História S.O.S Estou casada - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Ciumes, Grávida, Gravidez, Justin Bieber, Romance, Trafico, Violencia
Exibições 180
Palavras 1.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem!!
Desculpem pelo capitulo curto e por demor um pouquinho!





LEIAM AS NOTAS FINAIS

Capítulo 5 - Mãe e Pai?-Passado


Fanfic / Fanfiction S.O.S Estou casada - Capítulo 5 - Mãe e Pai?-Passado

HALE 


     Eu respiro fundo quando vejo aquela paisagem linda. O sol desmancha sobre a lagoa cristalina. Minha mãos instantaneamente  passam pela janela cujo reflete meus olhos encantados.


"É lindo." Comento sorrindo.


Justin apenas me lança um aceno com a cabeça. Ele está estressado com alguma coisa e por isso faz pelo menos 3 semanas que não nos falamos. Ele ao menos tocou em mim. Isso está errado... Alguma coisa está acontecendo e ele não confia em mim para me dizer.
    Passei a mão no rosto e revirei os olhos. Eu não vou ser como a Pattie e Justin não pode ser como o pai dele. 
Tudo isso sobre mãe e pai me causa um certo medo, afinal, as pessoas que mais deveriam me amar e proteger na vida me deixaram sozinha com um doença sem cura. Felizmente ou infelizmente eu sobrevivi. Estou aqui e não a nada que eles possam fazer para me chatear, não mais... 


"Chegamos." Justin me cutuca e me puxa pelos braços para fora do carro.


"Hey... Qual o problema?" Questiono sentindo sua mão apertar meu braço com mais força.


"Cala a boca Hale, por favor." Ele pede fechando os olhos.


"Mas o que aconteceu?" Pergunto franzindo as sobrancelhas."Se você está bravo com seu 'Trabalho.' Super estressante, em que você só precisa atirar nas pessoas e correr o risco de morrer, eu sinto muito. Mas eu não tenho nada haver com isso." 


"Hale, não é com isso que estou preocupado. É só que..."


"Achei que tivéssemos vindo nessa viajem para nos divertir numa casa maneira, não para ficar discutindo sobre trabalho." Eu cruzei os braços."Você acha mesmo que vou ficar sorrindo feliz e te aguentando com essa cara esquisita?" 


Antes que Justin possa responder, um casal jovem, que aparentavam ter uns 30 anos abriram a porta. 
Eu pensei que essa casa fosse apenas do Justin, será que são mais parentes dele?


"Você cresceu tanto..." A mulher com os cabelos loiros me analisou por inteiro.


"A Senhora me conhece?" Perguntei com receio.


"Eu sou sua mãe." Ela anuncia sorrindo.


Meu corpo todo congela. Tudo parece parar no tempo. 
Eu sou sua mãe.
Eu sou sua mãe.
Eu sou sua mãe.

A repetição talvez me acalme um pouco. Ou apenas me deixe mais confusa. Nada de minha mente funciona mais, só consigo enxerga-los. 
Mal raciocínio quando sinto minha vista escurecer e tudo a minha volta cair. 
Isso seria tão comum antes... Antes eu desmaiava de fome e agora eu desmaio porque vi meus pais. 
"Acorde." 
"Hale, precisa acordar agora." 
"Ela está bem?"

"Você ainda pergunta? Não..." 


As palavras parecem fora de ordem e posso sentir quando os lábios de Justin roçam nos meus. 
Até desmaiada eu sinto prazer com seu toque.


(...) 


     Abri meus olhos e me vi deitada numa cama King Size. Meu corpo estava coberto por um vestido branco e eu estava recebendo soro na veia. Justin é muito preocupado comigo mesmo, desmaiar não é normal, porém eu nunca precisei tomar soro por causa disso. 
Eu olhei para sombra na minha frente, ao contrário do que eu pensava, eu não estava sonhando... Era tudo real.
Eu sou sua mãe.
Eu tenho mesmo uma mãe? 


