História Soul Eater Real World - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Soul Eater
Personagens Black Star, Crona, Death the Kid, Liz Thompson, Maka Albarn, Patty Thompson, Personagens Originais, Shinigami-Sama (Death), Soul Eater Evans, Tsubaki Nakatsukasa
Visualizações 8
Palavras 6.192
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Shounen, Sobrenatural
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola ola, aproveitem a leitura

Capítulo 14 - Ossos


Fanfic / Fanfiction Soul Eater Real World - Capítulo 14 - Ossos

                                               POV Carmeli On

                Dor de cabeça... É tudo que sinto, dor de cabeça... Sinto que vou explodir, olho pras horas e vejo que so acordei ao meio dia, oque não me surpreende, quando dormir as meninas estavam estiradas sobre mim, agora não tem nenhuma delas, e deixaram um bilhetinho fofo dizendo que foram comprar coisas pro café da manha... Dor de cabeçaaa! Eu sinto que vou explodir...

 

-Eu não sei no que esta pensando mas pelo amor de Deus PARA- Era Yian que esta deitado no chão- Ta muito quente e eu estou morto de cansado, com dor no corpo todo e dor de cabeça então por favor esfria o corpo vai!

-Você ta de ressaca também? Eu achei que tinha bebido pouco

-Eu bebi tanto quanto você e talvez uma garrafa a mais...

-Então a ultima era minha- Falei apontando meu dedo do meio pra ele, esse filha da puta insistia que a ultima era dele

-É eu parei pra fazer a contagem e era sua mesmo...- HÁ!- Mas por favor fica calma e me deixa dormir, ta quente aqui

-Eu já falei não controlo isso, não é so raiva que faz isso... Eu lembro de umas coisas de...

-Não- Ele me interrompe- Eu sei oque você vai perguntar, e a resposta para todos os efeitos é.... Não- Ele fala com uma longa pausa

-Tá então nunca aconteceu- Sim aconteceu

-Não... Foi coisa de uma noite só- Droga

                Ele parece que volta a dormir e eu fico com aquele silencio em mente, me levanto e me troco ali mesmo, ele ficou virado pro outro lado esse tempo todo eu vou para nossa sala de visitas, ela é até grandinha e temos jantado nela, eu me sento em uma das poltronas velhas... Começo a pensar no dia de ontem, e foi realmente... Eu me senti... Eu fiquei.... Aaaaa!! Que droga, Yian foi um doce, ele “Brincou” de ser meu namorado e me tratava como se realmente fosse, ele me levou a lugares bonitos, me fez sentir realmente como uma garota desejada... E ele me fez sentir algo sem precisarmos de muito... Não preciso nem falar sobre quando estávamos no estádio... So de pensar em quando andávamos de Skate e ele me segurava pela cintura, e principalmente quando brincou com o gelo em meu pescoço... E fico lembrando de quando tocava minha mão, que droga Yian, eu o so de pensar naqueles momentos me irrito de pensar na frase “Foi coisa de uma noite só...” Idiota, idiota, idiota, idiota, idiota! E eu estou quente, mas eu sei que é por que estou irritada. Então respiro fundo e começo a me acalmar... Teve outra coisa de ontem que tenho que pensar agora... Yian não deve ter notado mas eu sempre vi que tinha alguém nos espreitando, no cinema eu descobri quem era quando Yian jogou o gelo pra cima e ela soltou o gritinho fino... Era a voz de Musa com certeza, ela nunca pensaria em me espionar, e nem consigo imaginar Sophia planejando algo assim, mas tenho certeza, então vou perguntar, confio nelas e acho que se tiverem feito algo elas vão me dizer, eu escuto a porta se abrindo e a voz das meninas entrava ecoando pelas escadas

 

-Eu achei que o filho do padeiro so estava sendo gentil, então aceitei

-Inocente Sophia... Eu tentei te avisar, ninguém da doce de mel de graça...

-Agora eu sei, e eu quis devolver assim que ele disse “Se você quiser mais é so virar minha namorada que sempre que quiser te entregarei um”

-Uhum... Sei...  Então você dizer que quer mais uns 2 ou 3 era so piada

-Eu... Como... Eu jamais... VOCÊ DEVE TER OUVIDO ERRADO- A Shophia, tão inocente e doce... Mas tem que parar de pensar com a barriga, escute o conselho aqui da Carmeli

-Eiiii- Yian grita do quarto- Já tem comida? Alguém traz pra mim por favor...

