História Soul Mates - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Hermione Granger, Tom Riddle Jr.
Tags Hermione, Tom, Tomione, Voldemort
Exibições 83
Palavras 2.056
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


<3

Capítulo 9 - All Hope is Gone


Fanfic / Fanfiction Soul Mates - Capítulo 9 - All Hope is Gone

Sempre gostara do amanhecer do Sol na torre do Relógio, fechava as pálpebras só para sentir o calor nos olhos e a expetativa de que iria abrir os olhos e ver o mais belo e sublime espetáculo que a natureza presenteava.

Mas hoje não sentia o calor e o que deveria sentir ao ter os olhos encerrados e a mesma calma e tranquilidade que sentia outrora, algo no ambiente incitava a que a calma não pudesse estar presente, que algo iria mudar e sentia isso fortemente no âmago do seu ser.

Estava com o livro das almas que havia começado todo o seu tormento ou sua vida com outros olhos ainda não deslindara ao certo o que sentia em relação a viagem que fizera por sua alma , mas mudara todo o seu ser.

“Hermione...vem até a mim...”

Aquele sussurro incessante no vento, não parava de persegui-la e perturbá-la. Ela no fundo reconhecia aquela voz, só não entendia como era possível.

Fechara angustiada os olhos tentando espantar esses pensamentos e não conseguia.

Tinha voltado a rotina e voltado ás aulas, aos almoços no fim de semana com seus filhos e Ronald na toca com toda sua família e com Harry, embrenhava-se em livros para distrair-se, mas era vão.

O tempo passava e teimava em tornar ao que lhe atormentava a mente.

Descera as escadas , passando a pente fino as escadas que em tantos anos e em diversas vidas pisara, sentia uma forte ligação a Hogwarts e entendia o motivo de isso suceder.

Mas tinha toda uma vida como para embarcar em mistérios de outras vidas e o mistério de ter como alma gémea , alguém que desejou em vida acabar com a sua, com pessoas como ela, com sangues ruins.

Tinha seus filhos que necessitavam de si , eles podiam ser crescidos e casados mas ainda dependiam de si e o seu coma demostrara isso muito bem. Mas faltava algo essencial que nunca achara sem ser com ...ele...o amor , o arrebate que o amor nos dá, a necessidade intrinseca de ver ao acordar aquela pessoa que você daria a vida ali do lado,tudo isso.

Nunca sentira de fato e sentia seu coração sangrar apesar da mente ser o mais lógico possível e dizer que estava tomando a decisão certo deixando de lado tudo que sucedera até aquela data.

Com o rumo de seus pensamentos nem vira que chegara no quarto nos aposentos que possuia na sua sala, aqueles aposentos eram antigos, muito antigos mesmo, deviam de remotar tal como toda a escola , á sua fundação, passara na maçaneta da porta entrando e olhara logo automaticamente para a cama, continha o impulso de voltar a ela e remexer no que sabia que podia tornar a qualquer momento para algo que tinha colocado em marcha sem o desejar.

Sentira uma batida na porta o qual a fizera dar um pulo enorme, olhara para a porta reconhecendo a origem do barulho .

—Entre?

—Hermione?

Franzira o cenho reconhecendo quem era pelo o tom de voz, que fazia ali a professora Vector? Recordara a ultima vez que a vira e amaldiçoara-se por ter dado a entender que ali encontrava-se. Pegara a varinha e fizera a porta abrir.

Pela a porta entrava com seu ar sério e vestes negras, que não lhe retirava a elegância , professora Vector olhava-a e trazia algo que no fundo da minha alma reconhecia que desejava mais que tudo. O diário de Ilithiyia.

Ela somente deixara sob sua cama , o pequeno caderno de couro, olhando aflita para si, abraçara-lhe sem nenhum aviso, sussurrando no ouvido.

—Termina de vez com isso , Hermione...senão não terás paz, cuidado com o que verá.

Engolira em seco e nada respondera, só a vira sair novamente deixando-lhe aquele tormento sob sua cama, vontade de mandar para o fogo mas não o fizera, limitara-se a olhar para o mesmo .

Fechando fortemente os olhos, ficando com vontade de correr para longe, mas sentia dormente e isso só sucedia quando vislumbres de sua vida passada passavam ou suas consciências passadas queriam tomar conta.

