História Spotlight - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony, Harry Styles
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Alren, Camren, Norminah
Visualizações 143
Palavras 3.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, monamus. Como vocês estão? Estou bem também. Essa semana está sendo bem foda pra mim... Havana, OMG, capa do álbum das 5H, apresentação no VMA e as duas categorias ESSE MOMENTO É NOSSO.
Eu não sei o que deu em mim pra querer vir postar nessa fic mas tudo bem, é aceitar ou surtar. Está mais pra capítulo ponte porque não aconteceu nada. Enfim, boa leitura e espero que curtam. All the love. xx
Não revisei pois estou morrendo de sono, relevem.

Capítulo 4 - E que a farsa comece...


Fanfic / Fanfiction Spotlight - Capítulo 4 - E que a farsa comece...

 

Lauren's P.O.V

 

Segurei as pernas da latina enquanto sentia as mesmas ao redor da minha cintura, meus lábios não deixavam seu pescoço e a única coisa que eu queria era tirar aquele vestido e me acalmar. Sua boca estava com o gosto do champanhe que havíamos bebido ainda na premiação. Deitei seu corpo na grande cama do hotel e comecei a retirar seu vestido, suas mãos pequenas puxavam meus cabelos com força e ansiedade. Encarei o rosto da garota com um certo orgulho no peito, Camila era tão linda e tão minha. Sem dúvidas eu era a garota mais sortuda do mundo. 

- Hoje... Eu já disse que te amo? - Perguntei com um sorriso torto, me segurando para não beijá-la de novo. Camila assentiu após soltar uma risadinha. - Eu te amo muito, Camz.

- E eu te amo. Isso é mais do que eu pensei que era o limite. - Senti meu coração se apertar, aquilo era bom. Amar era bom e amar Camila Cabello era melhor ainda. 

Voltamos a nos beijar, dessa vez Camila tirava a saia azul que eu vestia. Meu corpo pegava fogo, praticamente implorando pelos toques da minha namorada. Porém, nosso momento foi interrompido por Dinah que fez questão de entrar no nosso quarto sem bater na porta.

- Por Deus, que nojo vocês duas. Não conseguem se controlar nem por um minuto? Eu hein. - Dinah falou, com uma voz muito bem humorada. 

- Puta que pariu, Dinah Jane, não custa bater na porta. - Acrescentei com frustração na voz.

- Só vim dar más notícias pra você, Lauren.

- Sério que você atrapalhou minha foda pra vir dar notícia ruim? - Ela balançou a cabeça, sua feição mostrava que estava se segurando para não rir da minha cara. 

- Ally Brooke também vai pro Canadá e vai performar no mesmo festival que nós. - A loira murmurou, antes de sorrir debochadamente e sair batendo a porta com força. 

Hã?

- Espera, o que ela disse? - Juro que fiquei sem ar por alguns segundos. Maldita seja Dinah Jane por fazer o assunto Ally Brooke voltar pra minha linda cabecinha. 

Por um momento me lembrei da conversa com Ally e seu empresário, o que me causou uma bela dor de cabeça e até pensei que o ótimo sexo com Camila pudesse me fazer esquecer daquela garota. Irritante, mimada e linguaruda deveria ser pouco pra descrever Ally Brooke. Principalmente seu empresário com aquela proposta ridícula e sem jeito. Estava claro demais que eu só não havia aceito a proposta do Wade ainda porque precisava conversar com Camila, saber se ela estava confortável com tudo aquilo. 

Se eu fosse ela, não estaria. 

- Camz, nós precisamos conversar. - A morena acariciou minha mão após minha fala, parecia já saber o assunto. Encarei seus olhos castanhos por algum tempo e senti meu peito se inundar de amor. Não era normal eu ser tão louca por ela, não poderia ser. 

- É sobre a Ally, não é? - Balancei a cabeça e me ajeitei na cama, encontrando as mãos pequenas da minha namorada. 