-NÃO- Eu e as meninas gritamos em conjunto, então as meninas surgem das escadas e servem o café da manha comprado

-Parece delicioso, compraram muita coisa doce?- Perguntei por que vai que elas não aprenderam ainda que sem doces eu não me acalmo

-Compramos uma sacola todinha de pães doce so pra você sua gulosa flamejante- Ofendidaça, mas feliz pelos doces, Então comemos, Yian surge pegando apenas uns salgados e um suco ele como e já vai direto pro quarto escuto o som do chuveiro ligado, essa é a melhor chance que vou ter de falar com elas sem que ele apareça

-A Carmeli como foi ontem, você nem falou nada ontem dizendo que estava morta de cansada- Sophia fala sorrindo

-Eu estava- Dor de cabeça- E ainda estou, podem falar um pouco mais baixo por que se não minha cabeça vai explodir...

-E vocês beberam pra estarem de ressaca juntos- Musa pergunto com o olhar baixo

-Sim, nos fomos almoçar em um lugar não muito longe, ai fomos ao shopping e por ultimo fomos andar meio perdidos bebendo

-Parece que foi bem divertido... E ele deu alguma “Cantada” em você- Sophia falou com um olhar malicioso...

-Não, nada de mais- Falei tampando a boca com o copo

-Aaaa... Parece que ele não tinha tanta malicia quanto esperávamos não é?- Sophia falou com uma... Falsa decepção

-E qual foi a parte mais divertida da noite?- Musa perguntou seria

-Acho que foi...- Vamos testar elas, sinto que estão sabendo de alguma coisa- Acho que foi quando estávamos bêbados e fomos pro parque onde encontramos com um bêbado que tentou roubar nossas bebidas, foi hilário- Elas engasgam com o suco na mesma hora, eu tenho quase certeza...- Mas acho, que teve um momento ainda mais legal, quando Yian pegou um cubo de gelo e o colocou...- Vou dar uma leve exagerada- Na minha coxa sabe, ele esfregou bem, tocando bastante nas minhas partes baixas...- Sophia ficou igual uma pimenta, mas deu um tapa na mesa e em seguida se levantou

-ELE NÃO FEZ ISSO!- Olha so que legal, ela vai se entregar sem eu precisar fazer muita coisa, Dor de cabeça

-E como sabe em?- Falei com um sorriso no rosto e ela levanta o dedo como se tivesse uma resposta justa, então ela hesita e se senta de braços cruzados...

-eu segui vocês- Ela falou o mais baixo possível

-Desculpa não ouvi- Falei colocando a mão próxima ao ouvido- Fala no meu ouvido bom aqui

-Eu te segui tá! Já admiti- Ela fica de bochecha inchada- E Musa veio junto- Encarei ela na mesma hora e ela desviou o olhar

-Musaaaa- Falei cantarolando e me aproximando dela

-Não, não vou falar nada- Ela acha que consegue fugir de mim, tolinha

-A vem aqui- A agarro e a coloco contra meus peitos- Se não me falar vou começar a...

-A...- Ela perguntou se confortando quando a seguro de esmagar seu pescoço

-A ESQUENTAR SUA PESTINHA- E sim, eu estou queimando

-Não, não, não, não,não- Ela choraminga-Eu conto tudo eu juro

-Por que me seguiram?

-Pra ver se iam fazer alguma coisa que não deviam... Quente , quente, quente

-E oque vocês viram- Falei puxando Sophia também

-Calma, calma, nos so seguimos até o Cinema, não conseguimos entrar no janta chique de vocês, e ai nos perdemos vocês quando estavam de Skate

-E por que chegaram depois da gente? Contem agora- Fui apertando mais

-Nos fomos compra pizza- Mentira, Apertei mais...- Taaa, seguimos até o estádio mas não conseguimos seguir vocês la dentro- Soltei elas e as encarei

                Mas mais engraçado do que a cena de eu interrogando elas enquanto as pressionava contra meus peitos foi a cara de Yian que parecia estar lá assistindo a algum tempo, nos rimos da cara dele, ele mostra o dedo do meio pra gente e nos rimos mais, ele volta pro quarto onde ele proclama o dia de dormir o dia todo, e so, foi isso que fizemos, ele pegou uma parte da cama e tivemos que dividir, e foi uma cena bem engraçada, Yian deitado no meio da cama com Sophia colada aos seus pés, comigo deitada na barriga dele e Musa sobre a barriga em Sophia... Dormimos muito e quando deu bem tarde quase umas 19 escuto o som de alguém batendo na porta, todos nos assustamos e levantamos, fomos parecendo zumbis, e quando abrimos a porta demos de cara com Kid que ficou assustado com as nossas caras, normalmente eu e as meninas teríamos entrado em pânico e ido arrumar nossas caras mas sei lá... Muito sono sabe, então ele simplesmente nos olha de cima a baixo e Yian que esta de frente com ele, Ele encara o fundo da casa que esta em reforma mas ainda com cara de lugar detonado

 

-Eae, quer entrar- Yian fala com o olhos roxos de cansaço

-Não não, agradeço... Vim ver como estavam no apartamento “novo”- Ele fala encarando meio sem jeito- Vocês estão com uma cara de que dormiram o dia todo e que ainda precisam dormir

