História Spring Day - imagine Jin - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin
Tags Bangtan Boys, Bts, Imagine, Jin, Romance, Suícidio, Você
Visualizações 92
Palavras 1.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus cupcakes!!!! Que saudade eu estava de vocês!

Finalmente voltei depois de um longo e tenebroso inverno (e um longo bloqueio).

Agora eu estou oficialmente de volta (Amém irmãos) e postando em um horário bom (amém irmãos de novo).

Não vou mais enrolar, boa leitura.

PS: Eu estou reescrevendo algumas partes da história, só um aviso mesmo para vocês não me acharem louca a ponto de colocar "partes repetidas".

Bjin

Capítulo 4 - Please don't go, my love.


Fui até a cozinha pegar um copo de água e acabei deixando a cartinha cair sem querer na mesinha de centro da sala,mas fiquei com preguiça de pegar, então ficou lá mesmo. 

Voltei para o meu quarto e vi uma caixinha pequena dentro da caixa de lembranças. Apoiei meu copo na penteadeira e fui ver o que era. 

Abri a pequena caixa e me deparei com um papel escrito "para minha próxima geração". Tinha uma cartinha que dizia:

    "Querido filho ou filha,  ou os dois, enfim, eu não tenho muito o que falar , já que estou escrevendo isso tendo quase 17 anos, mas vamos lá. Quero que saiba que quando vocês ou você nascer será amado até o último dia de sua vida, se eu não demonstrar muito, me desculpe, mas eu não sou muito boa com sentimentos. É isso, espero ser uma boa mãe.”

Em baixo da cartinha tinha alguns presentes com valor sentimental que teoricamente seria passado para as gerações futuras. Encontrei uma pulseirinha de bebê que ganhei da minha mãe assim que eu nasci, segundo ela era uma pulseira passa de geração em geração desde antes da minha tataravó, um ursinho de pelúcia e o espaço para o medalhão que eu estava usando, que no caso tem uma foto minha e do Jin. Essas coisas nunca serão entregues. Eu preciso acabar logo com esse sofrimento.

Fui até o armário do banheiro e peguei todos os remédios que tinham ali, eu não quero, mas é mais forte do que eu. EU QUERO RESISTIR, EU NÃO QUERO ME ENTREGAR, mas eu também não quero mais sofrer assim, eu cansei! E nessa pequena confusão/discussão interna, coloquei todos os remédios na mão, mas na hora que fui levá-los na boca escutei a porta do banheiro ser aberta e vi através do espelho quem eu menos queria ver nesse momento.

___ O quê você está fazendo? Por favor, não me diga que é isso que eu tô pensando.

___ J-J-Jin???

___ Me responde! Agora!

___ Jin, vai embora, por favor.

___ Só me fala o por que. Por que você está fazendo isso com você, comigo, com a gente?

___ Jin, você é sonso ou se faz? Esse "a gente" não existe mais, desde a penúltima vez que a gente se viu, você sabe que a última vez foi um erro, um erro que aconteceu a sete meses atrás e agora eu estou sofrendo as consequências dessa "reconciliação", que não durou muito, porque dois dias depois você foi embora. Às vezes eu acho que você só teve pena de mim esse tempo todo, desde o trabalho que eu fiz com você anos atrás até a última vez que nós nos vimos no enterro do meu appa, e se bobear até esse momento.

___ S/N por favor, não fala isso. Você não sabe o quanto foi difícil aguentar esse tempo todo sem você. Eu prometo que vou mudar, por você, por mim, por nós. Me dá só mais uma chance, por favor. ___ Ele chorava e soluçava, eu não estava diferente.

___ Jin, por mais que eu te dê outra segunda chance não vai adiantar. Você vai continuar tendo seu trabalho e, por mais que já tenha acabado esse contrato ridículo, outros virão, ou você acha que eles vão te deixar fora dos negócios? Você e os meninos são os alvos principais dessas negociações, jajá você arruma outra namorada.

___ Eu não quero outra, eu quero você e eu não vou deixar que separem a gente de novo. Se precisar eu me mudo pra cá, ou então compro um apartamento pra gente dividir em Seul. Eu assumo nosso namoro, te peço em casamento em rede nacional ou no show, se você quiser. Só não me deixa, por favor.

___ Jin, você não entende? Nós não vamos dar certo. Chega! Já deu! Eu cansei de ficar aqui em casa sofrendo porque você está mais longe do que perto. Você acha mesmo que eu morando em Seul metade dos problemas vão sumir? Você vai continuar virando as noites na Bighit, na mensagem que você me mandou hoje você foi bem claro que estava sem tempo pra falar comigo, quem dirá conviver comigo.

