História Stand By Me - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Naruhina, Sasusaku
Visualizações 159
Palavras 4.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola
Desculpem a demora.
Ficou meio difícil de escrever, ae faltou ideia, enfim... Deu aquela atrasada legal.
Mas estou de volta não desisti da fic não ^^

Mais um capitulo pra vocês, achei meio fraquinho, mas eu precisava desse ocorrido, então, divirtam-se.

Capítulo 6 - Fim de Festa


CP. 6

Fim de Festa

Os dias na faculdade iam passando devagar, normais, sem nenhum problema aparente. Sakura continuava com seu estágio ao lado das amigas, Sasuke aparecia algumas vezes para as consultas. Sem mais crises assustadoras, apenas suas consultas padrões.

Foi durante essas consultas, que Sakura se pegou o olhando com mais interesse do que deveria.

Sasuke era bonito, sério, misterioso, seus olhos negros brilhavam como o mar sob a luz da lua e das estrelas. Ele pouco falava, mas quando o fazia, sua voz era rouca, grave, sexy até. Era o que a rosada se pegava pensando após mais uma das consultas que teve com ele naquela tarde.

Foi tirada de seus pensamentos quando Kurenai chamou sua atenção.

- Sakura, está tudo bem?

- Eim? Bem? Está sim, está tudo bem, Dra. Kurenai, eu já estava indo, com licença.

- Espere, Sakura, eu queria conversar com você.

- Ah... Claro. Eu.... Fiz alguma coisa errada?

- Errada? Não, não fez nada errado querida. Apenas quero conversar, sobre Sasuke. Eu tenho notado uma grande melhora nele, Shisui quase não aparece mais quando você está aqui na sala, ele chega, e simplesmente diz que Shisui ficou do lado de fora, isso Sakura, é um avanço incrível. E desde a última crise, ele nunca mais teve nem mesmo um ataque de pânico. Está tranquilo, calmo e embora eu saiba que fora do consultório ele ainda fala com Shisui, aqui dentro, ele simplesmente o esquece.

- É verdade.

- Você pode duvidar agora, mas eu vejo que a maior razão para a melhora dele entre essas paredes, é você. É por isso que eu quero te fazer um pedido. Quero ver se entre pessoas da idade dele, ele esquece um pouco do Shisui quando não está em consulta.

- O que está sugerindo?

- Quero que tente aproximá-lo de mais gente. Não só você e Naruto, tente mais gente, quero ver se ele se solta um pouco.

- Entendi. Eu ja tentei algo parecido, mas ele não parece muito à vontade com essa ideia. – A moça respondeu. Já havia tentado traze-lo para seu grupo, mas Sasuke foi bem direto em dizer que não queria.

- Eu entendo que ele seja um pouco relutante no início, mas eu realmente acredito que ele aceite, desde que você esteja com ele. - Ela insiste, mas ao perceber o que estava dizendo, ela se concerta. - Eu não estou querendo que faça nada contra sua vontade Sakura, vou entender se não se sentir confortável com isso…

- O que…. Não se preocupe com isso dra. Kurenai, eu gosto de estar com ele, vou tentar convencê-lo de novo.

- Eu agradeço Sakura, tudo isso vai ajuda-lo muito. - Disse a doutora.

 

Sakura foi liberada logo em seguida e do lado de fora, o ruivo de cabelos curtos já a esperava.

Sasori a buscou no hospital aquela noite, a levando até em casa.

- Como foi hoje no estágio? Muitos acidentes? - Perguntou, fingindo interesse, ela sabia, Sasori nunca foi o mais interessado em seu dia a dia.

- Nada de mais, apenas o de sempre. E seu dia?

- Fiquei na casa do Deidara, estávamos decidindo algumas coisas. Vou dar uma festa esse fim de semana.

- Hum, era isso que estavam decidindo, onde e quando dar uma festa. - Responde sarcástica.

- É só uma festa Sakura, é sexta feira, sábado todo mundo está de bobeira.

- Do seu curso talvez, o meu é mais complicado que isso Sasori.

