História Souvenirs from a diary - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Qualquer semelhança com outra realidade é mera coincidencia.

Capítulo 2 - O outro lado da moeda


Jhon Demetriou

Dia ?

Já não sei quanto tempo se passou desde que o desgraçado do Marcellus me deixou e fugiu... amaldiçoado seja... e ainda por cima não salvou a Carla... ele é quem deveria ter morrido naquele acidente! Se ele não tivesse tentado roubar aquilo, nos não precisaríamos fugir... mas no final, so o Marcellus conseguiu. A Carla me deu este diario sempre me pediu para escrever um diário... ela dizia que me ajudaria a me sentir melhor... acho que deveria tentar, em respeito a ela.

Dia 1

Acho que já faz quase um ano desde que me tornei escravo “deles”, tudo culpa do desgraçado do Marcellus... secretamente estou criando uma maneira de ir atrás dele... espero que o desgraçado ainda esteja vivo, pois eu mesmo quero mata-lo.

Dia 2

Nos escravos acabamos fundando uma comunidade... não facil viver aqui, eu quero muito sair, tenho certeza que o mundo la fora é muito melhor. Hoje mais cedo, sai com minha amiga, Marcelly, para ir ver um conhecido dela que diz ter achado um livro sobre o mundo la fora, realmente espero que seja verdade ja que o unico que ja viveu la fora foi o Marcellus e a Carla, farei tudo o que for necessário para ir la, pois realmente quero saber o porque a Carla queria tanto voltar para la... eu realmente a amava... se ela não tivesse ido atrás do Marcellus e entrado no (borrão causado pela lagrima) ela ainda poderia estar viva...

Dia 3

Enquanto vinhamos para casa, eu e a Marcelly fomos abordados por umas das "fontes" da Marcelly, ele disse ter achado alguem que venderia polvora para nos, fiquei desconfiado mas decidimos ir la conferir e o desgraçado realmente estava certo. Conseguimos comprar polvora, em menor quantidade que eu esperava, mas o que importa é que conseguimos. Nosso unico problema é que essa polvora foi tirada do deposito dos oficiais... temos sorte de que já não a usam hoje, então não irão sentir falta ela. Vamos usa-la para explodir a parede e fugir, agora so falta conseguir um transporte... espero que esta pólvora seja o suficiente...

Dia 7

Eu vacilei... eu não deveria ter mandado a Marcelly ir arranjar armas com o pessoal “revolucionário”... como eu pude ser tão burro?... eu deveria saber que eles tentariam abusar dela... por minha culpa ela se feriu gravemente tentando se defender... ela esta desacordada... espero que ela melhore... não sei quanto tempo vou conseguir esconde-la dos oficiais...

Dia 14

A Marcelly finalmente acordou, o medico da comunidade me disse que ela ainda sente dores... não sei se vou ter coragem para olhar na cara dela...ela deve me odiar...

Dia 15

O medico disse que ela queria me ver... não sei se vou ter coragem de vê-la. Acho que a noite irei ate la...

Dia 16

Acabei de voltar da casa da Marcelly, estou me sentindo muito mal... quando cheguei, ela me abraçou e perguntou se eu estava bem... ela me contou que temia que houvessem descoberto nosso plano... eu não pude conter minhas lagrimas... me desculpei com ela e cai novamente em lagrimas... ela as enxugou e me disse que iria ficar tudo bem e me abraçou fortemente... mas não consegui falar mais nada... me pergunto o que Carla faria nesta situação...

Dia 17

Os oficiais já começaram a perceber que a Marcelly não estava aparecendo no trabalho... a punição para um escravo que não trabalha é a morte... estou com medo de não conseguir protege-la... queria que o Marcellus estivesse aqui, por mais que ele seja um desgraçado... ele saberia como lidar com esta situação facilmente...

Dia 25

A Marcelly finalmente se recuperou... estive muito ocupado cuidando dela enquanto a escondia dos oficiais e acabei esquecendo completamente deste diário.. seria que a Carla me perdoaria por esquecer o diário que ela me deu?... acho que sim, ela era uma boa pessoa. O representante dos “Revolucionarios” veio pessoalmente para se desculpar pelo ocorrido... ele é um bom homem, tentarei fazer um acordo para nos arranjar um transporte... espero que ele aceite.

Dia 26

O representante aceitou minha oferta, finalmente eu e a Marcelly vamos poder sair deste inferno, estou muito ansioso para finalmente fugir daqui.

Dia 27

O representante finalmente nos arranjou um transporte... meu Deus, nem consigo acreditar que finalmente vou realizar o sonho da Carla que sempre carreguei comigo... espero que onde quer que ela esteja, ela esteja me observando... Vamos realizar a fuga em 4 dias... espero que tudo de certo.

Dia 28

Pedi para a Marcelly ir juntar comida, enquanto isso, tive que cobrir ela no trabalho... sera que vai valer a pena tudo isso? Eu realmente não sei... espero que sim... Hoje o dia foi complicado, um dos escravos ficou revoltado e tentou agredir um oficial, os outros interviram e acabaram matando-no, acabamos sendo liberados do trabalho hoje, entao foi facil evitar que descobrissem que a Marcelly não veio.

Dia 29

Me pergunto se vamos ter comida e combustível o suficiente, e também se será possível arranjar mais la fora... ainda estamos liberados pelo incidente do oficial ontem... fico imaginando o que deve ter de tão horroroso la fora para chegar ao ponto de escravizar a própria população? Deve ter sido o resultado daquele teste... pela historia que me contaram, a muito tempo atrás realizaram um teste que deu errado, e agora estamos assim... o que terá acontecido no mundo???

Dia 30

Acho que já devemos ter comida e combustível o suficiente, mas precisamos de armas... não temos mais nada para trocar por armas... como iremos consegui-las? A fuga já é amanha... Hoje a tarde irei tentar arranjar... preciso fazer isto rapido... Tive uma ideia muito idiota, essa já vai para minha lista de vacilos... fui roubar uma parte das armas dos oficiais achando que não iriam perceber, mas eu não sabia que todos os dias as armas eram contadas... provavelmente irão fazer uma vasculha amanha para descobrir quem a pegou... isso pode comprometer todo o plano, o que devo fazer Carla...?

Dia 31

Fomos avisados que irão vasculhar as casas hoje na hora do almoço... devo me apressar para fugir antes disso. De certa forma esse meu erro vai ajudar, maior parte dos vigias vão estar em um so lado da “cidade”, vamos aproveitar e fugir pelo outro, espero que de certo. Falta uma hora para o almoço, vamos começar o plano agora, eu já armei as bombas para destruir a parede, espero que nada de errado aconteça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...