História Stalker - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inu no Taishou, Inuyasha, Izayoi, Kagura, Kikyou, Kohaku, Rin, Sango, Sara Asano, Toutousai
Tags Rin, Sesshoumaru, Sesshy
Exibições 93
Palavras 1.795
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii gente esse era para postar mais cedo mas tive probleminhas rs
Mas to aqui pra postaaar rs.

Tenham uma boa leitura <3
Desculpe os errinhos rs
<3<3

Capítulo 2 - Capítulo 1 - Salva pelo deus grego.


Fanfic / Fanfiction Stalker - Capítulo 2 - Capítulo 1 - Salva pelo deus grego.

 

Capítulo 1

Salva pelo deus grego

 

Já estava na escola, sempre chegava cedo, só para ver o Sesshoumaru. Nunca tive coragem o suficiente para chegar perto dele, pois aquela vaca da Sara sempre está com ele, aquela foi à primeira vez que nos encontramos e conversamos e também foi a ultima.

O Sesshoumaru era de outra sala, mas isso não me impedia de tirar algumas fotos dele, posso parecer uma louquinha, mas não ligo.

Fiquei escorada em uma parede no corredor das salas, sabia que a qualquer momento ele poderia aparecer, quando noto o vejo virando o corredor e chega perto da sala dele, eu estava um pouco longe, mas consegui tirar algumas fotos dele. Estava um pouco distraída quando o meu amigo Kohaku chama a minha atenção.

Kohaku: Oi Rin, não vai entrar não?

- Ah, sim. – Que saco não posso nem tirar uma fotinha em paz.

Entramos, a aula era um pouco chata, o professor careca explicava e eu voava, eu estava imaginado como seria se ele tivesse um cabelão, ai sim todos prestava atenção nele. Fiquei pensando nessa possibilidade de ele ter um cabelo quando ouso alguém me chamar.

Professor: Senhorita Misaki, você poderia ao menos fingir que está prestando atenção na aula.

- Se você tivesse cabelo eu prestaria. – Sem querer tinha falado aquilo, e a turma começou a rir baixinho e parecia que ele ficou com muita raiva.

Professor: Senhorita Misaki você poderia ir até a sala do diretor fazendo um favor. – Disse com a expressão levemente irritada.

- Desculpa Sensei. – Sai da sala e fui andando até a direção, notei que passei na sala de Sesshoumaru, voltei um pouquinho para traz, fui até a porta e fiquei olhando pelo vidro da porta, procurei com os olhos por dentro até que eu o encontrei, e como sempre estava lindo, suspirei ao vê-lo tão concentrado que nem percebi que uma individua estava chegando.

Sara: Rin o que procura aqui. – Gelei na hora teria que inventar alguma desculpa.

- É... é que eu estava passando e vi que o  professor Toutousai veio hoje na escola era isso. – Sorri amarelo pra desfaçar e parece que deu certo.

Sara: Era só isso então você já pode ir.

- Ah... Claro. – Vaca você não manda em mim. Mas eu sai, se não eu ficaria mais encrencada ainda.

Eu e a Sara nunca nos temos bem, sabe o por que? Porque aquela vaca sempre tentava um jeito de me prejudicar, só porque eu era mais esperta e inteligente, ela sempre teve a ajuda de Kikyou para suas tentativas de me derrubar, mas sempre dava um jeito de me salvar, mas também tenho que agradecer minhas adoráveis e amadas amigas.

Chegando à diretoria já encontro o diretor Miuga, me olhando como se eu estivesse cometido um crime gravíssimo.

D.Miuga: Rin o que você fez dessa vez?

- Sem querer eu disse que se ele tivesse cabelo eu teria prestado atenção na aula.

D.Miuga: Rin você sabe como é o temperamento do professor Carlos. Mas ainda não entendo como você tira nota boa nele. – Disse colocando uma mão no rosto tentando se concentrar.

- Eu me esforço. – Sorri e fiz uma joinha.

D.Miuga: Só quero te avisar se você aprontar mais uma coisa você será obrigada a mudar de colégio.

