História Soulmate - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Min Hyuk, Show Nu
Tags Monsta X, Showhyuk, Tragedia, Yaoi
Exibições 73
Palavras 1.628
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oláaa amourasssss!
Primeira oneshot postada e é tragedia. E AINDA DO MEU OTP. Meio masoquista, eu? Magina!
Enfim, não vou falar muito aqui então, LEIAM AS NOTAS FINAIS OK?
Preparem a caixinha de lenço e boa leitura ~ ♥

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Soulmate - Capítulo 1 - Capítulo Único

 

 

 

 

Se tinha algo que eu sentisse falta, era dele.

 

 

Me lembro perfeitamente a primeira vez que eu o vi. Os olhos pequenos, sorriso despreocupado no rosto, os cabelos brancos, a boca avermelhada e ah, como sempre, o pirulito na boca. Corria até sua aula – que havia perdido o horário – quando nossos olhares cruzaram. Um arrepio subiu pelo o meu corpo naquele dia e ele sorriu. Um sorriso tão largo que fez meu coração bater tão rápido. Ele realmente mexeu comigo, de um jeito inexplicável. Todo dia que eu entrava naquela faculdade, meus olhos procuravam os dele. Não sabia seu nome, sua idade ou o curso que ele estava fazendo, porém, eu tinha me apaixonado. Sim, amor à primeira vista. Nunca acreditei nessas coisas, mas tudo mudou quando eu o vi. Eu estava completamente entregue ao loirinho dos lábios vermelhos que sempre andava com um pirulito em seus lábios, tão vermelhos quanto ao doce. Por muito tempo eu o observei. Meus amigos perceberam e sorriam para mim falando que conheciam ele. Sabiam o nome, a idade e o curso que ele estava fazendo.

 

 

Lee MinHyuk, 20 anos e cursava Artes Cênicas.

 

 

Fiquei feliz de saber essas poucas informações sobre ele, mas algo estava errado. Fazia alguns dias que ele não aparecia na faculdade e isso me deixava estranho. Estava desistindo de vê-lo novamente quando ele apareceu na faculdade. Isso me esquentou por dentro, uma sensação tão boa. Naquele dia, ele estava mais infantil que o normal. Usava uma touca preta que tinha algumas orelhinhas de gatinho e uma mochila bege em suas costas e é claro, seu habitual pirulito em seus lábios. Sorri ao vê-lo, ele realmente tinha voltado. E nesse mesmo momento que eu o vi, criei uma coragem que eu não sabia que existia dentro de mim e fui até ele. Sua voz era uma das melodias mais linda que eu tinha ouvido em toda minha vida, seu sorriso infantil encontrava-se em seus lábios. Ah, ele realmente era a perfeição em pessoa. Me perguntava se ele tinha algum defeito.

 

 

Desde daquele dia que conversamos, começamos a se aproximar mais e com toda a certeza do mundo, isso me deixou extremamente feliz. Meu coração batia rápido toda vez que eu ouvia um ‘’hyung’’ manhoso saindo de seus lábios. Meus amigos perguntavam para mim quando eu iria tomar vergonha na cara e adquirir a famosa coragem para chamar o loirinho para sair. Depois semanas planejando como chama-lo para sair finalmente, eu o fiz e ele sorriu.

 

 

‘’Pensei que nunca ia me chamar pra sair, hyung.’’

 

 

Ele queria tanto quanto eu.

 

Foi o primeiro encontro de muitos. Eu fazia toda a vontade dele, tudo o que ele queria. Eu realmente estava completamente entregue a ele. Em um dos nossos encontros, ele roubou um selinho meu. Lembro-me de suas bochechas extremamente vermelhas, como se ele mesmo não acreditasse o que tinha feito. Isso com certeza, o deixava mais infantil. E foi ali, que eu retribui o selinho dele para um beijo mais profundo e apaixonante. Seu hálito era tão doce quanto os pirulitos que vivam em sua boca. E também foi naquele momento que eu descobri que ele me amava tanto quanto eu o amava. Sorrio bobo comigo mesmo toda que vez que lembro dele falando baixinho um ‘’eu te amo, hyung’’ todo envergonhado e eu só pude responder ‘’eu também te amo, Minnie’’

