História Soturno - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook
Tags Bangtan Boys, Bts, Jihope, Jikook
Exibições 143
Palavras 1.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Laços


Hoseok e Jimin chegaram ao hospital e foram recebidos por uma enfermeira com o rosto inchado e com o rastro de lágrimas secas. Quieta, os levou até a cena do assassinato e saiu o mais rápido que pode, deixando-os na presença de outros funcionários.

Jimin estava cansado e soltava suspiros constantemente, afinal, eram duas da manhã.

Os dois entraram na sala e encararam o corpo do homem. Jimin encarou os peritos que já estavam trabalhando e Hoseok pegou o bilhete que um deles o entregou. Leu rapidamente e revirou os olhos, estendendo o pedaço de papel para Jimin.

Ouviram uma batida na porta e, antes que pudesse ler o bilhete, Jimin desviou seus olhos para Jungkook que encarava o corpo do homem com uma expressão séria. Os olhos estavam focados no rosto dele e, respirando fundo, aproximou-se do corpo e abaixou-se ao seu lado.

- Está atrasado – Hoseok comentou, sendo ignorado pelo outro. – Ei, eu ainda sou seu chefe.

Jungkook forçou uma tosse e se levantou, desviando seus olhos para o mais velho. Jimin pode ver ele engolindo em seco e jurou que avançaria em Hoseok, mas tudo o que fez foi pedir licença e sair do consultório.

E então Jimin pode perceber. O jeito que Jungkook o olhou, a semelhança em seus rostos e, quando olhou seu nome na mesa do consultório, encontrou o mesmo sobrenome.

Hoseok ainda murmurava coisas ruins sobre Jungkook, como ele era irresponsável, como não valorizava o emprego que tinham, como levava tudo na brincadeira. Então Jimin segurou seu ombro e o apertou levemente, olhando nos olhos de Hoseok.

- Acho que ele é irmão de Jungkook.

Hoseok fez uma expressão surpresa e encarou o homem mais uma vez.

- O que você acha sobre isso? – Perguntou.

- Sobre ser irmão do Jungkook?

- Também, mas quis dizer sobre o assassinato.

- Nada, por enquanto. Preciso analisar isso tudo.

Jimin olhou mais uma vez para a porta, tentando encontrar Jungkook. Hoseok ergueu uma sobrancelha e pendeu a cabeça para o lado.

- Espero que você saiba o que está fazendo, Park Jimin – Disse num tom sério. – Esses dias você está muito distraído. Pelo o que conheço sobre você, talvez esteja se divertindo encarando Jungkook e como cada peça de roupa é ótima nele, não é? Ou melhor, como ele ficaria ótimo sem essas roupas.

Jimin sentiu seu rosto esquentar e encarou Hoseok, sentindo vontade de socá-lo por dizer aquilo e atrair a atenção das pessoas que estavam próximas. Ele conseguia ser um idiota quando queria.

- Fico imaginando se ele daria conta de mim, diferente de você – Jimin retrucou irritado.

Hoseok soltou uma risada sarcástica e, antes que pudesse responder, Jungkook entrou na sala novamente.

- Sinto muito – Jimin disse, fazendo o mais novo sorrir tentando confortá-lo.

- Está tudo bem. Se me derem licença, vou embora, preciso digerir isso tudo. E avisar minha mãe.

Jimin, sentindo seu coração pesar, aproximou-se de Jungkook e apertou seu braço. Surpreendeu-se ao ser envolvido nos braços de Jungkook, que o apertou em um abraço. Pode sentir o homem suspirar e dizer novamente que tudo estava bem, se afastando em seguida. Não esperou Jimin dizer nada, apenas desapareceu pela porta.

- Tem certeza que vocês não estão juntos? – Hoseok perguntou.

- Tenho – Jimin respondeu e deu de ombros. – Mas ele é mais rápido.

Hoseok riu e aproximou o rosto de Jimin, que desviou e colocou as mãos nos bolsos.

- Tenho coisas para resolver.

Hoseok o encarou por alguns segundos antes de segurar seus ombros e o empurrar para fora do consultório, dando as últimas ordens para quem havia ficado.

- Você precisa descansar – Hoseok voltou sua atenção para Jimin. – Eu te levo para casa e cuido do resto aqui.

Jimin parou de repente e prendeu a respiração, virando-se para encarar Hoseok.

- Tem um problema – Jimin coçou a bochecha e mordeu o lábio inferior. – Eu estou passando a noite na casa de Jungkook.

- O que? – Jungkook o olhou sério.

Jimin soltou um suspiro e preparou-se para contar tudo o que havia acontecido.

*

Depois de sair do hospital, Jungkook andou até uma praça. Seu olhar chateado deu lugar para um olhar frio e indiferente. Prendeu um cigarro entre os lábios e o acendeu, discando o número de sua mãe.

- Alô? – Ouviu a voz da mulher do outro lado.

- Sinto lhe informar, mas seu querido e amado filho está morto.

- Jungkook?! – A mulher perguntou num tom desesperado. – O que você fez, Jungkook?

