História Soul Mates - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Tom Riddle Jr.
Tags Hermione, Tom, Tomione, Voldemort
Exibições 84
Palavras 1.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


<3
Ouçam esta musica combina com a alma do cap.:www.youtube.com/watch?v=RE7_Zp0lX1c

Capítulo 8 - Mistérios Macabros


Fanfic / Fanfiction Soul Mates - Capítulo 8 - Mistérios Macabros

Sentia acordar apesar de seu impulso ser continuar dormindo.Quando se sente dominada de dúvidas , receios sobre sua sanidade e mentalidade, sempre pensamos em refugiar longe de nós mesmos e da vida. Por momentos pensei isso mesmo, mas para seu azar, o feitiço cobrava que eu volta-se , mas o que tinha para decidir e não desejava em absoluto fazer, mas como sempre não detinha a sorte do seu lado.

Respirara fundo, assustando quem dormia sob sua barriga, respirara fundo, tossindo fortemente e respirando normalmente, havia-se erguido sem dar conta, fora como um respirar após um longo periodo de ausência, via seus filhos olharem arregalados para si , com seus conjuges do lado aparando a ver a sua reacção.

—Mãe...?-Perguntara a medo sua filha Rose, olhara para ela meia desnorteada, a passos largos compridos e pesados no solo, aproximava-se a enfermeira que olhava-lhe seriamente, sentando do lado dela e examinando-a vendo o que lhe acontecia , lentamente tomava norte aonde estava e o que fizera , começando a envergonhar-se da própria atitude, não devia num acto de desespero ter feito um feitiço sem sequer avaliar se sairia viva do mesmo. Fora irresponsável, não era próprio seu , não mesmo.

Entrara em seguida a pessoa que olhava-a no minimo aliviada, sentira-se no minimo culpada, com tudo isso. Trocaram um olhar que dizia claramente que falaria a sós e com mais tempo.

—Sim...filha...-Sua Rose abraçara-a com força, apertara de volta tendo um olhar fulminante da enfermeira que queria terminar de examinar e após terminar, olhara-lhe apreensiva.

—Foi uma recuperação excelente, miss Weasley...recomendo que fique de observação esta noite ainda e amanhã se continuar com os niveis como estão agora, deixo-a ir sem problemas...terá alta amanhã..e juizo quando lançar um feitiço de novo.

Suspirara e confirmara com a cabeça, olhando cada qual que ali estava, abraçara seu filho que sussurrara-lhe no ouvido “ sentimos sua falta , mãe.”

—Também senti vossa, meus amores, como senti...

Abraçara os filhos com força, após muita conversa sobre as novidades e muita insistência do marido e mulher respetivamente, foram então embora prometendo voltar no próximo dia. Sobrara só Ronald e ele não conseguiria convencer com meias palavras ou sorrisos forçados. Ele conhecia com a palma da mão, suspirara algo forte ao vê-lo sentar silenciosamente.

—Ron?

—Hermione o que te passou pela a cabeça? Porque fez algo assim?

Mordera o lábio inferior, olhando-o , não queria explicar os motivos e o que descobrira, não desejava isso, nem queria magoá-lo com o que descobrira sobre seu passado e sobre o seu coração.

—Precisava achar respostas, mas não ponderei as consequências do que faria...desculpe Ron...

Ele alisara seu rosto carinhosamente, mordera o lábio inferior ao notar que ele queria algo mais , mas sentia angustiada com o que ele faria, mas não o parava, desejava saber o que seria depois. E assim, como prevera ele beijara-lhe delicadamente os lábios, quase que chorara e não era de felicidade, desejava ter sentido amor algo mais que forte amizade que sentia por ele, porque só sentia que so o beijo da sua alma gemea a faria completa e feliz, era atormentador demais. Desviara-se logo após, deitando na cama e voltando-lhe costas, ele notara sua frieza e sua reacção, suspirara algo forte, levantara-se .