 

 

 

 

MinHyuk era realmente um ser perfeito. Uma criança num corpo de um homem. Isso me fazia se encantar ainda mais por ele. Seu sorriso brilhante iluminava meus dias e provavelmente, de todos que andavam com ele. Não tinha como NÃO se apaixonar pelo o sorriso do loirinho. Perguntava-me se ele realmente tinha algum defeito já que não aparentava a ter. O tempo passou rápido e quando vi, fazia mais ou menos cinco meses que estávamos juntos.

 

‘’Vai enrolar até quando para pedir ele em namoro, hyung?’’ – Hyungwon, namorado do meu melhor amigo, me perturbava com essas falas.

 

Mas, não discordo. Eu realmente estava enrolando para pedir o loirinho em namoro. Não porque eu não queria e sim, por medo. Pensava que ele iria me rejeitar. Não me culpem! Era a primeira vez que eu sentia algo tão intenso por alguém e a insegurança que passava dentro de mim era enorme. Mas também não demorei para fazer o pedido. Foi algo tão bem planejado e tão bonito que, me lembro dos pequenos olhinhos dele se encherem de lágrimas e dizer um pequeno sussurro ‘’aceito’’. Naquela mesma noite de terça-feira, pela a primeira vez, fizemos amor. Uma de tantas outras noites, manhãs, tardes…ah, sinto falta disso também. Sua boca tão vermelha entre aberta, gemendo meu nome era uma das coisas mais maravilhosas do mundo. Seu cabelo loiro grudado em sua testa quando arqueava suas costas enquanto eu o tocava de uma forma tão intensa. Seu cheiro faz falta nos meus lençóis.

 

Minhyuk era incrivelmente bonito até babando e roncando, que confesso, achava fofo. Adorava acordar de manhã e sentir o cheiro de café vindo da cozinha, vê-lo vestido com sua cueca e minha camisa – que ficava super larga nele – preparando nosso café enquanto dançava alguma música que vinha em sua cabeça.  Quando vi, já tinha se passando dois anos desde quando eu pedi o loirinho em namoro – muito rápido para o meu gosto. E foi nesse mesmo tempo que tudo começou.

 

 

 

Ele havia me ligado, seu tom sério e ao mesmo tempo aflito me deixaram intrigado. Me pediu que fosse até em sua casa para que pudéssemos conversar. Nunca vi meu loirinho tão abatido como antes, em dois anos de namoro, ele estava péssimo. Seus olhos não tinham brilho. Até sua boca vermelha que sempre carregava um sorriso doce, estava sem vida. Papeis de exames estava em sua frente enquanto o mesmo, chorava sem parar. Seus olhos encontraram o meu e assim, ele correu para me abraçar e pedindo desculpas. Não estava entendendo nada. Assim que eu peguei os papeis e li, tinha entendido tudo e o desespero bateu em mim.

 

 

Meu loirinho estava com câncer cerebral.

 

 

A minha única reação foi abraçar ele. Por que tinha que ser logo com o meu loirinho? O apertei com força e sussurrava coisas como ‘’tudo vai ficar bem’’. Depois de algum tempo tentando acalmar tanto ele como eu, descemos até a cozinha onde sua mãe tomava o café da tarde, na tentativa de acalma-la. Ficamos ali por longos minutos, tentando racionar tudo que tinha acontecido.

 

                                                                                                         ••••

 

 

 

 

 

 

Sentia meu mundo desabando cada vez que eu via meu loirinho ir para quimioterapia. Ele não deixa eu o acompanhar. Segundo ele, não queria que eu o visse daquela forma. Eu realmente não sabia como estava seu estado e isso me deixava cada vez mais frustrado. Um dos maiores medos de MinHyuk era perder o cabelo durante o tratamento, mas isso não aconteceu. Mas ele estava mais pálido, tinha perdido os olhos brilhosos e o sorriso doce. Não era o meu loirinho. Estava mais magro e quase não comia direito. Me preocupava cada vez mais, porém, toda vez que eu perguntava se estava tudo bem ou me preocupasse demais, ele só falava ‘’estou bem, hyung’’ e me dava um sorriso de canto.

