entendi era uma gravidez de risco, e por mais que eu esteja arrependido do meu vacilo, esse filho é meu também e não quero que nada aconteça com ele.

"Tenho que ir, qualquer coisa me liga." Falei, dei um beijo na testa dela e saí.  Quando desci encontrei o Lucas conversando com o Matheus.

"Já vai ? Podia ficar um pouco mais, ela precisa de mais atenção do pai do filho dela." Lucas me provocou.

"Já fiquei tempo suficiente aqui, e minha namorada está me esperando em casa." Também provoquei.

"Quero ver quanto tempo esse namoro de vocês vai durar." Zombou com um sorriso maldoso.

"Pode ter certeza que vai durar muito tempo, ainda mais depois da noite que tivemos ontem." Não era pra ter dito isso, mais fiquei tão nervoso com a insinuação dele de que nosso namoro não ia durar muito tempo, que acabei deixando escapar.

"Você está dizendo que transou com ela ?" Quis saber com os olhos escurecendo de raiva.

"Eu não transei com ela. Eu fiz amor com a Alice, que é bem diferente de transar, se é que você me entende." Agora fui eu que dei um sorriso malicioso pra ele.

"Seu desgraçado, eu vou acabar com você." Gritou se jogando em cima de mim, fazendo com que nós dois caissemos no chão.

Ele me deu um soco que acertou meu olho direito, e quando levantou o braço pra dar outro, eu joguei ele para o lado e fiquei por cima devolvendo o soco.

"Parem vocês dois." Matheus me puxou, me tirando de cima do outro, que levantou e acertou outro soco no meu rosto de forma covarde, já que o Matheus estava me segurando.

"Chega Lucas." Exbravejou o outro garoto me soltando.

"Você não tinha o direito de tocar nela, ela é minha. Eu vou quebrar essa sua cara seu desgraçado."

"Pode me socar o quanto você quiser, mais isso não vai mudar o fato de que Alice e minha de todas as maneiras possíveis, de uma forma que ela nunca foi sua." Joguei na cara dele, fazendo com que investisse contra mim, mais foi impedido por Matheus que o segurou. 

"Vai embora logo Nicholas." Gritou pra mim.

"Eu vou matar você, está me escutando, eu vou te matar Nicholas. Eu vou te matar." Lucas gritou enquanto eu saía da casa dele.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...