História Stalker - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, V
Tags Bottom Hoseok Squad, Jikook, Taeseok, Top Taehyung Squad, Vhope
Exibições 70
Palavras 638
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Até o fim

Capítulo 7 - I Can


                 [Daddy, 02:43] : Eu amo marcar sua pele.

                 [Daddy, 03:54] : Você é meu vício.

                 [Daddy, 04:45] : E este vício só se intencificou.

                - Jung Ho Seok -

                Acordei devagar sentindo as mão grandes e fortes do outro apertar minha cintura firmemente, possessivamente, me remexi, arrepiando ao sentir meu pescoço sendo selado pelo maior.

                  - Você tem um cheiro tão bom, Baby Boy. - disse com a voz rouca, arrepiei, corando, mordendo os lábios.

                  - O-Obrigada, Daddy.

                  - Dói ? - apertou meu quadril de leve, gemi doloroso.

                  - Vem. - o outro levantou, me puxando para seu colo, segurando meu tronco com um braço e outra na curva do joelho, corei, repuxando o roupão pertecente ao maior, este que me deu após tirar minha roupa,consequêntemente maior que eu, para assim cobrir meu corpo nú.

                  Andou pelo corredor em tons cinza, preto e branco, iluminado pela luz da mesma cor clara, me aconcheguei no corpo alheio, deitando a cabeça em seu peito, agarrando o tecido da camisa social, sentindo os dedos esguios apertarem minha cintura.

                 Me colocou devagar sentado na bancada de mármore escuro, amarrei a vestimenta em meu corpo, corando fortemente assim que percebi o outro ligar a torneira, assim enchendo a banheira branca, logo começando a se despir, sentia seu olhar sobre mim, mesmo com a cabeça abaixada, olhando minhas pernas que se balançavam, encolhi as pernas quando ouvi os passos alheios ecoarem, vindo até mim, acariciou minha coxa com a mão sob o pano azul-marinho, logo apertando, mordi os lábios me empedindo de produzir sons, senti a respiração quente se chocar com meu pescoço, logo distribuindo mordidas, lambidas e chupões, puxando o tecido macio, dispindo-me o tronco, marcando meu peito, ombros, fazendo um fino rastro de saliva antes de chupar meu mamilo, suspirei, apertando os ombros largos.

                   - Você é tão lindo. - disse rouco, fazendo o hálito quente bater contra a saliva, mordi os lábios desviando do olhar alheio, penetrante.

                   Retirou o roupão da parte restante de meu corpo, me segurando pelas coxas, entrou na banheira, me sentando de frente para si, em seu colo, logo limpando-me, sentia meus olhos pesarem, sonolento.

                  - Daddy... - disse sonolento e baixinho.

                   - Ah, Baby Boy me dê alguma motivação para não fazer nada com você adormecido.

                   Me remexi em seu colo, gemendo baixo pelo contato do pênis do maior roçar contra minhas nádegas, senti as mãos de TaeHyung apertar minha bunda, arranhando, gemi, ouvindo o outro rosnar rouco, senti um dedo me envadir, segurei nos ombros alheios, pressionando levemente minhas unhas na pele macia, rebolei, gemendo contra a clavícula visível do outro, corando.

                   - Você é um Baby Boy muito mal para seu Daddy, merece ser punido. Porém não irei fazê-lo com eu realmente quero, vou aumentando cada vez mais as punições, e você vai ser bom, vai pedir tudo que eu quizer, fará tudo que eu disser. - disse em voz rouca e autoritária, alta, assenti devagar. - Empina pro Daddy, agora.

                   Assenti, me movimentando na água rosada, apoiando as mãos na borda escorregadia da banheira, corando ao fazer o que o outro pediu, ouvi-o rosnar, logo senti sua mão em meu quadril, apertando sem cuidado, logo me penetrando de uma só vez.

                 - Daddy ! - gritei, gemendo alto.

                 Começou sem exitar a estocar-me, disferindo tapas brutos em minhas nádegas, gemia alto, ouvindo os gemidos e rosnados roucos também serem presentes do banheiro grande, revirava os olhos com a sensação da extenção grossa e comprida acertando meu interior fortemente, logo surrando minha próstata, rebolei, chamando o nome do maior sentindo-o arranhar minha bunda e costas, segurando meu quadril me puxando ao mesmo tempo que investia, aprofundando o contato.

                  Estocou mais cinco vezes, acertando-me a próstata, gozei, sentindo meu corpo amolecer, investiu mais, logo gozando.

                   - Acho que posso me acostumar com isso, Daddy.


Notas Finais


Oi
Desculpa da demora ^^'
Desculpa o lemon mal feito ;-;
Comentem !!
Até ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...