"Você está muito bem Senhora Bieber, pode ficar tranquila." A voz me tira dos devaneios e me acalma."E eu acredito que o quê irei anunciar você queira saber juntamente com seu esposo." O médico sorri. 


"O que? Não." Balbuciei quase inaudível."É muito grave?" Perguntei com receio.


Talvez o câncer tenha voltado.
Eu não tratei muito bem dele.


"Grave? Nem pensar! A senhora está grávida." 


Eu solto uma risada.


"Não, eu não estou.


"Hm, sim, a senhora está. De acordo com os exames, está de 2 meses." 


"Não estou grávida!" repeti horrorizada."Eu não senti nada." 


"Bom, isso é normal, talvez nem tenha percebido que sua menstruação atrasou ou algo do tipo." 


Ai Meu Deus...
Minha menstruação estava para vir faz 3 semanas. 
Estou atrasada 3 semanas.
Estou grávida de 2 meses. Isso não faz sentido algum. 


"Se eu estivesse grávida, não teria 'caído' para mim no primeiro mês."


"É natural que caía, bom, não normal, mas talvez por estresse demais." 


"Ah merda..." Eu reviro os olhos e me deito na cama."Não conte para o Justin ainda, se puder." Pedi mordendo os lábios.


"Eu farei o possível." Diz sorrindo."Com licença." Ele saí do quarto. 


    Minha cabeça demora para entender isso. Estou grávida do Justin aos 17 anos de idade. Não, eu posso fazer uma frase melhor. 
Fui sequestrada, fiz sexo com meu sequestrador e agora estou grávida dele. 
Ótimo, assim soa bem pior.
Mas é um bebê. Meu bebê, minha vida, ou apenas alguma coisa que se move dentro do meu útero. 
"Sem ao menos te ver eu já te amo." 
Penso alisando minha barriga inchada. Sim, ela parece inchada e não uma barriga de grávida. 


"Hale?" Escuto a voz de Justin na porta."Como você está?"


"Onde eles estão?" Pergunto me sentando."Por que me trouxe aqui afinal?" Questionei com raiva.


"Eles são seus pais." Justin fecha os olhos e os abre lentamente."Pensei que quisesse saber que eles existiam."


"Pensou que...? Você é louco! Isso é passado para mim, eles são passado para mim." 


"Mas de alguma maneira isso te interfere agora, no presente."


"Como exemplo?" Esbravejo brava. 


"Como exemplo o fato de você não querer ser mãe, eu sei que você deve ter receio de ser como..." Ele começa a sussurrar."De ser como eles." 


"Eu nunca seria como eles! E quando eu tiver meu bebê, vou ser a melhor mãe do mundo, vou ser a mãe que eu deveria ter tido ... E você! Você não pode fazer isso comigo, mexeu com algo delicado para mim." Confessei sentindo meus olhos marejados. 


"Você ao menos quer ser mãe.


"Ta legal, eu te disse isso as vezes, mas não significa que se eu fosse eu ficaria triste. Eu não tenho esse tipo de problema Justin, só quero ir embora." 


"Converse com eles pelo menos." Justin faz uma cara cansada e se senta ao meu lado na cama.


"Hey Baby, eu sei porque está fazendo isso." Digo passando a mão em seu rosto."Eu vou ficar feliz quando engravidar, acredite." Comentei me sentindo má por não conta-lo agora que estou grávida, apenas não me sinto preparada ainda. 


    Não espero por sua resposta e colo meus lábios nos seus. Sinto suas mãos desesperadas por meu corpo. Passo meus dedos em volta de seus cabelos finos enquanto sinto Justin me puxar para seu colo. Ele tira o soro de minha veia com delicadeza e me deita novamente na cama, dessa vez por cima de mim. 


"Não podemos transar na casa dos meus pais." Comento soltando uma risada. 


"Por que não? Eu disse que queria um tempo com você, é só você gemer baixinho." Ele beija meu pescoço.


