História Special baby - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 3
Palavras 2.344
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Misticismo, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - The Curse


Flashback: 1 ano atrás

Amy sentou-se em uma mesa ao lado de seu namorado, Christian. Os dois estavam em um de seus encontros noturnos a desfrutar de um jogo na TV enquanto bebiam. O bar foi surpreendentemente não muito lotado. Havia apenas um par de outras pessoas lá naquela noite, um cara de cabelo comprido e Jonathan. Amy e Christian não estavam preocupados com os outros ocupantes do bar, eles estavam mas interessados em ver seus times jogando na TV  "Você realmente acha que vai ganhar essa aposta?" Amy sorriu timidamente enquanto ela mantinha os olhos na TV.

Christian continuou a observar a TV também, sem tirar os olhos da tela. "Eu ainda estou otimista que meu time vai dar a volta por cima", ele riu.
"Boa sorte, mas eu vou estar feliz quando eu for comprar um novo par de sapatos com o dinheiro que eu vou ganhar hoje à noite", ela brincou com arrogância.
  Christian sacudiu a cabeça com uma risada, colocando um braço atrás dela. "Veremos."
Em outra parte do bar, Jonathan estava observado e escutado a conversa do casal com intrigas. Ele viu quando os dois tiveram suas brincadeiras do outro lado do bar quase vazio. Seus olhos colocados sobre o Christian como um sorriso em seus lábios. Casualmente, ele se levantou de sua cadeira e caminhou até cara de cabelo comprido sentado sozinho no bar. Enquanto o barman foi para fora do bar, ele se sentou ao lado do rapaz para chamar sua atenção. O cara olhou para ele e Jonathan olhou em seus olhos enquanto ele falava. Seus olhos dilatados como falou com ele. "O rapaz que esta junto da moça vá até lá e comece uma briga com ele", ordenou calmamente.
O rapaz foi incapaz de afastar do olhar enquanto foi instruído sobre oque deveria fazer . Ele piscou algumas vezes e inexplicavelmente levantou-se para fazer o que lhe foi dito. Jonathan voltou para seu assento, para conseguir ver o caos se desdobrar. O rapaz andou em direção Amy e Christian alheio sobre o que estava prestes a acontecer.
O time do Christian estava ganhando e ele aplaudiu em emoção. "Isso, ha, ha!" ele comemorou. Amy gemeu percebendo que seu time estava perdendo agora. "Parece que eu vou ganhar esse dinheiro agora, hein?" Christian ostentava.
Ela deu de brincadeira um soco no ombro dele. "Oh, cale a boca. Meu time ainda pode ganhar", ela falou de forma otimista.
O rapaz se aproximou da mesa e colocou as mãos em cima da mesa, dando um olhar para Christian. "Que tal você comemorar mais baixo, garoto, seu jogo esta começando a me irritar!" O barman tinha voltado para dentro do bar, apenas para testemunhar o início da briga. Ele cautelosamente observou os dois homens, preparando-se para para-los.
Christian deu pra ele um olhar irritado. "Ei, cara. Só estou animado" ele respondeu. "Eu não quero começar uma briga."
O homem colocou as mãos sobre a mesa novamente , inclinando-se ameaçadoramente. "O que há de errado? Medo de fazer feio na frente dessa princesa?"
"Ei, rapazes, vão com calma", o bartender disse alto pra toda a sala.
Christian saiu de seu assento, levantando-se para ficar na altura do rapaz, ignorando completamente o bartender. "Quer repetir isso?" Christian disse preparado para entrar em uma briga.
Preocupado com a segurança de Christian,  Amy saiu da mesa para tentar para-los. "Por favor, não briguem", ela implorou em voz baixa. Ela olhou e percebeu  que o barman continuou a observá-los por trás do balcão. A última coisa que ela queria era ser chutada pra fora do bar.
O homem olhou para Amy e empurrou-a, sabendo que iria irritar Christian. Amy foi pego de surpresa pelo empurrão inesperado e caiu de costas no chão. O barman rapidamente pulou por cima do balcão para intervir, sabendo uma luta estava prestes a acontecer. Christian olhou para Amy antes de empurrar a parte traseira do rapaz. "Ei, não encoste nela!"ele gritou.