—Amanhã venho te visitar com nossos filhos, Hermione...

—Sim...obrigada Ron...

Um frio algo congelante tomara conta da ala hospitalar, uma estranha dormência tomara conta de si, sentia como se algo estivesse observando-lhe, vira escuro derrepente e uns olhos gelados pareciam perscrutá-la “ Acorda...vem até a mim...”.Era um estranho sibilar que sua mente , dizia para si. Abanara a cabeça, respirando mais devagar, voltando na realidade, Ronald olhava-a algo estranho, sentia seu olhar queimando nas costas, mas nada dizera.

O que fora aquilo?

Após uns momentos em silêncio, ouvira os seus passos em direcção da porta e fechá-la. Ficara na cama e na mesma posição uns momentos mais digerindo tudo que descobrira até agora e recordando a sua última conversa com Cassidy, revirara-se na cama, até decidir que não conseguia ficar deitada, pegara a sua varinha da mesinha de cabeceira do lado, lançara um desmaius na enfermeira que tivera a delicadeza de encaminhar para a cama do lado e deixá-la dormindo até voltar.

Caminhara algo nervosa, pelos os corredores tentando não ser vista por alunos ou docentes de Hogwarts, mordera com força o lábio inferior, até ouvir uma voz recriminadora falando algo baixo quando aproximava-se da biblioteca.

—Nunca pensei ..que esgeirasse-se durante a noite Hermione...sempre a tomei por uma aluna certinha...enquanto frequentava Hogwarts....

Contivera a custo um grito que iria sair, olhando para o fantasma translúcido da sua ex-professora de transfiguração, Minerva McGonagall, abrira e fechara a boca olhando e apontando a varinha iluminada para ela, recebendo reclamações dos quadros que desejavam dormir.

—Professora...virou fantasma...?

—Sim...querida...e suponho que vá na biblioteca não é assim?

—S-Sim..mas... mas...posso ir de manhã...

—Não estais desesperada para ler o livro que a colocou em coma, não é assim?

Abrira e fechara a boca pensando mentir mas o olhar serio e penetrante da sua antiga professora, não conseguira mentir a ela.

—É vital que eu consiga lê-lo, professora...

—Esta no gabinete do Flitwick e suponho que também outra coisa, pois não?

Olhara com atenção, se concentrando no que mais poderia querer além do livro, até que o caderno de couro que compunha o diário chamara-lhe a atenção,será que esse diário ainda existia hoje em dia?

—Por acaso , saberia professora, de um caderno de couro...?

—O diário de Ilithiyia , não é?

Abrira muito os olhos olhando-a, sorrira algo sem vontade.

—Recorda de minha vida passada?

—Desde que adentrou em Hogwarts novamente, fiquei em choque ao ver que era parecida a minha falecida melhor amiga, Hermione...mas pensei que fosse só coincidência, mas na magia coincidencias não existem....e reconheço muitas semelhanças...

—Semelhanças?

—Ela começou como você, irrequieta, aerea...depois começou tendo sonhos...e não darei muito tempo para o que seguira...querida Hermione ...só lamento que tenha passar por isso...e seu diário estara perto da Vector..suponho que tenha recordado dela...até um dia Hermione....

Seu espirito sumira ficara vendo ela ir, tinha tanto a perguntar-lhe , o que seguiria a seguir aos sonhos? Estava confusa...olhara para a porta da biblioteca, desviando-se a dirigindo-se á fénix enorme que dava entrada po gabinete do Diretor, engolira em seco pensando em como subiria e falaria com o actual diretor. Suspirara fortemente, recordando estupidamente que não sabia a senha.

—miss Weasley...?

Voltara na direcção da voz, quando virara dera de caras com uma das pessoas que mais desejava ver,sua ex-professora de Aritmância, Vector.

—Professora Vector....?

