História Spoby- Me After You - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Caleb Rivers, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Melissa Hastings, Personagens Originais, Peter Hastings, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Veronica Hastings, Wren Kingston, Yvonne Phillips
Tags Alison Dilaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Byron Montgomery, Caleb Rivers, Ella Montgomery, Emily Fields, Emison, Ezra Flitzgerald, Haleb, Hanna Marin, Jaria, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Jessica Dilaurentis, Lucas Gottesman, Maya St Germain, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Mona Vanderwaal, Noel Kahn, Paige Mccullers, Pam Fields, Personagens Originais, Peter Hastings, Pretty Little Liars, Spencer Hastings, Spoby, Toby Cvanaugh, Verônica Hastings, Wren Kingston, Yvone Philips
Visualizações 65
Palavras 1.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom, esse é o cap oficial de hoje, dia 12!

Antes de mais nada, queria dizer: Obrigada menina Raiza (Famosa SrtHastings, escritora da maravilhosa: Spoby- What Will Happen?), esteve comigo, todos os dias praticamente cuidando do problema tratado. Ela pesquisou sobre Vasculite (vcs vão entender) Raiza, a melhor pesquisadora que o mundo já viu, A MELHOR, seremos vizinhas no inferno my person!
Esse cap foi feito, com a ajuda da maravilhosa menina Raiza, minha pesquisadora oficial (Sério, até assuntos da minha escola ela pesquisou) MINHA PESQUISADORA OFICIAL.

Agora, feliz dia das crianças.

Capítulo 22 - Happy Birthday, Michael.


Fanfic / Fanfiction Spoby- Me After You - Capítulo 22 - Happy Birthday, Michael.

Algumas horas antes...

Spencer havia chegado na Filadélfia. O clima estava instável, podendo chover a qualquer momento. Do banco que estava sentada podia observar as crianças brincando com seus pais. Mesmo com o tempo fechado, eles pareciam não se importar.

Se lembrou de um dos momentos mais especiais de sua vida, o momento que foi salva...

 

Flashback on:

As gotas fortes se acumulavam por sua face, era difícil enxergar algo naquele dia cinza. Piscou seus olhos fortemente, na tentativa de que sua visão clareasse. Pode ver a sua frente, um pouco mais longe, um rapaz esguio.

Ele segurava em sua mão um guarda-chuva, não qualquer tipo, mas sim um guarda-chuva amarelo. Spencer sorriu. Aquela cor fez com que se sentisse acolhida de uma forma que não sentia a muito tempo.

Ignorou o fato e mudou a direção de seu percurso, caminhando na direção da faixa de pedestres. A chuva havia aumentado, impossibilitando que seus olhos vissem qualquer coisa que não fosse a palma de sua mão.

No exato momento que colocou seu pé na faixa que demarcava o chão, pronta para atravessar, sentiu um puxão em seu braço. Spencer se desiquilibrou devido ao asfalto escorregadio, e caiu. Foi quando sua visão clareou, o carro que iria lhe atingir passou rapidamente. O rapaz segurava o objeto amarelo em suas mãos. Ela olhou na imensidão azul de seus olhos e perdeu-se nos mais bonitos pensamentos. Apaixonou-se de imediato.

Flashback off.

 

- Oi – A voz de Wren fez o foco de sua visão se direcionar para ele.

- Oi – Respondeu em tom amargo.

O rapaz se sentou ao seu lado vagarosamente e soltou um grande suspiro.

- Senti sua falta – Disse ele com seus dedos entrelaçados no meio da perna.

Spencer nada respondeu, continuou observando a visão que tinha.

- Somos bons pais? – Perguntou ela após um tempo de silencio.

- Somos ótimos pais – Wren respondeu a olhando.

- Ótimo – Spencer se levantou e caminhou o mais rápido que podia para longe de Wren e daquela visão feliz que tinha.

 

...

Estava em seu quarto de Hotel, pronta para se encontrar com seu futuro ex-marido e advogados. Pegou sua bolsa e saiu.

Dirigiu por alguns minutos até chegar no prédio.

Subiu rapidamente pelo elevador e entrou na sala, todos a olhavam.

- Desculpe o atraso – Pediu enquanto se sentava.

- Já analisei os papéis – Sua advogada disse quanto lhe passava os documentos – Está tudo pronto para assinar.

Spencer mantinha seus olhos fixos em Wren e apoiava o queixo em sua mão.

- Eu posso ler antes? – Perguntou com a voz falhada.

- Claro – Wren disse.

A morena pegou os papéis em sua mão e começou a lê-los.