- Mas faz tempo que não faço nada. – Disse inocentemente.

D.Miuga: Você esteve aqui na semana passada por causa de discursão que você teve com a aluna Sara.

- Quem manda ela tentar me derrubar. – Vocês acredita que aquela piranha tentou derruba eu e minha adorável comida, eu que não deixei aquilo passar, retruquei na mesma moeda.

D.Miuga: Tanto faz, mas agora, por favor, não vai procurar nenhuma confusão, esta bem? Não quero perder uma boa aluna como você.

Balancei a cabeça em confirmação e sai da direção, parecia que ele falava serio, então resolvi ficar no meu canto, não queria ser expulsa se não perderia meus amigos e a linda visão do lindo do Sesshoumaru.

Já estava na hora do intervalo, estava junto com a minha cambada, falei sobre eu ser expulsa e tal.

Miroku: Tá vendo, quem manda procurar encrenca.

Sango: Cala boca Miroku, não está vendo que é uma coisa seria.

- Pode deixar San, ele já está na minha listra de ser sequestrado e depois fatiado em pedaço por pedaço com minhas próprias mãos. – Disse em um tom de psicopata que acabou deixando ele arrepiado de medo.

Miroku: Que isso Rin, não precisa exagerar. – Estava com um sorriso torto e todos que estava junto sorriu.

Sango e Miroku são amigos de infância, ela gosta dele, mas tem uma coisa que ela não gosta é quando Miroku fica dando em cima de todas as garotas que ver, até em mim esse idiota já deu em cima, mas eu simplesmente disse que se ele aproximasse de mim com aquelas intenções perderia o seu amado amigo (vocês entenderão que amigo que eu estou falando).

Kagura: Olha lá quem acabou de chegar com o namoradinho. – Parecia bem confortável quando ela falava.

Olhei para onde ela olhava e vi aquele deus lindo junto com a vaca da Sara. Não entendia o que Sesshoumaru viu naquela menina.

Kagura: Não sei o que ele viu nessa menina. – Ei pensei nisso primeiro.

Miroku: Ela é bonita. – Só vi Sango da um tapa na cabeça de Miroku e na mesma hora abaixou a cabeça.

- Ela pode ser bonita, mas ela é uma piranha de primeira, dizem que ela já tentou seduzir o diretor Miuga. – Estava de cabeça encostada na mesa do refeitório, e vi que Sango me olhava estranho até que ouvi a voz irritante.

Sara: Quem tentou o que Rin?

- Ah, olha se eu falar quem é a pessoa acho que você não vai gosta. – Ainda estava com a cabeça escorada na mesa, mas decide olha pra ela, quando me virava, vi aquele lindo homem de cabelo prateado do lado dela.

Sara: Acho você deve parar de ser tão idiota. – Quando ia respondê-la o deus falou.

Sesshumaru: Vamos Sara...  Desculpa por isso. – Vi ele se desculpando, parecia que estava sonhando.

- Ah... ah... não foi nada. – Fiquei um pouco vermelha ainda bem que a idiota já estava um pouco distante.

Sesshoumaru: Mas peço desculpas.

- Ok. – Ele se retirou e eu pude respirar novamente.

Kagura: O que foi isso parece que seu rosto está todo vermelho.

- Não é nada disso que você está pensando.

Kagura: Não estou pensando em nada.

Sango: Para Kagura a Rin está sem jeito de dar uma desculpa melhor. – Falou rindo.

- Chega vocês duas. Parecem que nem são minhas amigas. – Estava fingindo de triste.

Sango: O dó gente vem cá. – Se levantou da mesa e sentou ao meu lado tanto um abraço, Kagura fez o mesmo. – Nós te amamos doidinha.

Depois que a aula acabou, todos estavam saindo e como sempre eu comecei a seguir Sesshoumaru. Estava ocorrendo tudo bem, Sara se despediu dele e ele seguiu sozinho.