"E você não me toque!" ele gritou de volta empurrando o Christian de volta.
  Christian cambaleou, mas não caiu. Ele agarrou o homem pelos ombros e jogou-o de volta com muita força. O rapaz voou através do bar e bateu em algumas mesas. Jonathan casualmente sentou-se no canto observando o homem fazendo oque ele ordenou. Ele pegou o copo de uísque tomou um gole e observou a briga se desdobrar. O barman tentou subjugar Christian mas ele o golpeou. "Christian, não!" Amy exclamou ainda no chão.
O barman caiu no chão, perto dela e resmungou. "Seu namorado está fora de controle!"
O homem levantou-se e pegou uma garrafa de cerveja nas proximidades e atirou-a na direção de Christian. Christian evitou a garrafa que se quebrou na parede atrás dele. Ele rosnou antes de pular em direção ao desconhecido. Christian abordou-o no chão e começou a socar a cara dele.
Amy levantou-se e correu para retirá-lo de cima do rapaz. "Christian, pare com isso!" ela gritou. Ela nunca tinha visto ele tão zangado antes.
Christian esqueceu de tudo em sua volta e continuou socando o desconhecido. O rosto do estranho estalou a cada soco. Seu rosto foi golpeado e ensanguentado, os socos de Christian estavam começando a fazê-lo perder a consciência. Amy finalmente conseguiu retirá-lo de cima do macho impotente. Ela segurou-o pelos braços enquanto ele ofegava."Christian, pare ...", ela implorou com lágrimas nos olhos.
Christian prendeu a respiração quando ele olhou nos olhos dela, antes de finalmente voltar à realidade como Amy segurou o rosto dele. Ele olhou para o homem que encontra-se ainda no chão, em seguida, para as mãos manchadas de sangue. Suas mãos tremiam quando ele percebeu o que ele tinha feito. Amy ficou em pânico quando percebeu que o estanho não estava respirando. "-Você fez?
O barman veio segurando o braço ferido. Ajoelhou-se, estendeu a mão e sentiu o pulso do rapaz. Depois de alguns segundos, olhou para cima com medo. "Ele está morto ..." Ele lentamente ficou de pé e olhou para Christian horrorizado. "Você o matou!"
Christian parecia que estava em uma perda de palavras e remorso, mas isso mudou quando sentiu uma dor terrível através de todo o seu corpo. Ele gritou e caiu de joelhos pela dor incapacitante. "Aaah!"
"Christian, o que está errado?" Ele caiu sobre suas mãos e joelhos ofegante. Uma dor elétrica afiada percorreu todo o seu corpo. Amy se ajoelhou na frente dele, e ele levantou a cabeça para olhar para ela. Os olhos dele brilhavam amarelo causando Amy ofegar. Ela tinha percebido o que tinha acontecido. "Oh, não ...", ela sussurrou.
Seus olhos voltaram ao normal e Christian entrou em pânico, ele também tinha percebido oque tinha ocorrido. "N-não, o que e-eu fiz?" ele murmurou.
O barman não tinha visto nada disso. "Senhor, eu vou ter que chamar a polícia." Ele começou a andar até o telefone atrás do balcão. "Fiquem onde estão", alertou.
Amy agarrou o braço de Christian e os dois permaneceram onde estavam. "Christian, o que vamos fazer?" ela sussurrou
"O que devemos fazer? Ele está chamando a polícia, Amy!" ele sussurrou asperamente.
  Jonathan casualmente desfilou ate onde os dois estavam. "Eu posso ajudar."
Os dois olharam para o rapaz misterioso. "Com licença?" Amy perguntou confusa.
"Meu nome é Jonathan" ele introduziu.
  Christian estava desconfiado do estrangeiro."Christian", ele respondeu.
"Eu sou Amélia Andersson" Amy introduziu.
"Agora, o que você quer?" Christian interrompeu antes de qualquer conversa ocorrer.
"Estou aqui para ajudá-lo a cuidar dessa bagunça."
"O que é você, um advogado?" Christian presumiu.