Fora até ao diário abrindo ele, no inicio encontrara páginas escritas desde runas escritas , até ao fim que detinha imensas sem um único pingo e tinta sequer, tocara com a varinha esperando ter algum resultado e nada! Vira o tinteiro e tocara com pena no diário,escrevendo.

“Meu nome é Hermione Granger...”

Sumira mal escrevera , tal como diário de Tom Riddle segundo Harry dizera-lhe, deduzira pelos vistos acertadamente.

Mas nada superava o que vira escrito a seguir.

“ Olá , Hermione...espero você escrever a muito tempo...”

Aquilo fizera Hermione abrir muito os olhos , não entendendo em absoluto como um diário podia estar esperando ela escrever?

“Como assim? “

“ Você sabe no fundo...”

Algo estava angustiando-lhe um pouco, recordando o seu setimo ano em Hogwarts em que lera o livro que professor Dumbledore lhe tinha deixado, sobre as horcruxes e sua dor de cabeça ia aumentando ao ler cada página.

“Quem é você? “

“ Você sabe quem eu sou...mais importante quem é você Hermione? “

Seus olhos iam desfocando a medida que as páginas do diário iam iluminando , sentia a mesma sensação de quando entrava numa penseira era muito parecido, quando dera por si olhava borrões cinza e preto, seguia em frente quando dera com uma imagem meio invulgar.

Estava no meio de uma floresta numa bela lua cheia e tudo estava calmo aquela hora, encaminhava-se para um Castelo na ponta fora até lá reconhecia aquele local.

Onde Helena Ravenclaw havia morrido por causa do Barão Sangrento, seu filho noutra vida.

Era na Albânia o local , segundo recordava.

Um ser de longos cabelos loiros avelã e encaracolado que era a sua cópia diga-se de passagem com vestido comprido e branco longo dava-lhe um ar leve , ela caminhava de encontro a um homem que estava de costas, quando ele voltara-se para ela.

Ela reconhecia de algum lugar aquele homem , sorria como nunca havia visto, era um homem belo, a sua mente rapidamente associara onde o havia visto , belos olhos azuis e corpo definido alto, Tom Riddle na sua máxima jovialidade e beleza, ele tomara-a entre os braços como se não quisesse soltar, tocava todas as partes do corpo dela como se fosse algo precioso, puxara de leve seu cabelo, deixando-a totalmente colada a si, puxando-o levemente, sussurra no seu ouvido.

—Como és minha fraqueza, Ilithiyia...e como te amo...

Ela sorria fortemente beijando-o docemente.

—Eu sei ...

—Odeio você ser minha fraqueza, Ilithiyia, nunca me senti tão feliz como sinto com você...e isso é verdade...mas tenho objetivos maiores...e você sabe disso...

—Sei sim...e sei que sempre estarei com você, meu senhor...meu Tom...- Ela puxava a varinha para perto de si .- Pronuncia Tom...e terá o mundo que deseja demore o tempo que demorar...

—Eu sei ...- A mão do futuro Lord das Trevas tremia diante do que iria fazer nunca tal pensou Hermione viver para presenciar.

—O feitiço está preparado , e eu tornarei para ti ...seremos os governantes meu amor ...tudo que desejas irá cumprir-se.

Tom ouvia o que ela dizia sem deter-se e a avidez e coragem tomaram conta do seu ser e pronunciara com impeto.

Avada Kedavra...-uma luz brilhante vermelha saira e após isso, o corpo de Ilithiyia fora sustido por Tom e o pequeno caderno de couro saia do vestido dela e brilhava como nunca.

O caderno de couro...era...era...uma horcrux.

Tom pegara o corpo de Ilithiyia delicadamente no colo e levara até ao Lago que decorava o local ermo na floresta reconhecia como a Floresta da Albânia, uma flor de liz na mão e o caderno de couro na outra mão, um corte profundo surgia devagar no seu rosto á medida que ia ficando mais branco e mais frio, olhando a beleza puro no Lago.

Dera costas saindo do local , pronunciara um feitiço para Ilithiyia no Lago e ela mantivera-se sob as águas daquele mesmo jeito e sorriso doce que sempre a preenchia.

Nisto o caderno de couro abrira suas páginas sem que alguém o coodernasse, mostrando um estranho circulo preenchido de runas , que fazia um brilho azulado e fechara novamente como se nada houvesse sucedido. “

Sentira que voltava rapidamente para onde viera , respirara fortemente ao olhar que as páginas pareciam revoltas agora, até chegar numa página especifica.

