História Spilled Blood- J-hope (Bts) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 18
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Incesto, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei com mais um capítulo, não vou enrolar muito.. Então

~Boa leitura~

Capítulo 5 - 05


Fanfic / Fanfiction Spilled Blood- J-hope (Bts) - Capítulo 5 - 05

- Jin... Está tarde, eu vou ter que voltar para casa, se quiser amanhã continuamos escutando- Falei olhando no relógio do meu celular

- Ah tudo bem… Vamos eu te acompanho até a porta- Levantou-se de onde estava sentado me guiando até a porta- Até amanhã Jung…

- Até amanhã- Respondi e saí pela porta indo em direção ao elevador e chamando o mesmo, os segundos de espera pareciam anos, eu não conseguia parar de pensar nela, e então o elevador chegou e eu entrei nele, desci até o térreo e me direcionei ao caminho de casa.

~Quebra de tempo~

Assim que cheguei em casa fui obrigado a responder um interrogatório da minha mãe, após responder tudo o que a mesma queria saber.

Então fui até o meu quarto e me joguei na cama, e fiquei olhando o teto até adormecer

~Sonho on~

Eu estava em um jardim fazendo um piquenique, mas eu não estava desacompanhado, ela estava lá sorrindo com tanta alegria no olhar, senti uma enorme paz em meu coração, senti que independente de onde ela estava, ela estava em paz, ela descansou

- S/n? Por que você nos deixou?- A olhei, então aquela face sorridente sumiu no mesmo instante

- Talvez porque você não quis saber? - Havia raiva em seu olhar

- Eu não podia prever o que ia acontecer, você foi mais uma alma perdida vítima do suicídio- Falei em um fio de voz

- Hobi, você nunca percebeu que tinha algo de errado comigo, Por que eu fiz o que fiz? Porque eu não era feliz, isso foi apenas o resultado de uma soma de uma vida infeliz- Ela voltou a sorrir olhando para o horizonte

- Então, por que? Só me responda o porquê?-

- Porque ninguém nunca me amou, ninguém nunca me disse nada, ninguém me ajudou ou aconselhou, todos me abandonavam e me deixavam sozinha, e você… Você nunca esteve comigo, não me deu suporte, não foi meu amigo, nunca se comoveu quando meu olhar caía, por que não fosse que me amava quando eu estava viva?- Essa última frase ela praticamente berrou

- M-me desculpa….- Abaixei a cabeça envergonhado

~Sonho off~

Acordei em um pulo, minhas mãos e minha testa estavam suando frio, tudo bem ver ela acordado, mas agora dormindo? O grau de loucura já estava elevado, olhei no relógio e eram 09:30 da manhã, às 10:30 eu tinha que estar na faculdade, para repor meus horários, levantei e coloquei uma roupa qualquer, peguei minha mochila e desci as escadas indo em direção a porta.

- Senhor Hoseok... Aonde pensa que vai sem tomar café da manhã?- Perguntou minha mãe do costas para mim, ela estava fazendo algo no fogão que não consegui identificar

- Tô sem fome mãe, eu compro alguma coisa no caminho- Falei saíndo pela porta e logo do prédio, realmente morar no 1° andar tinha suas vantagens, peguei o caminho contrário da faculdade, eu iria me atrasar um pouco, mas iria passar no cemitério para "ver" ela, era duro pensar que eu ia ficar olhando para o chão, mas quem estava lá era ela.

~Quebra de tempo~

Cheguei no cemitério e fui até o túmulo mas eu não estava sozinho, ele estava lá, Namjoon teve a audácia de ir lá, quando eu cheguei mais perto ele me olhou.

- É difícil, né?- Falou ele um pouco baixo, mas era alto o suficiente para que eu escutasse

- Difícil? Mas, pra você não foi difícil estrupa-la aquele dia né?- A raiva havia me consumindo naquele instante

- E-eu não sei do que está falando- Falou ele em um tô cínico

- Eu sei de tudo, e o irmão dela também, não adianta se fazer- Falei com o tom mais sério que consegui

- Ela me queria e eu queria ela, se isso é estupro, então eu a estuprei- Falou e depois deu de ombros

- Por sua culpa, ela começou a cogitar o suicídio, sua culpa- Eu já estava praticamente berrando

- A culpa não é minha, ela se matou, ela tirou a própria vida, não vou ficar me culpando atoa- Aquelas palavras me subiram o sangue, então cheguei mais perto do mesmo e dei um soco no mesmo, ele logo retrucou, quando percebi haviam guardas do cemitério nos separando

- Pode me soltar, ao contrário dele eu sou civilizado- Falei me retirando dos braços do guarda

- Foi bem eu que comecei a briga - O mesmo se debatia nos braços do outro guarda

- Você me provocou, falou que o suicídio da S/n foi frescura- Falei pegando minha mochila do chão e saindo do local.

Quando saí de lá, e fui andando lentamente até a faculdade, no portão já havia um cartaz escrito:

"Diga não ao suicídio, ligue para o cvv (Centro de valorização da vida)"

Naquele momento eu fiquei indignado, ninguém nunca se preocupou com ela, nem perceberam o quanto a alma dela estava doente, e hoje infelizmente ela não está mais aqui com a gente, agora todos da faculdade compartilham a mesma dor, e ela não tá aqui para ver esse sentimento, os corações batendo e refletindo sobre o passado, e as mentes pensando em concertar tudo aquilo que fizeram no passado. Assim que entro escuto a conversa de duas meninas:

- Ela era tão linda, era amada, não tinha motivos para se matar- Falava uma enquanto mexia no celular

- Verdade, eu era da sala dela, ela tinha muitos amigos, era feliz, não tem algum motivo aparente- Respondeu a outra

- Tem sim um motivo- Ambas me olharam- Esses amigos eram falsos, lobos em pele de cordeiro, nunca a ajudaram, e o pessoal desse lugar, foram os responsáveis pelo suicídio dela, tratavam ela como objetivo, falavam que ela era fácil, destruíram ela… Ela era ingênua e não sabia do perigo, não sabia do que os alunos daqui são capazes, a mesma só queria alguém para chamar de amigo!!!- Com o final do meu discurso, já não eram só as duas meninas olhando para mim, e sim todo mundo que se encontra no pátio, então eu peguei e saí do local, indo para dentro.

-Ei, Hoseok- Ouço alguém no corredor me chamando, então viro em direção ao mesmo, eram JungKook e Yoongi me chamando, e logo vou até os mesmos- Você tá no time principal de basquete para o jogo de hoje sabia? - Falou Kook fechando seu armário e virando de frente para mim

- Não, eu não sabia, e nem vou participar, já tenho compromisso hoje, coloca alguém no meu lugar- Digo sem o menor interesse

- Mas… É o time principal, vai nos deixar na mão porquê? Tá pegando mais uma em Hoseok!?- Falou Jeon meio malicioso, e depois me deu uma cotovelada fraca

- Que nada… Vou ajudar o irmão da S/n com algumas coisas- Falei passando a mão no cabelo

- S/n não é aquela menina que se suicidou?- Indagou JungKook

- Essa menina, tem nome e sobrenome, tem idade, uma história, e tinha sentimentos- Falei o encarando

- Olha lá, defendendo a vadia da faculdade, esperava mais de você- Falou Yoongi em tom de deboche

- Ela não era vadia, nunca foi, vocês só sabem sobre boatos, mas não sabem a verdade- Falei meio irritado- Agora se me dão licença- Apenas ignorei o olhar dos dois sobre mim e continuei andando até a minha sala.


Notas Finais


Bom espero que tenham gostado
Beijos e até o próximo capítulo 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...