História Special A -- Confissões e Confusões -- - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Special A
Personagens Personagens Originais
Tags Hentai, Romance, Shoujo
Visualizações 32
Palavras 754
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, tô chegando com mais um capítulo hein? Como vocês tão? Sentiram saudades? Bom, de qualquer jeito eu aviso aqui que esse capítulo vai ser tenso e triste, então não me responsabilizo pelo que vocês vão ler.
Bom, é só isso, obrigado por esperarem e vamos lá.
~ Boa leitura.

Capítulo 16 - Eu te odeio, Takishima!


Hikari ON

Acordei no meu quarto, logo com a claridade invadindo através da janela, e logo lembrei da noite anterior, onde eu desmaiei… espera! Meu filho, ou minha filha! Ai meu Deus! Saí da cama correndo e fui procurando alguém em cada canto da enorme casa e encontrei uma das empregadas.

– Bom dia, hmm, a senhora sabe onde está o Takishi… o Kei?

– Bom dia, Hikari-san, o Kei-sama estará te aguardando no escritório dele, me espere. Te acompanharei até lá.

– Obrigado Mizuno-san. – Ela assentiu e então me guiou em um dos longos corredores daquela casa, logo chegamos em uma porta de madeira.

– É aqui, Hikari-san, se precisar de alguma coisa é só chamar. – Fez uma breve reverência e foi andando e adentrou um cômodo daquela casa que eu desconhecia.

Me deu um frio na barriga só de pensar que eu teria que ter uma conversa séria com Takishima, sobre o nosso bebê, se ele iria assumir ou não. Mas o negócio é que se ele não assumir eu o excluirei da minha vida para sempre, até porquê, no dia que fizemos ele me prometeu que se eu ficasse grávida que ele iria assumir o nosso filho/filha.

Resolvi arriscar logo e bater na porta de madeira bem polida. Logo apareceu o Takishima com os olhos vermelhos, denunciando que havia chorado.

Ele logo me abraçou e me puxou para dentro do escritório.

– Meu amor… Me desculpa, me desculpa… desculpa mesmo… – Lágrimas molhavam a minha blusa.

– Takishima, calma, porque está chorando? Alguma coisa de ruim aconteceu? E nosso bebê? Tá bem?

– Você ainda não sabe? Perdemos nosso bebê… desculpa… Eu não devia ter agido daquela maneira, desculpe Hikari…

– N-N-N-NÃO! T-T-Takishima! Não pode ser verdade! Meu bebê! Não! Não posso acreditar! Isso é mesmo verdade? – As lágrimas já caíam sem permissão e eu já estava desesperada, tanto ao achar que era uma brincadeira.

– É verdade sim, meu amor… me desculpa… – Takishima me pegou no colo e foi andando até um lugar que eu não sabia mais dizer onde, pois a minha visão estava embaçada pelas lágrimas que não parariam tão cedo. Só me apertei mais o meu mais recente marido e me permiti chorar mais ainda nos ombros dele, eu sabia que tanto ele como eu precisamos um do outro, ou melhor, do consolo um do outro.

Ele me deitou na cama, e se deitou ao meu lado também, nos cobrindo com o lençol branco e também permitiu-se chorar, pela primeira vez eu vi Takishima chorar e eu chorava também, iríamos construir uma família, mas parece que o nosso relacionamento só esfriaria apartir daquele ponto.

Parei de chorar, porque meus olhos não tinham mais lágrimas e minha cabeça doía tanto que parecia que iria explodir, levantei da cama e Takishima olhou para mim com os olhos cheios de lágrimas e sentou-se na cama, eu fui até lá e o abracei, fiquei abraçada a ele a um bom tempo, até que eu passei a mão no rosto dele, secando suas lágrimas e dei um pequeno selar na boca dele.

– Vamos tomar um banho, estamos cansados já, tanto emocionalmente quanto fisicamente. – Assenti, ele levantou da cama, segurou minha mão e fomos ao banheiro, lá tiramos a roupa em silêncio e entramos na banheira, nos banhamos carinhosamente mas logo nos enxaguamos, saímos da banheira e ele enxugou meus cabelos, enquanto eu enxugava os dele, sorrimos entre esse ato amoroso e ele acariciou meu rosto.

– Você me desculpa? – Neguei com a cabeça e ele abaixou o olhar.

– Não, até porquê não foi culpa sua, não precisa se preocupar com isso, você só ficou um pouco acanhado com relação a esse assunto e quis sair um pouco para pensar um pouco.

– Oh, Hikari. Você é um anjo, eu faço isso tudo e você faz questão de dizer que a culpa não é minha, claro que é minha, eu não deveria sair do quarto daquele jeito quando você disse que estava grávida.

– A culpa também foi minha, eu não deveria ir atrás de você nervosa daquele jeito, deveria me preocupar com o bebê também. Me desculpa. – Dei um suspiro triste.

– Pronto, assunto resolvido, estamos todos desculpados. – Ele se aproximou de mim e me beijou, as línguas se enroscavam e procuravam pela outro dentro das bocas, foi ficando cada vez mais quente, Takishima me pegou no colo, me levou até o quarto e me colocou na cama, acariciando meus seios, então eu empurrei-o pelos ombros.

– Eu acabei de perder um filho seu insensível! E você já vem na intenção de fazer sexo! Sai de perto de mim Takishima! Eu te odeio.

CONTINUA…


Notas Finais


Então, foi isso, não me matem por favor. Mereço muitos tapas certo?
Sim, eu queria avisar aqui que eu estarei corrigindo os capítulos anteriores, por estar com erros bizarros, que nem eu mesma lembro de ter cometido. Então, é só isso amores.
Ah e obrigado ~Larybangtanboys, por ter me cobrado o capitulo.
Obrigado por lerem e bjos, fuuuui. 😍😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...