História Soulmate. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Fifth Harmony
Exibições 19
Palavras 1.494
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hallo, carinhas.

Tem uma músiquinha no cap de hoje, ouçam se quiserem.
Can I Have This Dance - Troy and Gabriela.

Enjoy.

Capítulo 13 - Thirteen


  Lorenzo Miguel

Meu corpo inteiro se arrepiou ao ouvir aquelas três palavras saindo da boca de Camila, meu coração só não saíra do meu peito porque não era possível, tinha a sensação de ter corrido uma maratona sem pausas. Separei nossos lábios, a olhei, uma coloração avermelhada tomou conta das maçãs de seu lindo rosto, a língua entre os dentes e nariz rugadinho num claro ato de timidez. Os braços de Camila se enrolaram no meu pescoço escondendo o rosto no mesmo, soltou um riso baixo que fez minha pele arrepiar-se, mordeu a pele sensível de meu pescoço.

:- Repete. - pedi baixinho.

:- O que? - falou no mesmo tom.

:- O que você acabou de falar, repete, por favor. - pedi

:- Eu. Amo. Você. - falou pausadamente. - Não estava dormindo completamente quando você sussurrou contra meus cabelos no outro dia, eu ouvi. Queria gritar, berrar para todo mundo ouvir, mas eu não podia, guardei a sensação para mim, apenas.

:- Oh, sua tratante. - falei rindo. - Você fingiu estar dormindo? - perguntei incrédulo.

:- Não, mas eu não estava completamente acordada. - falou rindo.

A puxei para perto, colando nossos corpos, o rosto de Camila estava escondido no meu pescoço, poucos minutos depois deixamos o banheiro, nossas peles estavam toda enrugadinha. Vesti apenas uma boxer vermelha e uma regata preta, Camila roubou uma camiseta minha, vestiu-a em seguida, colocando apenas uma calcinha. Voltamos para a sala, nos comodamos no sofá, alguma série do momento passava na TV, não dei muita atenção.

Camila estava deitada com a cabeça em meu peito, minhas mãos estavam emboladas em seu cabelo numa caricia leve, a risada de neném ecoava pelo comodo preenchendo minha alma, aquecendo meu coração, arrepiando cada partezinha de meu corpo, sorri involuntariamente. Minha atenção estava totalmente voltada para a menina-mulher deitada praticamente em cima de mim, fazendo um carinho gostoso no meu maxilar, fechei os olhos para apreciar mais o carinho. O corpo abaixo do meu se remexeu, o rosto de Camila se encaixou na curva de meu pescoço e ali ficou, sua respiração quente batia contra minha pele.

:- Amor? - chamou-me manhosamente.

:- Oi, babe. - respondi baixinho.

:- Estou com fome, mas não quero sair para comer. - resmungou com um bico lindo nos lábios.

:- Eu vou preparar alguma coisa para comermos então. - falei e colei meus lábios aos dela.

:- E você sabe cozinhar desde quando? - perguntou arqueando a sobrancelha.

:- Desde sempre, eu cozinhava quando morava com meus pais, é meio que uma paixão secreta. - falei sincero.

:- Ei, eu achei que era sua paixão secreta. - ralhou.

:- E você é, mas agora não é mais tão secreta e sabe por que? - perguntei.

:- Não, diga. - respondeu baixo.

:- Porque quero gritar para o mundo o quanto eu amo você e o quanto você me faz feliz, Camila. - respondi olhando naqueles castanhos profundos.

:- Oh meu deus, tenho que ajoelhar e agradecer todos os dias por ter você em minha vida. - falou pulando em meu colo. Beijou-me fervorosamente, as pernas de Camila rodearam minha cintura, minhas mãos apertavam fortemente a cintura de minha garota, nossas línguas se exploravam, se experimentavam, se encaixavam, como se fosse a primeira vez, em todas as vezes.

:- Vamos para a cozinha. - falei caminhando para o próximo comodo.

A canção Can I Have This Dance começou a ecoar pelo apartamento, puxei Camila para dançar, aproximei nossos corpos, cantando a parte de Troy.

Take my hand, I'll take the lead

(Pegue a minha mão, eu tomarei a liderança)

and every turn, will be safe with me

(E toda volta será segura comigo)

don't be afraid

(não tenha medo)

afraid to fall

(medo de cair)

you know I catch you through it all

(Você sabe que eu pegarei você através de tudo isso)

you can't keep us apart

(Você não pode nos separar)

Camila sorria, os olhos brilhavam como a mais bela noite estrelada, cantarolou junto comigo.

Even a thousand miles can't keep us apart

(Mesmo mil milhas não podem nos separar)

Cause my heart is wherever you are

(Porque meu coração estará em qualquer lugar que você estiver)

Um sorriso brotou em meus lábios e logo chegou aos olhos. Continuamos a cantarolar e dançar pelo apartamento.