- Camila, eu quero que saiba que não vou fazer nada que você não queria, principalmente namorar aquela homofóbica do caralho. - Ela apertou os olhos ao me ouvir chamar Ally de homofóbica e sorriu, como sempre fazia pra me acalmar. - Você sabe que nosso amor é maior do que isso, não é? Eu não me importo de enfrentar um processo.

- Está envolvendo a imagem do grupo, Lauren. E eu não quero ser hipócrita e te pedir pra não fazer isso, eu mesma já tive que fazê-lo. - Eu sabia muito bem do que ela estava falado. O namoro com Austin Mahone, e sua amizade quase namoro com Shawn Mendes pra aliviar comentários sobre sua sexualidade. - Escute, faça o que tem que fazer. 

- Mas eu sei o quanto isso é horrível, Camz, eu sei que magoa. Eu me senti horrível em todas as vezes que te vi com aqueles caras. Por favor, me diga se algo te incomodar. - Implorei, olhando fundo nos olhos que eu tanto amava. Camila sorriu e me deu um selinho, assentindo logo em seguida. 

- Certo, contanto que você não se apaixone por ela e me dê um pé na bunda. - Finalmente meu corpo se acalmou ao ouvir sua voz brincalhona, tão linda pra mim. Eu a amava tanto...

- Nunca. - Camila sorriu, convencida e amável, me empurrando na cama e enchendo meu rosto de beijos. Nossa noite não parecia tão arruinada assim. 

Eu sabia o quanto Camila me amava, sua insegurança em me perder, e eu sabia porque também sentia isso. Nós éramos algo que eu não conseguia decifrar, nos amávamos tanto que por vezes nos perdemos mas sempre nos encontrávamos. Eu era louca por ela, completamente louca, insana, pronta pra acabar com qualquer um que ousasse nos separar e ameaçasse nosso plano de viver para sempre juntas. 

Por um momento ri, me lembrando da condição da minha latina em deixar que eu pudesse ''namorar'' com Ally. Não me apaixonar por ela. Era engraçado em muitos aspectos. Camila era a única pra mim, sempre, e nada mudaria isso. Muito menos uma garota mimada e homofóbica. 

* * * * *

O suor escorria por meu rosto enquanto saía do palco com um sorriso satisfatório nos lábios, a noite estava quente e os fãs estavam muito agitados. O show em Vancouver havia sido o máximo. Dinah caminhava logo atrás de mim, tinha me convencido a dividir o camarim com ela porque queria conversar sobre Normani e algo importante sobre Camila. Eu imaginava que seria sobre minha decisão de aceitar o contrato.

Pude finalmente tomar um banho em um dos banheiros que tinha ali, claro, ouvindo muito por demorar já que Dinah também queria uma ducha. Saí dali sentindo o olhar matador da loira em mim e comecei a pentear meus cabelos. Mesmo no camarim ainda sim dava pra ouvir o barulho do show lá fora, por isso não demorar a reconhecer a voz de Ally agradecendo a todos por comparecer ao festival.

Eu não queria admitir, mas ela tinha uma voz bonita e fodidamente potente, logo ia chamar mais atenção do que já chamava. Para o meu desespero, Ally tinha tudo e mais um pouco pra brilhar. Beleza, carisma e voz, muita voz. 

- Adorei o chuveiro daqui, preciso comprar um desses lá em casa. - Ouvi Dinah sair do banheiro e se jogar em um dos sofás. - Sabe que precisamos conversar, né? 

- Sim, sim, eu sei, sei também o que vai querer falar. Sinto muito, Dinah, não há outra alternativa. - Ela arqueou a sobrancelha. - É sério, DJ, não quero foder mais ainda com minha imagem. 

- Ah por favor, Lauren, você sabe como é isso e já sentiu como é isso. Tem certeza que quer fazer a Camila passar pela mesma coisa? - A loira murmurou, com um ar decepcionado pro meu lado. Não era como se a culpa fosse só minha.

- Não vejo outra saída, Dinah, e nem quero que vejam esse namoro como uma vingança. Conversei com a Camz, ela entendeu, e se depender de mim não vai existir preocupações. 

- Tem certeza mesmo? Tem certeza que quer isso e que a Mila realmente não se importa? - Dinah segurou meu braço, me puxando para que eu a encarasse nos olhos. 