Ela escondia algo atrás das suas costas, mas vira algo rapidamente um vislumbre de couro, era o diário.Olhara-a mais seriamente.

—O que faz aqui a estas horas, miss Weasley?

—Poderia perguntar-lhe o mesmo , professora...

Ela engolira em seco, aquilo era muito estranho.

—Venho ver ...o Flitwick...sobre uma questão importante...e vós?

Sentira algo sufocante,a sensação viera mais forte,algo estranho, tossira fortemente, olhando a professora , sentira que ia perder a consciência, mas quando dera por si, sentira que havia voltado ao estado de coma que havia estado quando estava no feitiço. Mas sentia que alguém havia apossado-se de si.

—Eu...Vector...preciso do meu diário...sei o que lestes...-Sua voz saira mais branda, arrastada, calma como se não fosse ela falando, mas...ela reconhecia aquele tom em especifico. Era Ilithiyia falando? Como era possível?

—Não ...é Hermione Weasley...é você Ilithiyia...

—Sim...sempre odiei esse sobrenome...nessa vida só fiz foi adiar o inevitável...mas sempre tive o plano B, para isso preciso do diário...Vector...

—Não parece você, Ilithiyia não podes fazer isto...o que aqui está...você sabe o que está colocando em perigo? O que ele fez com você?

Sentiria soltar um sorriso algo calmo e estranhamente macabro, não recordava de um dia ter visto em lembranças de Ilithiyia ,tal sorriso.

—Preciso terminar com isto ...e preciso...dele...Vector...me da esse diário agora...

—Não...

Sentira erguer sua varinha sem deter, ela detinha o pensamento de ...matar? Engolira em seco , começara batalhando para voltar a sua própria consciência.

—Ah...- Ilithiyia retornara novamente ao mesmo sitio onde ela estava, vira a consciência dela algo translucida, ela estava seria e olhando-a fixamente.

—Você...

—Precisarás daquele diário, a menos que desejes viver ...e ser liberta deste feitiço Hermione...o feitiço que executaste para procurar as respostas da tua alma...eu o fiz enquanto vivi ...e dele você só sairá quando terminar o que planeamos e nós libertar da maldição...

Enrugara o cenho, olhando-a, vendo-a, engolira em seco, parecia outra pessoa totalmente diferente da que vira na sua visão, ela parecera dar conta do seu rumo de pensamentos.Que planos? Só sabia da maldição , mas de qual plano ela falava?

—Não..só amei Hermione...e nem sempre o amor nos transforma em algo bom...mas em algo melhor do que pudemos ser...

Não lhe respondera, sentira que tornava a si novamente, olhando aonde estava, voltara novamente na ala hospitalar, dessa vez tendo como aflitos consigo, enfermeira que estava algo furiosa consigo, Vector e Flitwick.

—O que aconteceu?

Vector suspirara forte, abraçando-a.

—Vai tudo correr bem...confie em mim....

—Não estou entendendo.

Ali estava um grande mudança em si, a mentira e o cinismo.

Ela recordava de como ficara assim e de tudo o que vira, mas precisava que acreditassem que ela não recordava que tinha sofrido uma possessão para puder investigar de como sair dessa e principalmente conseguir o livro que falava da alma e do diário.

Aquele estranho frio e a sensação de ser observada a cada momento aumentavam. Quando perdera o controle sobre sua vida . Será que estaria ficando louca? Estaria indo pelo o mesmo caminho que suas anteriores vidas.Abanara a cabeça e decidiria começar pensando racionalmente novamente.Após tudo isso , teria que investigar um modo de voltar no tempo, algo que era considerado impossível e terminar todo o mal da raiz, precisava somente de deixar tudo encaminhado e que sua vida quando a perdesse não tivesse sido em vão.

Algo que sabia para si, é que de alguma forma , todas estas viagens por sua alma e tudo que suas vidas passadas lhe transmitiram, não teria um bom fim.


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...