História Special baby - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 4
Palavras 4.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Misticismo, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - The original


Era uma noite escura e sem nuvens e com uma lua cheia que paira sobre a cidade, parecia que seria noite perfeita para sair. A lua ainda não tinha atingido seu pico, há medida que se aproximava da meia-noite a maioria dos turistas já havia desaparecido das ruas. E numa dessas ruas praticamente vazias se encontrava uma garota de 21 anos e cabelos loiros parcialmente cacheados ela usava botas marrons, um jeans skinny uma regata roxa e uma jaqueta jeans.
Há semanas estava determinada em caçar o amor de sua vida e trazê-lo para casa. Era frustrante o modo que suas informações não a levaram a lugar algum, mas, no entanto, ela não iria desistir de encontrá-lo. O nome dela era Amélia (Amy) Andersson, e no momento ela esta a procura de seu namorado Christian Harrison.
Amy caminhou até uma esquina, onde um pequeno bar foi localizado. Ela olhou pra fachada do local onde tinha uma placa que dizia: "The Wolf and Cabin" logo apos fez seu caminho pra dentro do bar escuro. Como ela caminhou mais pra dentro reparou que não estava muito lotado, tocava rock clássico e tinha homens de idade sentados nas mesas ou no balcão assistindo a TV ou simplesmente bebendo. Não havia muita conversa e logo tudo ficou em silêncio só se podia ouvir o som da TV e a música.
A fumaça nebulosa pairava no ar e o cheiro de álcool era pungente. Amy caminhou mais pra dentro do bar só pra sentir todos os homens do local a olhando com curiosidade. Ela parou de caminhar quando estava no centro do local aonde a maioria dos homens podia ouvi-la. Corajosamente ela falou para obter a atenção de todos no local. "Qualquer um de vocês, rapazes, viu um cara moreno alto com uma camionete azul?" os homens olharam pra ela com mais curiosidade.
"Não, mas quem está perguntando" um rapaz de boné roxo perguntou interessado.
Ela dirigiu sua atenção para ele "Eu" ela disse apontando para si mesmo "Eu sou amiga dele e estou tentando localiza-lo" ela explicou.
"Bem, ele não esta aqui garota" ele cheirou o ar e seus olhos se estreitaram com desconfiança. "Você não é um lobisomem, né?"
Ela balançou a cabeça "Não, eu não sou"
Ele toma um gole de cerveja e olha fixamente pra ela "Então, oque fez você pensar que você pode simplesmente entrar aqui e sair ilesa, mortal?" Ele perguntou com um sorriso malicioso.
"Porque eu me importo o suficiente com ele a ponto de correr o risco" Ela rebateu de volta.
"Menina brava" ele riu impressionado com sua coragem.
Ela bufou "Seja como for, nenhum de vocês vai me ajudar de qualquer maneira" Ela virou e se dirigiu para a saída, ela não ia mais perder seu precioso tempo.
O rapaz de boné roxo olhou pra um outro rapaz de camiseta xadrez que estava perto da porta e lhe deu um aceno com a cabeça. Com esse aviso o rapaz de camiseta xadrez saiu de uma das mesas e se colocou na frente da garota fazendo-a parar.
"Qual é a pressa, querida?" Suas pupilas brilhavam um amarelo sinistro indicando seu status de lobisomem. "Por que você não fica e festeja com a gente"
"Eu acho que não" ela disse sem rodeios. Ela tentou manter-se confiante, porque ela não poderia permitir que eles a vissem intimidada "Apenas saia do meu caminho" ela ordenou tentando manter-se brava. Ele continuou a ficar no seu caminho, não obedecendo ao seu pedido. Frustada, Amy pegou uma garrafa de cerveja vazia de uma mesa e bateu na lateral da cabeça do rapaz . A garrafa quebrou contra seu crânio e ele cambaleou para trás segurando a cabeça sangrando. "Gaah!" Alguns dos outros lobisomens sentados nas mesas e ao redor do bar se levantou e a rodeou.
"garota idiota" o rapaz disse ao olhar o sangue em suas mãos. De uma forma estranha, meio que o excitava, oque só o deixou mais ansioso por seus planos para ela. Antes que ela pudesse reagir, ele a agarrou pelos ombros e empurrou-a contra a mesa, forçando-a para baixo.