- Será que você pode relaxar, só dessa vez? É uma festa Sakura, não o fim da carreira acadêmica de todo mundo. - Reclamou o ruivo.

- Está bem, não vou mais me intrometer.

- Ótimo, avisa as meninas. – Disse, parando o carro diante da casa dela, ele sai do veículo também, dando a volta no mesmo para abraçar a namorada pela cintura, se apoiando na lataria do carro.

Ela passa os braços ao redor do pescoço do ruivo, recebendo um beijo em seus lábios, o qual ela retribuiu.

- Vai ser legal gatinha, vamos beber com a galera, cair na piscina, e podemos curtir a noite do nosso jeito, o que acha? – A última parte disse em voz baixa perto da orelha dela.

- Vou pensar no seu caso. – Respondeu, arrancando uma risada sínica do ruivo.

Aquelas atitudes prepotentes do namorado já a incomodavam a algum tempo, mas estava ignorando, não queria brigar, então apenas deixou um selinho nos lábios dele antes de se despedir e entrar em casa.

Havia concordado com a festa, então logo que entrou em casa, mandou uma mensagem de texto a Ino e Hinata.

Sakura: “Sasori vai dar uma festa na casa dele no fim de semana.”

Ino: “Festa!! Aleluia, estava louca por uma festa de gente grande. ”

Hinata: “Não sei se é uma boa ideia, devíamos estudar para as provas. ”

Ino: “Não começa Hina, é bom relaxar antes da tempestade, pode contar com a gente testuda. ”

Sakura: “Você sabe que se não for nessa festa, ela vai te infernizar pelos próximos meses. Melhor ir e acabar logo com isso, e leve o Naruto, ele gosta de festas. ”

Hinata: “Ok, vou falar com ele. Agora vou dormir, estou exausta, boa noite meninas. ”

Ino: “Boa noite Hina, eu vou também, até amanhã testuda. ”

Sakura se despediu das amigas e após um banho quente e relaxante, fez uma rápida refeição e encerrou a noite.

____________________

Sasuke acordou cedo, sempre vendo Shisui ao seu lado, as vezes silencioso, as vezes fazendo bagunça, essa era sua rotina. Na janela, ele via alguns vultos, os quais ele preferia ignorar, ou pelo menos tentava. Se levantou, indo ao chuveiro, tomou um rápido banho frio, no banheiro ele sabia que estava sozinho. Ao sair do quarto, ele encontra Shisui sentado em sua cama.

“Temos que continuar o projeto. ”

- Vamos continuar, quando chegarmos a faculdade. - Respondeu sério.

“Isso, ou vai dar atenção a aprendiz de medicina de novo? ”

- Eu não estava dando atenção a ela…. Ela sentou do meu lado, e só isso.

“E o fato do projeto estar parado desde o momento em que ela se sentou ao nosso lado, não significa nada.”

- Não, não significa… E pare de me encher, você nem devia estar aqui! - O moreno responde.

Naquela manhã, sua cabeça parecia bagunçada, confusa, ele ouvia alguns sons, sussurros que ele desconhecia, eram irritantes, perturbadores, e seu esforço para ignora-los era enorme. Ele termina de vestir a calça jeans escura, a camisa cinza e uma camisa social azul escuro por cima. Os cabelos eram a bagunça de sempre.

Sasuke levantava bem cedo, antes mesmo que Naruto. Mas sempre encontrava a sra. Uzumaki na cozinha, preparando o café.

- Sasuke, querido, bom dia. Sempre levantando cedo. Eu preparei seu café, já vai sair? Não quer esperar o Naruto hoje? - Pergunta em seu tom maternal de sempre, embora ela questionasse sobre ele esperar por Naruto, ela sabia que ele preferia sempre ir sozinho.

- Não, eu preciso terminar meu projeto.

- Ah sim, seu projeto. E como está indo?

- Bem.

- Ah, que bom, e quando vai me deixar ver esse projeto misterioso?

“Por que todo mundo quer ver? Ninguém vai entender mesmo. ”

- Ela pode ver se quiser! - Respondeu.

