História Spring Day - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Red Velvet
Personagens Irene, Joy, Seulgi, Wendy, Yeri
Tags Joyri, Seuldy, Seulrene, Seulwenrene, Wenrene
Visualizações 28
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Poesias, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Eu acredito que sou muito nova e tímida para dizer algo aqui, então espero que gostem.

Capítulo 1 - Begônias


Bae Joohyun era a flor mais bela que SeulGi admirava naquele jardim. Todos os dias na primavera a garota dos fios castanhos ia até a floricultura da família Bae e admirava a menina dos fios negros cuidar delicadamente das flores, os dedos finos, pequenos e delica​dos de Joohyun brincavam com as pétalas das flores com todo o cuidado possível para não machuca-las, ficava encantada com tamanha suavidade. Não recordava de quantas vezes se perdeu em devaneios imaginando um cenário fictício com a Bae mais nova.

— Senhorita Kang? Você está procurando por outra flor? Eu posso ajuda-la nisso!

Assustou-se com a voz da menina próximo a si, mal viu a outra se aproximando. Quando seu olhar encontrou com o de Joohyun, sorriu. A de fios negros parecia bastante empolgada com a ideia de compartilhar os seus conhecimentos sobre flores para ajuda-la com o que quisesse.

— Me impressione Bae. Hoje não comprarei Tulipas, é um dia especial.

— Na última vez que a senhorita disse isso, comprou rosas vermelhas. — Joohyun sorriu enquanto mantinha no rosto uma expressão pensativa. — Foi há exatamente um ano.

— Mas que boa memória Joohyun-ah. Então entende porque hoje é especial, certo? Eu pensei em comprar rosas vermelhas novamente, mas então eu começaria uma tradição e eu sempre acabo esquecendo delas.

Coçou a nuca e formou no rosto uma expressão envergonhada. Não tinha uma boa memória e sempre esquecia de datas, nomes de pessoas e principalmente de pagar as contas.

— Você sempre leva tulipas vermelhas, acho que a sua pessoa especial gosta de vermelho.

Joohyun sorriu fraco e soltou um suspiro. Estranhou aquela atitude vindo dela, afinal, a Bae estava sempre sorrindo para seus clientes e tentando ajuda-los com tudo o que precisavam e isso era bastante curioso. Sempre que ia até a floricultura era atendida pelos mais velhos da família Bae e não por Joohyun e então estranhava o fato de que esta soubesse sobre os seus pedidos e preferencias de flores.

— Está tudo bem? — Perguntou para a menina que então voltou ao seu sorriso habitual.

— Está tudo bem SeulGi-Ssi, só estou pensando.

— E no que está pensando?

— Em você... — Joohyun falou em um tom tão baixo que foi dificultoso entender o que ela disse.

Arqueou uma das sobrancelhas e seu rosto agora tinha uma expressão duvidosa. Acreditava que de tanto pensar na mais nova a sua mente começou a criar ilusões no mundo real e não simplesmente nos sonhos, naquele momento acreditou que estava ficando realmente louca.

— O que disse?

— Eu disse que estava pensando em você, é que você talvez não perceba, mas quem não iria querer ter um relacionamento com você?

— Do que está falando Joohyun?

— Estou dizendo que é incrível como você se esforça todos os dias para fazer alguém feliz. Vem aqui durante todos os dias na primavera para comprar tulipas para sua namorada e ainda escreve cartões para dizer o quanto ela é especial para você. Hoje em dia as únicas mensagens que recebo vem através de uma tela no celular e presentes apenas no meu aniversário. Mas sua namorada recebe um presente de você todos os dias, mesmo que ele pareça sem valor para muitos, eu sei que provavelmente para ela é incrível e eu queria poder sentir isso algum dia, essa sensação de ser especial para alguém.

Sorriu enquanto escutava as palavras que saiam da boca da de fios negros. Se ela soubesse o quanto era especial para si, nunca diria isso. Se sentia um tanto errada por ter criado aquela “tradição” de uma flor todos os dias para Seungwan, afinal, o verdadeiro motivo para isso era a Bae. Queria poder vê-la e admira-la todos os dias e então ia até a floricultura para fazer isso e sempre acabava levando uma flor dali. A Son achava romântico, porém SeulGi achava um tanto errado e até pensou em confessar essa estranha sensação que tinha próximo a Joohyun para a namorada, mas logo desistiu da ideia.

Não era como se não amasse Seungwan, a Kang amava aquela mulher com todas as suas forças e daria tudo por ela. Porém sentia que poderia fazer o mesmo pela garota dos fios negros que sempre sorria para si de modo gentil naquela floricultura.

— Eu a amo muito e por isso tento me esforçar ao máximo por ela — O que dizia não era uma mentira. Amava ver o sorriso infantil que Wendy – como seus amigos chamavam sua namorada – tinha. — Mas eu não nasci assim, eu aprendi a dar valor nas pessoas que eu amo, tentar faze-las sorrir independentemente de como eu esteja me sentindo.


— Mas nem todas as pessoas são assim, elas não se esforçam mesmo quando dizem que amam.

— Joohyun, isso é porque elas não amam de verdade.

— Begônias.

— O que?

— As flores Seulgi- Ssi, dê begônias a ela. São inocentes, lindas e delicadas, como você.

— Como você, Joohyun.

Se assustou com a aproximação repentina do rosto de Bae e quando entendeu o que estava prestes a acontecer, se afastou. Seulgi poderia ter sentimentos fortes por aquela garota, mas nunca trairia Son Seungwan.

— Eu não posso. Eu sinto muito.

A decepção no rosto de Joohyun quebrou o coração da castanha, tanto que a sua única vontade acionou seus impulsos e começou a andar para longe da menina.

— Seulgi-Ssi! Espere, por favor.

— Eu não posso.

— Você não pode esquecer as suas flores, hoje é um dia especial, não se lembra?

Os olhos de Joohyun estavam marejados, mas não iria sair correndo dali, ao invés disso aproximou-se e entregou um buquê com begônias para a Kang.

— Boa sorte. Esse eu pago.

Sorriu para a menina de fios negros e saiu um tanto depressa da floricultura com o buquê em mãos.

Bae a observou até que Seulgi ficasse fora de seu campo de visão e quando finalmente não poderia ver mais a mulher de fios castanhos que deixava-a tão fascinada, deixou que as lagrimas escorressem por seu rosto. Se arrependia por não ter conseguido controlar os próprios sentimentos, mas sabia que nunca conseguiria e nem ao menos queria tentar.


Notas Finais


Se chegaram até aqui, obrigada e desculpe-me por qualquer erro.

Kissus da Karen >-<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...