História Special: HAPPY CHOI YOUNGJAE DAY - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 111
Palavras 2.201
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOOOOI PESSOAS, ESTOU DE VOLTA E O MELHOR: Resolvi dar um pequena continuaçãozinha para a especial que eu escrevi do Youngjae junto com o JB, e diferente de antes que foi algo quando eles eram crianças, a partir de agora vai ser uma história anos passados depois daquilo. Não sei quantos capítulos mais irei postar mas creio que talvez mais uns dois ou três, no máximo.

Espero que gostem. <3

*ani, ani... - não, não... (Informal)*
*dongsaeng - mais novo que você*
*jinjja? - sério?*

Capítulo 2 - Uma mochila gasta nos ombros


Uma mala na mão? Ani, ani… apenas uma mochila não muito cheia jogada por cima dos ombros e gasta. O garoto agora maior de idade estava na calçada em frente ao portão de seu antigo ‘’lar’’, de costas e parado. Estava pensando em tantas coisas, mas não se engane achando que era coisas como ‘’para onde irei?’’, pois não era. Na verdade tudo que pensava era apenas uma coisa, que acarretava em diversos pensamentos relacionados a esse.

 

‘’Youngjae-ah…’’ - pensou assim que atravessou o portão e parou na calçada, e não só naquele momento mas durante todos os anos antes, certas perguntas nunca lhe abandonaram. ‘’Você está bem? Está feliz? Você ainda se lembra de mim? Onde você está?’’ - essas perguntas eram frequentes em sua mente, o que o deixou ansioso por anos a espera daquele dia, em que finalmente sairia dali e procuraria pelo menor. Por seu dongsaeng, seu Baby Jae.

 

- O que está fazendo aí parado menino? Vá logo, a menos que queira passar o resto da sua vida aqui! - gritou uma das irmãs para ele, e ao se virar a viu balançar a cabeça e seus olhos se encherem de lágrimas. Ele sorriu para ela, afinal eles nunca mais se veriam e mesmo tantos castigos dado a ele e broncas, passaram a infância e adolescência dele juntos.

 

E rumou para longe, para nunca mais voltar.

 

Quando já estava dentro do ônibus em direção ao local endereçado no jornal pego na semana passada, onde havia o anúncio de um apartamento barato e não muito longe do centro de Seul, começou a se recordar novamente daquele dia enquanto observava a chuva cair fraca com a cabeça encostada na janela.

 

FLASHBACK ON

 

- JB! JB! JB! - Youngjae subiu as escadas que rangiam mais que tudo e correu até o quarto onde JB estava, entrando afoito pela correria.

 

- Que que foi Jae? - JB fitou o outro afoito e já iria perguntar ‘’o que foi que você aprontou dessa vez?’’ mas o menino foi mais rápido.

 

- Vieram me buscar! Meus pais vieram me buscar hyung! - ele começou a gritar e pular de empolgação, seus olhos tinham um brilho que JB nunca tinha visto, exceto o dia que foram pegos após Youngjae ‘’socar’’ o piano esquecido naquele lugarzinho empoeirado.

 

- Seus pais? - perguntou um tanto confuso.

 

- Bem, a partir de hoje eles são meus pais, certo? - respondeu com um sorriso sem mostrar os dentes.

 

JB ficou quieto e abanou a cabeça em afirmação, o dia de seu dongsaeng finalmente havia chegado e ele não poderia estar mais feliz, mas ao mesmo tempo começou a se sentir triste ao pensar em não ver mais Youngjae todos os dias, e pior, em talvez nunca mais o ver.

 

Seguiu ele no caminho até seu dormitório e ficou o observando jogar com pressa as poucas roupas que lhe pertencia em uma malinha muito velha que tinha desde a sua chegada ali. Fechou a malinha com toda a força que tinha e correu até o andar debaixo, com JB as suas costas.

 

O maior parou junto aos degraus da escada, observando a cena que se passava na sala de estar do orfanato. Havia um homem e uma mulher que não deviam ter mais de 45 anos ali, sorridentes e a mulher agora até estava abaixada na frente de um Youngjae todo feliz e passando a mão por seus cabelos. JB sentiu um certo ciúmes por ver seu dongsaeng sorrir daquela maneira para outra pessoa além dele.

 

Desceu as escadas correndo quando era a hora de Jae ir e o acompanhou até o portão, que o menor insistiu em ir segurando em sua mão, mas claro que JB não achou ruim pois seria a última vez, por isso durante todo o caminho curto segurou firme a mão fofa e pequena de Youngjae sem tirar os olhos dele, que sorria. E que sorriso mais lindo e doce, JB sempre pensava quando via o outro mostrar os dentes daquela forma.