“Mas ae vai perder a graça! ”

- Não é pra ter graça, é pra funcionar! - Respondeu um pouco irritado.

- Hey, Hey, o que eu falei sobre gritar nessa casa? Não precisa perder a calma querido, ignore o Shisui, você me mostra se quiser, se não quiser, não precisa, eu não vou ficar chateada. - A ruiva disse, ao ver que o rapaz começava a se alterar.

- Hunf… Desculpe, Kushina-San… - Ele responde, voltando a tomar seu café.

- Querido, não quer tomar um comprimido antes de sair? Você parece um pouco nervoso hoje. - Diz em tom cuidadoso, ela sabia lidar com o rapaz.

- Não…. Eu não quero, estou bem… - Ele responde, esfregando os dedos nas palmas das mãos, em sinal de nervosismo e inquietação.

Kushina apenas respira fundo e ao passar por ele, afaga seus cabelos.

- Muito bem, mas mantenha a calma, ok? - Diz, mantendo o tom calmo, sempre tentando deixar o rapaz confortável.

Sasuke terminou seu café e saiu caminhando até a faculdade. Não era longe, mas dava uns bons 30 minutos andando. Gostava de andar, o ajudava a focar a atenção.

“Precisa andar mais rápido, vamos nos atrasar. ”

- Não vamos, hoje não tem a primeira aula. - Respondeu baixo, não querendo chamar a atenção na rua.

“Pensei em usar uma sequência de códigos para acelerar as buscas das variáveis. ”

- Você não pensou em nada, eu pensei. Você sou eu! - Ele responde sério.

“Custa você me dar um pouco de crédito? Na sua cabeça ou não, eu estou bem aqui. ”

- Não, não está.

“Você ficou bem chato depois que a moça rosa apareceu. ”

Sasuke não respondeu mais, apenas manteve sua atenção no caminho em direção a faculdade.

A entrada do campus estava movimentada, como sempre, alunos chegando e saindo, conversando, brincando, ele não fazia parte daquilo, estava sempre sozinho. Logo que cruzou os portões do campus, ouviu o gralhar de um corvo e ergueu os olhos para o topo das pilastras que sustentavam os portões, havia uma única ave ali, se arrepiou e engoliu em seco, mas uma pedra voou perto do animal que levantou voo, gralhando. Então olhou o grupo de alunos rindo após espantar o pássaro, respirou fundo um pouco mais aliviado por não ser mais uma de suas alucinações.

Caminhou até sua costumeira arvore, e se sentou, puxando o notebook, voltando ao seu projeto.

Suas manhãs eram quase sempre assim, cada minuto cronometrado, cada ação pré-definida, já pensada e repensada, essa era sua rotina. Tudo em seus dias tinha de ser regrado e pré-calculado, era assim que ele mantinha o controle sobre suas crises e alucinações.

“A aula vai começar em uma hora. ” - Disse Shisui à sua frente.

- Eu sei. - Respondeu serio enquanto digitava.

“Quando vai falar com a moça de cabelo cor de rosa? ”

- Falar? O que…. Falar o que? - Ele pergunta ficando ligeiramente vermelho.

“Falar ué. Dizer que ela é bonita e que gosta dela. ”

- O que? Eu não gosto dela…. Não sei do que está falando.

“É claro que você sabe, você sempre fica besta quando está perto dela, perde até o foco no projeto, e essa manhã você me contou que sonhou com ela. ”

- Eu contei? Eu não lembro de ter lhe dito isso! Droga, cala essa boca e me deixa em paz. - Reclamou sem graça.

“Você devia parar de falar alto, estão começando a olhar pra nós. ”

- Eu não estaria falando alto se você não estivesse me atormentando! - Ralhou o moreno, passando uma mão pelo cabelo, para a frente e para trás, bagunçando ainda mais os fios, nervoso, chamando mais atenção ainda para si.

- Oi, Sasuke-Kun, está tudo bem?

Aquela voz o tirou de seu momento de nervoso, parou quase que instantaneamente a mexer no cabelo, ergueu os olhos na direção da pessoa, encontrando os olhos verdes, e com isso ele baixou a mão, parando de mexer no cabelo.

