História Sr.Escuridão - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Chenmin, Hunhan, Kaisoo, Sulay
Exibições 136
Palavras 1.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Perdoem o meu atraso ~~

Capítulo 3 - Cap 2 - Poucas palavras, muitos toques.


E lá estava eu, com medo novamente. Eu estava com medo de encontrar um certo alfa e com medo de minha luz se tornar escuridão. Depois da noite com Chanyeol se passou um mês e tudo foi se repetindo, mas eu e ele não tínhamos nada sério, apenas algo como atração excessiva. Com ele eu não me sentia vazio, e muito menos triste, eu apenas me mantinha leve.

Sinceramente, eu estava fraco. Mantinha uma máscara que escondia totalmente o que eu sentia e apenas à tirava quando estava com Chanyeol. Não trocávamos muitas palavras, mas nos entendíamos.

Em uma manhã eu caminhava silenciosamente pelas ruas bem iluminadas com a luz de meu guardião, já que o Submundo não tem Sol, só tem lua. O mundo Superior ficou com o dia e nós a noite. Enquanto caminhava eu recebia agradecimentos, olhares e palavras chulas, mas não ligava. Logo tinha avistado um ponto de luz e cores, e ele vinha até mim.

-Olá.

-Oi.

Eu e Chanyeol nos cumprimentamos e ele continuou sério. Ele não sorria, ele apenas mantinha sua leveza e sua impureza presente. Eu estava indo em uma cafeteria que costumava ir com minha cunhada, e ele apenas me acompanhou. Sua presença me fez manter a calma e não ter que usar a máscara de 'tudo bem',.

-O que o casal vai querer?

O atendente havia nos perguntado e de uma coisa eu tinha certeza... Eu virei um tomate. Eu podia até mesmo ter a alma da luz fodona, mas não deixo de ser ômega.

Eu ia negar que somos um casal e fazer meu pedido, mas me surpreendi com a voz do alfa ao meu lado apenas pedindo o que eu queria e nem ligando para o fato de nos terem posto como namorados. Lhe perguntei se não se sentiu incomodado e ele apenas me respondeu:

-Gostei de como 'casal' soa.

Não sorriu, apenas continuou sério. Aquele alfa que conhecia a um mês era muito estranho e só sorri se eu sorrir. E para ver aquele sorriso eu sorri. E não demorou para que o belo sorriso de Chanyeol surgisse, o sorriso mais lindo do mundo. As tatuagens nos braços dele o deixavam mais atraente, seus olhos que mudam de cor, de acordou com seu humor. Park Chanyeol era com toda certeza um pecado.

Recordo do momento que ele sorriu. Alguns ômegas suspiraram em desejo e até mesmo se arriscaram e darem seus números. E meus queridos leitores, eu não reagi muito bem a isso. Um bico maior que mundo nasceu em minha boca e fiquei assim até ele acabar de comer, eu não estava acreditando que ele ia guardar o número daqueles seres.

Quando ele tinha acabado sua refeição, nos levantamos e pagamos a conta, mas quando eu já estava quase saindo fui totalmente surpreendido por um  beijo seu, um beijo em frente a todos. Eu gostaria de dizer que foi um simples selar, mas não, foi um beijo intenso, e muitos se surpreenderam ao ver dois guardiões juntos. Ou melhor, aquele ômegas se lascaram com aquilo - Queridos eu podia té ser um Guardião, mas não deixava de ser um ômega, ta MonaMu? Quando nos separamos ele sorriu. Ele sorriu sem que eu tomasse a iniciativa.

-Vamos.

Uma coisa que sempre gostava em Chanyeol é a sua necessidade de toques, e não palavras. O calor de Chanyeol me queimava, mas eu gostava de ter minhas mãos superaquecidas pelas suas, elas sempre ficavam machucadas, mas ele sempre cuidava delas.

Chanyeol não era bem tratado por ser um ser da escuridão e ninguém via o valor de sua existência, mas eu via. Eu via a beleza de seu olhar, seu andar, seu jeito de falar, seu jeito possessivo, mas doce... Via beleza em tudo nele, e eu sabia que um dia iriam reconhecer a importância de sua existência.

Quando chegamos em minha casa, entramos e tomamos banho. Chanyeol passava bastante tempo em minha casa. Logo que estávamos arrumados rumamos para o balcão da cozinha. Iríamos cumprir nosso desejo.

Fui posto sentado sobre o balcão e logo ele se encaixou entre minhas pernas, que se entrelaçaram em sua cintura, e nos beijamos. Os beijos dele eram os melhores. O toque dele que me queimava era totalmente bom. Sua mania possessiva e os rosnados.

-Byun Baekhyun... - Sua voz grossa de alfa havia sido feita presente e eu não me encolhi, apenas pedi por mais. Gemia intensamente com seu toque. - Você é a melhor música.

Mais e mais toques impuros e beijos cheios de desejo. Eu não entendia essa nossa necessidade de ter um ao outro para si.

-V-você é o m-melhor compositor. - Ousei responder e acabei por ouvir um rosnado vindo do Park,

Nosso pequeno fetiche era o sangue. O sangue que escorria pelo nosso corpo com os cortes que fazíamos um no outro, os beijos com o sabor ferroso. Era insano, mas prazeroso.

E assim continuamos até nosso ápice, não uma, nem duas vezes... Fizemos três.

Eu gostava muito também porque Chanyeol não gemia, ele rosnava. Um rosnado temeroso e prazeroso.

Um fato é que Park Chanyeol sempre cuidava de mim depois do ato. Ele me dava banho, me vestia, cuidava de meus ferimentos, me alimentava e me colocava em seu colo para assistirmos TV. E daquela vez não foi diferente. Estávamos no sofá, eu sentado como um bebê no colo dele, enquanto o mesmo me segurava possessivamente pela cintura. Naquela noite ele disse algo que me surpreendeu.

-Baekhyun, você é meu

E eu? Bem, eu fiquei feliz. Tão feliz que meus olhos brilharam e entregaram luz para os negros de Chanyeol.

-Todo seu.

O estranho era que, apesar de eu gostar dele, eu sentia medo, medo de entregar minha luz para a escuridão que é Park Chanyeol.

Nós podíamos até ser taxados como casal, mas com toda certeza um casal estranho, porque meus queridos o que vocês vão ler a partir de hoje vai ser insano e eu tenho certeza que vão odiar Park Chanyeol por um bom tempo, mas no final vocês vão amá - lo, assim como eu o amo. Ele vai ser um babaca? Vai, mas tudo vai valeu à pena.

E repito: Não me arrependo de nenhuma de minhas escolhas.


Notas Finais


Estou digitando do hospital, mas tudo bem!
Gente, eu estou passando por um momento difícil e estou muito mal.
Não seu se devo, mas eu gosto de desabafar com meus leitores... Sabe o meu Pai está doente, muito doente...
Eu tenho medo de perder ele.
Quem me acompanha em Baby's já sabe o que aconteceu.
Eu estou totalmente aberta para palavras de apoio!
Beijos meus amores!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...