 

 

E foi no final daquela quinta-feira que veio tudo aconteceu. Estava no trabalho quando sua mãe me ligou desesperada avisando que o meu loirinho estava internado em estado grave e o desespero tomou conta de mim. Não pensei duas vezes de largar tudo e correr até o hospital. Ao ver ele naquela cama de hospital, praticamente sem vida e com alguns tubos em seu corpo, eu realmente chorei. Por que com o meu loirinho? Quando eu entrei no quarto, ele meu deu um sorriso fraco e pediu para que eu chegasse perto dele. Meu coração doía e minhas lagrimas não paravam de cair.

 

 

 

‘’ – Hyunwoo... – falou baixo. – Olhe para mim! – pediu de forma doce, como sempre e eu fiz, o olhando. Levei minhas mãos aos seus fios loiros, fazendo um leve cafuné. – Estava esperando você chegar, amor. – sorriu fraco, levando suas mãos até as minhas, apertando com força que conseguia. – Eu já sabia que ia ser assim. – acabou uma risada fraca sair. – Eu sabia que estava num estágio avançado. O médico me disse antes de começar o tratamento, mas mesmo assim eu queria fazer. – sorriu fraco novamente. – Hyunwoo-ah, eu quero que você seja feliz, hm?! Independente com quem estiver. Eu sempre vou estar com você. – lagrimas começaram a cair de seu rosto pálido e aquilo me doeu mais ainda. Me aproximei e selei seus lábios demoradamente, um sorriso formou nos lábios sem vida dele. – Eu te amo muito, hyung.

 

 

‘’Eu te amo muito, meu loirinho.’’ – sussurrei.’’

 

 

 

E foi ali que ele me deu um último sorriso antes de partir. O barulho irritante da máquina de batimento cardíaco se fez presente no quarto. Um grito de agonia saiu da minha garganta e lagrimas aumentaram, ele havia partido. Ele tinha ido para longe de mim. Eu não queria ficar longe do seu corpo, do seu cheiro, de seu sorriso, dos seus olhos…não queria.

 

 

E estamos aqui. Dez anos depois. Dez anos sem o meu loirinho com suas risadas escandalosas, sem seu cheiro, seu sorriso brilhante e seus olhos cor de mel. Suspirei pesado e apertei o pequeno buquê de girassóis que tinha em mãos. Sorri de canto e me agachei, colocando elas em cima do tumulo.

 

 

 

Eu sinto sua falta, loirinho. – sussurrei, como fosse só para ele ouvir.

 

 

 

Confesso que nunca acreditei nesses negócios de alma gêmea e que podemos amar uma pessoa tal intensamente. Mas com toda certeza, depois que eu conheci Lee MinHyuk, minha visão mudou sobre isso. Eu o amei intensamente e nunca consegui amar uma pessoa como eu o amei.

 

 

E posso afirmar também que, ele era a minha alma gêmea.

 

 

 

 


Notas Finais


Alguém chorou?! Porque olha, eu chorei tanto que demorei para termina-la.
Terá uma pequena ''saga'' de tragedias então, fiquem ligadas aqui tudo bem?! Talvez demore para sair um pouco a próxima porque estou com muitos projetos, mas vai sair!

Porque ShowHyuk é maravilhoso? Não sei, só sei que sofro.
Comentários para eu ficar feliz e saber o que vocês acharam?! *o*


Minhas outras fics:

DADDY: https://spiritfanfics.com/historia/daddy-6435189
CONSEQUÊNCIAS: https://spiritfanfics.com/historia/consequencias-6702037
ALL IN: https://spiritfanfics.com/historia/all-in-6350977

Me sigam no twitter e venham falar comigo! Dou spoilers ♥
https://twitter.com/showhyukie

Até a próxima!
Amo vocês ♥
Chu ~ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...