Jonathan só poderia sufocar uma pequena risada. "Não exatamente." Seus olhos foram para o barman e ele sorriu. Jonathan olhou de volta para os dois. "Basta ver e aprender," ele instruiu antes de se aproximar do balcão. Amy e Christian assistiam com curiosidade como ele foi até o bartender. "Desculpe-me", disse ele tentando chamar a atenção do proprietário.
O barman olhou para longe do teclado do telefone. "Hã?" ele disse, olhando para Jonathan.
Os olhos de Jonathan dilataram, enquanto olhava nos olhos dele. "Esqueça tudo o que você viu esta noite. A última coisa que você lembra é de fechar mais cedo essa noite. Agora, vá", ele obrigou. O bartender piscou algumas vezes e, de repente desligou o telefone e saiu. Sombra voltou-se para o casal. "Eu vou limpar e descartar o corpo antes que ele volte amanhã. Ninguém nunca vai saber."
Amy e Christian olharam para Jonathan com espanto."Você é um vampiro?" Christian disse tomado conhecimento de sua identidade, oque o deixou nervoso. Ele soube imediatamente oque ele era quando ele assistiu Jonathan obrigar esse homem; uma coisa que apenas os vampiros eram capazes de realizar.
"Eu vejo que você fez sua lição de casa", disse ele um pouco impressionado. "Mas, não exatamente, eu sou realmente um híbrido", ele corrigiu.
"Um híbrido?" ele repetiu mistificado, seus olhos se arregalaram de realização."Espere um segundo, você quer dizer o primeiro híbrido na existência? O original?"
Jonathan sorriu. "Então, você já ouviu falar de mim, então", disse ele em tom de honrado brincadeira.
Christian se levantou e entrou na frente de Amy protetor. "Eu ouvi que você é perigoso." Amy espiou seu namorado. Tudo o que ela poderia fazer é se perguntar o por que desse rapaz estava ajudando eles.
"Sim, eu não tenho a melhor reputação, mas ainda estou aqui, ajudando vocês dois", ele apontou.
Christian estendeu a mão e agarrou a mão de Amy, ajudando-a a ficar de pé. "Bem, obrigado por isso, mas estamos saindo agora." Os dois começaram a fazer o seu caminho para a saída e Jonathan permaneceu no local, observando os dois se retirarem.
"Você me deve pelo que fiz esta noite", disse ele fazendo os dois pararem.
Christian olhou para Jonathan. "Eu não pedi para me ajudar", ele respondeu.
"Mas você vai precisar da minha ajuda novamente, você acabou de desencadear a terrível maldição do lobisomem."
"Como diabos você sabe sobre isso?" ele perdeu a cabeça. Lobisomens somente ativam sua maldição quando tomam sua primeira vida. Christian tinha feito isso quando ele matou acidentalmente o rapaz de cabelo comprido.
"Confie em mim, eu sei oque é um lobisomem quando vejo um. Além disso, eu sou Metade lobisomem. Chame isso de instinto se você quiser."
"O que faz você pensar que eu vou precisar de sua ajuda novamente, de qualquer maneira?"ele perguntou cético.
Ele sorriu, ansioso para responder a sua pergunta. "Quando a primeira lua cheia estar em pico, você será forçado a se transformar em sua forma de lobo pela primeira vez É uma das coisas mais angustiantes e dolorosas que qualquer um pode passar. Eu já passei por isso sozinho. Confie em mim, você vai implorar por misericórdia".
"Você está dizendo que não passa por transformações mais?" Amy perguntou intrigado.
"Sim, uma das vantagens de ser um híbrido suponho," ele respondeu.
  Christian revirou os olhos e zombou. "Pff, seja qual for, amigo. Eu tenho certeza que eu vou ficar bem sem a sua ajuda."
Amy não podia deixar de acreditar no que Jonathan estava dizendo a eles. Ela olhou para o Christian temendo o pior; e se ele estava certo. Jonathan não podia deixar de perceber a preocupação estampada no rosto da garota. Ele sabia que ela tinha suas reservas sobre a sua explicação, mas se  Christian não queria acreditar nele, talvez ele poderia levá-la a convencer seu namorado a ajuda-lo . "Se é isso que você acha."
