História Stalker - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, Jimin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Romance, Seokjin, Taegi, Taehyung, Yoongi
Visualizações 44
Palavras 1.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii gente, antes de tudo, quero avisar que a fic será atualizada rotineiramente a cada 5 dias, com no máximo um dia de atraso. Boa leitura!

Capítulo 8 - Mas o que é isso?


Fanfic / Fanfiction Stalker - Capítulo 8 - Mas o que é isso?

Após receber aquele bilhete suspeito tive que pensar várias vezes se ia até lá ou não. Despistei Jimin e Ga-in, dizendo que iria ao banheiro, talvez eu não devesse ter me livrado deles já que eu nem sabia a pessoa que me escreveu o bilhete. A curiosidade falou mais algo e aqui estou eu, indo a passos rápidos a quadra. Por ser hora do intervalo estava vazio, o ambiente iluminado só por algumas pequenas janelas, minhas mãos suavam de nervoso, eu me sentia frustrada por não conseguir criar uma linha de raciocínio boa e me levar ao suspeito. Olhei para as arquibancadas não achando ninguém ali.

-Me procurando?

Me virei rapidamente para a porta do banheiro notando que o dono da voz rouca era nada mais, nada menos que Taehyung, ele se encontrava com o uniforme sujo e um olho roxo. Corri até ele e coloquei seu rosto em minhas mãos, as sentindo ficar molhadas pelo choro.

-Mas quem fez isso? - Acariciei sua pele macia e ele me apertou contra seus braços, tornando suas lágrimas mais intensas.

O Kim não me respondeu, apenas deixou nossas corpos colados e a cabeça na curvatura do meu pescoço enquanto eu o sentia despejar todas as suas mágoas em mim. Levei minhas mãos aos seus fios marrons e fiquei acariciando ali ouvindo seu choro diminuir aos poucos. Ele descolou sua cabeça de meu pescoço e deu um leve sorriso enquanto me guiava para sentar em um dos bancos de madeira gélida.

-Pronto para me dizer quem vai ser o alvo de todo o meu ódio e desprezo? - Disse numa tentativa de amenizar o clima e conclui que fui bem sucedida depois de ouvir um riso tímido.

-Foi o Namjoon - Falou num tom tão baixo que eu não entendi, ou não quis entender - O maldito Namjoon.

-E por que todo esse ódio gratuito? - Penteei os cabelos com as mãos segurando um bufo irritado.

-É porque… Promete não me odiar? - Me doía ver sua mistura de ansiedade e tristeza, então segurei suas mãos em forma de o passar segurança.

-Eu nunca odiaria o meu alienígena favorito, como eu conseguiria dinheiro da NASA sem você? - Ele riu fazendo seu olhar recuperar um pouco do brilho, logo empurrou de leve meu ombro, porém na hora sua feição se tornou dura novamente.

-E-eu sou gay - Sua mão apertou ainda mais forte a minha em sua cabeça e desviou suas orbes das minhas.

-Tá e daí? Só por isso ele te bateu? - Ele arregalou os olhos e por um momento eu esqueci que ele era oriental.

-Você não es-sta brava? - Ri fraco e apertei suas bochechas, eu poderia ser muitas coisas, mas preconceituosa não era uma delas.

-Eu nunca ficaria brava com você só pela sua sexualidade, você continua sendo o meu TaeTae estranho.

Pela primeira vez desde entrei aqui eu pude ver seu sorriso quadrado, enquanto colava novamente nossos corpos num abraço desajeitado e caloroso.

-Eu tinha medo, você é minha única amiga de verdade, eu achei que… Iria te perder quando soubesse… - O moreno ficou com a voz longe e brincou com os nós dos meus dedos, coitadinho, o quanto ele já não sofreu por ser quem é?

-Ei, agora me conta exatamente o que aconteceu - O Kim deitou no banco com a cabeça em meu colo enquanto pedia por carinho, ri e fiz o que me pediu.

-Meu pai me pediu para pegar o troço de encher bolas no armário do vestiário - Suspirou cansado - Aí, eu fui né? Afinal não ia bater de cara com meu próprio pai - Rimos fraco - Eu ‘tava lá de boas procurando o negócio quando uma parte do time entrou ali e eu trouxa ignorei, mas ai dois deles me pegaram e me prenderam na parede - Por enquanto eu só o acariciava e ouvia atentamente - O Namjoon chegou dizendo que eu era um viado de merda e que eu não nunca iria ser alguém na vida, só por ser o que sou…

Ele fechou seus olhinhos puxados e uma súbita raiva se apossou do meu corpo, tirei delicadamente sua cabeça de meu colo e caminhei até a porta em passos pesados, quando um Kim agoniado me parou a sua frente.

-______, por favor não se mete com ele, ele vai te machucar - Empurrei carinhosamente para o lado e segui meu caminho.

-Quem vai se machucar é ele e não eu querido.

E assim sai com Kim no meu encalço enquanto tentava me convencer a parar e desistir dessa ideia.

Ele era insistente, segurava minhas costas, me pegava no colo e tentava me derrubar, todo esse esforço só para que eu não dissesse umas boas verdades na cara daquele loiro tingido, muito bem tingido, mas isso não vem ao caso.

Felizmente eu era uma pessoa de decisão firme e eu fui firme até meu objetivo, ou quase já que quando passamos pela sala de computação foi possível ver o Jimin segurando um garoto pelo colarinho e o ameaçando dar um soco. Eu e o moreno corremos até a sala e dissemos ao mesmo tempo.

-Jimin?

-Jimin!

Ele se virou para nós com um rosto assustado mas não parou de segurar o garoto.

-_____? Taehyung? O que fazem aqui?

Antes que eu pudesse respondê-lo o Kim o fez mais rápido.

-Eu te pergunto o mesmo Jimin! Solta o garoto.

Jimin negou e passou a apertar a mão no colarinho do garoto, isso vai dar ruim…

-Jimin, solte ele agora!

Finalmente me pronunciei e o vi suavizar sua expressão, soltando o garoto que correu para fora com extrema rapidez. O loiro encolheu um pouco e desviou seu olhar de nós, todos ao nosso redor já prestavam atenção na cena e cochichavam sobre a reação totalmente inesperada. Acenei com discrição para fora da sala, indicando que saísse comigo e assim o fez.

Fomos até o canto do corredor e bati levemente em seu ombro, o vendo soltar um gemido de dor. Ele fazia um bico que se não estivéssemos nessa mesma situação, eu com certeza acharia muito fofo. Percebendo minha feição séria, se desfez de brincadeiras, se igualando a mim.

-Mas o que foi isso, Park Jimin?!


Notas Finais


Oii gente, voltei... Espero que tenham gostado, comentários são sempre bem vindos, se vocês estão acompanhando a fic quero agradecer pela paciência e carinho.
Vou deixar aqui embaixo o link de uma outra long-fic que eu estou escrevendo.

Wild:
É a um Beta que seu coração pertence, mas é o Alfa que sacia todas as suas súplicas. É o Beta que tem as palavras mais doces, mas é o Alfa que tem os toques mais quentes. O Beta a faz se sentir acolhida, já o Alfa, a faz se sentir completa. Seu coração está entregue a um e seu corpo ao outro, lidar neste intenso conflito não é fácil.


https://spiritfanfics.com/historia/wild-9778690


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...