"Não consigo." Eu sorrio."Vamos deixar para mais tarde..." Dou um selinho em seus lábios macios."Agora eu quero ir embora." 


"Tudo bem..." Ele revira os olhos. 


(...)


    Eu vejo o mesmo tom de olhos azuis na mulher loira, que se diz minha mãe, na minha frente. O homem tem os olhos verdes, mas se parece muito mais comigo, realmente ele parece. Os dois me encaram apreensivos. Levo um susto quando vejo duas crianças saírem de algum lugar correndo.
Eles tiveram mais filhos depois de mim? Como ousaram ter filhos de novo?


"Você cresceu tanto." O homem toca em meus cabelos.


Eu rapidamente me afasto e colo meu corpo no de Justin, como se ele fosse meu refúgio, a única coisa que com certeza é mais precisa para mim.


"Está casada agora." A mulher que se diz minha mãe limpa as lágrimas."Eu gostaria de ter visto seu casamento."


"Gostaria?" Digo ironicamente."Talvez você pudesse ver se não tivesse abandonado sua filha de 5 anos com câncer terminal!" Eu enfatizo a última parte.


"Nós éramos jovens Hale, não sabíamos o que estávamos fazendo, ao menos sabíamos cuidar de um bebê. Mas te amávamos muito, por isso quando seu tio concordou em cuidar de você... Nós achamos que encontrar um trabalho e uma boa moradia era o melhor para você. Nós trabalhamos muito e todo mês recebíamos uma foto sua... Depois de um tempo, não conseguimos mais contato com você." Meu pai explica segurando a mão de minha mãe.


"Talvez seja porque eu e meu tio fomos despejados do apartamento, ele teve que trabalhar em 3 empregos para cuidar de mim! ENQUANTO VOCÊS TINHAM OUTRAS CRIANÇAS! Eu nem tinha o que comer e vocês vem com essa de 'achar uma vida melhor para mim' ?! Vocês nem me procuraram." As palavras saem soluçadas.


Justin põe a mão em minhas costas, amenizando um pouco a dor.
Apenas um pouco.


"Nos deixe participar de sua vida de agora." Minha mãe tenta se aproximar.


"De maneira alguma." Balanço a cabeça em negação."Tiveram 17 anos para providenciar isso e não fizeram merda nenhuma." Eu limpei as lágrimas."Vamos embora." Sussurrei para Justin. 

 

(...)


    Depois de um caminho tão longo, mas não longo o suficiente para tirar a dúvida dentro de minha cabeça, nós finalmente chegamos em casa.
Em minha casa. Agora minha casa. 
Não devo mais dizer para mim mesma que fui sequestrada. Eu fui sequestrada, mas estou feliz agora, talvez não tão feliz, mas feliz o suficiente para limpar essa palavra de meu vocabulário.


"O que foi?" Justin perguntou quando me viu pondo a mão na boca.


Meu rosto ficou vermelho, eu podia sentir minha garganta queimando, subi as escadas correndo, passei pelo quarto e fui direto para o banheiro. 

    Minha garganta chegava a doer de tanto vômito. Meu Deus, esse deve ser o lado ruim da gravidez que Sylvia tanto me contava. 
Parei de vomitar e senti o olhar de Justin sobre mim, ele estava com os olhos arregalados. Limpei meus lábios e me levantei enxaguando a boca na pia. 


"Você está bem?" Justin pergunta pondo a mão em minhas costas.


"É normal." Digo apenas isso.


"Não é normal vomitar assim, vou ligar para um médico."


"Não Justin." Eu fechei os olhos com força.


"Não o que? E se você ficar doente?"


"Eu estou grávida." 


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Desculpem por ter postado assim tão curto.
❤️O próximo CAP deve vir na sexta ou no sabado!


1-Menino ou Menina?
2-O que vocês estão achando da historia? Para ou continua?
3-Acham que ela deveria ter ficado gravida mais tarde? Sorry😪


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...