-Acertou, e pretendemos dormir mais ainda, so não dormimos amanha também por que Carmeli é um monstro maléfico- Dou um chute na canela dela

-A okay, Eu acho que estamos bem, acho que ainda temos um suco, tem certeza de que não quer entrar- Yian falou mais uma vez

-Tenho, tem mais uma coisa pra vocês- Kid estenden um papel- Consegui um trabalho de 2 estrelas bom, eu li e pensei que poderia ser útil- Puxei na hora

-“Feras Indomáveis em  torno de Death the city, numero de feras incerto, precisa de limpeza em menos de 10 dias” oque vai ter em 10 dias?- perguntei o encarando por cima dos ombros de Yian

-Parece que vamos receber um amigo do meu pai que é meio assustado, então se aceitarem... Ajudarei, mas tenho certeza de que terão muitos bichos por isso iremos dividir as almas...

-Ta legal por mim, nos vemos amanha, boa noite?

-Boa noite- Ele vira e vai embora, Yian fecha a porta e volta a dormir... Somos realmente um bando de preguiçosos...

 

                                               POV Carmeli Off

                                               POV Ossos On

                Psi-Co voltou sem a cabeça de ninguém no dia, mas ele chegou e não disse nada, passou um dia inteiro encarando a parede de um quarto e falando sozinho, as irmãs dele tentaram falar com ele mas nada disso adiantou, então ele finalmente volta a si, ele se senta reclamando de frio e Eruka o da um cobertor e um chocolate quente, mas ele ainda não fala nada, eu me sento de frente a ele e ele me encara com um sorriso sínico como sempre

 

-Então, vai dizer oque aconteceu?

-Vou mas vou dizer ahaha que é bem hahaha engraçado sabe haha passei esses dias tentando entender como mas não descobri nada, FIQUEM QUETAS VOCÊS DUAS EU QUE VOU CONTAR!- Ele grita com as irmãs que estão caladas

-Fala logo seu idiota- Ogre fala se sentando, ele que dês de que chegamos não tirou a mascara, ele nunca tira na verdade

-Pra você so digo uma coisa... Carta para senhor Ogre da senhorita Informante- Ele puxa um papel e o entrega

-Desgraçado estava esperando que me entregasse isso a 3 dias seu idiota- Ele pega e se joga em seu quarto

-Hahaha Virei carteiro cupido hahaha- Ele da um gole em sua bebida quente e parar de rir e apenas treme como de costume...

- Okay, agora me diga oque aconteceu de tão engraçado lá- Perguntei o encarando enquanto Eruka entrava em seu quarto

-Você aconteceu hahha você estava lá AAAAAHAHAHAAA

-Explique melhor isso- Fiquei curioso, e noto seu s olhos que não piscam encarando minha alma

-O novato, eu o apunhalei e estava quase enlouquecendo ele não foi meninas? Foi não foi? Isso, e ele era diferente, ele segurava a loucura dele, tinha um cadeado hahaha ele achou que ia esconder a loucura dele hahaha, mas ai...- Ele parou de rir tremer e apenas ficou serio e com o olhar vago, o vi ficar poucas vezes assim... Catatônico- Ele era azul e ficou cinza, as com as cruzes que se cruzavam vermelhas... como você! Cinzento e sanguinário, com o ilhar infernal com os olhos da cor de uma tempestade que devora os homens... Eu não fiquei lá pra ver já que outro Artesão surgiu e não pude ficar pra ver MAS!- Ele deu uma pausa dramática, deu pra ver em seus olhos que era apenas um teatrinho infantil- Ele conseguiu trazer a alma dele de volta, não sei como, mas sua alma voltou a ser azul

-Ele tem uma alma cinza então...-  Falei tentando entender tudo

-ISSO! E COM UMA MARCA VERMELHA IGUAL A SUA- Ele falou tocando em meu peito

-Entendi...

                Eu o peguei pelo ombro e o levei a cama de Eruka, pedi pra ela cuidar bem dele e não deixa-se ele sair do quarto pra nada, então fui para fora da casa respirar, respirei fundo... Outra alma cinzenta... E a mancha vermelha... Estou curioso pra saber como ele é, sinto que já descansei tempo de mais e sei que estamos atrasados em questão a nossa cota semanal de almas, eu vou ter que falar com “Ela” e tentar ver oque ela nos arranjou, mas agora irei descansar, entro e vejo Ogre sentado

 

-Achei que já teria ido dormir- Falei colocando minha mão em seu ombro e vejo que esta com um cigarro, ele fez um buraco em sua mascara onde ele coloca o cigarro, ele me encarou

-Não, não consigo dormir depois de saber que minha arma vai voltar ao trabalho

-Como é? Poison decidiu voltar a ativa? Achei que ela estava ocupada de mais com seus experimentos

-E estava, mas disse que esta pronta para voltar, ela disse que vai nos encontrar de baixo do bar “Veneno de Ossos”

-Aquela espelunca ainda funciona?