- Tenho, princesa polinésia. Vai ficar tudo bem, eu prometo. - Disse com uma confiança que eu nem pensava existir. Minha melhor amiga pareceu acreditar, pois se levantou e me abraçou apertado. - Tinha algo sobre a Mani pra falar?

- Era apenas uma desculpa pra conversamos melhor. - Dinah sussurrou como se fosse um segredo e socou meu ombro, rindo em seguida. 

- Certo então, vou buscar a Camila e vamos passear pela cidade.

- Mas... Lauren, você sabe que isso vai dar problema. Vocês já foram avisadas que era proibido serem vistas juntas. - Murmurou a garota com preocupação. 

- Não precisa se preocupar, Jane. É só um passeio de colegas de banda, não é como se a gente fosse se agarrar loucamente pelas ruas. - Me expliquei enquanto vestia uma camiseta do Ramones. 

Saí do camarim com um pouco de pressa, louca pra ficar com minha namorada pelo resto da noite. O camarim que Camila dividia com Normani ficava no corredor ao lado, não tão longe como Dinah havia mencionado. No meio do caminho encontrei alguns artistas e o cumprimentei, já sendo reconhecida pelos mesmos. A voz de Ally ainda podia ser ouvida, uma batida animada e que poderia facilmente grudar na mente acompanhava. Ali estava outro segredo do seu crescimento como artista. O ritmo era viciante, um eletrônico misturado com pop. 

Estava quase chegando no camarim da minha namorada quando senti alguém segurar meu braço. No momento pensei ser qualquer pessoa, menos o maldito empresário de Ally. Wade sorria amigavelmente e infelizmente, eu sabia o que ele iria me cobrar.

- Lauren! Que surpresa encontrar você aqui. - A voz dele soava tão animada que poderia me animar, isso se eu já não soubesse que era tudo falso.

- Não me venha com essa, você já sabia que eu ia estar aqui. - Respondi enquanto colocava meus óculos escuros. Não fazia sol e muitos menos era manhã, mas eu adorava contrariar a vida.

- Oh, isso é verdade. Precisava falar com você. - Ele fez uma pausa, respirando fundo. - Sei que te dei uma semana pra pensar sobre minha proposta, a Ally mesmo ainda quer me matar por não querer fazer isso mas... 

- Wade, eu não vou dar minha resposta antes do prazo. Agora se me der licença, quero buscar minha namorada. - O homem olhou para baixo, parecia pensar no que me dizer.

- Me dê uma chance, pegue sua namorada e vamos ao camarim da Ally. Podemos negociar, tudo entre artistas. 

- Caralho, como você é insistente... Tudo bem, vou falar com a Camila, nos espere lá. - Wade soltou uma risada e assentiu, girando os calcanhares.

Suspirei pesadamente e consegui entrar no camarim, encontrando Normani rindo e conversando com alguém pelo celular. Nenhum sinal da minha latina. Franzi o cenho e fiz sinal para a morena sentada na cadeira, que parou de rir e me deu atenção.

- Mani, você viu a Camz? - Normani piscou fortemente, como se estivesse tentando se lembrar de algo. 

- Ah, foi assistir ao show da Ally. - Pressionei a ponta dos dedos contra minha testa, contendo o nervosismo. Como Camila ainda tinha coragem de enaltecer aquela garota?

- Valeu, Mani. Quando ela voltar, avise que estou no camarim da ídolazinha dela. - Ela balançou a cabeça e voltou a falar no celular com seu tom animado.

Saí dali um pouco nervosa e fiquei mais nervosa ainda por ter demorado a encontrar o camarim onde Ally estava. Wade sorriu largo ao me ver entrar, e se levantou com uma garrafa de água na mão. 

- Pensei que fosse demorar mais. - Sorri de modo forçado e me sentei em uma poltrona.

- Ao que tudo indica, minha namorada é a mais nova fã do seu pote de ouro. 