- Eu? Nada. Ele apareceu morto – Ele respondeu e ouviu a mulher soluçar. – Poxa, mãe, não fica assim. Eu ainda estou aqui.

- Vai pro inferno! – Ela gritou contra o telefone. – Você não é meu filho! Eu nunca criaria um monstro como você!

- Tchau, mãe. Também amo você.

Ele desligou a chamada e riu amargo. Ouviu seu celular tocar novamente e atendeu a chamada, soltando um suspiro entediado.

- Gostou da surpresa que preparei? Sobre seu irmão, quero dizer – Jungkook ficou em silêncio e ouviu a risada do homem. – Isso é um aviso para caso você pense em não fazer o combinado.

- Tsc – Jungkook fechou seus olhos e interrompeu o homem. – Você só fez algo que eu queria ter feito há muito tempo. Mas eu queria ter feito isso, confesso que estou um pouco chateado.

Jungkook soltou uma risadinha divertida e desligou a chamada, colocando o celular no bolso e seguindo seu caminho.

*

Quando Jungkook chegou no seu apartamento, encontrou Jimin sentado no sofá e dormindo. A televisão estava ligada, então sentou-se ao lado do baixinho e soltou um longo suspiro. Sentiu a cabeça de Jimin cair em seu ombro e o encarou por um tempo antes de desligar a televisão, ajeitando-se para que ambos ficassem confortáveis.

E, assim que amanheceu, Jungkook arrastou Jimin para fora de casa, dizendo que daria uma volta de moto com ele. O que fora uma péssima ideia para Jimin já que agarrar-se na cintura de Jungkook enquanto o vento batia em seu rosto e o obrigava a inalar o perfume de Jungkook não estava fazendo bem para sua sanidade mental.

Jungkook estava se divertindo sentindo Jimin o apertar cada vez mais. Mas sua diversão logo foi cessada quando percebeu que estavam o seguindo.

- Droga.

- O que?

- Jimin, pega a arma que está na minha cintura. Estamos sendo seguidos.

Jimin arriscou-se a olhar para trás e pegou o revólver na cintura de Jungkook. Virou seu corpo para trás e ouviu Jungkook comentando sobre o carro cinza e as duas motos. Segurou uma mão em Jungkook e com a outra apontou para uma das motos, acertando o peito do homem. Sorriu satisfeito pela sua mira e sentiu a mão de Jungkook na sua coxa enquanto fazia uma curva para ele não cair. Mirou para a segunda moto e disparou três vezes enquanto o homem mirava nele. Um dos homens no carro colocou seu corpo para fora e apontou a arma para Jimin. Jungkook acelerou mais a moto e desviou dos carros para fugir dos tiros. Antes que pudesse acertar o homem, o carro virou a direita, abandonando Jungkook e Jimin. O mais velho guardou a arma e encostou a cabeça no ombro de Jungkook, soltando um longo suspiro e fechando seus olhos.

Logo Jungkook parou em um posto e ajudou Jimin a descer.

- Você está bem? – Perguntou. Jimin concordou com a cabeça e sorriu. – Fazemos uma boa dupla.

Jimin soltou uma gargalhada e Jungkook adotou uma expressão séria enquanto o encarava. A única coisa que passava na sua cabeça era que Park Jimin deveria rir mais. Seu sorriso era bonito, e sua risada engraçada.

Ao perceber a intensidade do olhar de Jungkook, Jimin sentiu seu rosto corar, fazendo o outro sorrir. Ele aproximou-se de Jimin e, quando seus narizes se encostaram, Jimin o empurrou pelos ombros e mordeu o lábio inferior, afastando-se.

*

- Não conseguimos.

- Incompetente – O homem do capuz disse pausadamente. – Se fosse para eu fazer a merda toda sozinho, eu não teria contratado vocês.

Pegou a pasta que estava na mesa e saiu, andando até a casa já conhecida por ele. Bateu na porta duas vezes antes de uma mulher ruiva aparecer.

- Você deveria ter ligado antes de aparecer – Ela comentou.

- Eu preciso de você, meu amor.

Seu corpo ardia pela excitação de abrir aquela ficha e mostrar para sua garota o que ela precisaria fazer. E quando ela colocou os olhos na pasta que ele carregava, sabia que não a queria do modo que ela o queria. Então apenas deu espaço para ele entrar e suspirou frustrada.

Violentamente, o homem encostou seus lábios nos da garota, fazendo-a sorrir satisfeita ao receber atenção do homem. Mas, para sua tristeza, não havia durado muito.

- Eu preciso de você, mas não para isso.

Ele entregou a pasta para ela que suspirou e a abriu rapidamente, tirando a ficha da sua próxima vítima. Seus olhos se arregalaram e ela o encarou surpresa.

- Tem certeza que é ele? Você pegou a ficha errada?

- Certeza absoluta.

Ele aproximou-se dela e tirou a ficha de sua mão, capturando seus lábios.


Notas Finais


eu não ia postar porque nao to num clima bom pra escrever MAS a pyxidis me chamou la no tt e eu pensei..... po eu sou burra eu ja tenho a fic pronta.
então é isso.
obrigada pelos comentarios.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...