-Sim, ela vai estar lá amanha, teríamos 4 dias se o idiota entregasse o papel antes- Escutamos um bater de pé e vemos que as duas irmãs dele estão na escada nos encarando- Vão se ferrar vocês também

-Vão dormir- Falei apontando pras escadas, e elas subiram

-Então vamos amanha?

-Irei falar com “Ela” e iremos confirmar

-Pare de endeusa-la assim Ossos-  Suas palavras chegam e escuto meus ossos rangerem quando fecho os punhos

-Não sei o significado dela pra você e não me importa, mas não questione como falo sobre ela

-Eu sei eu sei, essa discussão sempre acaba no mesmo lugar

                Ele entra em seu quarto e me mostra seu dedo do meio, eu entro em meu quarto onde encontro um pequeno pedaço de... Não sei oque é, é redondo e com uma base redonda, e com pedaços de pedrinhas marrons, no papel ao lado tem escrito “Bolinho, Coma-o” eu não sei quem o botou ali, mas há um desenho de cobra no canto do papel, então apenas confio, eu o como e o sinto algo diferente, um gosto novo, é realmente ótimo, penso em comer todo mas se eu fizer isso não terrei pra amanha, então coloco na estante, e com medo de que ratos ou baratas subam passo a noite acordado apenas encarando o “Bolinho” Quando o sol surge me levanto e vou para a sala, onde me sento e como o bolinho todo, eu vejo Ogre e as meninas chegando, Eruka surge cheia de feridas e sangue escorrendo de seu pescoço, ela se cobre com um cobertor que deixava uma parte ou outra de seu corpo aparecer sem querer, e Psi-Co surge em seguida bem machucado também ele se senta e nota que estamos o encarando

 

-Deviam ter visto como ficou o outro cara haha

-Nos vimos... Bom trabalho garotão, mostrou quem manda- Ogre falou fazendo um toca aqui com ele, em seguida Eruka trás frutas e pizza, eu como as frutas até não sobrar nada, então antes que ela saia eu a seguro pelo pulso

-Precisamos falar com “Ela”, poderia contata-la pra gente?

-Ela disse que ligaria quando chegasse a hora- Ela falou se soltando

-Eu sei, mas precisamos informar oque iremos fazer

-E tem que ser agora- Ogre falou irritado

-Eu ligo e vocês se expliquem, esperem aqui- Ela foi ao quarto e pegou um espelho, nos viramos de costas como da ultima vez- Virem-se- Obedecemos, e quem estava lá não era “Ela” e sim sua filha

-Olá Crona- Falei calmo e com um sorriso, convivi muito com ela durante um tempo- Como vai, aprendeu a conviver com Ragnarok?

-Sim... Mas não sei lidar com sorrisos gentis seus Ossos...- Ela fala tentando se esconder atrás de seus finos braços- Medusa esta trabalhando, pediu pra eu cuidar do espelho dela

-Tudo bem, so precisamos que diga a ela que estaremos em um bar em Death the City, e quando precisar falar com qualquer um do grupo ela pode usar o mio de sempre

-Mas ela disse que tinha planos pra...

-Eu sei, e quando ela puder nos passar os planos ela passe, mas agora temos que ir entendeu?- Ogre falou recolocando sua grossa jaqueta com pelos na gola

-ESTAMOS DE PARTIDA SENHORITA MEDROSA HAHA- Psi-Co falou se levantando já puxando as meninas que ele ergue tirando seus pés do chão e elas ficam se balançando como quem esta com raiva

-Esperem, não sei lidar com medusa quando ela recebe uma noticia que não queria- E então me levanto e aceno pra ela- Parem de fingir que não estou aqui- E então Eruka encerrou o contato

-Estão mesmo indo? Não podem me dar mais 20 minutinhos com seu amigo?- Ela fala me segurando pelo ombro

-Estamos atrasados mulher, já vamos- Ogre falou já do lado de fora

-Desculpe a presa mas é urgente, prometo que trarei ele mais uma vez aqui

-Esta bem, vou confiar em você

                E logo saímos, pra aquela longa caminhada , pegamos sol nas piores horas, mas pior que o sol era Psi-Co que não parava de rir e gritar, pulava de um lado pro outro, Ogre muitas vezes parecia que ia matar Psi-Co mas as irmãs dele sempre pegavam na mão de Ogre e ogre de alguma forma Ogre se acalmava, e logo vimos a grande Death City, que estava monótona como sempre, mas a sua volta haviam feras, todas com almas sujas de acordo com Psi-Co, olho pra Ogre

 

-Não foi eu, sabe que não tenho almas humanas o suficiente pra isso- Ogre fala se sentando em uma pedra

-Mas acha que consegue passar sem que nos ataquem?

