História Spider-Woman (Camren G!p) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Homem-Aranha
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Intersexual, Norminah, Trolly
Visualizações 1.140
Palavras 2.649
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei meus leitores!!! 😀

Capítulo 16 - E agora?


Fanfic / Fanfiction Spider-Woman (Camren G!p) - Capítulo 16 - E agora?

Depois que saímos da festa eu fui levar Camila em casa. Eu levaria Norminah em suas casas, mas a grandona disse que elas ficariam mais um pouco para aproveitar a festa e ela estava com uma cara muito maliciosa, eu preferi nem perguntar. A pequena Allycat foi embora com Troy. 

Agora eu estava dirigindo para a casa dos Cabello's. Confesso que estava sentindo um nervosismo estranho, eu já tinha levado Camila em casa antes, mas nada comparado com o agora, a gente tinha ficado na festa. Como a gente ficaria depois disso? Será que eu poderia conversar com ela sobre isso? Droga, Lauren, relaxa. Era isso que você queria, certo? Certo. Então, deixa as coisa acontecerem naturalmente. Suspirei alto. Camila percebeu, pois me olhou curiosa.

-Está tudo bem, Lo?

-Sim, Camz. -Olhei pra ela rapidamente voltando minha atenção pra estrada sorrindo tentando disfarçar meu nervosismo. Ela franziu e deixou pra lá. Parei o carro quando chegamos em frente a casa dela. Camila ia abrir a porta, mas eu a impedi. -Não saia ainda. -Desci do carro e fui até sua porta abrindo-a. -Senhorita... -Estendi minha mão para ela, ela riu e segurou minha mão.

-Obrigada! -Sorriu, e eu quase derreti com aquele sorriso lindo que ela tem. Levei ela até a porta. Estava tudo escuro, acho que todos já deviam estar dormindo. -Então... -Camila falou tímida. Eu achei aquilo fofo demais.

-É... -Caralho eu tava muito nervosa. O que se deve fazer numa situação dessa? Eu não faço ideia. Então, eu disse a coisa mais estúpida que veio em mente. -Está entregue. Boa noite, Camz. -Pude ver em seus olhos uma expressão triste. Mas eu não sabia como agir. Virei de costas para sair quando senti uma mão super macia me puxar.

-Espera...-Disse quase em desespero. -Eu... É... -Fiquei esperando ela falar, mas ela não disse nada, apenas me encarou.

Engoli em seco com o olhar que ela me deu. Era inocente, mas não tão inocente assim. Camila deu um passo a frente e colocou suas mãos em volta do meu pescoço.

 Caralho ela vai fazer mesmo o que eu estou pensando?

Me puchou um pouco para baixo e colou seus lábios nos meus. Senti um arrepio percorrer meu corpo, uma sensação gostosa que só ela me fazia sentir essas coisas. Levei meus braços até sua cintura e uni nossos corpos. Camila passou sua língua pelo meus lábio inferior pedindo passagem e prontamente fiz o que ela queria. Invadi sua boca com minha língua e quando ambas se chocaram, senti meu abdômen contrair. Andei devagar com Camila sem nos separar e a encostei na parede perto da porta, empurrei minha cintura de encontro ao seu corpo e ouvi ela suspirar contra meus lábios. Camila me beijava como se esperava pra fazer isso a muito tempo, e esperávamos pra fazer isso. Ela chupou minha língua e sugou meu lábio. Um gemido rouco escapou de minha garganta. Camila parou o beijo de repente e me olhou. Abri os olhos lentamente como se divesse acordado de um transe.

-Por que parou? -Falei ofegante. Camila passou a ponta de sua língua pelos lábios mordendo o inferior em seguida. Aquela cena foi tão sexy e excitante que a pressionei contra mim. Minha ereção estava quase rasgando minha calça. Quando Camila sentiu o que tentava fazer, sorriu de lado e me puchou atacando minha boca com vontade.

Eu estava ficando louca tendo Camila colada a mim. Eu queria descer minhas mãos até sua bunda, mas não sabia se poderia fazer isso ainda, então optei por não fazer para não a deixar desconfortável. Estávamos tão envolvidas que não percebemos quando a porta foi aberta e alguém pigarreou. Com o susto saltei para trás me afastando de Camila.

