História Spider Claw - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Deadpool, Homem-Aranha
Personagens Peter Parker, Wade Willson (Deadpool)
Tags Deadpool, Homem Aranha, Sadomasoquismo, Spideypool
Visualizações 283
Palavras 2.404
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Geente, desculpa pela demora de vdd! Não tive tempo de postar!

Infelizmente nesse capitulo ainda não é o lemon maas, já tem umas coixinhaas

Espero que gostem! <3 e muuuito obrigada pelos favoritos, e claro pelos comentários, leio todos com muito carinho e respondo sempre que posso.

Capítulo 3 - Theres two of us were certain with desire


Fanfic / Fanfiction Spider Claw - Capítulo 3 - Theres two of us were certain with desire

Suas costas bateram de forma bruta na parede do beco em uma rua próxima a cafeteria. Gemeu um pouco com a leve dor que sentira e retornou a olhar o mais alto nos olhos com um pouco de raiva.

—Mas o que é isso? – Mostrava o papel que Peter havia lhe entregado – Eu nunca disse que assinaria a droga de um contrato. Eu só disse que queria dormir com você.

—Mas tem algumas coisas que eu preciso...

—Você não precisa de nada! Só precisa tirar a roupa e deixar que eu faço o resto – Esbravejou Wade.

—Você acha que é fácil me deitar com alguém que eu não conheço?! – Desta vez era Peter que gritava, um pouco mais alto do que o outro. Wade tentava fazer Peter falar mais baixo, quando seu colarinho foi agarrado e suas costas encontraram o outro lado da parede.

—Eu já disse, Wade Wilson. Se você vai me foder, porra, vai ser do meu jeito!

 —Mas que merda – Afastou a mão do menor de sua gola. – Me fala o que você quer então.

—Eu... – fez uma pausa e ficou corado – Preciso que você me deixe ser o dominador!

—O que?! De jeito nenhum! Eu não vou dar minha bunda! – Tais palavras só fizeram Peter ficar ainda mais constrangido.

—Idiota, não é isso! Vai me deixar ser ou não?! – Gritou um pouco descontente.

—De jeito nenhum! – Wade não queria se deitar com um homem pela primeira vez e ser tratado como uma puta. Ele queria pegar Peter de jeito, explorar suas duvidas do seu jeito, exclusivamente e necessariamente do seu jeito.

Estava quase inerte de raiva quando sentiu um ferro gelado tocar-lhe a mão direita e logo em seguida prender-lhe a esquerda.

—Que caralhos é isso?! – Indignou-se ao olhar para baixo e ver suas próprias mãos presas a algemas prateadas.

—Vou ficar com a chave – Riu satisfeito – Só vou te soltar quando você disser ‘Sim’ – Peter virou-se de costas retirando-se do beco, enquanto Wade lutava contra as algemas tentando miseravelmente livra-se delas.

—Peter, to falando sério me solta porra!

—Se mudar de ideia me liga!

—Volta aqui! Me dá a chave! 

Wade correu atrás do garoto, com as mãos baixas, torcendo para que ninguém notasse o estado em que estava.

—Você não pode me deixar assim e ir embora cara! – Peter virou-se e encarando Wade continuou sua caminhada tranquila de costas com as mãos no bolso e um ar de deboche.

—Então já mudou de ideia?

—Não!

—Então até mais senhor Wilson. – Fez sinal para um taxi que parou imediatamente. Não foi impedido de entrar no mesmo e seguir para casa, descontente por não conseguir o contrato e muito menos um ‘Sim’ de Wade.

Xxx

Chegou ao apartamento praguejando para os quatro ventos o quanto era idiota. Entrou  no quarto irritado e bateu a porta do mesmo, sua raiva era iminente e suas mãos não paravam de lutar contra as algemas, seu pulso já estava começando a ficar vermelho.

Sentou-se na beira da cama, de costas para a janela evitando a luz do sol. Olhou ao redor para procurar alguma coisa que pudesse lhe ajudar a se livrar daquelas coisas. Nada.