-Não sei dizer, tem muito pra eu conseguir amansar, se tentarmos pelo outro lado é melhor

-ALI CAVALHEIROS- Psi-Co aponta e segue correndo até darmos quase uma volta na cidade, e chegamos quando já era bem tarde, a lua já ria mas ela nunca olhava para cá, Psi-Co aponta para um esgoto onde luzes parecem se mover em algumas entradas e em outras não

-Parece que eles notaram a ultima explosão, devem vasculhar o esgoto sempre agora- Falei segurando Psi-Co pela nuca e apontando pras luzes do esgoto

-Eu fiz um bom trabalho? Hahaha

-Fez sim garotão- Falei fazendo um cafune nele e ele se sentando no chão

-Ta e agora como vamos entrar? Tem alguns sem luzes mas se fizermos barulho aposto que vai ter um monte de artesão e ai vamos ter que fazer bagunça de verdade- Ogre falou puxando um cigarro que tiro da mão dele e o guardo

-Teremos que ficar aqui e esperar

-Não da pra esperar já que a Poisson vai ficar esperando só até hoje

-VAMOS EXPLODIR OUTRO ESGOTO HAHAHAAA- Psi-Co riu muito, mas logo parou e começou a tremer segurando a risada

-Boa ideia- Ogre fala pegando uma caixinha de fosforo no bolso- Se explodirmos um deles todos vão pra ele e poderemos seguir por um já vazio

-Ta mas como vamos chegar lá sem chamar atenção Ogre?- Falei encarando o esgoto

-Achei que faria as escadinhas como sempre, como mais chegaríamos lá

-Chama muita atenção, precisamos de outro jeito

-Eu já sei seus babacas!- Psi-Co chega nos empurrando e logo vai as meninas e as puxa e sussurra alguma coisa- Vai dar certo suas pestinhas agora venham, tenho que pegar o mapa

-Que mapa?- Perguntei seguindo ele

-Os das bombas que plantamos, conheço todas com a palma de minhas mãos haha, o mapa tá atrás de uma pedra que parece uma cabeça decepada- Ele sai andando até que acha uma pedra normal, mas atrás da pedra tem mesmo uma cabeça decepada, ele começa a cavar a trás da cabeça e logo ele acha um mapa e um potinho, ele abre o mapa de toda Death City, ele abre o potinho e esfrega um pó preto em suas mãos, e logo começa a bater com as palmas das mãos no mapa que vai ficando sujo, mas conseguimos ver algo a cada batida, e quando termina ele ergue as mãos- Tadaa- Ele começa a procurar um dos tuneis com linhas pretas, ele achou...

-Psi-Co se você não fosse um idiota seria a porra de um gênio- Ogre falou quando entendeu o mapa

-E você seria legal se não fosse uma pedra no cú hahhahaa

                Ele e as meninas passam por nos rindo, Psi-Co se posiciona em frente a um esgoto, não sou bom  números e cálculos mas sei dizer que é alto e longe, então as meninas se transformam em facas, Psi-Co as segura pelas pontas e a puxa para trás de seus ombros e as arremessa o mais longe que conseguiu, mas ainda não seria muito útil

 

-Esperem- Psi-co falou e nos encaramos as facas voando, no meio do caminho quase começando a cair- AGORA!- Ele começa a correr em direção as meninas, olhamos pras meninas, uma delas que se destransformou e arremessou a outra oque deu mais alcance e conseguiu chegar no esgoto, Psi-Co correu e conseguiu pegar sua irmã antes que caísse, ele corre com ela no colo a trazendo de volta- Já foi uma falta a outra- Ele fala já voltando a correr

-Sem fosforo como seu irmã não vai conseguir fazer fogo- Ogre falou gritando

-Olha seu bolso hahaha- Ogre faz isso e vê um papel enrolado numa pedra, e no papel tem escrito

-“Pedra no seu cú” Idiota- Ele fala arremessando a pedra para Psi-Co que já esta quase em baixo do esgoto, vemos a menina acender o fosforo e encostalo em uma parede, e logo vemos o pavio escondido, então a menina pula e Psi-Co a segura, ele corre na nossa direção, coloca a irmã no chão...

