História Stalker - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Perseguição, Psicopata, Rap Monster, Romance, Stalker, Suga
Exibições 476
Palavras 1.177
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Um dia eu vou perdoá-lo, mas esse dia não é hoje...


Eu queria ligar para alguém agora mesmo, mas achei que fosse melhor esperar pelo outro dia. Taehyung daqui a pouco subiria para dormir, e seria um desastre se ele me pegasse falando ao telefone, ainda mais se ele resolvesse investigar e descobrisse que Namjoon me deu aquilo. Eu já não me importava muito comigo, mas eu não podia deixar que Namjoon fosse prejudicado por minha causa.

De qualquer forma, encarei o celular ansiosa, como se ele fosse um herói que havia acabado de chegar para salvar a donzela em perigo, e talvez de fato fosse assim. Ouvi passos subindo as escadas, e escondi o celular de baixo do coxão, me sentando na cama e encarando a porta.

Ela logo foi aberta por Taehyung, que sorriu abertamente quando me viu. Eu suspirei tristemente. Eu poderia me apaixonar por Taehyung. Ele era bonito, rico e carinhoso como queria, mas no fim das contas, ele era apenas perturbado. Eu gostaria de entender o que se passa na cabeça dele.

Namjoon o adora, e ele deve ter seus motivos para isso. Talvez ele tenha visto algo a mais. Algo que nem mesmo eu consegui ver. Talvez Taehyung realmente não seja um monstro, mas ele continua sendo o causador de meus piores pesadelos.

Talvez um dia eu o perdoe, caso ele se arrependa de tudo que está fazendo comigo. Pessoas como ele não tem idéia do que estão fazendo. Acham que estão fazendo a coisa certa. Como eu disse: Talvez um dia eu o perdoe, mas esse dia não será hoje.

– Pequena, eu sinto muito, mas não vou poder passar a noite com você. – Ele falou fazendo um bico, parecendo triste. Eu o encarei confusa, embora no fundo, estivesse feliz. – Eu realmente odeio meu trabalho com todas as forças, mas eu vou ter que resolver alguns assuntos de emergência agora. Espero que possa me perdoar.

– Sem problemas. – Eu sorri de um jeito desajeitado, e seu sorriso aumentou. Ele caminhou até mim, se curvando e beijando o topo de minha cabeça. Eu espero que um dia ele consiga se recuperar de toda sua loucura. Ele não é um cara mal, no fundo.

– Eu vou tentar chegar mais cedo hoje, sim? – Ele falou, sorrindo serenamente. Eu assenti, e saiu do quarto. Esperei até não mais ouvir seus passos, e me levantei rapidamente, pegando o celular e correndo para o banheiro. Me tranquei ali.

Me sentei em cima da tampa do vaso, e liguei o celular, que permanecia desligado. A primeira coisa que fiz foi checar a bateria. Estava em cinquenta por cento, então duraria bastante. Mesmo assim, eu deveria pedir um carregador a Namjoon o mais rápido possível.

Minhas mãos tremiam, e eu quase não conseguia acreditar que finamente poderia falar com alguém. Dizer onde estou e implorar para que me tirassem daqui. Desbloqueei a tela do celular, vendo trinta ligações perdidas de Kwan, e mais de sessenta de Baekhyun.

Baek... Ele devia estar tão preocupado comigo! Mesmo não sendo minha intenção, eu acho que acabei o preocupando mais ainda com aquela ligação. Disquei seu número, levando o celular ao ouvido. Rezei para que ele me atendesse a essa hora.

– Aya, cadê você? Por favor, me diz que é você! Eu estou muito preocupado! – Ele atendeu tão rápido e falou tão rápido que eu me surpreendi. As vezes eu me esqueço que Baekhyun se torna extremamente ativo quando está nervoso.

– Baekhyun, se acalme, sou eu. – Tentei amenizar seu nervosismo, mas só pareceu piorar. Ouvi inúmeras pessoas reclamando do outro lado da linha. Baekhyun soltou um palavrão, e logo em seguida escutei alguém correndo.

– Onde você está? Eu estou arrancando meus cabelos de preocupação! – Ele falou, tentando recuperar o ar, e eu presumo que fora ele quem correu. – Eu estou agora mesmo num avião para Coréia. Seja lá onde você estiver, eu vou atrás de você!

– Baekhyun, você largou sua faculdade para vir atrás de mim?! – Eu perguntei, fechando a cara. Quando ele foi embora do país, o fiz prometer que nunca abriria mão dessa faculdade. Ele me deixou por causa dela. O mínimo que podia fazer era terminá-la e fazer valer a pena.

– Você é a única pessoa que é sequestrada e me dá bronca por não estar na faculdade, sabia? – Ele falou de um jeito irônico, e eu ri sem humor. – Anda, onde você está?! Quem está com você?!

– Baekhyun, um milionário me sequestrou. Um funcionário dele me deu meu celular. Eu estou na mansão dele, mas não sei onde ela fica. Você tem que me ajudar! – Eu quase implorei, contendo as lágrimas.

– Calma, eu juro que vou te tirar daí. – Ele tentou me tranquilizar, embora parecesse mais nervoso ainda. – Qual o nome desse cara? – Ele perguntou, e eu estava pronta para responder, quando ouvi um estrondo, e a porta do banheiro veio a baixo. Eu gritei. – Aya?! Aya! – Baekhyun gritava desesperado.

Taehyung adentrou o banheiro. Seus olhos faiscavam e ele estava vermelho de raiva. Ele deu um forte tapa em minha mão, fazendo o celular cair no chão. Em seguida, ele pisou em cima, e a voz de Baekhyun deixou de ser ouvida finalmente.

– Onde você conseguiu isso?! – Ele gritou, segurando meus braços com força. Senti quase como se um osso de meu braço quebrasse, e comecei a chorar. – Responde! – Ele pareceu ficar ainda mais irritado, e gritou ainda mais alto.

– Eu peguei escondida quando você me deixou descer! – Gritei de volta, e isso só serviu para irritá-lo ainda mais. Senti meu rosto arder, e o virei. A mão de Taehyung permanecia no ar. O tapa ecoou por todo o local, e minhas lágrimas aumentaram.

– Você vai aprender a ser uma boa namorada. – Ele falou irritado. Agarrou meu braço com força, e me jogou na cama. Sem qualquer aviso, ele arrancou minhas calça e minha calcinha, logo tirando suas calças em seguida.

Comecei a me debater e a tentar fugir, mas ele amarrou minhas mãos com o lençol. Fechei as pernas com força, chorando ainda mais. Eu não queria isso. Eu não quero isso. Ele abriu minhas pernas a força, e sem nenhuma delicadeza, me penetrou rápido e com força.

Gritei, sentindo a maior dor que já senti em toda a minha vida. Ele entrava e saia de mim cada vez mais forte, e eu fechei os olhos, tentando imaginar que era Baekhyun ali. Porém, de nada adiantou, porque eu sabia que Baekhyun nunca seria bruto desse jeito.

Achei que as coisas não podiam piorar, mas ele parou, do nada. Embora fosse um alívio, o olhar que ele me lançou me fez estremecer. Seu olhar era sombrio, e parecia raivoso também.

– Isso foi muito fácil... – Sua voz era rouca, e senti todos os pelos da minha nuca de arrepiarem. – Você não é mais virgem, não é? – Ele perguntou, e eu engoli em seco. – Quem foi?! – Ele gritou, e eu me encolhi.


Notas Finais


Eu tô me sentindo culpada pelo que eu fiz com a Aya ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...