Tentou forçar mais uma vez as mãos contra as algemas, apenas para gemer de dor no ato. Wade levantou-se irritado e caminhou  até o banheiro, não podia acreditar que aquilo estava acontecendo. Por que Peter tinha que ser tão exigente?! Já estava começando a questionar a ideia de deitar-se com um homem. Queria poder sair dali agora mesmo e procurar Peter onde quer que estivesse e enforca-lo até ele tirar as algemas. Mas nem no corredor do prédio tinha coragem de meter as caras, as pessoas pensariam nele como um criminoso fugitivo,e tinha certeza que se pedisse ajuda a algum dos vizinhos, receberia a visita de alguma viatura.

Bateu com o objeto na pia diversas vezes e parou assim que viu que era inútil. Sentou-se no chão para retomar o fôlego. Wade começou a rir assim que  se deu conta de tudo o que estava acontecendo, tudo aquilo talvez fosse sua culpa, por ser um maníaco por sexo. Por atrair tanto azar, não sabia ao certo o que, mas já estava cansado de tudo aquilo.

Retirou o celular do bolso e com dificuldade discou o numero de Peter e esperou até que o mesmo atendesse.

—Preciso falar com você...

Xxx

Esperou pacientemente no sofá, as algemas apoiadas sobre o joelho nu devido a bermuda que vestia o fazia ficar ainda mais irritado com aquelas coisas.

Alguns longos minutos depois e a campainha tocou. Levantou ainda algemado e abriu a maçaneta irritado com o rapaz do outro lado da porta.

—Entra. – Abriu passagem para o outro que logo foi tirando o casaco marrom e ajeitando os óculos no rosto.

—Belo apartamento – Deu um sorriso sarcástico enquanto olhava de um jeito nada discreto as coxas amostra de Wade. O que fez o mesmo se irritar mais ainda e tomar os ombros de Peter jogando-o contra o sofá.

—Tira isso de mim, agora!

—Foi pra isso que me chamou aqui? Então quer dizer que mudou sua resposta?

—Olha aqui Peter!...Ai mas que merda – Aproximou-se sentando-se ao lado do mesmo. – Eu posso ver o que posso fazer, sobre aquele contrato...Posso te dar o dinheiro, mas preciso saber porque você quer ele. E posso tirar as fotos. Mas é só isso.

—Você pode me dar o dinheiro? Ta falando sério?

—Depende – olhou para Peter que agora encarava-o sério – Eu te disse que preciso saber porque você quer o dinheiro.

—É pra cirurgia da minha tia... – Hesitou um pouco ao responder, mas não podia evitar, precisava do dinheiro. Não suportaria perder May também, não suportaria ficar sozinho.

—Da sua tia? O que ela tem – Encarou Peter agora um pouco mais preocupado. Conhecer os problemas dele não era nem de longe uma das intenções de Wade. Quanto menos ele soubesse do Parker melhor seria.

—Sim. Meus pais, eles...enfim, eu vivo com meus tios...com minha tia pra ser mais exato. Ela precisa fazer uma cirurgia no rim, mas a gente é muito pobre. Por isso eu tiro fotos. Eu vendo pra revistas, catalagos, ou pra quem quiser comprar.

—Entendi, se é assim, eu posso te emprestar o dinheiro. Mas primeiro tira essas coisa do meu pulso.

—Primeiro o dinheiro. Você não esta em posição de exigir nada.

—Mas que merda. – Wade se levantou e foi até um balcão próximo da TV, de lá retirou um bloquinho de cheque. Escreveu uma quantia um tanto quanto alta e logo em seguida assinou. Destacou o papel e o entregou a Peter. —Satisfeito?

—Ainda não. – Guardou o papel no bolso, e voltou a olhar sorrindo Wade que o encarava confuso.