-E agora corremos hahahaa- Ele começa a correr pro lado e nos o seguimos, ouvimos a explosão sem olhar pra trás e então vemos que algumas luzes se apagam nos esgoto- Agora subimos

                Então agora vamos pelo meio de sempre, chegamos no grande muro e eu começo a cravar ossos nas paredes e vamos subindo, Psi-Co sobe fazendo acrobacias para ir pegando os ossos que ficaram, e quando chegamos ele esta com ossos e mais Ossos no braço, seguimos pelos esgoto já vazio, Psi-Co conhece bem o lugar e somos guiados até o esgoto mais próximo ao bar, que da bem de cara com ele e saímos por um beco, coloco o capuz que esconde meu rosto, Psi-Co abre o lixo e começa a procurar algum trapo que acha, ele sente o cheiro e não gosta, não gosta e joga fora, ele tira a blusa e esconde o rosto... Ele é realmente um gênio não, e Ogre assim como eu coloca o capuz de sua roupa cheia de pelos brancos, olhamos pra ogre... Não da pra sair com ele na rua sempre, Ogre puxa um cara qualquer que passava na rua e eu soco sua cara, pegamos seu capuz e damos a Psi-Co que o veste sem tirar a blusa da cara..., as irmãs dele tiram a blusa da cara dele tendo que pular pra alcançar, então fazem ele se vestir e dão uma toca a ele, e agora entramos no bar, vemos que Poisson estava se levantando, ela nos encara e sorri

 

-Esperei o dia todo seus idiotas

-Parece que não ia esperar o suficiente não é?- Ogre fala indo abraça-la

-Olhe oque aconteceu com você... Nem consegue mais ficar sem esta mascara não é meu Ogre, parece que fumou mais do que devia- Ela fala enquanto passa seus dedos de forma suave em sua mascara

-Vai se ferrar... Eu não ligo pra mascara, eu sabia das consequência mulher- Ele fala virando o rosto e se sentando

-Não ligue para ele Poisson, ele continua irritadinho como sempre- Falo a abraçando- Sentimos falta de você no grupo, terminou suas pesquisas?

-Não, mas estou perto, e acho que essa união aqui pode nos ajudar... Psi-Co, tenho uma coisa pra você meu doce

-Eu quero, eu quero, eu quero- Ela puxa uma vasilha com pílulas entrega uma a ele que ele engole sem ver oque é

-Se chama Ritalina- Ela fala olhando pro relógio

-POR QUE SEU REMEDIO TEM NOME DE MULHER HAHAHAHA- Poisson faz uma cara de decepcionada

-Achei que funcionaria

-Nunca vai conseguir me parar com sua ciência senhorita informante- Ele começa a tremer para não rir

-Esta bem, mas e como vão as coisas com “Ela”, podemos falar com ela e ver quando começamos

-Estamos esperando “Ela” contatar-nos - Falei olhando algo... Atrás de nos, alguém nos encara, esta com um comunicador no ouvido- Mas...acho que não devíamos ficar aqui

-Sei do que esta falando- Ogre falou puxando um cigarro

-As paredes tem ouvidos hahhaa Notei des de que chegamos hahaha, não tem como sairmos daqui hahahaha estamos cercados hahaha- É oque parece, notamos que praticamente todos ali estão com isso

-Não tinha notado antes, eu estava ocupada olhando pras horas...- Poison falou colocando o copo na cabeça- Burra, burra, burra,

-Fique calma, temos que dar um jeito de sair daqui... –Levanto a mão chamando o garçom que parecia ser o único sem o comunicador- 5 Cervejas e 1 refrigerante- O garçom faz um okay

-Você não bebe- Poisson fala rindo

-Eu sei, mas se eu pedisse um suco não ia dar pra queimar tudo- Ela sorri na hora

-E o refri?- Ogre pergunta

-Pro Psi-Co não encher o soco depois- O garçom coloca tudo na mesa

-O REFRI É MEU

                Abrimos a cerveja e quase a levamos a boca mas então, pra testar essas pessoas eu largo minha bebida e ela cai no chão, eu olho para todos... Eles estão tão concentrado que tentam disfarçar até o susto, oque me da certeza de que estão no vigiando, então olho pra todos a mesa que estão sorrindo... Poiso puxa um isqueiro, já temos fogo, agora Ogre puxa vários lenços de papel, eles e as meninas colocam dentro da garrafa de vidro... Os que estão a nossa volta, eu abro um leve sorriso e todos viram que era a hora, Psi-Co acendeu o isqueiro e em sequencia acendeu todos os panos, então jogaram as bebidas no chão e o fogo fez todos pularem para trás já sacando armas comuns, então pulamos pela janela, do lado de fora vimos mais homens todos armados...