Estávamos em uma distancia razoável, ele não me via e eu o via como sempre. Paramos em um sinal, fiquei atrás de umas pessoas e ele estava logo à frente.

Fiquei me lembrando de quando ele estava se desculpando, pude ouvir aquela voz tão de perto que me deixava paralisada. Voltei para terra e quando notei que ele já estava andado, mal pude pensar só atravessei o mais rápido possível para chegar até ele, mas não tinha notado que o sinal já tinha aperto, vi um carro se aproximando e foi ai que vi a minha vidinha passando em minha frente.

Fiquei pensando em como eu era feliz, só dizia adeus. “Adeus minha gatinha Yuki, adeus minhas amigas chatas, adeus minha família e adeus meu lindo e gostoso Sesshoumaru.”

E foi ai que senti alguém me derrubar no chão, estava um pouco tonta e logo abri meus alhos e vi o meu Sesshoumaru.

- Eu morri e estou no céu, pois estou vendo o paraíso. – Vi ele rindo e aquilo fez meu coração bater mais rápido.

Sesshoumaru: Você não morreu e obrigado pelo elogio.

- Éh... éh... como você me salvou se estava... quero dizer você nem estava perto de mim.

Sesshoumaru: Não poderia deixar uma bela jovem morrer assim de repente.

Fiquei maravilhada no que ele disse, não conseguia tirar os olhos dele, parecia que estava hipnotizada, até que conseguir dizer alguma coisa.

- O-Obrigada. – falei sem jeito, ele ainda me segurava. No momento que ele me soltou eu senti um vazio por dentro.

Sesshoumaru: Se quiser eu te acompanho até a sua casa, só pra garantir que voltara com vida, se não seria em vão ter te salvado. – Disse rindo, não achava que ele era tão legal assim.

Ele resolveu que me levaria até em casa, no caminho ficamos em silencio, não teria coragem de começa uma conversa e além de tudo eu sempre o observava e nunca notei que ele era tão legal assim, eu queria tirar uma foto dele naquele momento, mas não podia, então resolvi que aquela expressão ficaria guardada dentro de mim.

Como ele avia tido que me levaria até em casa ele vez, queria agradecer de novo, mas antes de falar alguma coisa ele começou a falar.

Sesshoumaru: Eu queria me desculpar novamente.

- Ah...?

Sesshoumaru: No que a Sara falou de você ser uma idiota, fique sabendo que você não é. – Sempre aquela vaca fica estragando o momento, mas fiquei alegre quando ele disse que eu não era idiota.

- Não precisa se preocupar, eu e ela nunca nos temos bem mesmo. – Falei com um sorriso.

Sesshoumaru: Então já vou. Até amanhã.

- Até. – Fiquei observando ele de costa indo embora, não queria parar de olhar aqueles ombros largos.

Kagome: Se quiser um babador eu te dou.

- Como? – Passei a mão na boca para ver se tinha alguma coisa.

Kagome: O que aconteceu para ele estar aqui?

- Ele me salvou e me trouxe até aqui.

Kagome: Como você é atrapalhada aposto que quase foi atropelada.

- Como você sabe disso?

Kagome: Foi como pensei. Vamos entrar que a mãe já esta nos esperando. – Dei a passagem para que ela entrasse primeiro que eu.

Terminando de almoçar fui para o meu quarto, sentei no meio da cama, fiquei pensando naquela imagem de Sesshoumaru me segurando e me olhando nos olhos.

- Aaaah... Não posso ficar pensando nisso ou eu posso... Aaaaah. - Batia meus pés na cama com a agitação.

Pequei minha gatinha malhada que estava na cama e a coloquei em meu colo.

- Yuki será que eu declaro pra ele o que eu sinto, mas ele namora com aquela ridícula da Sara.

Yuki: Miau.

- Eu sei que aquela vaca não merece aquele gostoso.

Yuki: Miau.

- Eu sei, eu sei, vou pensar no caso.


Notas Finais


Essa Rin cada vez mais doidinha rs

Favoritem e comentem please rs
quero saber suas opiniões sobre essa fic rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...