História Souvenir - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias 4Minute, EXID, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Hani, Ji Hyun, Kai, Personagens Originais, Sehun, Xiumin
Tags 4minute, Baekhyun, Chanyeol, Exid, Exo, Hani, Jihyun, Kai, Sehun, Xiumin
Exibições 34
Palavras 2.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Katchau, cá estou eu novamente.
Não tenho muito a dizer a não ser que esse capítulo é um dos que estou mais insegura de postar.
Até lá em baixo. ❤❤

Capítulo 7 - Diversão


Baekhyun sempre foi o mais inteligente de todo o grupo de amigos; isso foi mais que comprovado quando Harvard University, uma das melhores faculdades do mundo ofereceu uma vaga para ele, todos os custos de curso pagos; não teria que se preocupar com nada além de alimentação e compras não-universitárias.

O rapaz não havia nem pedido a vaga; a diretora do colégio onde estudava o indicou como melhor aluno, e surpreendentemente a universidade acabou se interessando. Ofereceu, inclusive, aguardar que o tempo de serviço no exército do rapaz acabasse.

Byun aceitou instantaneamente quando soube. Ficar vários anos longe da sua cidade natal seria maravilhoso, considerando que seu melhor amigo havia roubado sua namorada.

Melhor amigo. Na época Byun duvidava da veracidade da amizade. Afinal, que amigo ''rouba'' a namorada do outro? Que diabos causaria isso? Paixão? Não sabia; a única coisa que compreendia era que sua amizade com Chanyeol nunca mais seria a mesma.

Os dois anos de serviço no exército foram complicados, no entanto teve êxito e, ao sair, viajou diretamente para a cidade de Harvard. Sequer tivera contato com os amigos, não queria ver Chanyeol na época.

Baekhyun conseguiu concluir o curso superior com êxito também, com notas boas e vários números de garotas americanas. Era incrível o modo como a maioria das garotas iam para cima de alguém que tivesse olhos puxados. Lembrava de não conseguir caminhar direito sem ser alvo de olhares, cochichos, e em muitos casos algumas garotas o paravam para conversar, pedir seu número.

Milagrosamente ele conheceu dois orientais por lá. Kyungsoo e Junmyeon.

Os três acabaram ficando amigos e descobriram várias coisas em comum; seu desgosto por futebol, sua paixão por filmes de terror e, além disso: eram originários da mesma cidade.

Durante todos os anos que permaneceram nos Estados Unidos aprontaram muitas coisas; céus, Baekhyun não era capaz de contabilizar quantas coisas haviam feito. Sabia apenas que, se no futuro fosse contar suas aventuras aos seus filhos, iria demorar muito.

No entanto, seus colegas de diversão não retornaram consigo para a Coréia, iriam viajar para alguns lugares antes e Baek prometera que algum dia ainda iria viajar com eles ao redor do mundo.

Mas, neste momento, as memórias dos anos bons que teve no exterior pareciam tão longínquas. Tudo que conseguia lembrar era dos sorrisos dos garotos ao se despedirem no aeroporto.

Baekhyun respirou fundo, estava olhando para a tela apagada de seu celular. Esperava que algo aparecesse ali, queria que alguém ligasse e o chamasse para sair, ou que simplesmente dissesse que iria o visitar. O rapaz estava morando sozinho, sua família o presenteou com um apartamento em uma das áreas mais luxuosas de Seul.

A família Byun era extremamente rica; dona de uma rede de hotéis luxuosos. Luxo era uma coisa que não faltava para eles.

Toc toc...

Baek levantou-se do sofá e se direcionou para a porta; abrindo e visualizando Jihyun sorrindo, atrás dela estava Sehun visivelmente chateado. Baek deduziu que o mais novo fora arrastado até ali.

— Ei Baek, vá trocar de roupa, sim? O bonitão ali — apontou para Sehun — precisa de uma noite de diversão.

Baekhyun não reclamou, estava feliz que finalmente alguém estava o salvando do tédio.

Assentiu com a cabeça, mandou que os amigos entrassem e foi para seu quarto. Escolheu uma peça de roupa qualquer e a vestiu, arrumou o cabelo e passou perfume. Se verificou no espelho e concluiu que estava apresentável. Charmoso e bonito.

Voltou para a sala de estar e visualizou os outros dois implicando um com o outro, avisou que estava pronto, e então saíram.

Chegaram na boate que Baek havia dito ser de qualidade e adentraram sem esperar na fila; benefícios de ser um Byun.

— Preciso de uma bebida. — Jihyun pronunciou.

Os garotos concordaram e então a noite começou, eles dançavam, bebiam e riam.