 

-Eu fico, onde nos encontramos Poisson?- Falo de frente para aqueles vários homens

-No beco do limite de Death City- Ela fala já correndo

-Ve se não morre Ossos- Ogre fala dando um tapa em meus ombros

                Eles correm e logo apenas eu estou ali entre aqueles homens, os homens do bar saem e seguram suas armas, outros puxam cassetetes e facas, eles não pretendem me matar, pretendem me levar vivo para não me importa onde, eu os encaro, meus ossos rangem, eu so preciso que me deem um motivo para mata-los, eu não os conheço e nem sei se cometeram crimes, aposto que tem famílias e a quem proteger... Sinto que não posso mata-los... Ele começam a andar em minha direção, sinto muito mas vocês não seguirão daqui... Vocês se colocaram no meu caminho, oque significa estarem no caminho que “Ela” me colocou...Deixo meus ossos rangerem, então deixo minha alma sair, não a vejo mas sei que é cinzenta, sei que possui um crânio branco desenhado a ela igual a de meu rosto, mas do lado tem uma marca vermelha redonda que parece que foi costurada... Eu faço ossos revestirem apenas algumas partes de meu corpo, descido mata-los... Jogo ossos de mão em alguns que chegam rasgando suas gargantas, e outros apenas foram segurados e eu os fiz cair no chão, coloco a mão no chão, então faço meus ossos rangerem, e então ossos sobem e atravessam eles, tripas e sangue sobem juntos aos ossos, um deles engasgava com o próprio sangue, então eu ando na direção de outros que tentam me esfaquear e eu cravo minha mão no peito de um e o encaro, puxo sua coluna que sai, os outros parecem com medo, e deveriam estar, eu logo ando na direção dos outros que dão passos para trás, levo alguns tiros na barriga manchando meu moletom, eu os encaro e eles vem que o sangue para de escorrer... MEUS OSSOS RANGEM!! Eu ergo minha mão e um pilar de ossos sobe empalando a todos... Eu vejo aquela matança, faço todos os ossos sumirem, eu me viro e recoloco meu capuz, eu sigo andando até o limite de Death City, eu logo acho o beco, onde vejo aquela mulher que so veste couro preto, cobre seu rosto com um pano que tem cruzes desenhadas, sua jaqueta é curta e da pra ver seu sutiã também de couro, e sua roupa é cheia de pontas de ferro, ela se veste sem pudor, e ela possui olhos roxos e chamativos, então ela me chama com o dedo, eu a sigo e vejo um grande galpão onde entramos uma espécie de laboratório, vejo Psi-Co em seu canto falando com a parede, Ogre sentado sem camisa e ainda com a mascara em uma mesa e as meninas brincando com bonecas

 

-Eu montei isso nesse tempo, tem quartos no andar de cima

-E oque esta fazendo com Ogre?

-So vendo o pulmão dele, estão em péssima condição mas de alguma forma ele não demonstra problema algum

-Eu já falei, sou quase imortal comparado a vocês maricas- Ele fala se vestindo

                Ficamos lá e comemos bem antes de dar maia noite, então vamos para um espaço que tem um espelho, escrevo nele “666” e deixo, esperamos sentados para ver se “Ela” nos contata, ela criou essa linha somente pra nós, e esperamos... Então logo o espelho brilha, eu sinto os ossos rangerem, vejo Ogre se arrumando, Psi-Co se segura até das tremedeiras, Poisson continua calma e quieta, e as meninas que sentavam ao chão brincavam, então vejo “Ela” que nos encara seria

 

-Então, vejo que Poisson voltou, a quanto tempo

-Ola senhorita- Ela fala evitando falar seu nome em respeito a mim- Estou feliz de poder voltar

-E terminou sua “Pesquisa”?

-Eu estou no meio dela e dependo dessa união aqui para que de certo, mas vamos deixar isso para depois

-Isso, gostaríamos de saber se já podemos voltar ao trabalho, estamos parados a tempo de mais

-Ogre, animado como sempre, estava sendo mal educado com todos como sempre- Ela olha com um sorriso pra ela

-Desculpa- Ele acena com a cabeça

-Estava escolhendo um novo esconderijo mas parece que já acharam, então podem voltar ao trabalho e tenho mais uma coisa pra vocês

-Trabalho novo- Psi-Co falou dando uma leve tremida

-Sim, preciso que comecem a causar a pequenos “estouros” destuam alguns lugares que marquei e roubem algumas coisas que enviarei em uma lista, será problema pra vocês

-Não, será divertido- Poisson fala estralando os dedos, um mal habito comum

-Ótimo, irei enviar uma pequena ajuda pra vocês, ela chegara amanha cedo, cuidem dela muito bem viu

                Então tudo some... Todos sem dizer nada voltam a si, eu subo ao meu quarto onde tem uma janela grande e quebrada, vejo uma cama para mim, e isso me da certa alegria, faz meus ossos pararem de ranger, eu me deito e olho aquela janela com algumas partes quebradas, eu tenho que dormir de moletom pelo frio, eu fico la deitado, esperando, eu durmo e acordo, vejo pela janela o sol, me levanto e encaro a entrada do galpão onde vejo um ponto rosa parado em frente a porta, eu a encaro por alguns segundos e acho que pode ser quem “Ela” mandou, eu desço e vejo que Poisson já esta mexendo em seu laboratório, ela meche em uma alma vermelha com cuidado, Ogre que já acaricia um cachorro vira lata que ele deve ter encontrado no meio da noite, Psi-Co estava no canto como sempre e as irmãs o cutucavam, eu vou até a entrada e abro a grande porta de ferro, eu encaro Crona que esta assustada, vejo Ragnarok que estava prestes a bater em Crona, todos encaram eles e Crona cora

 

-Eu não sei lidar com um grupo de assassinos...

