História Stalker - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 5 Seconds Of Summer, Friendzone, Stalker
Exibições 30
Palavras 1.126
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


DESCULPA DESCULPA DESCULPA
queria fazer um capítulo enorme, mas realmente não dá

Capítulo 14 - Thirteen


Fanfic / Fanfiction Stalker - Capítulo 14 - Thirteen

 

28/02/16 - Domingo - 12:00

Comece um incêndio em minha cabeça hoje à noite

Emily aproveitou seu ânimo para mandar uma mensagem a Amanda, chamando ela para ir ao luau de Gabriela (uma garota que já foi citada anteriormente, mas não chega a ser importante a ponto de ser descrita). Assim, ela conheceria Diego, que mesmo sendo convidado para sua festa nunca teve a oportunidade de conversar.

No fundo, ela sabia que não fazia isso apenas porque queria aproveitar sem momento sociável, mas porque sentia que se Amanda se apaixonasse por ele (o que é fácil de acontecer) ela poderia dizer o que sentia sobre Viktor e quem sabe revelar toda a verdade.

Amanda adorou a ideia, afinal, queria sair para esfriar a cabeça.

Nesse domingo eles teriam aulas com a professora de artes e ela não estava preparada para encarar Viktor depois das mensagens e a voz dele ecoava em sua mente.

E se ele realmente tivesse descoberto quem era Buzz98?

Ela tentava deixar esse pensamento de lado, mas não conseguia.

Fazia mais de 50 minutos que ela havia ouvido o áudio e não respondia mais nada. Passeava pela linha do tempo enquanto ouvia Colors.

Depois de ler sobre Ana, Luís e Gabriela, a protagonista decidiu se deitar e relaxar até que fosse a hora de sair de casa.

28/02/16 - Domingo - 13:00

— Sinceramente, o que estamos fazendo aqui? — Amanda perguntou indignada, enquanto bocejava.

— Essas aulas valem metade da nossa nota no bimestre e só precisamos vir 1 domingo por mês... — Emily disse baixo — Valem a pena.

Amanda suspirou e começou a olhar para o céu claro.

— Já sentiu vontade de beijar uma menina? — perguntou aleatoriamente.

Emily corou, rindo fraco.

— Nunca senti vontade de beijar. Sabe, eu não sou assim. — disse, repreendendo-se.

— Queria ser como você, mas eu me apaixono facilmente... Sou um pouco carente, sabe? — ela comentou — Já senti vontade de beijar a Naomi. — virou-se para Emily — Mas ela namorava e quando terminaram eu não tentei nada com ela porque sabia que podia dar merda. 

— Como assim? — Emily perguntou.

— Eu vou te contar, mas me prometa que nunca vai contar pra ninguém, eu fiz algo que é mal visto pelas meninas e não quero que ela descubra jamais. Nem ela nem ninguém. — disse.

— Eu não sou fofoqueira. — Emily falou, dando de ombros.

Amanda respirou fundo e encostou-se no portão, ajeitando sua franja enquanto falava e Emily murmurava "uhum".

— Conhece Artur, né? Bem, ele e Naomi namoravam desde que ela tinha 14 anos, eles ficaram juntos 2 anos. Mas ele era um idiota. Só pensa em beber e sair por aí sem dar satisfações. Ela sempre perdoava e acreditava nas promessas dele de que não iria machucá-la de novo, não ia repetir os erros. Mas ele sempre fazia as mesmas merdas.— falou, respirando fundo.

Emily assentiu, demonstrando que estava entendendo a história.

— Então, eu voltei a falar com ele quando dei a minha festa porque precisava de alguém que sabia como trazer muitas bebidas... E ele se ofereceu. Em troca, ele pediu para ficar com a garota que ele achasse mais bonita, enfim, isso não importa. O que interessa é que nós estamos nos vendo às vezes e eu definitivamente não sinto nada, mas... Eu não sei, Emily, simplesmente não consigo ficar sozinha e ele é o único que se dispôs a ficar comigo de vez em quando. — terminou.