Sehun estava mais calmo, bebia e observava o local, também dançava vagarosamente. Diferentemente dos outros dois, que estavam muito mais animados e dançavam com os corpos colados. Era totalmente visível que a garota estava provocando Baek, seus corpos se moviam em sincronia conforme a música tocava.

Quando a música mudou, o clima também mudou. E agora os dois se beijavam. Tão alterados e animados que não se importavam. Suas bocas se movimentavam com pressa, Byun puxava a loira para mais perto e ela estava com as mãos nos cabelos do rapaz, arranhando levemente.

Sehun observava a cena com um sorriso de canto, lembrava de algumas coisas que ficou sabendo durante o colegial. O moreno riu e terminou de beber de seu copo, indo ao banheiro após isso.

Fez suas necessidades e retornou, esbarrando em Jihyun que estava rindo e com o batom borrado.

— Relembrando os velhos tempos, pipoquinha? — sussurrou no ouvido da loira.

— Aigo! Não fala nada, por favor.

A garota o puxou contra si, juntando suas bocas e o silenciando. Sehun não a afastou e a puxou para mais perto; Jihyun sorriu durante o beijo e o fez caminhar para trás aos poucos, o derrubando em um sofá que havia ali e subindo no colo do mesmo. Beijou seu pescoço antes de voltar a atenção à boca do rapaz.

E o que parecia um beijo simples trocado por bêbados estava indo para outros níveis, Sehun estava tocando-a mais intimamente, e ela rebolava no colo do rapaz, causando fricções entre sua parte íntima e o membro do moreno, mesmo que por cima da roupa.

Obrigaram-se a parar alguns minutos mais tarde, pois não queriam ser protagonistas de um filme pornô ao vivo. Então, permaneceram apenas se olhando, sentindo a presença do outro. Jihyun sorriu e pôs seu rosto na curva do pescoço de Sehun, beijando levemente o local.

Sehun não reclamou, estava tão absorto que não questionava nada que estava acontecendo naquela noite. Agia como antes de tudo acontecer, antes de Ji-woo o conquistar.

Jihyun se afastou de Sehun quando Baek apareceu com duas garrafas de vodca, erguendo-as e dizendo algo sobre os benefícios de ser um Byun. Se sentou ao lado dos dois e ficou ali; todos beberam durante boa parte da madrugada e, vez ou outra, a loira roubava um beijo dos garotos. Os dois não reclamavam, estavam até gostando.

Somente quando já era muito tarde da madrugada decidiram ir para a casa de Baek; não estavam em condições de dirigir, então voltaram de táxi; bêbados, com marcas pelo corpo, cheirando a bebida, com os desejos à flor da pele e sabendo que a noite estava apenas começando.

 

✘☯✘

 

 — Vocês tem certeza de que querem assim? — perguntou a loira, se sentando novamente no colo de Sehun —  Já fizemos tantas coisas até agora... poderíamos ir para a parte divertida, não?

— O que você quer que eu faça? — o rapaz sussurrou no ouvido da garota.

— Me toque, por favor.

Jihyun odiava como parecia tão desesperada ao implorar para ser tocada pelo outro, mas estar ali, nua no colo do rapaz era muita tentação. Não conseguia se controlar.

Quando os dedos de Sehun foram pressionados contra sua intimidade, ela ofegou. O moreno podia sentir como sua ex-namorada estava excitada naquele momento. E, quando ele penetrou um dedo a garota não se conteve e soltou um gemido baixo. Se surpreendeu também ao sentir beijos quentes em seu pescoço, Baekhyun estava ali. Ela virou o rosto e se permitiu o beijar com calma, ao mesmo tempo em que Sehun penetrava mais dedos e aumentava o ritmo.

— Acho que já é minha hora de aproveitar um pouco, não? — Baek disse, se afastando da garota.

O outro rapaz sorri maliciosamente e leva a garota para a cama, sentando-se e a pondo apoiada em si. Jihyun não havia se preparado para o que viria a seguir; a boca de Baek entre suas coxas.

— Oh meu deus!

Baekhyun sorriu, em seguida passando sua língua pelo núcleo quente da garota, provando-a e arrancando gemidos arrastados da mesma.

Estava se sentindo bem, estava submissa a dois garotos a quem confiava.

— Merda! Não pare Baekhyun.

Ela também podia sentir a ereção de Sehun contra uma de suas mãos; e o pensamento inevitável de dois garotos lindos se sentindo excitados por sua causa aumentava ainda mais seu ego.

— Mmmm, tão perto. — Jihyun murmura.

E quando a garota chegou ao seu ápice, Baek lambeu os lábios e limpou seu queixo. A loira sorriu e levantou-se, recebendo olhares reprovadores dos dois rapazes.

Ela prendeu seu cabelo, respirou fundo e focou seu olhar no Byun.

— Minha vez.