Peter olhou Wade de modo sacana e num ato repentino subiu no colo do maior, segurando seus braços pra cima. Peter começou a mexer seus quadris em cima do membro de Wade. O que fez o mesmo começar a ter uma pequena elevação por debaixo da bermuda.

—Porra Peter, o que você ta fazendo?

—O que você queria – Em um ato repentino Peter tomou os lábios de Wade em um beijo profundo, foi pedindo passagem com a língua e logo suas bocas colidiam em perfeita sincronia. Para provocar Wilson, Parker voltou a mexer os quadris enquanto Wade quase perdia a respiração com o beijo.

Se separaram para retomar o fôlego e uma linha de saliva ainda os unia. Peter passou o braço direito para limpar e em seguida pode sentir o membro de Wade duro tocar-lhe a bunda.

—Então, você vai querer que eu continue, Senhor Wilson?

—Tira isso de mim primeiro. – Olhou para os braços ainda levantados, já pedindo rendição.

—O que disse? – Voltou a mexer os quadris, dessa vez de forma mais profunda.

—Que merda!... – Wade começou a se espernear tentando se soltar. Queria agarrar Peter, levá-lo para o quarto e mostrar o que acontece quando o desafiam. Wade queria, por Deus como ele queria foder Peter ali e agora.

—Me implora, me implora que eu paro. – Os chupões que Peter deixava no pescoço de Wade só aumentavam o prazer que o mesmo sentia, Peter também já estava duro, mas não queria se render ao outro, precisava que Wade implorasse, precisava sentir que ele necessitava dele.

—Ta me machucando que merda. – O pulso estava vermelho por conta das algemas, mas para Peter aquilo era exagero, já viu pulsos ficarem piores. Mas tudo bem, concedeu ao pedido de Wade e abaixou os braços do mesmo, até encostarem em seu membro. Então pressionando os pulsos de Wade sobre seu membro, Peter sussurrou na orelha do mesmo.

—Quer que eu te chupe?

—Tsc – Wade jogou a cabeça para o lado, não queria olhar para Peter, estava se sentindo um pouco vuneravel, e o pior , estava gostando, isso o deixava muito irritado.

Não pode notar o sorriso safado de Peter, pois logo suas costas encontraram a porta e Parker já estava de joelhos retirando sua bermuda. Era visivelmente grande o volume sobre a cueca de Wade, e Peter não pôde deixar de notar isso.

—Wade...você quer mesmo que eu faça isso?

—Eu não vou te responde isso, mas que merda, não ta vendo como eu to?

Peter passou a língua por cima da cueca de Wade e voltou a encara-lo

—Se você não me pedir com educação eu não vou te ajudar Wade – Suas mãos já brincavam com o membro do mesmo duro sobre a cueca.

—Caralho! – Estremecia a cada toque do menor.

—Pede! – Dessa vez era sua boca que trabalhava sob o pano. Wade agarrou os cabelos de Peter e o fez olhar para ele.

—Me chupa! – Peter deu um sorriso assim que Wade soltou seus cabelos, então abaixou a cueca do mesmo e viu o membro de Wilson saltar para fora. Tornou a agarra-lo, e só para provocar mais um pouco passou a língua de leve pela glande do maior o que fez o mesmo gemer e agarrar a própria camiseta com as mãos algemadas. Então em questão de segundos o pênis de Wade já estava totalmente dentro da boca de Peter. E enquanto o mesmo fazia movimentos de vem e vai, sua língua ia cobrindo toda a extensão do membro em movimentos circulares.

Aquilo estava fazendo Wade tremer, puta merda, ele nunca tinha sentido uma coisa tão boa quanto aquela. Se ele achou que sabia o que era boquete, ele aprendeu errado, pois aquilo estava surreal.