A parte superior do corpo presa pela mesa, enquanto suas mãos foram presas nas costas "Não parece que foi uma boa ideia, não é?" Seu corpo estava por trás dela, e ela podia sentir seu hálito quente em seu pescoço. Ela sabia aonde isso ia dar.
"Fiquem longe de mim" ela gritou enquanto tentava se mover, mas era inútil, seu aperto era muito forte.
"Eu fico com ela depois de você terminar" disse outro lobisomem que estava em uma mesa perto do balcão.
O lobisomem de camiseta xadrez lançou o olhar para o outro de sua espécie "Quem disse que eu vou dividi-la?"
O rapaz de boné roxo continuou a beber sua cerveja enquanto observava os dois com indiferença "Vocês são patéticos... Apenas matem ela" disse ele em um tom aborrecido.
O lobisomem que estava prendendo Amy a mesa de repente foi jogado pra longe dela. Seu corpo foi jogado em direção a alguns vidros do outro lado do bar e os outros lobisomens olharam para trás e viram um rapaz jovem de cabelos prateados e olhos castanhos de pé atrás deles
"Que nojento" ele falou calmamente "Ir atrás de uma menina inocente como se ela fosse um pedaço de carne? Vocês são um bando de cães imundos", ele cuspiu venenosamente.
Os lobisomens estreitaram o olhar para o intruso. "Quem diabos é você?" um deles perguntou. Enquanto Amy estava livre tomou o momento para olhar seu salvador, ela nunca tinha visto ele antes e estava se perguntando o por que dele estar a ajudando.
"Não importa quem eu sou, eu vim aqui por ela" ele respondeu, apontando para Amy.
O lobisomens de boné roxo avançou "O que tentando obter sua refeição sanguessuga? Sinto muito você não pode tê-la"
O rapaz manteve a compostura não mostrando sinais de medo "Bem, isso esta prestes a mudar"
"Você é muito corajoso para vir aqui com um bando de lobisomens. Apenas uma mordida de um de nós e você está acabado" O rapaz de boné roxo sorriu.
O intruso apenas sorriu. Ele estalou o pescoço com confiança, preparando-se para a batalha. "Eu gostaria de ver um de vocês meninos tentar me morder", ele retrucou.
"Conte isso como um desafio" Os outros homens trocaram olhares antes de partir pra cima dele em diferentes direções. O rapaz apenas sorriu antes de pegar um dos machos e quebrar seu pescoço com facilidade. Atirou-o para o lado deixando o seu corpo morto bater no chão. Dois outros homens foram em sua direção em lados diferentes, Ele levantou os braços em direção aos dois e atravessou suas caixas torácicas e arrancou seus corações para fora. Os olhos de ambos se arregalaram antes de cair no chão mortos.
O lobisomem de boné roxo tentou dar-lhe um soco na parte de trás de sua cabeça, mas o vampiro se esquivou rapidamente. Ele se virou e deu um soco forte no lobisomem, fazendo-o voar para o balcão. Amy assistiu com horror absoluto os corações e o sangue espalhados pelo chão junto com os corpos. Ela recuou e se dirigiu para a saída para tentar escapar enquanto o vampiro estava ocupado.
Um outro lobisomem saltou por trás dele e passou as mãos em volta do pescoço do vampiro, o enforcando. O vampiro o pegou pelos braços e jogou-o contra um par de chifres que estavam empalhados em uma das paredes. Ele engasgou com o próprio sangue, como os chifres perfurava seu peito e estômago.
"Nack" gritou um rapaz com uniforme de mecânica que estava por perto. Ele olhou de volta para o vampiro, em seguida, veio pra cima dele. Antes que ele pudesse tocá-lo, ele o agarrou pelo pescoço e o levantou com facilidade.
O rapaz engasgou e colocou a mão em torno de sua garganta. O vampiro pressionou-o contra um dos pilares. Sua expressão estava em branco, falta de empatia para a criatura diante dele. "Foi uma boa tentativa, mas não havia nenhuma estratégia envolvida, patético."Sua outra mão disparou em seu peito e arrancou seu coração, matando-o.
Ele deixou o corpo cair no chão e olhou para trás. Todos os lobisomens no bar foram mortos. Ele passou por cima dos corpos antes de olhar pra onde Amy estava, mas viu que ela não se encontrava mas no local. Com um olhar desanimado, ele olhou para a saída e foi embora em um piscar de olhos.