 

No momento que terminou de ler, os colocou na mesa e continuou a observa-los.

- Vasculite – Disse após um tempo. Wren a olhou com expressão nervosa no olhar.

- Spencer...

- Uma inflamação no vaso sanguíneo – Ela continuou – Que provoca danos ao revestimento do vaso, causando seu estreitamento ou obstrução, e assim limitando ou interrompendo o fluxo sanguíneo. O que causa uma parada cardíaca, que pode levar à morte. 

- Vamos deixá-los sozinhos – O advogado se levantou juntamente com sua parceira e os deixou sozinhos.

- Onde quer chegar Spencer?

- Você prometeu – Respondeu se levantando – Na saúde e na doença, alegria e tristeza, riqueza e pobreza.

- Eu estou triste também – Wren se levantou – E eu tento Spencer, todo dia eu tento.

- Onde está quando ele chama por você? – Perguntou retoricamente – Já parou para pensar que não é fácil para mim? Eu tenho sido mãe, pai – Ela andava de um lado para o outro impaciente – Eu tenho sido tudo sozinha, e não é fácil saber que meu filho está morrendo e eu não posso ajudar.

- Não posso vê-lo morrer – Wren sentou colocando as mãos na cabeça – Não posso.

- Eu também não posso – Concordou ela – Mas ele é meu filho, e vou estar ao lado dele até a morte.

Spencer caminhou até a porta e abriu.

- Podem entrar, vamos assinar os papéis.

Os advogados entraram de cabeça baixa e voltaram aos seus lugares.

Passaram alguns minutos de completo silêncio. Depois da breve conversa ambos estavam abalados e ficavam apenas se encarando e encarando os papéis.

O telefone de Spencer começou a tocar em sua bolsa. Delicadamente ela o pegou e atendeu.

- Alô? – Spencer atendeu o telefone. Estava de frente para Wren e seus advogados.

- Spencer – A voz te Toby era preocupada – É o Michael, ele não está bem.

O coração de Spencer bateu mais forte, como se fosse pular de sua caixa torácica.

- Onde vocês estão? – Ela perguntou se levantando.

- Hospital.

- Estou indo. – Spencer desligou o celular pegou sua bolsa e saiu.

Wren foi atrás dela e a segurou pelo pulso.

- O que aconteceu?

- Michael não está bem – Respondeu aguardando o elevador – Toby me ligou e...

- Toby? – O doutor perguntou – Assim que chegou foi correndo para ele...

- Ele está fazendo o que você não pode, sendo pai – Spencer o cortou. O elevador chegou ao andar e ela o olhou uma última vez – Ele precisa de você, eu preciso...

- Spence...

- Já entendi – Ela entrou no elevador e apertou o botão térreo – Eu digo para ele que o pai é um idiota.

 

...

Spencer havia chegado ao hospital, correndo contra o tempo, contra sua ansiedade, e contra seu medo.

- Doutora Hastings – A voz de uma das enfermeiras a fez virar – Seu filho está no quarto 5.

Agradeceu com a cabeça e foi na direção do quarto.

Olhou a placa na porta e seu coração batia tão forte que era quase possível ouvi-lo.

- Mamãe – Ouviu a voz de Michael a chamar fracamente.

- Oi – Respondeu enquanto entrava e tentava controlar as lágrimas.

Michael estava pálido e tinha fios ligados ao seu corpo. Era uma péssima visão para Spencer.

- O que – Começou ela enquanto se aproximava – Aconteceu?

- Estávamos brincando – A voz de Toby era controlada, porém estava com medo – E ele não conseguia respirar.

Spencer sentou na cama, ao lado de seu filho.

- Você vai ficar bem – Disse ela passando a mão pelos cabelos de Michael. – A mamãe está aqui.

- Eu me diverti bastante com o tio Toby – Disse sorrindo.

- Se divertiu? – Perguntou retoricamente com um sorriso fraco. As primeiras lágrimas começaram a cair.

- Vamos brincar mais vezes amigão – Toby se aproximou e colocou a mão no ombro de Spencer.

- Você sabia que é meu aniversário hoje, Toby?

Spencer olhou para o filho e Toby sorriu.

- Vai querer o que de aniversário? – Perguntou o rapaz.

- Posso morar com você e a mamãe? – Michael perguntou feliz.

- Por mim, não tem problema – Brincou Toby.

Ambos olharam para Spencer.

- Podemos pensar – Concordou ela.

A morena olhou para o televisor que continha os batimentos de seu filho, não tinha muito tempo. Todas as lágrimas que tinha segurado, deixou que saísse.

- Eu amo você, meu amor – Spencer disse – Eu sempre vou amar.  