-Boa noite, meninas. -Alejandro disse sério. Fiquei tensa por ele ter nos pego no flagra.

Merda!

-Papa! -Camila disse ajeitando sua saia, os cabelos e passando o polegar no lábio limpando o batom borrado. -Por que está acordado a essa hora? -Fitou o homem que agora estava de braços cruzados.

-Esperando você, mi flaca. -Senti o peso de seu olhar sobre mim. Rapidamente abaixei a cabeça e quando olhei o enorme volume em minha calça arregalei os olhos e abaixei minha blusa tentando desfarçar. -Boa noite, Lauren. -Meu coração errou uma batida. Encarei ele.

-B-boa noite, Sr. Cabello. -Estendi minha mão, mas ele não apertou, apenas encarou. Sem graça por ele ter me deixado no vácuo, cocei a cabeça. -Bom... É... Eu vou indo. -Sorri sem graça. -Boa noite, Camz. -Ela sorriu e sussurrou "boa noite". Me virei e fui até meu carro, arrancando com ele dali.

CAMILA POV

Depois que Lauren foi embora eu entrei com meu pai. Sentei no sofá meio abobalhada e ele me fitou em pé cruzando os braços. O encarei.

-Que foi, papa? -Ele me analisou sério, mas eu pude ver seu lábio curvando num sorriso. Sorri de volta.

-Finalmente Lauren deixou de ser covarde e disse o que sente?

-Bom... Não... -Suspirei. Ele franziu. -Não ainda, mas digamos que nos entendemos agora! -Disse mordendo o lábio.

-Eu pude ver que se entenderam. -Ficou sério de novo. -Não vai achando que vou deixar vocês se agarrando por aí. Lauren vai ter que vir aqui falar comigo... -Arqueei uma sobrancelha. -...E eu não vejo a hora de falar com ela. -Essa parte ele disse estalando os dedos.

-Papa, não vai assustá-la. -Fui até ele e o beijei. -Vou subir, estou exausta.

-Buenas noches, mi flaca. -Sorri para ele e fui pro meu quarto.

Fechei a porta atrás de mim com um sorriso bobo. Caminhei até minha cama e deitei me lembrando de tudo o que aconteceu nessa noite. Lembrei de quando a vi chegando naquela festa, ela estava tão linda com aquelas roupas, aquele estilo dela que eu amo.

Eu queria fazer ela sentir ciúmes a ponto de fazer qualquer coisa pra me ter, e foi o que aconteceu. Eu dançava o mais sensual que conseguia, eu podia ver ela me observando de longe, mas não sei o que deu nela que ela saiu e foi pra cozinha. Fiquei frustrada quando isso aconteceu, eu não esperava que ela fugisse. Depois DJ foi atrás dela, mas vi que ela não voltou, então, uma ideia estúpida passou pela minha cabeça. Chamei Shawn pra dançar comigo. Foi nojento ter ele se esfregando em mim, mas eu estava desesperada para tê-la comigo que foi a única coisa que pensei. E deu certo por que no momento seguinte eu já estava em seus braços.

Quando ela passou a ponta de seu nariz pelo meu pescoço eu me arrepiei toda, queria mais dela. Então começamos a dançar e foi uma sensação maravilhosa tendo ela colada a mim.

Quando Lauren chorou eu não sabia o motivo, mas limpei suas lagrimas e cantei o refrão da música pra ela. De alguma forma eu queria pegar qualquer tipo de coisa que a fez chorar e transferir para mim, eu não queria vê-la chorar. Então fiz o que ansiava a muito, muito, muito tempo. A beijei. [N/a: põe tempo nisso]

Não foi O beijo, mas minha boca encostava na sua. Sentir aqueles lábios macios foi tão surreal, ela tem uma boquinha incrível que quero beijar toda hora. Sorri mais ainda. E quando ela me pressionou contra a parede a uns minutos atrás? O que foi aquilo? De onde surgiu essa Lauren ousada? Eu simplesmente adorei. Nos beijamos dessa vez com vontade, um beijo de verdade, quando percebi ela roçando seu membro contra mim, uma sensação de desejo me consumiu, eu senti meu sexo pulsar pedindo por alívio que só ela podia me proporcionar. Eu queria ela.

