História Stalker Boy Joshler - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Twenty One Pilots
Personagens Josh Dun, Tyler Joseph
Tags Brendon Urie, Debby Ryan, Gay, Jenna Joseph, Josh Dun, Joshua Dun, Romance, Twenty One Pilots, Tyler Joseph
Visualizações 22
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Capítulo 8


Colombus, Ohio, 28 de janeiro:

Josh, após pegar o material em seu armário, adentrou a monótona sala de aula, que estava levemente ocupada. Surpreendeu-se quando viu Brendon já sentado em seu lugar, provavelmente esperando por ele.

– Por que chegou tão cedo? – ele pergunta, chamando a atenção de Brendon que deixa o que fazia para lá. 

– Porque eu queria falar com você... – ele olha para os lados e vê que a barra tá limpa. – sobre isso. – ele diz, mostrando um print do Instagram da aba atividade dos seguidores. Josh congela por um momento e volta à realidade quando ouve alguém lhe dizendo oi.

Era Tyler. Merda!

Josh o cumprimentou acenando com a mão, depois olhou para Brendon que estava literalmente de queixo caído.

– O que. Você. Tá. Fazendo? – ele pergunta pausadamente. Dava para perceber irritação em sua fala. 

– Eu quem diga! Vai cuidar da minha vida agora? – Josh diz, observando Brendon arregalar os olhos. A sala estava enchendo, isso significa que teriam de ser os mais discretos possíveis.

– Ele, blergh,– Brendon faz uma cara de nojo significativa, que irrita Josh. – tá te seguindo por quê? – pergunta.

 – Você acha que eu sei? – ele responde. 

– Mano, bloqueia esse depressivo, tipo, agora! – ele diz, quase tendo um ataque. Josh precisava resolver essse problema que criou, então sentou-se atrás de Brendon para tentarem ao menos conversar. 

– Brendon, olha, eu não sei o que tá acontecendo! – Josh diz, sendo verdadeiro - mesmo Brendon achando que não - fitando a carteira rabiscada de caneta. Brendon suspirou, direcionando seus olhos para sua barriga.

 – Você... por um acaso... falou com ele? – diz, olhando para Tyler, que estava rabiscando um post-it rosa.

– Você por um acaso vai cuidar da minha vida? – Josh diz novamente, tentando falar o mais baixo possível. 

– Josh, você falou com esse doido? – ele fala, voltando a fitar o rosto do amigo.

 – Por que isso lhe interessa tanto? – ele diz, Brendon conseguia perceber que ele estava dando nos nervos de Josh. 

– Cara, eu sou seu amigo! Me importo com você... Só queria saber, achei estranho isso acontecer do nada. – responde. Josh sente-se levemente culpado, sabe que Brendon iria sempre querer vê-lo bem. Ele realmente estava ótimo, mas na perspectiva de Brendon, não.

 – Debby sabe disso? – ele pergunta, suspirando. 

– Não ainda. – ele responde, fazendo Josh saltar da cadeira.

– Como assim, ainda? – pergunta, querendo bloquear Brendon de sua vida.

– Cara, somos amigos, ela tem que saber o que acontece entre nós! – responde. Josh conseguiu sentir levemente uma pitada de sarcasmo na fala do amigo.

– Então isso significa que posso falar pra ela que você tá afim da Sarah? – Josh diz, deixando Brendon surpreso.

– Você não faria isso... – ele diz, encarando os olhos castanhos de Josh. 

Sarah e Debby haviam se conhecido a um bom tempo atrás, quando Brendon as apresentou no primeiro dia de aula do 4 ano. Viraram melhores amigas e, mesmo não estudando juntas, falavam frequentemente uma com a outra.

– Se você contar, já sabe! – ele diz, se levantado e finalmente sentando em seu devido lugar. Tyler olha para o lado, ao perceber a movimentação que Josh fez por ali. Ele olha para Josh, mas logo desvia o olhar assim que percebe que ele olhara para o moreno, fazendo com que os dois ficassem com as bochechas rosadas. O professor entra na sala de aula, fazendo com que os alunos ficassem quietos.

– Dia para vocês, porque bom mesmo nada é. – o docente que aparentava ter 35 anos diz. – Sou o novo professor de filosofia de vocês e quero que vocês leiam às devidas páginas que eu colocar no quadro.