- Ei, não fale assim! Eu não vejo Ally apenas como meu pote de ouro. Admito que ultimamente estamos ganhando bastante dinheiro sim, porém, considero aquela menina minha filha, já passamos por muita coisa antes da fama. 

- Oh sério? Uau, me sinto tocada pela linda história de vocês. 

- Ah, Lauren... No fundo eu entendo o ódio que você sente por ela. Me deixe te explicar uma coisa. - A voz dele, sempre animada, ficou alta e impaciente. - Sabe o quanto foi difícil pra Ally explicar aos pais dela que namoraria uma garota por um contrato? Sabe o quanto aqueles filhos da puta são homofóbicos? 

- Não entendo aonde você quer chegar, Wade. - Ele riu, colocando seus olhos azuis em mim. 

- Que Ally só é assim porque seus pais não souberam criá-la. No entanto, eu nunca a vi tratar mal qualquer fã da comunidade LGBT. Se você aceitar esse namoro, talvez possa ensiná-la a aceitar as diferenças. - Balancei a cabeça, encarando o homem como se ele fosse um dragão de duas cabeças. 

Assunto encerrado, então resolvemos esperar por Ally em silêncio, Wade disse que aquela era sua penúltima música. Eu não queria, mas acabei por ficar concentrada na voz angelical que chegava com gosto aos meus ouvidos. Era uma música ótima pra colocar uma coroa de flores e ir dançar na praia, talvez cantá-la ao redor de uma fogueira. Fiquei ali por mais seis minutos, quase dormindo de tanto cansaço mas logo a porta do camarim foi aberta e uma Ally animada passou por ela.

- Você tinha que ver, Wade! Eles cantaram minhas músicas, todas elas! - Ela berrou com vontade, pulando em seu empresário.

- Ei, vai com calma, mocinha. Nós temos visita. - Wade apontou para mim e o sorriso bonito e sincero que Ally tinha em seus lábios morreu.

- O que ela faz aqui? - A loira perguntou impaciente, apenas suspirei e retirei os óculos.

- Allyson, seja gentil com a Lauren, ela veio conversar. - O homem disse gentilmente, entregando uma garrafa de água pra garota.

- Vou sair com minha namorada em alguns minutos, espero que não demorem com isso.

- Como eu disse antes, sei que lhe dei uma semana para se decidir. Veja bem, Ally anda fazendo sucesso com sua música, vamos começar com um EP que será lançado no mês que vem. - Revirei os olhos mentalmente, me perguntando o que eu tinha a ver com aquilo. - Os últimos dias não foram fáceis, as pessoas ainda estão magoadas pelas palavras daquela entrevista. Pensei que se você me desse a resposta hoje, poderia fazer o contrato, assiná-lo, e já engatamos esse namoro.

Fiquei encarando Wade novamente, como se ele fosse um monstro, mas meus pensamentos foram interrompidos quando a porta foi aberta, dessa vez por Camila. Ela sorriu e se sentou no meu colo, deixando um beijo casto em meus lábios.

- Por que não foi assistir o show comigo? Estava ótimo. - A morena deixou outro beijo em meus lábios, e logo se voltou para a garota em pé ao lado do empresário. - A propósito, adorei seu figurino, Ally. 

- Camz... Estamos conversando sobre meu namoro com Ally. Digo, o contrato. - Os olhos de Camila brilharam, mas não da forma que eu gostava. - Está tudo bem pra você?

- Lauren, eu já disse que sim, vai em frente.

- Se pra ela está tudo bem, pra mim também está. - Tamborilei os dedos na coxa da minha namorada e sorri pra ela. - Temos algum plano de como tudo será? 

- Sim, sim, esperamos você concordar. - O loiro falou, animado como sempre. - É mais do que óbvio que vocês não vão simplesmente chegar em alguém e dizer que estão namorando. Vamos começar calmo e lento, primeiro vocês vão começar a serem vista nos mesmos lugares. Primeiramente, Ally poderá sair com você e suas colegas de banda, depois vocês serão vistas sozinhas. - Wade caminhou até a mesa onde tinha uma maleta.

- Isso é tão... Que droga. - Wade riu e o acompanhei, na minha mente eu queria sumir do mundo. 