- Sakura-San…

 - Sasuke, parecia nervoso, aconteceu alguma coisa? - Perguntou preocupada.

- Na…. Não…. Eu só…. Estava arrumando…- Respondeu, sem conseguir esconder a mentira.

- Você não precisa mentir pra mim.

- Não estou mentindo… - Insistiu, voltando os olhos negros ao computador.

Sakura apenas sorriu de lado, se sentando no mesmo lugar que no dia anterior. Então abriu a mochila e tirou um pequeno embrulhinho que estendeu a ele.  

- Aqui…. Espero que goste, eu fiz pra você. - A última parte falou em tom sem graça, o rosto vermelho.

Sasuke não esperava aquilo, ao ver o embrulhinho que ela lhe estendia, piscou curioso e aceitou, ficou vermelho quando ela disse que fez pra ele, então abriu, encontrando um bolinho de arroz, quente e fresquinho.

- Ah… Arigatou… - Envergonhado. - Por que?

- Eim? Ah…. Eu não sei…. Pensei que…. Talvez, você…. Sentisse fome quando…. Está se tão concentrado.

Ele não respondeu, apenas começou a comer o bolinho, o que estava muito bom na verdade.

Sakura não disse mais nada, apenas ficou ao lado dele enquanto o rapaz comia.

Quando ele por fim terminou, ela sorriu e levantou-se.

- Eu preciso ir Sasuke-Kun, minha aula vai começar, até mais tarde. - Se despede, o deixando sozinho mais uma vez.

Sasuke a olhou se levantar e acenou tímido para ela.

“Por que não guardou um pedaço pra mim? ”

O moreno pulou de susto ao ouvir Shisui de repente, por um momento, havia esquecido dele ali.

- Você não come! Mas que droga, cala essa boca!

__________________________________________________

Na área de medicina, Sakura sentava com suas amigas.

- E ae meninas, todas prontas pra festa? - Disse a loira, sempre animada.

- Acho que sim, Naruto está bem empolgado, disse que precisamos esfriar a cabeça. - Hinata respondeu.

- Eu não sei se Naruto tem tanto estresse assim ou se ele é só preguiçoso mesmo. - Foi a vez de Sakura questionar.

- Eu acho que ele é só preguiçoso mesmo, se der um livro na mão dele ele vai usar de banquinho. - Provocou a loira, arrancando risadas de Sakura e de Hinata também por mais que fossem tímidas.

As aulas começaram e terminaram, o trio de amigas seguiu ao seu estágio, a carona por conta de Naruto, que já estava fora das aulas a algumas horas.

- Hina, eu venho te buscar mais tarde. - Diz, acenando para a namorada antes de dar a partida no veículo.

Com o passar do dia, Sakura não se surpreendeu por Sasuke não aparecer, embora ela se pegasse o esperando quase todos os dias. O rapaz era um enigma que ela estava gostando de tentar entender, e o problema dele, parecia ter se tornado seu charme particular.

Às vezes se achava louca, ou até egoísta por pensar nele e em seu problema de forma tão... superficial? Esquizofrenia não era um charme ou imã para mulheres.

Se bateu mentalmente por considerar aquilo como um charme, não se permitiria ser tão egoísta a esse ponto.

O dia no hospital pareceu se arrastar, mas ao anoitecer, quando finalmente seu turno se encerrou, ela saiu com as amigas, encontrando suas respectivas caronas.

- Dia cheio, nem consegui falar com você no Campus. Acredita que o professor me deu nota vermelha na última prova? Eu fiz todas as questões e o cara me ferrou.

- Sasori, não basta fazer todas as questões, tem que acertar.

- Eu acertei. Qual é. Acertei a maioria pelo menos. A questão é que ele me ferrou, e vai me deixar na V3. Isso é ridículo.

- Não teria esse problema se estudasse de vez em quando.

- Qual é Sakura, eu estudo…. Vou fazer isso depois da festa de amanhã. Ou eu posso pagar pra passar dessa matéria, como fiz com as outras duas do semestre passado. Vai ser foda.

