História SOS Crianças! - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Crianças, Família, Jin, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin
Visualizações 99
Palavras 1.331
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - SOS Enlatados!


Fanfic / Fanfiction SOS Crianças! - Capítulo 4 - SOS Enlatados!

Meses depois

Namjoon tomou uma lição de vida que ele vai levar para a vida toda, quando sua vida estiver uma bosta, nunca diga “não tem como piorar” o universo sempre dá um jeito de piorar a sua situação de alguma maneira, nesse caso, o universo decidiu conspirar contra a Namjoon, ele vai pra esquerda, o universo vai para a direita, ele vai para a direita, o universo vai para a esquerda.

- Namjoon eu não posso cuidar dele, não tenho condições. – Explicava à jovem.

- Eu já estou cuidando de quatro, Yangmi, QUATRO, não tenho condições alguma de cuidar de mais um, um bebê ainda de dois anos.

- Então eu vou levar ele para adoção. – Namjoon não era um monstro, suspirou bem umas 500 vezes e fitou a moça a sua frente, aquilo só podia ser alguma piada de mau gosto.

- Deixa ele ai. – Respondeu por fim, a moça deixou o bebê no sofá ao lado das coisas do mesmo e olhou para Namjoon.

- Obrigado.

- Que seja. – Respondeu mal humorado e a jovem se direcionou para a porta. – O nome dele é Kim Jungkook. – Afirmou antes de sair.

Namjoon não sabia se era muito azarado por se relacionar com duas mulheres que decidiram abandonar os filhos ou o sei lá o que. Talvez estivesse pagando o preço por todas as traições que cometeu, todas as gracinhas com outras mulheres, na realidade, parecia que Namjoon estava pagando por todos os pecados que já cometeu e os que ainda ia cometer. Olhou para o pequenino no sofá, o mesmo estava sentadinho brincando com seu xilofone, olhou para Namjoon e ambos estavam confusos, nunca nem tinham se visto antes.

- Nenê quer mamãe. – Olhou para a porta com o dedinho na boca, não demorou muito para começar a chorar.

Cometer um suicídio agora não parece tão ruim, pensou Namjoon.

Pegou Jungkook nos braços e começou a  balançar de um lado para o outro, mas era tão desajeitado fazendo isso que a criança já estava começando a ficar tonta, isso sim. Suspirou e olhou as horas, estava na hora de buscar seus filhos na escola e teria que matricular Jungkook na creche onde Taehyung ficava o dia todo. Pegou o pequeno que continuava a chorar e levou para o carro, colocou na cadeirinha de Taehyung, que com certeza, sentiria muito ciúmes por não ser mais o caçula, mas isso Namjoon resolveria depois.

Quando seus filhos entraram no carro e depararam com o pequeno ser, que não era Taehyung, sentado na cadeirinha com o rostinho todo molhado de lagrimas, pararam por instinto e olharam o pai esperando por uma explicação plausível para aquilo. Com a promessa de que depois explicaria tudo, as três crianças entraram no carro em silêncio.

Namjoon estava estranhando o fato de que Hoseok estava em um completo silêncio, o que é estranho já que o pequeno é super cheio de energia e muito alegre. O olhou pelo retrovisor e viu que Yoongi fitava o irmão que continuava em silêncio.

- Hoje estavam incomodando o Hobi. – Dedurou sem mais nem menos.

- Quem? – Perguntou Jimin.

- Isso é verdade, Hobi? – O garotinho continuava em silêncio.

- Hobi ta com buning? – Namjoon teve que rir com a pronuncia totalmente errada de seu filho Jimin.

- Bullying, Jimin.

- É, isso ai. – Balançou a mãozinha e por incrível que pareça, Jungkook parou de chorar e observava a conversa.

- Hobi...? – O garotinho o olhou de canto de olho, Namjoon não sabia o que dizer naquele momento porque normalmente quem fazia o famoso cafuné quando estavam tristes era sua (ex) esposa, Namjoon era ótimo com palavras, mas com ações conseguia ser uma catástrofe. – Não virou amigo deles?

- Não. – Respondeu tristonho e afirmando subliminarmente que gostaria de ficar quieto naquele momento ou simplesmente queria sua mãe, ou uma mulher carinhosa, ou simplesmente alguém que não fosse o seu pai desastrado, mesmo sabendo que não era culpa do pai, mas de certa forma, uma pessoa carinhosa para reconfortá-lo seria bom naquele momento, mas todos ali sabiam que eles não teriam mais isso. Uma porque seu pai sai com bastantes mulheres, outra porque o único ser carinhoso da família que espalha amor por onde passa é Jimin, o dono das menores mãos da família e sabia que, de alguma forma, Jimin iria deitar em sua cama naquela noite e acariciar seus cabelos enquanto cantava baixinho alguma musiquinha ensinada na escola naquele dia.