- Céus, vocês vão ficar tão famosas. - O homem quase berrou, me entregando um papel e uma caneta. Franzi o cenho e o encarei abismada.

- Pensei que o contrato ainda seria feito. - Meus olhos se arregalaram, minhas mãos começaram a tremer de repente. Camila saiu do meu colo e se sentou na poltrona ao lado.

Realmente, estava tudo congelado para mim, eu não conseguia me mexer e ver que a assinatura de Ally já estava ali me deixava mais nervosa do que o normal. Era namorar aquela homofóbica do cacete ou enfrentar um processo fodido. E se o amor da minha vida não se importava, eu não tinha que me preocupar com mais ninguém. Allyson era uma pedra no meu coturno e eu precisava tirá-la dali.

- É... Lauren. - Wade me chamou com preocupação na voz e no olhar. - Lauren, sei que ainda quer sair com sua namorada, então é melhor assinar isso logo. 

- Tudo bem, amor, assine. - Camila incentivou enquanto se ajeitava na poltrona. 

Então percebi que estava tudo bem, de verdade, Camila só queria o meu bem e por isso aceitava meu ''namoro'' com Ally Brooke. Por más experiências, li e reli o contrato sobre meu namoro com a garota poucos metros longe de mim. Não tinha nada demais e o contrato marcava que eu teria cinco meses de relacionamento com ela. 

Por fim, assinei o maldito contrato. 

- E que a farsa comece... Você fez o certo, Lauren. - A mão de Wade parou em meu ombro amigavelmente, assim como seu costumeiro sorriso.

* * * * *

Camila ria enquanto eu beijava seu pescoço, parecia sentir cócegas ou ria pelas coisas sujas que eu sussurrava em seu ouvido. E mais uma vez eu a encarava como se ela fosse meu mundo inteiro, e realmente era. Às vezes eu me perguntava como Camila poderia amar alguém como eu, alguém tão difícil, possessiva e cabeça dura. Mas eu a amava, e felizmente, era amada também. Nada importava como Camila Cabello em minha vida.

Quando eu era jovem pensei que um dia iria sentir amor, mas não tanto como sentia por aquela mulher.

- Obrigada por ter aceitado essa coisa de contrato, não era sua obrigação e mesmo assim...

- Me importo com você e com a banda, Lauren. - A garota respondeu, me fazendo suspirar com o toque de sua mão em meu rosto. A expressão sonolenta do meu amor era a coisa mais linda pra mim no momento.

- Você está com sono, meu amor? Quer dizer que hoje não vamos aproveitar a noite do Canadá? - Ela sorriu fraca, com suas mãos me deixando mais entorpecida ainda. Camila bocejou, rindo em seguida.

- Me desculpe, Lern, o dia foi cansativo. - Disse baixinho com sua voz fina e adorável. Eu quase não pude ouvi-la.

Ouvi batida na porta e me levantei de má vontade, sem querer me afastar da latina jogada de forma desajeitada na cama. Antes que eu pudesse abrir a porta, notei um papel passado debaixo da mesma. Peguei o papel e me coloquei a lê-lo, vendo que era as regras do meu namoro com Ally. Muito poucas, admito.

• Proibido beijos sem consentimento de ambas;

• Proibido agressão verbal ou física;

• Será obrigatório a presença de ambas nos mesmos lugares;

• O sigilo é algo extremamente obrigatório;

• O contrato deve ser seguido corretamente durante cinco meses;

 

❝Quando eu olho para você e para mim, eu ainda não posso dizer o que é isso, mas está fora do meu controle.❞

— Stolen Moments.


Notas Finais


Foi isso mesmo. Acho Camren tão fofas nessa fic, até o momento em que...
É agora que tudo começa, monas. Ally vai ser um saco pra aguentar mas aos poucos ela muda, como o próprio Wade disse, a Lauren vai ajudá-la. E se vocês acham que Camila e Ally vão entrar em guerra pela Lauren... Nope!
Obrigada pelos comentários e favoritos, vocês são muito importantes pra mim. Adeus. o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...