Emily assentiu novamente e suspirou.

— As pessoas não têm dono, Amanda.

— MENINAS! — Naomi exclamou, saindo do carro com Diego — Pensei que só eu fosse louca pra vir a escola no domingo.

— O ano mal começou e já preciso de notas. — Amanda riu fraco — Ah, então você é o famoso Diego que roubou minhas amigas noite passada? — ela comentou, tocando o ombro do garoto.

Diego desmontou-se ao ver o semblante simpático da garota.

— Não temos tempo pra você se apaixonar pelo gatão loiro, vamos entrar. — Disse Naomi, puxando as duas pelos braços. 

Enquanto as duas eram carregadas para dentro da escola, Emily observava Diego voltar para dentro do carro e falar com alguém lá dentro... Alguém que por acaso seria Artur.

Ok, talvez ela tenha entendido mais do que deveria. 

 

Lucas arrancou Viktor da cama e o obrigou a ir a escola com ele assistir a aula chata da senhorita Lia falando sobre uma peça chata de mitologia grega. 

Mas enquanto ele reclamava com o amigo sobre como seria uma tarde disperdiçada, Lucas percebia que Viktor simplesmente nem ouvia ao que ele dizia.

— Caralho! — exclamou — Quem diabos você tanto procura? — perguntou, empurrando o amigo — Eu estou conversando com o vento durante o caminho inteiro.

— Lucas, eu posso contar algo para você sem correr o risco de ser chamado de doente? — Viktor perguntou, parando de andar e olhando para o melhor amigo finalmente.

Lucas o olhou com compaixão e sorriu solidário.

— Cara, eu sou seu melhor amigo! — disse, recebendo um sorriso como agradecimento — O meu dever é te chamar de doente. E otário também, não vamos nos esquecer. 

— Tá. Deixa pra lá. — Viktor disse, rindo fraco.

 

28/02/16 - Domingo - 13:20

— Fico feliz que todos vocês tenham vindo a nossa primeira aula de teatro. — Lia disse, enquanto lia a lista de presença onde todos os 15 alunos haviam assinado — Esperava menos ainda.

Todos estavam reunidos em apenas uma sala, afinal, eram poucos. Em forma circular, Emily ficou entre Naomi e Amanda, e infelizmente em frente a Viktor.

Ele observava a professora explicar sobre presença de palco e Emily não conseguia parar de ter pensamentos sujos a cada suspiro que ele dava. Ele parecia uma criança animada, não havia como desconfiar de tudo que existia dentro dele.

Durante a pausa, ela ouviu uma movimentação entre algumas meninas que o seguiram pela escola toda.

E quando a aula havia acabado e eles organizavam a sala, ela pôde ouvir um sussurro. Algo como "vamos, Viktor". Mas ela ignorou, pois podia ser coisas da cabeça dela. Quando terminou de ajeitar a última cadeira, saiu da sala procurando por Amanda.

Durante o caminho para casa, Amanda só falava sobre Diego, sequer citou o nome de Viktor.

Aquilo era estranho.

28/02/16 - Domingo - 15:00

"Acho que deveríamos parar de conversar. - Viktor Sanchez, há 20 minutos"

"Tudo bem, você que sabe. - Buzz98, há 20 minutos"

Essa foi a última conversa que eles tiveram.

E ela não iria conseguir tirá-la de sua cabeça pelo resto do dia.

Nas próximas horas, Emily só queria se esconder para não ter que encarar o fracasso.

Algumas coisas nunca mudam.

— Você é legal, mas não é o tipo de garota que combina com ele.

— Ela é legal demais pra ser sua amiga.

— Esse sonho não é muito sua cara.

Essas palavras só tinham um significado: Emily nunca seria boa o suficiente para protagonizar a própria vida. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...