Namjoon decidiu ir logo na creche, já que fechou o mercado para atender os chamados da mãe de Jungkook. Perdeu a conta de quantas vezes suspirou naquele dia, estacionou em frente a creche, desceu do carro, pegou Jeon e ajudou cada um de seus filhos a descerem do carro, entraram no local e foram na secretária falar com a diretora.

Após ajeitar todas as papeladas para Jungkook começar no dia seguinte, as funcionárias do local que olhavam Namjoon de tempos em tempos se atreveram a perguntar para o jovem bonito e comprometido o que acontecerá com a esposa.

- Viajou. – Afirmou Namjoon sorrindo, o que arrancou alguns suspiros mínimos de algumas moças.

- E quem é o rapazinho? – Perguntou a diretora, até então, solteira.

- Meu filho.

- Oh, que gracinha. – Namjoon apenas sorriu e olhou Jungkook de canto de olho, o mesmo segurava a mão de Hoseok delicadamente enquanto tinha uma mãozinha na boca. Era óbvio que Hoseok seria o primeiro a dar atenção para o recém chegado, até porque, era um garoto muito simpático. – O senhor vai levar Taehyung agora?

- Vou... – Após Taehyung aparecer com sua mochilinha e casaco, foi direto abraçar as pernas do pai que o pegou no colo, em seguida, se virou para começar a andar, sendo seguido pelos seus, não mais três, e sim quatro filhos.

Chegaram no carro e só então Taehyung notou a presença do pequeno Jungkook, notou de uma maneira bem desagradável, Hoseok o colocava na cadeirinha, coisa que ele fazia só com Taehyung.

- Hobi ta trocando TaeTae. – Cruzou os bracinhos.

- Não estou nada... – Abraçou o irmão. – Jungkook precisa mais da cadeirinha do que você, ele é mais novo e mais pequeno.

- Se pronuncia menor, Hobi. – Concertou Namjoon. – Em casa conversamos Tae. – Após puxar todos os seus irmãos para sentar perto de si, Taehyung ficou quieto.

Chegaram em casa e seu pai os ajudou a trocar de roupa, após isso, foram para a cozinha. Namjoon achou uma solução para não ter que comerem fora todos os dias e a solução foi bem simples e caiu como uma luva: Enlatados.

Ele não precisava nem chegar perto do fogão, tradução, não teriam que se preocupar em deixar o telefone dos bombeiros a vista. Com todos sentados comendo, Namjoon dava comida na boca de Jungkook, que diferente dos irmãos, comia mingau, pois na cabeça de Namjoon, seus dentes eram frágeis, isso só na cabeça de Namjoon mesmo, aonde que dentes são tão frágeis a ponto de não poder comer salsicha? Taehyung não estava gostando nada daquilo e toda hora chamava a atenção do pai, na cabeça dele, o pimpolho chegou para roubar todos dele.

- Meninos... – Todos os olharam. – Jungkook vai morar conosco...

- Uh, ele também foi abandonado? – Jimin perguntou, Namjoon sabia o quanto doía aquilo nos filhos e gostaria muito de ter o poder para materializar a mãe deles ali. Suspirou e apenas assentiu com a cabeça.

- Se ele tem 3 anos então ele foi fruto de uma... – Namjoon enfiou uma salsicha enlatada na boca de Yoongi o impedindo de continuar, pois era quase que o único que sabia pouco sobre as aventuras do pai com outras mulheres. Os outros, Jimin e Hoseok sabiam apenas dos casos após a partida da mãe, para eles, o pai foi começar a ter casos com outras mulheres apenas porque sua mãe foi embora ou após a sua mãe ir embora.

Tão inocentes, mal sabem que toda noite era uma diferente, nesse quesito, coitada da mãe deles, hoje, nada disso importa mais.


Notas Finais


Xilofone é isso aqui -> http://www.culturamix.com/wp-content/uploads/2010/06/Xilo.jpg

Há cada cap, Jonie sofre mais que o anterior ;-; shaushau

O que acharam do cap? Me contem nos comentários.

Um beijo e um cheiro <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...