Josh pegou seu livro e começou a lê-lo. Depois de ler 3 das 6 páginas pedidas, já estava morrendo de tédio. Não achava filosofia chata, pelo contrário. Só achava muito complicada, o que dificultava seu entendimento. Continuou lendo, tentando entender a matéria. Assim que teve uma leve percepção do assunto, fechou seu livro e pegou o caderno de desenhos embaixo da mesa. Esse caderno era pequeno - pois assim conseguia colocá-lo dentro do bolso - por isso não tinha muitos desenhos bons. Começou a desenhar qualquer coisa que viesse em sua mente, mas o resultado foi apenas aliens dançando no espaço. 

 

+

– Olha lá! O bebê chorão! – um dos bullies disse depois de ver Tyler saindo da sala. O mesmo abaixou a cabeça e começou a caminhar mais rápido. Enquanto isso, outro garoto se aproximava. Josh saia da sala no mesmo instante. (caralho começou)

– Nós vamos seguir ele? – o mais baixo pergunta.

– Claro! O que estamos esperando? – o outro garoto diz, começando a andar em direção a Tyler. Josh o seguia rapidamente, precisava saber onde Tyler estaria. Desceu as escadas velozmente, indo em direção o pátio. Nessa hora, Josh estava tendo dificuldades para encontrar Tyler naquele mar de gente, mas continuou o seguindo assim que viu seu moletom amarelo. Os bullies perderem ele de vista, assim que todos saíram das salas.

– Cadê ele?! – o mais alto pergunta.

– Não sei! Acho que foi em direção o refeitório. Ah, é claro! A sala de artes! – o garoto diz, tentando  bolar um plano para achar Tyler.

Josh viu os dois indo para a mesma direção, e começou a ficar nervoso. Continuou seguindo Tyler, até ver que ele estava indo em direção à saída de trás da escola. Os bullies não estavam tão próximos, mas pareciam ter sede de vingança. Agora o porquê de vingança? Boa pergunta. 

Voltando ao foco, Tyler finalmente havia chegado na traseira da biblioteca. Sentou e tentou se acalmar, estava soluçando em meio às lágrimas. Ouviu passos perto dali, o que fez ele ficar com medo. Josh estava com o coração em mãos, quando finalmente apareceu para Tyler.

– Tyler? – ele diz, preocupação e nervosismo eram identificamos em sua fala.

Josh? Ele pensa. Levanta o rosto em direção ao garoto, vendo que ele realmente estava nervoso.

– O q-que tá fazendo a-aqui? – ele diz, fitando o chão em sua frente, não entendendo o motivo de Josh ter vindo na traseira da biblioteca.

– E-eu... – ele diz, tentando manter-se confiante. – Vim te ajudar com os bullies. – completa.  Tyler se assusta com o fato de Josh tê-lo seguido para ajuda-lo, e não para zoa-lo.

– Me deixa sozinho. – ele diz, com a voz fraca o suficiente para não ser ouvida. Mas Josh a ouve, claramente.

– Não. – ele responde, tentando ter confiança. Senta cuidadosamente ao lado de Tyler, não sabia se isso era o certo a se fazer agora, mas só estava sendo si mesmo. Ele fita Tyler com a cabeça entre os braços, que estavam apoiados nos joelhos e treme um pouco, nunca imaginaria que seria capaz de fazer isso.

Ainda mais com Tyler se encostando nele.

Levanta o rosto e diz, finalmente, com seu último pingo de dignidade, vai ficar tudo bem para Tyler. Ele se assustou assim que ouviu a voz do mais velho, mas tentou não demonstrar. Josh olhou para o céu e concluiu que estava radiante, como Tyler. Tyler levantou o rosto, deixando a mostra seus olhos e cílios molhados, chamando a atenção de Josh novamente para sua face. Os dois nunca estiveram tão perto como antes. 

Isso assustava Josh.

– Você está melhor? – Josh pergunta, preocupadamente. Continuava nervoso, olhando para Tyler, que o olhava reciprocamente. Ele o abraçou em seguida, deixando Josh surpreso, sem reação alguma.

– Não me deixe sozinho. – ele diz, parecia mais calmo.

– Não irei. – Josh diz, finalmente abraçando Tyler.

Seria esse o melhor dia de suas vida?

 


Notas Finais


tô indo pra slowtown dps desse capítulo eu EIN



essa n era exatamente a reação original do Brendon q eu escrevi na primeira versão masok


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...