It's like catching lighting

(É como ser atingido por um raio)

The chances we finding

(As chances de acharmos)

someone like you

(alguém como você)

It's one in a million

(São uma em um milhão)

the chances we feeling the way we do

(e nos sentirmos do jeito que sentimos)

and with every step together

(E cada passo junto)

we just keep on getting better

(Nós só ficamos melhores)

so can I have this dance?

(Então, me concede esta dança?)

Encostamos nossas testas, meus olhos se mantinham fechados enquanto ainda se ouvia a canção tocar ao fundo, Camila ainda sussurrava a canção contra meus lábios, nossos corpos se moviam em sincronia, lentamente, um sorriso foi se formando em meus lábios e eu sabia que minha garota também estava sorrindo. A música se encerrou, mas continuávamos da mesma maneira, eu não ousaria quebrar aquele contato maravilhoso que estávamos tendo. A mão de Camila pousou em meu rosto num carinho delicado, meus olhos ainda estavam fechados, ela desenhou todo o contorno do meu maxilar com a pontinha do dedo, logo depois o dedo contornou meus lábios, deixei um beijo casto na ponta do mesmo, arrancando um riso de minha namorada. Abri os olhos para encontrar o meu castanho favorito no mundo transbordando carinho, um sorriso contido se mantinha preso nos lábios da latina, puxei-a para mais perto colando ainda mais nossos corpos. Um suspiro escapou de seus lábios rosados, a língua presa entre os dentes num sorriso sacana.

:- Amor, eu ainda estou com fome. - falou bicando meus lábios.

:- Oh, claro. Vamos comer. - falei andando para a cozinha. - O que deseja comer? - perguntei.

:- Me surpreenda, Miguel. - desafiou-me. - Hm, eu gosto de Miguel, soa bom para mim.

:- Não, não soa bom nada. - resmunguei.

:- Soa sim, calado. - falou firme apontando o dedo em minha direção.

Me calei, né, não iria arriscar minha vida.

Abri o armário pegando alguns ingredientes, mac and cheese seria perfeito. Coloquei o macarrão para cozinhar enquanto preparava o molho, cortei o queijo e alguns tomates. Sentia o olhar de Camila queimando minha pele, um sorriso brotou em meu rosto, encostei-me na bancada, cruzei os braços pigarreando.

:- A senhorita estava olhando para a minha bunda? - perguntei segurando o riso.

:- O que? Não. - respondeu de pronto.

:- Estava. - rebati

:- Não estava. - rebateu com a sobrancelha arqueada.

:- Estava sim. - falei

:- Não, não estava. - falou bufando

:- Não estava. - falei rindo.

:- Estava sim. - Camila arregalou os olhos e eu gargalhei alto.

:- AHÁ, te peguei, amor. - falei com dificuldade.

:- Bocó. - falou e cruzou os braços abaixo dos seios.

Terminei de preparar o mac and cheese, o coloquei no forno para gratinar um pouco, preparei um suco de melancia, o favorito de Camila. Arrumamos a mesa para comermos, nos servi logo em seguida.

:- Prove. - falei calmo.

Camila bateu na mesa em expectativa gargalhando, acabei por gargalhar junto. Pegou o garfo, espetou alguns macarrões, fechou os olhos e levou o garfo até a boca.

:- NOSSA. - falou. - Isso está maravilhoso, amor, sério. Vai ter que cozinhar para sempre agora.- falou dando mais uma garfada.

:- Eu irei, amor. - respondi simples.

Comemos entre pirracinhas, carinhos, sorrisos e olhares apaixonados. Nossas mãos estavam entrelaçadas em cima da mesa, meu dedão fazendo um carinho leve na costa da mão de Camila, um sorriso brincava nos lábios da latina, meu coração estava disparado em meu peito.

Apaixonar-me por Camila foi como num piscar de olhos. De repente eu estava sentindo. Como uma pequena fagulha caindo sobre a gasolina causando uma explosão, e eu odiava explosões, mas essa eu passei a amar. Passei a amar Camila como nunca havia feito antes. Eu não era capaz de colocar em palavras o quanto eu a amava, o quanto era feliz ao lado dessa baixinha birrenta, manhosa, dengosa, carinho e principalmente, minha. completamente minha. Minha, mas não no sentido de posse, Camila era livre, dona de si, ela era dona de seu próprio caminho, e mesmo assim, escolheu trilhá-lo ao meu lado.

Sem ao menos notar, eu também era dela. Sem mentiras. Sem negações. Completamente dela, puro, singelo, íntegro e inteiro. Camila tinha-me por completo. Do mais simples sorriso até a mais espalhafatosa das gargalhadas. Quando me dei conta, estava me entregando de peito aberto, sem máscaras, sem pudores. Tudo o que eu tinha para oferecer era o meu amor. E amor, era o suficiente.

Todos os dias eu me apaixonava um pouquinho mais por Camila e naquele instante, havia me apaixonado mais alguns pouquinhos. 


Notas Finais


All the love, carinhas.

Um xêro, Et.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...