____________________________________


Enquanto isso, numa rua de distância, Amy estava correndo por sua vida tentando chegar o mais longe possível. Ela tomou um atalho por um beco na esperança de evitar o estranho rapaz mas uma lufada de ar passou por ela, e de repente ela estava presa contra uma parede. Ela olhou dentro dos olhos castanhos do rapaz do bar. "Ahh!" ela gritou.
Ao contrário dela, ele estava feliz em vê-la "Ai esta você", ele sorriu de alívio.
"Se afaste de mim!" Ela gritou e se contorceu.Em desespero, ela fez tudo em seu poder para escapar, mas foi inútil com seu aperto firme. Sua força era como ferro e estranhamente a lembrou da força de outro indivíduo ela tinha encontrado antes.
"Ei, acalme-se, eu não estou aqui para te machucar", assegurou ele.
Por um momento ela parou sua luta, era evidente que seu comportamento a partir do bar tinha mudado completamente. Neste momento, ele realmente não parece ser uma ameaça. "Então o que você quer comigo?"
Ele a libertou de seu aperto e a colocou no chão, mas mantendo-se perto pra garantir dela não escapar "Meu nome é Silver" ele disse estendendo a mão para ela apertar.
Ela olhou para a mão estendida com ceticismo antes de relutantemente sacudi-la "... Amy". Ela puxou a mão do aperto e cruzou os braços "Então oque você quer?"
"Olha... Eu não vou levar você pro arbusto e sugar seu sangue, mas tipo você precisa vir comigo", ele respondeu
"Eu não te conheço, então por que você acha que eu iria a qualquer lugar com você?"
"
E


u entendo a sua preocupação, mas eu apenas salvei sua vida daqueles lobisomens lá atrás", ele respondeu.
Ela estreitou os olhos para ele. "É verdade, mas como eu sei que você não fez isso só pra me matar depois?"
"Se eu quisesse te matar, você já estaria morta. Posso lhe assegurar que eu sou conhecido por honrar minhas promessas", explicou.
"Isso é bom, mas eu estou meio ocupada tentando localizar alguém, então eu realmente não tenho tempo para fugir com vampiros.
"Não deve demorar muito." Ele estendeu a mão para ela tomar.
Amy olhou para ele com ceticismo. "Você realmente não vai me dar muita escolha, não é?"
"Por favor, isso é importante", suplicou ele.
Ela colocou a mão em sua testa. "Eu estou cansada de ser envolvida nesse drama de vampiros. Eu pensei que estava longe deles." Ela suspirou em derrota. "Se eu for com você, você pode me prometer que eu não vou acabar ferida ou pior?"
Ele assentiu. "Claro, eu posso até prometer ajudá-la a rastrear o seu amigo se quiser. É justo, certo?"
Amy olhou em seus olhos e, naquele momento, ela acreditava que podia confiar nele. "Tudo bem, eu vou, mas é melhor você cumprir essa promessa." Ela colocou a mão na sua.
"Obrigado" ele a pegou em seus braços.
Ela colocou os braços em volta do pescoço dele para suporte. "Então, por que exatamente você precisa de mim?"
"Minha amiga vai explicar quando chegarmos lá, agora segure firme", ele instruiu. Com precisão e rápida velocidade, os dois saíram do beco.