Empurrou Baekhyun suavemente, o obrigando a deitar na cama; ela o beijou rapidamente. O moreno se assustou quando a mão de Jihyun passou levemente por seu membro, em seguida abrindo o fecho da calça do mesmo tirando-a lentamente. Era possível ver nos olhos do rapaz a necessidade, o desejo.

— Gosta do que vê, pipoquinha? — Baekhyun questionou, provocando.

Quando as mãos da garota finalmente tocam o membro de Baekhyun, ela inicia movimentos leves, movendo a mão para cima e para baixo cuidadosamente; podia sentir como o rapaz estremecia a cada segundo.

A loira abaixou-se, passou a língua pela cabeça do membro do rapaz; e no segundo seguinte, desceu seu rosto para baixo, pondo o máximo possível dele dentro de sua boca. Não demorou a começar os movimentos, fazendo com que o Byun se contorcesse embaixo do corpo da mesma. Os dedos dele chegando ao cabelo loiro, os segurando.

— Está indo tão bem pipoquinha. — Sehun pronunciou enquanto deixava beijos pela extensão das costas da garota — Você merece mais atenção, sim?

A garota de cabelos loiros estremeceu ao sentir os dedos do ex-namorado em sua intimidade, ele estava ajoelhado atrás dela.

— Você precisa de mais, não é? — perguntou Sehun — Precisa de mim dentro de ti. — riu quando ela concordou — Continue com seu trabalho no nosso amigo, certo?

Escutando os gemidos de Jihyun misturados ao do outro, Sehun pôs a camisinha em seu membro.

— Você sabe que não sou tão gentil como no dia a dia, não sabe?

Sehun não demorou muito a se impulsionar para dentro de Jihyun, se mantendo em um ritmo lento e constante, deixando fácil que, pelo menos, a loira se prendesse em alguns pensamentos claros.

O quarto estava uma bagunça, gemidos e suspiros se misturavam, e Jihyun queria mais, muito mais.

Não demorou muito para que os movimentos do moreno ficassem mais rápidos, transando com Jihyun de uma maneira tão intensa que naquele momento a garota havia perdido totalmente sua capacidade de raciocínio.

Nesse momento, Baekhyun já havia chegado ao seu ápice, e a garota como uma boa menina, engoliu todo o esperma. E então, não demorou muito para que então ela desmoronasse na cama, tremendo a cada toque constante que recebia; também sabia pela forma como Sehun estava que, não demoraria muito para que ele tivesse seu orgasmo, os gemidos foram aumentados gradativamente quando o rapaz finalmente teve um colapso mental, caindo na cama ao lado da loira.

O quarto agora havia ficado em total silêncio, apesar das constantes respirações ofegantes.

— Deus, garota. Você é incrível. — pronuncia o rapaz mais novo.

A partir dali, não demorou muito para que Jihyun percebesse Baekhyun se movimentando, sua mão agarrando em torno de seu membro novamente ereto.

Ela observou surpresa como o garoto parecia tão sensual daquela forma, de olhos fechados e boca entreaberta. Observou como ele parecia se deleitar com os movimentos de sua própria mão;

Sorrindo a garota engatinha até o rapaz, o empurra novamente na cama e o beija; seus lábios se encontrando de uma maneira áspera; era divertido como o garoto parecia entregue.

 — Me fode, Baek.

O rapaz sorriu com luxúria e assentiu, rapidamente pegando um preservativo e deslizando a borracha em seu comprimento e, em seguida, olhou novamente para ela antes de se aproximar e empurrar-se para dentro da garota.

Ele parou, olhando para dentro dos olhos da garota antes de finalmente investir novamente. Estava lento, mas não tanto quanto Sehun havia ido.

As mãos dele permaneceram nos quadris da garota, segurando firmemente e gemendo quando sua velocidade aumentou. Estava indo tão intensamente, de uma forma tão rude, mas a garota não se importava, estava definitivamente adorando.

— Vá devagar com ela, Baekhyun. — Sehun repreende — Sabe que ela não é uma boneca.

— Eu estou bem Sehunnie — Jihyun o tranquiliza — Mais rápido, Baek. — a garota pronuncia — E mais forte, por favor...

O moreno obedece e gradativamente adiciona mais força a cada impulso, lentamente entrando em um novo ritmo.

— Ah... sim, Baekkie...

Os espasmos do pequeno corpo da loira eram perceptíveis, as pernas ao redor da cintura do garoto se apertando cada vez mais. A visão dela estava embaçada, e os gemidos de Baekhyun eram algo que, definitivamente era prazeroso de se ouvir. Não demorou muito tempo até que Jihyun gozasse.