“ Fim...Hermione...agora procura o circulo rúnico do tempo , você sabe no fundo do seu ser que é isso que deseja ardentemente fazer...”

“Como é possivel procuramos todas as horcruxes...”

“Mas não as destruiram todas...essa manteve-se silenciosa e calada no tempo...protegida por você Hermione...”

“Não eu não protegi nenhuma horcrux sua, Tom...”

“Protegeu sim, sua morte conferiu a protecção máxima a essa horcrux e parte de minha alma Hermione, porque você é minha alma gêmea e você me ama incondicionalmente e Ilithiyia morreu para salvar meu pedaço de alma...e isso fez com que nunca fosse achada essa horcrux...é parte de minha alma que você protegeu com sua vida...”

— Nãoooooo...- o grito saira de sua boca , mas era para o diário que deveria ter ido, o choque era muito.

“Pronuncia o feitiço, Hermione..vem até a mim...”

Aquela voz novamente , era a voz...a voz dele.

O diário movia-se novamente sem que pudesse deter-se como na visão que vira , voltando ao circulo rúnico e este brilhava novamente e sentia-se desfalecer como perdendo a respiração, tudo ficara escuro .

Quando sentia que abria os olhos novamente estava sentindo sufocada e num espaço curto que impedia praticamente de respirar, batia com força e estava ficando aflita estava trancado, sentia a varinha sob seu colo, respirara fundo e concentrara-se.

bombarda maxima...corpus ascendium...- Sentia seu corpo elevar do lugar que estava prestes a soterrá-la em areia com o feitiço que pronunciara de seguida, olhara em volta ao ver onde aterrizava ,meio atordoada.

Ela estava num cemitério? E ela estava no controle do que sucedia naquele corpo, não era como das outras vezes , ela estava no comando do corpo, sentia as dores e o que deveria sentir,precisava sair dali.

Pensava saber onde estava, só podia ser ...

Hogwarts...novamente?

E um feitiço avermelhado razara sua cabeça, sentira-se atordoada ao sentar no chão.

—Você não morre Ilithiyia...curioso como um ser tão belo não morre ...você é uma feiticeira elemental minha amada luz...venha comigo para a Albânia , minha preciosa.

Focara os olhos vendo quem era...e sua alma não podia acreditar.

Tom Riddle na sua frente, olhando-a como se fosse algo raro e acariciando seus olhos , arrebatando-a num beijo e foi então que confirmara que o beijo dado por sua alma gêmea era algo bem diferente, fechara os olhos e entregara-se ao beijo sentindo algo como plenitude.

Desfalecera em seguida, sendo amparada, por ele antes de cerrar os olhos, voltara ao estado de inconsciência que tão habituada estava.

Agora que cobrava sentido ao que fizera sentia-se enormemente culpada de ter gostado do beijo do assassino dos pais de Harry , de quem matara tantos, quanto ela.

Que estava acontecendo com você Hermione?

Ao fundo da sua consciência , uma forma translúcida de Ilithiyia sorria chegando perto dela já não parecendo tão assustadora como fora da última vez que sua consciência , estava muito confusa e baralhada .

—Porque voltei aqui nesse momento , antes da sua morte...de fazer a horcrux no diário?

—Precisamente para acabar com tudo isto , minha querida Hermione...

—Acabar com o que ?

—O sofrimento dele...mostre o verdadeiro caminho, Hermione...e tudo acabara como deveria ter acabado sempre...

—Você sugere ...que...

—Mude o destino...Hermione e se surpreendera inclusive com segredos que circundam sua vida actual.

—Não...não ...meus filhos...minha vida não...que segredos?

Estava voltando e nada podia fazer em contra, acordara e estava deitada numa cama bem macia de um quarto marcadamente prata e verde .

—O-onde estou?- Falara com a voz um pouco rouca devia de ser pelo o pouco uso provavelmente.

—No meu quarto de monitor chefe, Ilithiyia...

Aquela voz arrepiara-lhe a trouxera memórias da batalha final em que ouvira o Voldemort pronunciar o seu discurso de vitória, era a mesma voz fria e aveludada que incitava a ouvi-la.

Hermione olhara-o e sabia que possuia duas opções neste momento.

Não sabia que fazer enquanto aqueles olhos perscrutavam-na, não sabia mesmo , pois ele não dera tempo, tornando a beijá-la e isso tirava-a de órbita por completo.


Notas Finais


<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...