___ Você acha que eu não sofro com isso também?  Talvez até mais que você ___ Ela me interrompe.

___ Olha Jin, se você veio aqui na minha casa pra isso, você pode ir embora. E outra, em hipótese alguma você pode falar que sofre mais que eu. Não foi você quem passou em vários psicólogos, você não ouviu de várias pessoas que estava ficando louca, você não tentou se matar por causa de um merda de uma namorado que diz que se importa, mas nem pra atender a bosta do telefone serve. Então eu não te dou direito algum de vir aqui na minha casa falar merda pra mim, tentar me iludir com as historinha de “me dê mais uma chance que eu prometo que vou melhorar”, porque eu já te dei umas 5 segundas chances e nenhuma delas funcionou. Agora você faça o favor de sair do meu apartamento antes que eu chame os seguranças.

___ Me… Me… me desculpe, eu não queria ter dito aquilo. Eu sei que eu errei e muito, mas você não é a única que sofre com isso.

___ Por isso mesmo que eu não quero mais nada com você, me desculpe. Agora por favor…

___ Eu não vou a lugar nenhum sem ter tudo resolvido. E não vai ser você que vai me expulsar daqui.

___ Jin, para com esse drama infantil! Acho que você já tá bem grandinho pra aprender a respeitar as decisões das pessoas.

___ Acontece que essa decisão não inclui só você.

___ Acontece também, que nós dois sabemos que isso não vai dar mais certo e que não adianta mais insistir. Eu acho que tudo estava bem melhor com você lá em Seul sem lembrar da minha existência.

___ Eu também acho. Pelo menos lá eu só tinha uma namorada irritante e ainda era de mentira, aqui eu tenho uma pior e que é real.

___ Olha, pra mim já deu! Não aguento mais. Tchau. Kim Seokjin, até nunca mais. ___ Digo andando em direção à porta.

___ Ei, espera! (S/n), me desculpa! Vamos conversar melhor...

Saio correndo daquele apartamento Ouvindo as súplicas de Seokjin e seus passos atrás de mim. Saio do prédio correndo e chorando, meu mundo tinha acabado de vez, não havia nenhum motivo para eu continuar com aquilo. Mas eu serei forte, não vou dar a ele o gostinho de me ver chorando enquanto me afogo em sorvete vendo filmes do Nicholas Sparks.

O percurso pareceu uma eternidade, mas a verdade é que eu só tinha chegado na pracinha em frente do condomínio. Foi então que eu tropecei em um dos desníveis do chão da pracinha e a partir de então tudo se passou em câmara lenta. Conseguia ouvir a voz de Jin logo atrás de mim, cada vez mais perto. Conseguia ver o chão se aproximando, o banco de madeira quase em minha frente, que só então havia notado. Enquanto caía, uma única coisa se passou pela minha cabeça: “A barriga”. Fiquei um pouco atônita na hora, mas segui meus instintos e consegui virar de lado, mas minha cabeça bateu com tudo na quina do banco.

As últimas coisas que eu lembro é de Seokjin gritando e correndo, uma dor agoniante na minha cabeça e uma poça de sangue ao meu lado no chão. Depois tudo ficou escuro e só conseguia sentir minha cabeça no colo de Seokjin e um leve cafuné sobre meus cabelos enquanto ele chorava e dizia:

___ Meu amor, por favor! Fica comigo. Me desculpe por ter sido um imbecil. Não vá, eu preciso de você, (S/n)!


“Mesmo se você chorar agora, não vai mudar nada

Mesmo se você for embora, não vai mudar nada
Mas por que você está chorando?

Por que você está fechando os olhos como se fosse o fim?
Tudo já passou, sorria agora baby
Mesmo que muitas te deixem
Esta música será sempre ao seu lado (Nós estaremos juntos)
Mesmo que todos os seus amigos te deixem
Eu vou continuar a ficar aqui perto de você
Baby não chore, baby não chore, baby não chore
Algum dia você vai brilhar, por favor me dê o seu sorriso
Baby não chore, baby não chore, baby não chore
Uma vez mais, por mim, apenas me dê o seu sorriso

Eu já passei por tudo isso
Sim, sim, na última noite
Eu sei seus pontos positivos, você sabe disso melhor do que eu
Mas por que você está chorando?

Por que você está fechando os olhos como se fosse o fim do mundo?
Tudo passou, nós não podemos fazer nada agora, minha amada
Mesmo que muitas pessoas te deixem

Esta música será sempre ao seu lado (Nós estaremos juntos)
Mesmo que todos os seus amigos te deixem
Eu vou continuar a ficar aqui perto de você” - Baby don't cry - Big Bang

     


Notas Finais


Oies, voltei!
Então, por hoje é só. Vou tentar postar com mais frequência.
Comentem o que acharam, sugestões, etc., isso ajuda muito.

Queria pedir também que dessem uma olhada na minha OS/ Drabble "Ela":

https://spiritfanfics.com/historia/ela-10507064

Bjs e até o próximo capítulo💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...