Christian gentilmente puxou Amy junto a ele."Vamos, Amy. Vamos sair daqui."
"Boa reunião vocês dois", ele acenou. "Eu tenho certeza que vamos nos encontrar novamente muito em breve ..." Jonathan sorriu, enquanto os observava sair do bar.

____________________________________

Mais tarde, Christian e Amy caminhavam pelo corredor em direção ao apartamento de Amy."O que você vai fazer, Christian? Você tem feito tudo ao seu alcance para evitar a maldição do lobisomem de ser começada."
"Eu vou lidar com isso mais tarde. Quero dizer, ia acontecer em algum momento, certo?" ele disse tentando ser positivo. "De qualquer maneira, vamos se preocupar com isso quando chegar a hora." Ele se inclinou e beijou-a nos lábios. Ela fechou os olhos e beijou-o de volta, antes dele se afastar. "Vejo você amanha?"
Ela assentiu com um sorriso. "Claro."
Ele virou-se e acenou como ele estava prestes a sair. "Tudo bem, noite, Amy."
"Boa noite", ela acenou de volta. Quando ele caminhava pelo corredor e fora da vista, ela fechou a porta. Era tarde, ela caminhou em direção à sala de estar, se jogando no sofá. Ela não podia deixar de pensar na conversa que Christian e Jonathan tiveram no bar. Será que Christian vai sofrer tanto como Jonathan havia descrito?Se fosse verdade, ela não queria deixar Christian passar por isso sozinho. Ela também se perguntou o que Jonathan quis dizer quando ele disse que poderia ajudá -lo. Seus pensamentos foram interrompidos quando ouviu uma batida na porta. "Ugh, Christian, o que você esqueceu agora?" ela disse se levantando.
Amy se aproximou e abriu a porta, mas ficou surpresa quando ela não viu seu namorado em pé lá, mas sim Jonathan. "Jonathan?"
"Boa noite", ele sorriu sedutoramente.
Ela levantou uma sobrancelha. "Você me seguiu até o meu apartamento?"
"Sim, de que outra forma eu deveria manter contato com você?" ele respondeu simplesmente.
Amy cruzou os braços sobre o peito. "O que faz você pensar que eu gostaria de manter contato com você?"
"Eu percebi que você foi a única que acreditou em mim quando eu disse que seu namorado iria precisar da minha ajuda." Jonathan enfiou a mão no bolso do casaco e tirou um cartão de visita. "Tome meu cartão, ele tem o meu número."
Amy pegou o cartão dele e olhou para ele. "É um desperdício. Eu não vou usá-lo."
"Talvez", ele sorriu timidamente. "Mas eu acho que nós vamos descobrir."
"Fique longe de nós", ela ordenou. "Nós não queremos mais problemas em nossas vidas."
Ele sorriu para suas exigências, achando bonita sua coragem. "Normalmente, se alguém me pede para fazer qualquer coisa, eu agarro o pescoço em um segundo. Mas, eu gosto de você, Andersson. Há algo agradável sobre você que eu com certeza vou conhecer."
Ela revirou os olhos. "Eu duvido disso."
Ele olhou por cima da cabeça dela em seu apartamento. "Lugar bonito", ele elogiou tomando uma rápida olhada.
Ela mudou sua posição para que ele não pudesse mais bisbilhotar seu apartamento. "Eu não pretendo convidá-lo para entrar tão cedo. Eu sei como funciona", disse ela com orgulho. Os vampiros não podiam acessar casas a menos que sejam convidados, portanto casas eram seus santuários.
Ele riu divertido com sua inteligência. "Menina inteligente". Ele começou a fazer o seu caminho pelo corredor. "Mas você não pode se esconder em seu apartamento para sempre. Em algum momento você vai ter que sair."
Amy viu sua figura recuando e fechou a porta. Ele estava certo sobre isso. Certeza de que seu apartamento era um refúgio agora, mas uma vez que ela pisou fora desses limites?, era tudo um jogo.

~ Flashback End ~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...