História Stalker - Suga (BTS) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtanboys, Bias, Bts, Fanfic, Min, Myself, Suga, Yoongi
Visualizações 366
Palavras 1.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo curtinho e bem sad :')
Recomendo lerem ouvindo: Faux Tales - Atlas (Acoustic version), Oriente - Vida longa, mundo pequeno
ou alguma outra música que deixem vocês na bad e tristes please c:
Esse capítulo haverá CORTES, ou seja, mutilação.
Boa leitura bbs.

Capítulo 7 - Lágrimas e cortes;



Anna

 

Já era noite, e nesse momento eu me encontrava deitada na cama do quarto em que eu estava me hospedando... Mas infelizmente, eu estava chorando, o momento em que vi Dohyeong beijando outra garota na minha frente veio em minha cabeça e eu não parava de me lembrar dele a cada segundo, eu estava chorando de forma profunda, as lágrimas não paravam de cair. Me levantei e enxuguei meu rosto com as mangas do meu suéter, continuei chorando e fui até o banheiro, abri o espelho e vi que havia um barbeador dentro, já que eu sei algumas técnicas de como quebrar esse tipo de objeto, quebrei o mesmo rapidamente e peguei a lâmina que havia caído, apaguei a luz e entrei no Box, fechei a porta e me sentei bem no cantinho da parede, levantei as mangas e apontei a lâmina para o meu pulso... Mas parei para pensar.

- Se eu cortar aqui, eu morro... – falei baixinho a mim mesma – É melhor no braço.

Em seguida, penetrei a lâmina em meu braço e comecei a cortar, dei um grito baixo por não fazer isso há um tempo, fui passando a lâmina enquanto mordia o lábio para tentar conter os gritos e gemidos. Terminei de fazer o corte e uma imensa quantidade de sangue descia pelo meu braço, afinal eu fiz um corte grosso e grande. Comecei a respirar rapidamente e assim que recuperei o fôlego, comecei a fazer um corte mais fino, fechei os olhos com uma expressão de dor e novamente mordi o lábio, mas não deu, infelizmente acabei gritando, por sorte foi um grito baixo. Respirei rápido mais uma vez e acabei fazendo mais uma besteira, levantei um pouco o short que eu estava usando e comecei a fazer cortes na minha coxa, as lágrimas caiam a cada instante... Eu estava sentindo uma imensa dor, mas eu não conseguia parar...

Parei de fazer os cortes e suspirei, olhei para o chão e vi que havia muito sangue, larguei a lâmina e retirei meu óculos, coloquei as mãos em meu rosto e comecei a chorar, chorar mais do que eu já estava chorando. Eu suspirava tanto e sentia uma dor e angustia gigante... Eu preciso de alguém para ficar comigo a qualquer momento, qualquer hora e qualquer minuto. 

- E-eu m-me o-odeio... – falei, mas de forma alta.

Continuei a chorar, eu estava chorando tanto que se duvidar, toda água do meu corpo estava saindo dos meus olhos. Tossi de forma grossa e engatinhei até a porta do Box, abri ela com fraqueza e segurei minhas mãos na pia, o sangue ainda saía do meu braço e eu ainda tossia, eu sentia uma sensação “grossa” em minha garganta, me impedindo de falar. Me levantei lentamente e andei passando as mãos na parede para não desmaiar, eu andava lentamente e com tanto sacrifício, consegui descer as escadas e chegar até a cozinha.



Yoongi
 

 

Cá estou eu, fumando e bebendo em uma rua qualquer, mas como já estava tarde e frio decidi voltar pra casa, em alguns minutos cheguei no local e entrei pela janela do meu quarto. De repente, ouço alguém mexendo nas coisas da cozinha, quem estaria com fome uma hora dessas? Troquei de roupa e decidi ir até lá, quando cheguei no local, eu abri os olhos de forma intensa e fiquei preocupado logo com a cena que vi.

Anna estava com uma faca direcionada em seu pulso.

- Anna! Anna! – corri até a mesma e percebi que sua perna e braço estavam cheios de sangue.

- Me solta! – ela diz me empurrando fraco.

- Por que está fazendo isso??!! Pare!! – segurei seus braços.

- Me larga!!! – ela me empurra de jeito mais forte e cai no chão.

- O que houve para você fazer isso?? Me responde, pelo amor de deus! – me ajoelhei e coloquei minhas mãos em seu rosto, ela estava pálida e fraca, também saía sangue do seu nariz.

- Y-Yoongi... – ela diz se acalmando. – Ele vai me matar...

- O que? Quem vai te matar?? Ninguém irá fazer isso! 

- Meu pai Yoongi... E-ele quer meu sangue, ele quer que eu morra... – ela diz colocando sua mão cheia de sangue em meu rosto.

- Não! Ele não quer! Ele só quer abusar do seu corpo. – falei sentindo uma lágrima cair.

- Me proteja Yoongi... Me proteja... – ela pedia intensamente. – Me proteja antes que eu faça outra besteira dessas... E-eu quase tirei minha própria vida, me impeça de fazer isso... 

- Shh, shh... Fica calma, você não vai fazer mais nada, você não irá morrer agora tão cedo. – falei a puxando para o meu colo.

- Yoongi eu vou morrer... Eu sei que irei morrer... Me salve. – ela estava estranha, ela nunca agiu assim desde quando eu comecei a observá-la... – O Dohyeong não me ama, ninguém me ama... 

- Esquece o Dohyeong! Ele não te ama, você sabe disso! Ele apenas lhe iludiu! Mas eu te amo, eu te amo! Esse cara aqui te ama! – falei já chorando de jeito forte e imenso.

- O q-que?... – ela pergunta fechando os olhos lentamente, seus olhos estavam muito vermelhos.

- Sim, eu te amo... Mas eu te explico isso depois. 

- Eu queria começar a te amar também... Eu quero esquecer o Do... Dohyeong. – ela diz abaixando a cabeça.

Sorri de lado.

- Calma, shh, calma. – a deitei sobre meu peitoral.

Ouço passos pela escada, alguém estava descendo...

- Quem tá ai á essa hora? – era o Jin.

De repente ele nos vê, cheios de sangue.

- Yoongi, o que aconteceu aqui???!! – ele pergunta preocupado.

- Ela, se cortou. – falei calmo enquanto passava a mão nos cabelos escuros de Anna.

- Mas por que ela fez isso? – ele se ajoelha e vendo a quantidade de sangue que havia por aqui.

- Acho que foi porque ela teve uma imensa crise de ansiedade, se lembrou do pai... Ela acha que ele quer matá-la. – falei sentindo lágrimas caindo.

- Ela se cortou aqui na cozinha? 

- Eu acho que não, porque a faca que eu acho que ela iria usar, estava limpa. 

- Vamos levá-la ao hospital, agora. Depois limpamos isso. – ele me ajuda a carregar Anna.

A levamos até o quarto de Jin, ela havia desmaiado. Jin colocou um casaco na mesma e nós trocamos de roupa, em seguida saímos de casa e fomos até a garagem, entramos no carro e em seguida fomos até o hospital.

 

Deus, se for para a garota dos meus sonhos morrer, me faça morrer primeiro.
 


Notas Finais


agora eu vou fazer bolacha com leite e comer chorando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...