____________________________________

Um pouco mais tarde, Silver e Amy chegaram ao local. Ele colocou Amy de volta ao chão, eles estavam fora dos portões de um cemitério privado "Um cemitério? Por que aqui?" ela perguntou olhando ao redor.
"Este é o lugar onde a maioria das bruxas tem seu descanso final, minha amiga disse que queria nos encontrar aqui" Ele abriu o portão permitindo que ela entrasse primeiro e ele entrou logo em seguida. Silver e Amy se dirigiram até um mausoléu. No interior havia três mulheres duas morenas e uma ruiva esperando pela chegada deles. Tinha velas cercando a área em diferentes partes para dar-lhes uma fonte de luz.
A ruiva de olhos azuis sorriu quando viu Silver entrar.
"Silver, você voltou"
"Eu prometi que voltaria", ele sorriu, Amy estava atrás dele enquanto observava a conversa dos dois. Silver olhou pra trás e viu a expressão nervosa de Amy.
"Amy, esta tudo bem Meg nunca te machucaria"
Meg dirigiu sua atenção a mortal do sexo feminino "Olá Amy, eu sou Meg" ela começou "E essas duas senhoras atrás de mim são Julie" ela apontou pra morena de olhos verdes e cabelo curto "E Lien" ela apontou para a morena mais baixa de olhos castanhos e cabelo comprido. As duas garotas assentiu reconhecendo sua introdução para Amy.
"Uh, oi", ela acenou desconfortavelmente. Ela chegou mais perto, ao lado de Silver. "Então, por que estou aqui, exatamente?"
"Há alguns dias você passou na minha loja na cidade e foi então que eu tive uma visão. Eu sabia que precisava para localizá-la e descobrir a verdade. Você segura um poder dentro de você que eu nunca senti antes . Este poder só vai crescer mais forte nos próximos meses. " Meg respondeu.
Amy atirou a ruiva um olhar incrédulo."Se você pensa que eu sou uma bruxa ou algo assim, isso não é possível", ela afirmou "Eu sou apenas um típico mortal, do sexo feminino."
Meg sacudiu a cabeça. "Não, nada disso, é algo mais milagroso. Os ancestrais foram me contactar. Eles disseram que o seu presente vai mudar o mundo dos seres sobrenaturais para sempre."
Amy engoliu em seco começando a ficar preocupada. "Bem, o que mudou em mim que me fez tão especial?"
"Um feitiço que realizei liga você ao híbrido original conhecido como Jonathan". Os olhos de Silver se abriram pela menção, mas ele permaneceu em silêncio enquanto ele continuava a ouvir. Por mais que ele queria prestar atenção naquele momento, ele só poderia se perguntar o que Amy tinha em comum com Jonathan?
Os olhos de Amy se alargaram também."Jonathan?" ela repetiu. "Ah, ótimo ... O que aquele psicopata fez comigo?" Ela tinha uma grande história com Jonathan e estava tentando distanciar-se dele da melhor forma que podia.
"Bem, você teve relações com ele, correto?" ela perguntou calmamente.
Amy desviou o olhar envergonhado como a questão levantada decisões passadas que ela preferiria esquecer. "Não me lembre disso..."
Meg limpou a garganta. "Bem, veja, Amy. Eu tenho um dom para detectar quando uma garota está grávida. É apenas uma das minhas especialidades, você entende?." Os olhos de Silver se arregalaram e ele olhou para Amy com espanto, sabendo exatamente onde isso ia dar.
Amy balançou a cabeça em dúvida, também começa a entender aonde isso estava indo."Espere um segundo, isso é impossível. Os vampiros são mortos. Eles não podem se reproduzir! Você deve estar errada", ela acusou defensiva.
"Para ser mais exata eu vou ter que realizar mais alguns feitiços. Confie em mim, eu estava tão surpresa quanto você, mas não se preocupe, os feitiços não vai doer," ela assegurou. "Vá com Julie e Lien, e eu estarei lá rapidamente," Meg explicou.
Amy deu a Silver um olhar questionável. Ele assentiu e encorajou-a a ir. Lien e Julie escoltaram Amy para fora do mausoléu, enquanto Meg ficou para trás com Silver. "Silver, eu preciso de você para fazer mais um favor pra mim"
"Claro, oque?"