Peter continuava com os movimentos, dessa vez agarrou uma das bolas de Wade, massageando-as . O que fez o mesmo gemer, assim que a boca de Peter cobriu todo seu membro, e ele deu uma pequena engasgada. Quando sua boca voltou ao inicio, retornou a lamber a glande de Wade. E o mesmo já não aguentava de tanto prazer, se alguém passa-se por ali no corredor agora mesmo ouviria seus gemidos nada discretos, mas ele não estava preocupado com isso agora, terá boca de Peter em seu órgão poderia ser considerado a 8 maravilha do mundo.

Continuou dando prazer a Wade, chupou uma das bolas e passou a língua logo em seguida, depois voltou a chupar todo o membro de Wade que já se encontrava muito duro. Peter olhou para cima e Wilson estava se contraindo com os olhos fechados. Então ele parou de chupar o mesmo.

—Olha pra mim! – Ordenou, o que fez Wade olhar no mesmo instante. – Não tira a porra dos seus olhos de mim.

Após ser obedecido deu um sorriso satisfeito e retornou a fazer o oral, usava as mãos nas partes que sua boca não cobria, e quando a mesma chegava a ponta, lambia a glande fazendo Wade contorcer o quadril de prazer. Mais alguns minutos ‘’saboreando’’o membro de Wade e ele não aguentou mais.

—Porra Parker – Agarrou novamente os cabelos do menor, retirando a boca do mesmo de seu pênis, e então ele mesmo – com dificuldade por conta das algemas – começou a se masturbar, Wade chegara ao orgasmo e seu gemido cansado comprovava isso. Então Peter simplesmente virou o rosto e esperou que Wade gozasse em sua bochecha.

Assim que terminou, Parker levou os dedos até o liquido e provou do gosto de Wade. Logo em seguida ele se levantou. E retornou a agarrar os braços de Wade algemados forçando-os contra a porta.

—Mas que merda foi essa?! Você não queria me foder?! E agora goza assim?! – Peter não estava irritado de verdade, mas ver que ele mesmo não pôde se satisfazer o deixava um pouco frustrado.

—Merda, quer o que?! A culpa foi sua!

—Ah é?! A culpa foi minha? Agora me responde o porque Wade. – Agarrou com a outra mão livre o queixo do maior, chegou tão perto que o membro ainda descoberto de Wade encostou em sua calça.

—Nem morto eu digo isso!

—Se você disser, eu tiro a algema, eu prometo.

—Droga!

—Vai dizer ou não vai?

—Vai se foder!

—Tudo bem – Largou Wade e recolheu seu casaco do lado da porta. – Se não vai me dizer, acho que não tenho mais nada o que fazer aqui. Foi abrindo a porta quando seu pulso foi agarrado brutalmente e então dessa vez era Peter quem estava de costas para a porta. Surpreso pelo ato de Wade.

—Por que você me chupou fodidamente bem ok? – Agarrou o pescoço de Peter sem exercer força no local. – Porque ninguém nunca tinha me chupado como você, ok? Satisfeito?!

—Não tanto.. mas já basta – Afastou as mãos de Wade de seu pescoço e pegou a chave das algemas no bolso do casaco. Wade logo estendeu elas em direção a Peter que já destrancava as aberturas. Algumas mexas de cabelo caiam sobre o rosto de Peter, ele estava consideravelmente suado. Logo um ‘’tric’’ foi ouvido e os pulsos de Wade estavam livres. Então Peter guardou o objeto no bolso e foi abrindo a porta,de novo.


—Pronto, seu desejo foi realizado, agora eu vou indo nessa.

—Espera – Novamente foi impedido por Wade. – Eu ainda não fodi com você, não pense que isso é um adeus.

—Wade Wilson, você deveria parar de se achar tanto.

 Se aproximou do maior e deu um pequeno selinho nos lábios do mesmo.

—Por acaso você não percebeu que fui eu quem acabou de te foder?

Por fim deixou o apartamento de Wade, não estava satisfeito, nem de longe era o que imaginara fazer com Wade. Mas havia conseguido o dinheiro para May, e isso foi o suficiente para faze-lo ir dormir com um sorriso no rosto.


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...