História Sr.Black - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~JadeRiddle

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Black, Drama, Família, Fuga, Medo, Originais, Psicopata, Suspense, Tragedia, Violencia
Exibições 17
Palavras 1.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bom, nós prometemos que não ia demorar tanto para a próxima atualização
e aqui está!

Mas atenção, a Jade avisa: Não leia esse capítulo se você acabou de assistir Titanic
Mas se não assistiu, ótimo! Divirtam-se
^-^
.

Capítulo 3 - O pior jeito


  Era o grande dia! Aline finalmente iria comemorar seu tão esperado oitavo ano! Eu estava tão ansioso para ver a felicidade da minha irmã que mal consegui me concentrar na aula...

 

-Wallace! -A professora chamou minha atenção. -Posso saber por que está tão sorridente hoje? Por acaso ficou feliz com o que acabei de falar? Você acha isso certo?

 

  Olhei para os lados, em busca de alguém que me dissesse o que estava acontecendo, e eu tinha sorte de não ter amigos tão ruins, e um deles era Pedro, que me ajudou a acordar pra vida.

 

-Ela disse que a diretora gorda saiu da escola...Ela foi para outra escola...E a professora é filha dela...-Ele disse, pausando para rir. Não consegui segurar e também caí na risada.

-Por que vocês, garotos, têm que ser tão chatos? Wallace, não vê que a professora está triste? A mãe dela foi demitida injustamente e você fica rindo?-Jenyffer reclamou, quase me estapeando.

 

  Jenyffer Evans, a garota mais chata e metida da sala...Mas por outro lado, ela era linda...E um pouco estranha, por ter a família mais misturada que eu já vi: Seus avós eram coreanos, mas se mudaram para a Suíça, onde nasceram seus pais, e ela veio da Índia. Pensa quanta história essa garota ainda tem pra contar! 

  Eu não tenho a vida toda pra ouvir, eu hein...

 

-Até amanhã Wallace! Você vem amanhã, não vem? -Pedro perguntava enquanto se despedia de mim, na saída da escola.

 

  Porém, eu iria descobrir em breve, que nunca mais voltaria para aquela escola, eu não voltaria amanhã...E nem depois...

  O dia foi ótimo até eu chegar na rua da minha casa, e a poucos metros de distância dela, eu pude ouvir gritos...Eram a minha família...Meu pai, minha mãe...e Aline.

 

-Mãe? -Chamei, preocupado. -MÃE!-Eu paralisei ao ver o corpo dela caído no chão, e piorei ao ver o estado de minha irmã.

-Wallace...Por que fizeram isso com a mamãe? -Ela choramingou, tão horrorizada quanto eu.

 

  Um homem veio correndo até a sala e nos fez pular de susto. Era o homem com dentes dourados, de novo. E papai veio logo atrás dele, com uma arma.

 

-Você vai se arrepender disso! Eu vou...-Ele parou ao perceber que estávamos ali.

 

  Ele abaixou a arma e deixou o homem fugir, em seguida se aproximou de nós e começou a chorar, em momento algum eu conseguir sair do lugar, em momento algum eu vi minha mãe tentar se levantar, e todos nós já sabíamos o que tinha acontecido com ela...

 

-Foi ele quem fez isso com ela...-Sussurrei, ainda olhando para minha mãe.

-Eu sinto muito, filho...Eu sinto muito...A culpa foi minha. Eu não cuidei de vocês o suficiente.Eu não fui um homem homem...-Ele se lamentava.

-Por quê? -Aline gritou, abaixando a cabeça. Foi quando eu percebi que ela estava abraçando a boneca. -Por que hoje? Por que com a minha mãe? -Ela continuava, e chorava.

 

  Poucos minutos depois a policia entrou em nossa casa e levou nosso pai, os vizinhos que estavam ali foram até a policia com a gente e quando chegamos lá, papai se despediu e nos deixaram na recepção, enquanto isso os policiais decidiam o que ia ser de nós.

 

-Wallace...O que vai acontecer agora?-Aline me perguntou, apertando minhas mãos, aflita.

-Eu...Eu não sei. -Engasguei. 

 

  E foi decidido que seríamos separados, eu e Aline fomos levados para orfanatos diferentes, os policiais nos colocaram em dois carros diferentes e fomos levados. E as únicas preocupações que eu tinha eram: O que será da minha vida agora? O que vai acontecer com a minha irmã? E por que tudo tinha que acontecer do pior jeito possível?

 

________________________

 

-Olá, Wallace Gridiffit, seja bem vindo à sua nova casa. -Fui recebido por uma moça do orfanato.

 

  Tirando o fato de que provavelmente eu nunca mais teria a minha irmã de volta, e que agora eu ficaria mais sozinho do que antes, aquele lugar nem era tão ruim quanto parecia...Ou era?

  De qualquer forma, os dois primeiros dias foram os piores. Eu não tinha meus amigos por perto, eu não tinha ninguém para conversar...Bom, na verdade eu estava rodeado por crianças mais novas que eu, tinha uns mais velhos e outros da minha idade, mas eu não queria ser amigo deles, eu não queria conversar com ninguém...

 

-Ei, menino novo! Por que você não fala comigo? me diz, qual é o seu nome? O meu é Julia Moore! Ei, me responda, como se chama? -Uma garota me infernizava o tempo todo com isso.

-Julia! Volta aqui agora. Vai ficar com suas amigas que você ganha mais. -Fomos surpreendidos por um garoto mais velho e claramente maior que eu.

-Ah, Fredderik, me deixa! Eu só quero ser amigo dele!

 

  Mais tarde descobri que os dois eram irmãos, e que pelo menos conseguiram ficar juntos...E quem me contou isso foi a mesma garota, que por algum motivo, veio me procurar de novo, aquela garota grudou em mim e não quis soltar...Eu mereço...

  Duas semanas depois comecei a perceber que aquele lugar não era aquela maravilha que me disseram e eu já não sabia se aguentaria ficar ali por muito tempo.

 

-Wallace, você sabe o que significa a palavra regra? Sabe? Então por que não as segue? Aqui não é sua casa para fazer o que bem entende. -Agora mesma moça que me recebeu reclamava o tempo todo comigo.

-Mas que saco! Eu não posso fazer nada! Que droga de lugar! -Gritei de volta.

-Se quiser se adotado logo, melhor se comportar, ninguém vai querer um garoto chato como você. -Ela me segurou pelo braço.

-Não ligo, eu não preciso de você pra sair daqui, meu pai vai me achar e vai me ajudar, e vai ajudar a minha irmã!

-Escuta aqui, moleque, seu pai nunca mais vai voltar! Ele está preso, e vai ficar lá para sempre! E sua irmã...Ela deve ser tão chata quanto você, e ninguém vai ajudar ela! 

-Você não sabe de nada! -Tentei  socar sua barriga, mas fui impedido.

-Já chega Wallace! -Ela me empurrou para trás. -Vá já para o seu quarto! Está de castigo!

 

  E esse era o pior jeito de lembrar que minha mãe estava morta, meu pai estava preso para sempre, eu nunca mais encontraria minha irmã, e ninguém nos ajudaria...

  Mas nada ia me impedir de sair daquela porcaria de lugar, eu ia encontrar uma maneira de fugir dali, e ia encontrar uma maneira de ter uma vida normal...

  E ia achar uma maneira de honrar a minha família, um dia eu encontrarei da verdade, e acertaria as contas com os verdadeiros idiotas que destruíram a minha família, nem que fosse do pior jeito...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...