____________________________________

Em outra parte da cidade, Jonathan, um rapaz de cabelos escuros e olhos vermelhos com roupas não muito chamativas, no topo de um telhado para olhar a vastidão da cidade e as ruas vazias abaixo dele. O som fraco de sirenes de polícia soou à distância, como ele gostava de seu tempo sozinho para meditar. Isso é até que ele sentiu uma presença ameaçadora atrás dele. Um sorriso simples atravessou seu rosto e ele abriu os olhos. "Bom ver você se juntar a mim, Silver", disse ele sem se preocupar em olhar para trás. "Eu suponho que você vai precisar de alguma coisa de mim, já que você só fala comigo quando precisa de algo."
Silver se juntou ao seu lado "Sim, eu preciso de você pra algo"
Jonathan tirou seu olhar para fora da cidade abaixo dele e olhou para Silver. "O que você quer agora?"
"Há alguém que você precisa se encontrar, e eu acho que você vai estar interessado em ver quem é", afirmou.
Jonathan olhou, desinteressado em sua proposta. "Você sabe que eu não gosto de surpresas, Silver. Apenas me diga quem é vez de desperdiçar meu tempo com jogos mentais. Eu tenho assuntos mais importantes a tratar, como encontrar Erick."
"Erick?" perguntou surpreso "Por quê?"
"Ouvi dizer que ele estava conspirando contra mim, então eu vou colocar um fim nisso", ele respondeu friamente.
"Eu duvido que ele está fazendo isso, Jonathan. Você só está sendo paranóico. O que eu tenho que mostrar pra você é muito mais importante", ele respondeu.
Jonathan resmungou. "É melhor torcer que sim, porque se o meu tempo for desperdiçado, então você vai sofrer por isso."
Silver riu. "Sim, porque afinal de contas, você estava tão ocupado quando eu cheguei aqui", disse ele ironicamente.
Jonathan passou por ele não achando graça por sua piada. "Só lidere o caminho ..."