-A quanto tempo- Falei com um leve sorriso

-Mais uma cobaia- Falou Poisson

-Uma intrusa de cabelo rosa e um demônio- preto

-Um traveco hahaha- Falou Psi-Co

-Vai se fude todo mundo- Falou Ragnarok

                Ela entra e nos o recebemos, ela que tem uma lista e o mapa dos lugares, Poisson a recebe e a coloca no quarto ao lado do meu, ela deve saber de nossa breve historia, amanha a noite iremos começar, então pego os mapas e os prendo na parede de meu quarto, eu fico apenas o encarando... Onde começar, quem matar, quem esta com a alma suja, quem são os criminosos que sujam suas almas sem comer outras, quem são os vermes que merecem perder a alma... Eles todos pagarão por seus erros... Me encosto nas parede e sinto meus ossos rangerem, então olho pra porta e vejo Crona...

 

-Você não mudou nada dês daquele dia no beco- Ela falou sem abrir a porta me encarando pela brecha

-Esta falando da noite 1?- Falei relembrando

-Ele fala como um idiota- Ragnarok surge- Sempre falou e sempre vai falar

-Senti saudades do seu jeito impiedoso Ragnarok, como tem sido

-Divertido, Tentando ensinar essa veadinha a ser forte- Falou puxando cabelo de Crona

-Paree, não sei lidar com o meu cabelo sendo puxado- Ando até ela e faço Ragnarok parar com um tapa em sua mão, ele me olha irritado

-Eu não vou ficar aqui pra esse papo meloso- Então aquela criatura negra musculosa some entrando pelas costas de Crona

-O-Obrigado- Ela fala gaguejando

-Tudo bem... Como vai sua mãe, “Ela” anda bem

-Sim, ocupada e sempre trabalhando

-Imagino...

-Eu me lembrei daquela noite...- Crona falou se sentando comigo no chão- Eu e minha mão estávamos na cidade procurando alguém, e depois que achamos minha mãe foi procurar um mendigo para mim, ela disse que eu precisava aprender como era matar uma pessoa qualquer com minhas próprias mãos...

-E entraram justo no beco onde eu estava...

-Eu lembro até hoje...- Ela fala me encarando de lado

                Eu também me lembro... Eu lembro da chuva que caia sobre mim, o arder no peito, o sangue que escorria, e o sangue nas mãos, vários homens mortos a nossa volta e eu abaixo da única luz do lugar, ela apaga por um segundo e quando acende esta “Ela” me encarando com seus olhos de cobra, e ao lado esta Crona agarrada em sua perna, ela me encara com medo, ela aponta pra mim questionando “Não sei lidar com crianças mortas” e “Ela” solta um leve sorriso para a filha e diz “Mas ele já esta morto Crona, olhe a alma em seu peito aberto” eu vejo que realmente a um buraco mostrando meus órgão ainda pulsando, e entre os órgãos esta minha alma, eu a pego e estendo a  ela, minha alma não tinha cor, cinzenta... “Pegue pra você, ela não tem função pra mim”  eu tinha aceitado a morte, então ela pega alma e eu sinto que devo morrer, mas sua voz me faz levantar a cabeça “Que curioso, acho que pode ser interessante” então com suas próprias mão “Ela” coloca minha alma de volta, e me segura no colo como se eu fosse seu filho “Vou leva-lo conosco, e iremos dar a ele uma vida” eu sabia que ela so queria entender minha alma... Mas antes dela não ouve uma pessoa que me segurou assim...

 

-Aquela noite foi quando eu morri, e sua mãe com as próprias mãos me trouxe vida

-Se é assim que vê...- Crona fala olhando pro lado

-Eu lembro de nossos momentos juntos foram divertidos...- Falo me levantando e estendendo a mão pra Crona que eu puxo e ela se levanta, e se colando ao meu corpo, mas se afasta de imediato corada

-Não sei lidar com o contato físico com velhos amigos- Ela fala se escondendo em seus braços

-Desculpe, preciso voltar a pensar, pode me deixar sozinho- Falo a guiando pela porta

-Esta bem- ela fala me dando um abraço e correndo, ela nunca fez isso antes

                Eu fecho a porta e fico encarando por alguns segundos... Mas so por pensar no que Crona acabou de fazer, mas logo me viro e me sento, ao chão, olhando o mapa e a lista, que possui nomes, com fichas de cada um deles... Quem será o primeiro desgraçado que irei fazer pagar por sua alma suja? 


Notas Finais


Obrigado por ler


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...