Mas meu pai tinha que interromper. Puta merda! Mas pelo menos agora eu tenho minha Lolo de volta. E estou tão feliz, tão radiante, com certeza vou agradecer as meninas por terem me ajudado nessa. Se não fosse por Mani e Ally me ajudando a bolar um plano eu não conseguiria sozinha, e agradeceria a Dinah também por ter convencido Lauren a ir na festa. Confesso que por um momento achei que ela não fosse aparecer porque sei como ela não curte muito ir em festas. Mas ela foi e isso é o que importa. Jamais vou me esquecer desse dia.

NARRADOR POV

Alguns dias se passaram desde a festa na casa do Bieber. Dinah e Normani estavam cada vez mais grudadas, elas finalmente perceberam que não podem ficar longe uma da outra, mesmo que elas briguem de vez enquando. Ally e Troy também eram inseparáveis, a baixinha não queria ficar muito tempo longe do grandão. Camila e Lauren ficaram mais próximas desde o ocorrido na festa. Elas ainda não estavam namorando oficialmente, mas sempre desfrutavam de suas companhias sempre que possível.

E falando em Lauren, a nossa heroína favorita, estava em seu ambiente de trabalho. Mas não, não era no jornal ainda.

Ela estava no alto de um prédio com sua roupa de heroína impecável -desenhada por ela e sua melhor amiga- sentada na beirada fazendo a "ronda" da noite, ou seja, vigiando a cidade. Ela não costumava fazer isso, mas justamente nesse dia ela quis fazer para por os pensamentos em ordem.

Lauren balançava as pernas para fora do prédio pensando em como seria daqui pra frente. A sua nova vida era complicada de mais para uma jovem de 19 anos, ela adquiriu tanta responsabilidade em tão pouco tempo que ela ainda não acreditava que a segurança de uma cidade inteira dependia dela. Mesmo que ela se esforçasse muito e desse o máximo de si, provavelmente não daria conta de tudo isso. Sua família não pode nem sonhar que ela é a Mulher-Aranha, nem Camila pode saber, e nem Normally, se não automaticamente estaria colocando a vida deles em risco. A única que podia saber era Dinah e ela cofiava plenamente na grandona pra guardar esse segredo. Não que ela não confiasse nas outras pessoas, mas quanto menos gente sabendo era melhor.

Por falar em família os pensamentos da morena voltaram ao seu irmã, Chris. Ela não entedia por que ele estava se drogando, ela não conseguia entender os motivos do irmão para fazer tal coisa. Chris tem uma família que o ama, que o protege e sempre vai estar lá por ele. Então, por que ele estava fazendo isso consigo mesmo? Destruindo a própria vida aos poucos e aqueles que o rodeiam. Ela não realmente não entendia.

Outra coisa que ela pensava era em Camila. Como elas ficariam agora? Sim, ela deve deixar as coisas acontecem naturalmente, mas ela tem medo de que, algum dia possa perder a latina por causa de sua segunda identidade. Camila pode ficar com raiva de ter sido privada de algo tão importante e assustador. Ela daria um jeito de que tudo ocorra bem e que elas finalmente possam ficar juntas como sempre a morena sonhou.

Lauren foi tirada de seus pensamentos quando notou uma movimentação estranha lá em baixo. Ela inclinou o corpo um pouco pra frente e apoiou os braços nas pernas. Ela viu três homens encurralando duas meninas na parede, um deles tentou tocar uma delas, mas a menina bateu na mão do homem que não gostou nenhum pouco e desferiu um tapa no rosto da menina.

Lauren olhou pro céu que estava escuro e sem estrelas por estar quase amanhecendo respirando fundo controlando sua raiva. Ela se perguntava o que duas garotas faziam sozinhas na rua uma hora dessas.

Olhou de novo para baixo e viu um dos homens tentando agarrar uma das meninas a força. Então, ela se jogou de cima do prédio de cabeça para baixo. Quando viu que estava perto lançou suas teias e ficou pendurada ainda de cabeça para baixo permacendo no escuro para que ninguém a percebesse ali.

-Me solta por favor! -Uma menina que Lauren notou ser loira falou em desespero.