____________________________________

Silver e Jonathan entraram no mausoléu. "Meg, estamos de volta."
Meg saiu de uma sombra. "Bom, e você trouxe Jonathan, eu vejo."
Jonathan lançou um olhar irado para ela. Ele teve alguns desentendimentos com Meg no passado e não era um grande fã dela. "Sim, agora onde esta essa pessoa? Eu tenho coisas mais importantes do que gastar meu tempo em um mausoléu sombrio."
"Justo." Ela olhou por cima do ombro. "Traga ela aqui," ela ordenou.
Julie e Lien escoltaram Amy até o local onde Jonathan, Silver e Meg se encontravam. Os olhos de Jonathan se arregalaram enquanto seu comportamento suavizou a sua presença. "Amy" ele murmurou. Seus olhos se encontraram por um breve momento antes de ela desviou o olhar triste. Ele não tinha visto Amy por quase um mês desde seu último encontro.
"Você se lembra dela, então?" Meg sorriu.
"Como eu poderia esquecê-la ..." Ele olhou para ela, se perguntando por que ela estava presente nesta situação. Jonathan tinha propositadamente evitado entrar em contato com Amy no respeito pelo seu desejo. Eles tiveram uma briga e ele queria manter distância dela. "Por que diabos ela está aqui?" ele perdeu a cabeça.
Silver colocou a mão em seu ombro. "Jonh, acalme-se. Eu a trouxe aqui."
Jonathan olhou para ele. "Por quê?"
"Recebi a informação de que vocês dois eram íntimos juntos" Silver questionou.
Jonathan olhou para ela pelo canto dos olhos. Ela desviou o olhar, envergonhada e enojada. Ele, por outro lado, perfeitamente lembra da noite. Os dois tinham compartilhado uma noite íntima juntos que levou a se apaixonar e sexo, que Amy, veio a se arrepender na manhã seguinte. "Sim, mas o que isso tem algo a ver com ela?"
Silver sorriu, animado para compartilhar a notícia. "Amy está grávida e você é o pai."
Jonathann olhou para ele com incredulidade antes de balançar a cabeça. "Não, isso é impossível", ele descartou. "Vampiros não podem procriar!"ele gritou. Isto tinha de ser algum tipo de truque.
"Mas lobisomens podem" Meg acrescentou."Magia fez de você um vampiro, mas você nasceu um lobisomem. Esta é apenas uma das lacunas da natureza", acrescentou calmamente.
"É verdade, Jonathan," Amy finalmente falou Jonathan se acalmou e olhou para a loira. "Eu não iria concordar se isso não fosse verdade, mas é. Eles vêm fazendo testes em mim desde que Silver foi procurar você."
"Como é que isso não aconteceu antes? Certamente ele dormiu com outras meninas mortais antes?" Julie questionou
"Ele fez, mas Jonathan realmente não permite muitos delas sobreviver para fazer a fofoca da vergonha se você sabe o que quero dizer," Silver ironizou.
Jonathan olhou para Silver e deu um grunhido de desaprovação. "Obrigado, irmão, pelo seu comentário totalmente útil nessa situação", disse ele em tom de brincadeira.
"...Irmão?" Amy repetiu, surpresa com a revelação.
"Sim, Jonathan é meu irmão," Silver respondeu."Você não sabia disso?"
"Isso significa que você é um original, também?" ela perguntou.
Ele assentiu. "Correto"
"Eu não sabia mesmo que Jonathan tinha um irmão"disse ela olhando entre os dois. Com base no que ela sabia,Jonathan era solitário e nunca mencionou muito sobre sua família. Ela não sabia muito sobre sua história, a não ser que ele foi um dos primeiros híbridos de existência (o mais antigo dos dois lobisomens e vampiros.)
Jonathan cruzou os braços. "Silver e eu não ter sido os melhores tipos de irmãos por vários séculos ", ele disse meio zangado.
"É hora de mudar isso, Jonathan. Esta criança é um milagre, especialmente para nossa espécie, e eu me comprometo a mante-la segura enquanto eu estiver por perto. O que é só para sempre", ele brincou.
Jonathan rosnou. "Quem disse que eu quero você na vida do meu filho? Ela vai ficar comigo até ele nascer" disse apontando pra Amy.
"Uou, Uou, Uou" Amy interrompeu " Quem disse que eu quero viver com você?" ela disse em desgosto.
Jonathan andou mais perto dela, revelando uma postura intimidadora. "Você não tem voto nessa pauta, minha querida."
Amy olhou para ele, e tentou não não vacilar em sua tática de intimidação. "Eu não tenho medo de você, Jonathan", ela respondeu com ousadia.
" Voltando ao tema, há outra coisa que você deve saber," Meg cortou. Os três olhou para ela. "A criança vai ser um híbrido. Aquele primeiro nascido para ser exato."
"Um híbrido ...", repetiu Amy.
"E esta gravidez vai prejudicá-la?" Silver perguntou com preocupação. "Ela é apenas um mortal depois de tudo."
Meg sacudiu a cabeça. "Não, não deve. Vai ser como qualquer gravidez normal, além do bebê ser um híbrido."
"Isso é demais ..." Amy murmurou, colocando a mão em seu rosto. Ela não podia acreditar que tudo isso estava acontecendo com ela.
Jonathan olhou para trás para as três bruxas. "Mantenham esta notícia entre nós. Se esta notícia se espalha todos os meus inimigos vão ir atrás dela", disse ele apontando para Amy.
"Ah, ótimo ..." Amy disse com um pouco de raiva. Jonathan não era muito bem querido na comunidade sobrenatural e ela temia o pensamento de se tornar um alvo.
Jonathan estendeu a mão e agarrou a mão dela."Venha". Amy obedeceu e seguiu junto com ele, Silver caminhando ao lado do irmão. "Para onde vamos agora?"
"Casa", ele respondeu simplesmente.