Ela estava cansada, ofegava cada vez mais enquanto os movimentos de Baek ficavam mais lentos, ele bate seus quadris nos da garota e em seguida chega ao ápice; logo gemendo o nome de Jihyun contra o pescoço da mesma.

Os olhos claros da loira vão em direção ao corpo nu de Sehun sentado um pouco distante; visualizou o sorriso do garoto e riu, se sentia mais do que bem, e sabia que a noite deles ainda não havia acabado.

Suspirou quando sentiu a boca de Baekhyun deixar alguns beijos leves no pescoço da loira, deixando também, alguns chupões de leve.

— Por que não fizemos isso antes? — pergunta, em seguida ouvindo a risada de ambos os rapazes — Podemos ter uma segunda rodada?

— Segunda rodada? — pergunta Baek — Você quer que aconteça de novo?

— Somente por esta noite.

Ele assente lentamente, tentando raciocinar.

— O que você acha, Sehun?

— Eu acho que é uma ótima ideia.

 

✘☯✘

 

— Alguém me mata. — Sehun disse ao jogar o celular longe — Estou acabado.

Baekhyun apenas murmurou alguma coisa indecifrável e dormira novamente. Jihyun estava olhando para o teto, raciocinando sobre os acontecimentos da noite.

Haviam ido para a balada. Ok. Beberam até esquecer o próprio nome, se beijaram. Conversaram sobre coisas sem sentido; e haviam transado.

Céus.

Arregalou os olhos surpresa e se levantou rapidamente, passando os olhos pelo quarto e então para os corpos ao seu lado. Sehun e Baekhyun. Olhou para seu próprio corpo: marcas de mãos e vários chupões. Olhou para o corpo dos garotos: a mesma coisa, apenas com adição de arranhões.

Uau. A noite havia sido selvagem.

Gemeu de dor e pôs a mão na cabeça. Maldita ressaca. Levantou-se e recolheu suas roupas. Viu alguns pacotes de preservativos pelo chão. Alguns. Não um, não dois. Mais de cinco.

Ok, noite muito produtiva.

Jihyun entrou no banheiro e ligou o chuveiro, deixou a água quente cair sobre seu corpo dolorido. Permaneceu lá por tanto tempo que até mesmo o sono apareceu; secou seu próprio corpo, em um dos armários pegou uma camisa de Baekhyun e um calção, os vestiu e passou pela lavanderia para pôr suas roupas na máquina.

Foi para a cozinha e preparou um café da manhã, voltou ao quarto e acordou os dois rapazes.

— Shh! Silêncio por favor, eu estou com dor de cabeça. — Sehun bradou e Jihyun revirou os olhos — É sério pipoquinha, parece que vou morrer.

— Sem drama oppa. E você também Baekkie, acorde.

— Me deixa dormir mulher.

— Sem chances, rapazes! Se vocês não se recordam, vocês tem que trabalhar.

Os dois bufaram e levantaram, Sehun — o mais atrasado — tomou banho primeiro e pôs a mesma roupa, iria passar em sua própria casa antes de ir ao trabalho. Baek foi logo após, não tinha muita pressa para sair, trabalhava na administração de um dos hotéis de sua família. Chegar atrasado não diminuiria a quantia que ia receber de seus pais no fim do mês.

— De quem foi a ideia de sair para a balada noite de semana, mesmo? — Baek perguntou se servindo do café.

— Minha. Podem me agradecer. — Jihyun respondeu sem tirar os olhos do celular — Aliás, eu não entendo o motivo de você trabalhar Baek.

— Gosto de pensar que conquisto meu dinheiro, — deu de ombros — mesma que nem 40% da quantia que recebo seja por causa do trabalho. E você? Não vai trabalhar hoje?

— Tirei o dia de folga. Não posso aparecer na agência com o corpo assim — gesticulou para seu corpo, este que tinha várias marcas, e riu.

Os garotos riram também, e Sehun saiu. Estava atrasado.

— Você ainda gosta dele, não é? — Baek perguntou, observando o rosto da loira.

Ela se virou para ele, surpresa pelas palavras que foram ditos pelo maior.

— Eu... — começou, olhando para o chão em seguida — gosto.

— Sabia. Está tão óbvio pipoquinha, você nem disfarça.

Ela abaixou a cabeça, nervosa. Não queria deixar tão visível que ainda nutria sentimentos, mesmo que poucos, pelo ex-namorado.

— Não esquenta, não vou comentar nada, e sabe como Sehun é, não vai perceber ao menos que você fale. 


Notas Finais


Eo, maior capítulo até hoje. também é um capítulo que está meio de fora POR ENQUANTO.
É sério, de certa forma esse nosso threesome acontecido aqui vai influenciar mais pra frente.
E quero também dizer que sou péssima escrevendo hots, então provavelmente tá horrível e peço perdão por isso.
Até logo amores. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...