-Agora você quer que eu te solte, princesa? -Um homem barbudo falou e Lauren sentiu nojo dele. -Não sem antes a gente brincar um pouquinho! -Falou segurando o queixo da menina que agora chorava baixo. Um segundo homem segurava a amiga dela que Lauren notou ser ruiva. O terceiro vigiava para ninguém interromper.

LAUREN POV

-Vamos acabar logo com isso! -O segundo homem disse já tentando rasgar a roupa da ruiva. Pigarreei. Eles olharam para trás assustados, mas não viam ninguém.

-Quem está aí? -O primeiro perguntou já tirando uma faca do casaco. O segundo tirou um canivete e o terceiro uma arma. -Quem está aí? -Exigiu gritando.

-Vocês não tem vergonha? -Perguntei ainda no escuro. Eles olharam desconfiados para onde eu estava. -Vocês não aprendem mesmo! -Saltei ficando de pé. Andei um pouco até que eles pudessem me ver, e espantados arregalaram os olhos.

-Tinha que ser você pra empadar nossa foda! -O primeiro disse furioso apontando sua faca pra mim.

-Deixa essa axpirante a heroína comigo. -O terceiro lenvatou a arma em minha direção. -Quais são suas últimas palavras, Mulher-Aranha? -O encarei. Quanta audácia desse humanozinho de merda. Sem dizer nada lancei um jato de teia em sua mão o desarmando. -O quê? -Ele gritou e no mesmo instante correu em minha direção.

Ele tentou me dar um soco, mas eu desviei no último momento agarrando seu braço e acertando-lhe um soco na cara. O segundo que estava com o canivete correu tentando me acertar, eu pulava pra trás para me livrar de um corte, quando ele avançou de novo eu abaixei e dei uma rasteira nele o fazendo cair de barriga no chão.

-Não! -Uma das meninas gritou. O primeiro homem estava com a faca no pescoço da loira enquanto segurava ela por trás. A amiga dela estava encolhida num canto chorando.

-Nos deixe Aranha, e nada vai acontecer com ela. -Ele disse exasperado. Olhei para ambas as garotas e elas estavam muito assustadas, eu precisava agir e rápido. Os dois homens que eu bati me seguraram pelos braços e eu apenas me manti imóvel fazendo eles acharem que estavam no controle da situação. -Boa Aranha, isso aí! -Ele soltou a menina e a jogou nos braços da amiga e em seguida caminhou até mim. -Você vai morrer tão rápido que nem vai sentir. -Ele sorria perverso e quando se aproximou me deu um socou no estômago e outro no rosto.

Quer saber? Vou acabar logo com esse fudidos. Levantei o rosto lentamente em direção ao homem que estava a minha frente.

-Uma última coisa. -Fiz uma pausa. -Eu queria matar voces. Não sabem o quanto eu queria, mas homens como vocês não merecem uma morte rápida, e sim uma bem lenta e dolorosa, que vocês vão implorar por misericórdia e ninguém vai dar a mínima pra vocês. -Ele ficaram confusos. -Eu vou prender vocês e depois tirar as meninas daqui. -quando eu teminei de falar fiz força com meus braços trazendo os dois que me seguravam para frente e chocando um contra o outro.

O que estava com a faca veio me acetar, mas lancei teias em seus olhos o deixando desnorteado. Peguei os dois que estavam no chão pela gola da blusa e bati mais uma vez a cabeça deles um contra o outros fazendo eles desmaiarem. Enrolei eles em minhas teias para quando acordacem não fugirem. Quando me virei senti um uma ardência em meu braço.

O desgraçado havia me machucado.

Ele sorriu e avançou tentando me furar com a ponta da faca. Lancei teias em suas mãos e puxei ele até mim, fazendo seu rosto chocar contra meu punho. Joguei ele contar a parede e predi seus braços, pernas, tronco e pescoço. Ele se debateu, mas não sairia dali. Liguei pra polícia e disse onde eles estavam.

Caminhei até as meninas e me deu pena do estados em que elas estavam.

-Hey, eu vou levar vocês até a delegacia mais próxima. Tudo bem? -Elas me olharam com pavor, mas no fim concordaram.

Quando deixei as garotas na delegacia já estava amanhecendo, então, só fui em casa tomar banho e colocar uma roupa, cuidar do meu ferimento e ir pra faculdade.


Notas Finais


Até o próximo amores! 😀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...