___________________________________

Jonathan, Silver, e Amy entraram em uma grande mansão nos arredores da cidade. Jonathan saiu do carro e abriu a porta traseira permitindo que Amy possa sair também. Ela saiu do veículo e olhou para a casa, em temor. "Uau ... Ela é bem bonita", ela elogiou.
"Obrigado." Os três subiram os degraus da casa e permitiu que Amy entrasse na casa.
Amy olhou para a grande escadaria e para as grossas colunas que sobem para o teto. "Bem bonito aqui dentro, também."
"Sim, é bastante agradável. Jonathan e eu vivemos aqui há 200 anos, apesar de não conversamos muito", disse Silver.
Ela olhou para os dois. "Esta é a sua casa?" ela disse, surpresa.
Jonathan concordou. "Sim, parece meio abandonada, mas ainda possui o termo casa." Ele começou a andar para as escadas. "Agora vamos. Deixe-me mostrar-lhe o seu quarto." Amy foi atrás dele e eles subiram as escadas juntos.
Assim que chegaram ao segundo andar,Jonathan a levou por um corredor até uma porta. A Abriu permitindo a entrada de ambos. Houve uma cama queen size, duas mesinhas de cabeceira, uma cadeira, um terraço varanda, suíte privada e um guarda-roupas. Amy foi surpreendido pela forma de como era luxuoso."Este é meu quarto?"
Ele riu. "É aceitável para os seus padrões?"
"Você está brincando? Eu nunca tive um quarto tão grande antes. Este é praticamente do tamanho do meu antigo apartamento", disse ela andando pelo cômodo.
Ele sorriu, satisfeito com a sua satisfação."Estou feliz em ouvir isso acomoda a seu gosto."
Ela se aproximou e sentou-se ao lado de sua cama. "Então, eu acho que eu sou sua prisioneira agora, hein?"
"Eu tenho que ter certeza de que nada vai acontecer com você ou com a criança, por isso, em certo sentido, sim", ele sorriu.
"Otimo", ela estava deitada de costas e olhando para o teto. "Quem diria que um erro me traria aqui?"
Jonathan aproximou-se do pé da cama. "Se o erro que você está se referindo é ao dormir comigo, isso é meio duro, você não acha?"
Ela sentou-se e olhou para ele. "Bem, é. Eu nunca deveria ter permitido que você me seduzi-se naquela noite. Christian estava certo sobre você ..."
"Eu não fiz isso e se bem me lembro, você foi a única que veio pra cima de mim. Eu apenas te segui", ele sorriu, brincando.
Ela cruzou os braços e bufou. "Você deveria ter sabido que eu estava em um estado vulnerável. Você se aproveitou de mim no meu mais fraco."
"... Ou talvez você apenas finalmente sucumbiu aos seus verdadeiros desejos."
Ela revirou os olhos. "Você é tão cheio de si mesmo."
Ele balançou a cabeça com um sorriso malicioso recordando os acontecimentos daquela noite. "Se me lembro, nós fomos para o terceiro round", ele lembrou.
Ela rosnou e colocou um travesseiro sobre o rosto. "Cale a boca ..." ela murmurou no travesseiro. "Isso foi um erro."
Ele olhou para ela. "Pelo menos eu respeitei o seu desejo"
Ela levantou o travesseiro do rosto. "Sim, você fez. Eu acho que eu posso agradecê-lo por isso ..."
"Então, teve alguma sorte para encontrar esse idiota?"
"Não", ela suspirou. "Eu tive um par de pistas que não me levaram a lugar nenhum agora eu estou começando praticamente do zero novamente."
"Ele tem sorte de que eu não o encontrei, provavelmente é melhor, no entanto."
Ela lançou-lhe um olhar. "Eu juro, se você colocar a mão nele, eu vou te matar", ela advertiu.
Ele riu com diversão. "Eu gostaria de ver você tentar. Você sabe que é impossível me matar."
Ela se afastou dele. "Eu tenho certeza que eu poderia encontrar uma maneira."
Ele dirigiu-se para a porta. "Você não mudou nada, Amy," ele riu. Sua mão agarrou a maçaneta. "Tenha uma boa noite de sono."Com isso dito, ele fechou a porta do quarto deixando-a sozinha.
Amy saiu da cama e caminhou em direção a janela do quarto. Ela olhou-o e suspirou. "Eu vou te encontrar Christian, eu prometo ..."

N/A: Se vocês estão confusos de qualquer maneira eu posso assegurar haverá vários flashbacks para ajudar a explicar certos eventos que você não viu, mas leu mencionados. Felizmente, isso vai ajudar a limpar tudo. :) Por favor, leia e me deixar um comentário se você gostou.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...