 

Chegou ao portão e o carro do casal que havia adotado Youngjae estava parado logo a frente, o homem abriu a porta de trás para o seu, agora filho, entrar. Youngjae olhou para JB e colocou sua malinha no chão, dando um abraço em seu hyung e apertando o mesmo que retribuiu. Ficaram assim por um curto tempo e depois se separaram, Youngjae pegando sua malinha e se dirigindo até o carro, entrando e se ajeitando no banco de trás; e JB? Ele ficou parado na mesma posição que Jae o havia deixado quando saiu de seus bracinhos curtos.

 

- Adeus hyung, sua vez logo vai chegar - Youngjae disse sorrindo antes da porta ser fechada.

 

JB não conseguiu dizer nada naquele momento, só ouviu o ligar do motor do automóvel e viu o vidro se abaixar e um rostinho cheinho aparecer na janela, Youngjae estava acenando para ele enquanto o carro ia embora. JB queria correr atrás do carro e pedir para ele ficar junto dele, mas não poderia ser egoísta a esse ponto e mesmo se pudesse de nada adiantaria porque ele era uma criança contra uma ação judicial.

 

- Até logo Jae… - corrigiu baixo acenando e tentando lhe dar o seu melhor sorriso que aquele momento permitia.


 

FLASHBACK OFF

 

E o ‘’até logo’’ na verdade não foi tão logo, se passou anos e JB não foi adotado, era um garoto muito encrenqueiro na escola e quando entrou na adolescência isso só piorou devido a intensificação das brincadeiras com o fato dele ser órfão. Ele só estava esperando ficar maior de idade e terminar a escola para ir embora daquele lugar, começar uma vida e encontrar Youngjae.

 

Voltou a realidade quando percebeu que estava próximo de seu ponto de descida, se levantou e apertou o sinal de parada, que não demorou para se apagar pois ele havia chegado ao seu destino. Desceu do ônibus e olhou em volta o cenário, era um bairro simples e pacato pelo que aparentava e era isso que ele queria. Seguiu pela rua com o jornal na mão sempre atento ao endereço do local e após pedir uma rápida informação ele chegou em frente a um prédio pequeno, que era óbvio ser bem antigo mas que estava bem conservado e de pintura nova.

 

‘’Até que é bonitinho’’ - pensou ajustando a mochila nas costas e se aproximou da portaria, onde havia um senhor sentado numa cadeira e assistindo a algum jogo por uma pequena televisão que tinha dentro daquela espécie de cabine próxima ao portão.

 

- Com licença - JB chamou esperando o homem olhar para ele, o que foi rápido - estou aqui pois vi o anúncio de um apartamento para alugar.

 

- Oh jinjja? - disse se levantando e saindo da cabine, dando um sorriso amigável a JB - vamos, irei lhe mostrar o apartamento.

 

O homem foi na frente e JB o seguiu, o prédio não tinha elevador mas por ser baixo não precisava tanto, só tinha 6 andares e o apartamento era no terceiro, não precisaria subir muito. Foram até o fim do corredor e o senhor destrancou a porta, dando espaço para JB entrar primeiro.

 

Ele entrou e foi sem nenhuma vergonha analisando cada canto do lugar. Era pequeno mas aconchegante, tinha tudo que era preciso e ainda se localizava quase no centro. Como poderia ser tão barato? Havia alguma pegadinha com certeza, JB pensava.

 

- Parece um ótimo lugar e tem tudo aqui - JB disse saindo de seu possível quarto e voltando para o centro da mini sala - mas porque tão barato? Deve ter um motivo para isso.

 

- É barato mas apenas para quem ficar com esse apartamento - respondeu - uma pessoa ano passado morreu aqui e depois ninguém queria alugar esse apartamento, então fizemos esse anúncio a fim de conseguir um morador.

 

- Ah, então é isso… - respondeu dando mais uma olhada em volta e concluindo que não parecia que alguém tinha morrido ali - porém isso é bom para mim, preciso de um lugar e no momento não tenho dinheiro para pagar por outro lugar. Vou ficar com o apartamento, então eu gostaria de poder contatar o dono.

 

- Eu sou o dono - o senhor respondeu gentil e JB sorriu mínimo - e se o jovem quiser mesmo ficar com o apartamento amanhã eu trago o contrato. Você pelo visto se mudaria imediatamente, certo?

 

- Sim, eu não tenho nada além de roupas nessa mochila então… - começou baixo e sentiu as mãos do senhor em seu ombro.

 

- As coisas são difíceis não é mesmo? - ele disse e JB assentiu -  agora irei te deixar no seu novo lar, você aparenta estar cansado. E não exite em me pedir ajuda por algo caso precise, eu sou um bom velhinho - disse saindo e dando uma risadinha o que fez  JB rir baixo também.