Esse era Sasori, seu namorado, sempre exibindo seu dinheiro e poder aquisitivo dentro e fora da faculdade.

- Nem tudo se resolve com dinheiro Sasori.

- Ah Sakura. O cara quer me reprovar por que não vai com a minha cara.

- Não, ele vai te reprovar por que você não estuda e não passa nas provas.

- Eita, tá de mau humor é?

Ela apenas respira fundo, não gostava de brigas e estava cansada naquele horário para abrir uma exceção.

Sasori a deixou em casa, e como sempre, não foi embora antes de tentar algo a mais.

- Ah, que isso gatinha, vamos curtir um pouco. Seus pais gostam de mim, nem vão ligar se eu passar a noite.

- Não Sasori, estou cansada e ainda preciso ver a matéria de hoje.

- Qual é, eu pago seu professor também. Ae você pode curtir mais comigo, o que acha?

- Acho uma ideia idiota, jamais faria algo assim, e já lhe disse isso! - Ralhou com ele. Odiava quando ele se gabava daquilo como se fosse o senhor da faculdade.

- Você anda muito estressada, qual é o seu problema? Nem todo mundo tem a paciência que você tem de ficar estudando essas coisas.

- Se não tem paciência pra estudar não devia estar na faculdade!

- Agora não quer que eu faça faculdade? - Comenta o rapaz, dando uma risada irônica.

- Eu não disse isso! Você tem ideia do quanto você está sendo egoísta? Tem pessoas querendo entrar na faculdade pra ter um futuro, e você tem essa oportunidade e simplesmente desperdiça, agido como se seu dinheiro pudesse lhe dar tudo! Se seu dinheiro tem todo esse poder, por que está perdendo seu tempo na faculdade?

- Quer saber? Eu faço faculdade por que eu posso. Perco meu tempo nela por que eu quero, eu não sei por que isso te incomoda tanto. O objetivo não é se formar?

- Não Sasori, o objetivo é formar profissionais aptos a trabalhar na área em que escolheram! Meu Kami, eu não acredito que estou discutindo algo tão absurdo com um homem feito!

- Tem razão, vamos parar de discutir e curtir a noite.

- Não, eu vou pra casa. Algumas pessoas estudam pra se tornar bons profissionais, e eu sou uma dessas pessoas! - Respondeu ríspida, se desvencilhando dos braços dele e entrando em casa sem se despedir.

Aquilo havia sido um soco no estomago, sabia que Sasori era egoísta e egocêntrico, mas aquilo era demais, e a sua paciência com o ruivo estava se esgotando.

No fim de semana, foi a festa apenas pela insistência de Ino, que logo a fez contar o motivo de seu mau humor e desanimo.

- Ah Sakura, até parece que você não conhecia esse lado idiota do Akasuna. Relaxa mulher, vamos curtir a festa, é o último fim de semana antes das temidas provas.

E lá estava ela, naquela tarde de sábado, na enorme varanda da casa do namorado. A música alta soava das grandes caixas de som, e a piscina do quintal estava cheia de garotas de biquínis minúsculos e fortes rapazes de sunga e bermuda.

- Genteeeeee, vocês têm que experimentar um desses drinks, são fantásticos!!! - Dizia uma Ino já um pouco alterada.

- Ino, quantos desse você já bebeu? - Perguntou a rosada.

-  Ah, eu não sei, parei de contar depois do 5º!!! Arg, eu adoro essa música! Vem meu amor, vem dançar comigooooooooooo!!! - Disse a loira, puxando Gaara até a parte do quintal onde todos dançavam.

- Ino-Chan já passou do limite…Gaara-San devia ficar de olho nela.

- É, ele devia. Mas eu acho que ele está tão bêbado quanto ela, então…. Está tudo sob controle. - Responde dando risada.

A festa seguia em sua bagunça normal, Sakura ficava na varanda, onde havia algumas cadeiras, não estava muito no clima para dançar, e Hinata estava ali para lhe fazer companhia. Naruto estava com elas e logo Sasori se aproximou, com uma lata de cerveja na mão.