- Mamãe, eu vou morrer? – Ele perguntou.

Spencer levou uma de suas mãos até a boca, tentando abafar o choro.

- Não no seu aniversário amigão – Toby respondeu e a morena concordou.

- Não vai não, Michael – Spencer disse logo em seguida – Vai ficar com a mamãe. Vai ficar tudo bem.

- Está mentindo.  

A morena segurou em sua mão e a beijou.

- Onde está o papai?

Spencer suspirou, por mais que tentasse, as lágrimas caiam em grande quantidade.

- Ele não...

- Michael – A voz de Wren chamou na porta.

- Papai...

O televisor emitiu um barulho estridente. Spencer o olhou, estava fibrilando.

- Michael! – Ela gritou enquanto se levantava da cama e pedia por ajuda.

Tudo aconteceu muito rápido.

Os médicos entraram e tentaram afasta-la.

- Parada cardíaca – Disse o doutor O’Malley – Desfibrilador, carrega em 300.

- Afaste-se Doutora Hastings – Outro médico pediu, ela largou a mão de seu filho relutantemente. Toby a segurou pelos ombros fortemente, para que não se aproximasse, e a afastou um pouco.

- Carrega em 400.

Outro choque foi dado, mas não havia sinal de batimentos.

- Por favor, salvem o meu filho – Spencer gritou. Wren estava parado no fundo da sala, não conseguia se mexer, estava totalmente paralisado.

- 450. – Doutor O’Malley pediu – Tirem a doutora Hastings da sala. Agora.

Toby a segurou mais forte e a levou para fora, enquanto a mesma se debatia freneticamente.

- Toby, me solta – Pedia ela em meio ao choro. – Me solta agora, meu filho precisa de mim.

- Não posso deixar – Ele a abraçou mais forte. O choro era abafado pelo peito do rapaz.

Passaram alguns minutos e seu amigo médico, se aproximou.

- George, como ele está? – Perguntou ela. Seus olhos estavam inchados e seu nariz vermelho.

Ele olhou para o chão.

- Sinto muito, fizemos tudo que podíamos – Respondeu colocando a mão no braço de Spencer, o que ela afastou entrando em desespero – Eu sinto muito.

- Não – Gritou ela – Não! Eu quero o meu filho.

Spencer saiu correndo até o quarto de seu filho.

Estavam tirando os aparelhos, Michael parecia estar apenas dormindo, mas Spencer sabia que ele estava morto.

Levou sua mão à boca, abafando o choro grave.

- Michael – Sussurrou enquanto se aproximava.

Estava parada ao seu lado do leito de seu filho, tocou seu braço. Estava frio, pálido. Sabia o que tinha acontecido; seus vasos sanguíneos haviam se estreitado, impossibilitando a passagem do sangue ao coração.

- Eu sinto muito – Spencer se sentou na cama, e depois, deitou ao lado de seu filho.

Deixou que todas as vezes que foi forte, todas as lágrimas e vontade de chorar que teve durante esses anos, saíssem de seu corpo. Chorou ao lado do corpo sem vida de seu filho.

- Spence – Wren chamou. Ela o olhou de relance – Eles precisam...

- Vai embora – Pediu rispidamente – Agora!

- Eu sou o pai dele.

- Agora? Quando ele se foi? – Disse se sentando – VAI EMBORA WREN. VAI EMBORA AGORA.

De cabeça baixa, ele saiu.

- Feliz aniversário Michael – Spencer depositou um beijo calmo e carinhoso na testa de seu filho.

Deitou a cabeça sobre seu peito e chorou, abraçando-o fortemente.


Notas Finais


Eu postei agora, pq não queria ninguém chorando na frente dos familiares!
Eu sei que é triste. Algumas pessoas pensaram que era Spencer, mas infelizmente, Michael não aguentou.
Eu não tenho muito o que falar! EU QUERO RIR E POR ISSO, VOU MUITO PRO INFERNO.
Voltando ao momento triste... Eu sinto muito. Michael era uma pessoa muito boa, ele era super amigo do menino Tobias, eles poderiam ter sido uma família.
O próximo cap vai ser uma coisa louca, caos, e tudo mais. Afinal; Spencer está de luto. E vai ter uma grande revelação!

Bom, a fic vai entrar de férias... Preciso muito cuidar um pouco melhor da minha saúde. Eu estou com outros projetos e enquanto eu tenho "férias" vou escrever essa e as outras. Ai, depois, eu vou postando. Não tem um tempo definido pras "férias", mas não se preocupem, sempre volto.

AMO VCS

KISSES
-B


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...