 

‘’Com certeza é’’ - pensou fechando a porta e indo até o banheiro, precisava de um banho. E comer, estava morrendo de fome e iria comprar algo assim que saísse do banho.

 

 

Jaebum agora estava enchendo uma cestinha de mercado com pacotes de lámen, kimchi, alga e algumas porcarias, mas claro, sem esquecer de comprar alguns legumes pois eles iriam o afastar do hospital porque seu dinheiro era escasso demais para pagar por um hospital e remédios.

 

Dinheiro que, guardou durante anos desde que sempre fazia bicos de entregador de alguma coisa, e que agora também não seria diferente pois no outro dia iria à procura de Youngjae no endereço que havia pegado na pasta dele do orfanato, onde ficavam todas as informações do outro que ele já sabia e os dados de seus pais adotivos, e no caminho iria procurar por algum emprego também.

 

‘’Pelo menos emprego de entregador de frango há de ter, sempre têm.’’ - pensava agora na sua cozinha pronto para fazer um lámen, porém, lembrou-se que não tinha nenhuma panela ou qualquer utensílio de cozinha.

 

- Merda! - disse batendo as portas do armário e se apoiando na piazinha. - e agora como vou fazer isso?

 

Então lembrou-se do dono do prédio que disse que poderia pedir ajuda a ele caso precisasse de algo, mas JB não é do tipo de pedir as coisas às pessoas e ainda mais a quem não conhece. Só que após diversas vezes se negar a pedir e escutar o ronco de seu estômago, lá estava ele na frente da porta de onde o senhor morava e pronto para bater. Ou não, se virou para voltar a seu apartamento quando ouviu barulho de porta se abrir.

 

- Algum problema meu jovem? - o senhor o encarava agora e JB queria sair correndo dali de vergonha - esquecemos de nos apresentar direito, não é mesmo?

 

- Hum… eu me chamo JB - respondeu sem jeito - na verdade é Jaebum mas esse é meu apelido.

 

- Bonito nome meu jovem - ele disse - sou Lee Seung Moo. Mas me diga, você está precisando de algo certo? Pela sua cara parece que sim.

 

- N-não preciso de na… -  começou a dizer mas viu que não teria jeito, tinha que pedir - é que eu não tenho nada de cozinha e não tem como fazer nada para comer assim.

 

- Já imaginava - respondeu voltando para dentro do apartamento e depois surgiu com algumas coisas na mão, era algumas panelas e até mesmo facas, colheres, pratos e até copos - eu iria te dar isso amanhã mas creio que precise para logo, é pouco mas agora você está pronto para começar sua nova vida.

 

O moreno agora estava sem reação diante de tamanha bondade e até mesmo assustado. Afinal havia conseguido um apartamento aconchegante, num lugar bom e com tudo que precisava e localizado num lugar central de Seul. E o melhor, por um ótimo preço e ainda de ‘’brinde’’, o dono do prédio lhe ajudava dessa forma. Estava dando tudo tão certo naquele dia que JB estava se sentindo animado, sentindo que tudo iria melhorar 100% - ou quase - dali para frente.

 

- Eu nem sei como agradecer senhor Lee - disse pegando as coisas na mão e se curvando 90º para prestar o mais sincero respeito e agradecimento - um dia eu irei lhe retribuir essa ajuda, muito obrigado.

 

- Não há de quê garoto, agora vá e faça algo bom para comer - disse - ou você gostaria de comer comigo?

 

- Ani, ani eu já fui incomodo demais pro senhor, até logo e obrigado novamente. - respondeu sorrindo e após uma meia curvatória novamente, voltou para seu apartamento no terceiro andar.

 

‘’Agora posso começar’’ - pensou já na sua cozinha começando a cortar alguns legumes para colocar junto em seu lámen que estava fervendo agora no fogão. Acrescentou os legumes e esperou um pouco mais, pegando a panela e colocando em cima de uma almofada enquanto estava sentado no sofá, iria comer ali mesmo.

 

Deixou a panela vazia na pia e foi para seu quarto após finalmente botar algo no estômago, se jogando na cama e pensando um pouco no que teria que fazer amanhã, seria um longo dia.


 


Notas Finais


Por hoje é isso e nesse capítulo nada de interessante aconteceu porque é mais como uma introdução, mas já comecei a escrever o próximo e nele contaremos com a participação, finalmente, do nosso Baby Jae. Agora é melhor eu vazar se não o JB brota do nada dizendo algo como ''ele é o MEU Baby Jae''. (HUMOR)

Até logo, annyeong. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...