- Oi minha gatinha, ta mais calma hoje? - Perguntou. Era visível seu alto teor alcoólico, mas ele ainda estava consciente.

- Hum… Só se você não falar besteiras, a menos por um dia. - Respondeu ainda incomodada.

- Ah, eu prometo…. Por que não vem comigo e mantem a minha boca fechada. - Diz em tom malicioso, beijando o pescoço dela. Ela se viu saindo com Sasori, mas alguma coisa veio a sua mente, “Ele age como se fosse o rei do Campus, trata você como um troféu, e se gaba todos os dias por ter uma das garotas mais lindas do Campus como namorada.”. Ela o seguiu em direção a porta, as palavras de Sasuke em sua primeira consulta ecoavam em sua cabeça. Segurava a mão do namorado, e ao passar por um grupo de rapazes, eles ergueram suas garrafas e latas de bebida e começaram a gritar.

“Sasori, Sasori, Sasori”

Aquilo para ela foi constrangedor, era como se todos já soubessem o que ia acontecer, apesar de ser uma festa e esse tipo de coisa ser normal, não costumava ser assim, tão descarado.

“Ele age como se fosse o rei do Campus, trata você como um troféu” Aquela frase voltou a sua mente.

No andar de cima, ela entrou no quarto dele e ele logo fechou a porta, deixou a lata de cerveja em uma mesinha e já foi logo colando os lábios aos dela em um beijo intenso e um pouco forçado.

- Não sabe como eu senti sua falta. - Ele dizia contra os lábios dela, enquanto suas mãos agiam depressa em desabotoar a blusa que ela usava.

- Sasori, vá com calma, por favor… - Ela pediu contra os lábios dele, enquanto tentava inutilmente acalmar as mãos nervosas do rapaz.

- Não precisamos ter calma…. Nada disso é mais novidade pra nós… Anda, relaxa… Não sentiu falta dele? - Ele diz, pegando a mão dela, a levando até o volume pulsante em sua calça. Ela afastou a mão, desconfortável com tudo aquilo.

- Sasori, isso não ta certo…. Nós precisamos conversar…

- Conversamos depois… - Ele insistia, descendo os beijos pelo pescoço dela, começando a abrir a bermuda justa da moça, ela por sua vez, afastou as mãos do rapaz e deu um passo pra trás.

- Chega, Sasori…. Isso está indo longe demais! Não acha que temos que conversar depois do que houve ontem?

- O que houve ontem? Você se irritou comigo por uma besteira, eu te perdoo. Agora vem aqui vem…

- Você me perdoa? Ah, obrigada, estou bem melhor agora! - Respondeu sínica.

- O que você ta querendo Sakura? - Perguntou impaciente.

- O que eu estou querendo? Que tal um pouco de respeito pra começar? Os caras lá em baixo pareciam torcer pra você quando me trouxe pra cá!

- E dae? Eles sabem que a gente vai transar, você é minha namorada, qual o problema nisso?

- Quer saber? Problema nenhum, se está tudo perfeito pra você, espero que esteja pra sua nova namorada, por que pra mim não está! Pra mim já chega! - Diz por fim.

- O que? Como assim? Está terminando comigo? Por que?

- Por que eu cansei do seu egoísmo absurdo e de ser seu troféu pelo Campus!

- Troféu? Egoísmo? Eu não to entendendo…. É por que os caras sabiam? Somos populares, as pessoas prestam atenção em nós! Mas que merda Sakura onde isso é culpa minha?

- É culpa sua quando age como se fosse o rei de tudo e de todos! Suborna os professores pra passar nas matérias, tem torcida quando vai fazer amor com sua namorada! Em que droga de mundo você vive Sasori?

- Em um mundo onde ter dinheiro te da vantagens! Está sendo cega e ignorante se acha que devo ignorar tudo isso só por que você não gosta de atenção!

- Exatamente isso! Eu sou cega e ignorante por ter ficado com você por tanto tempo! Mas adivinhe, eu voltei a enxergar e percebi o quão idiota você é! Acabou Sasori! - Berrou, passando por ele e saindo do quarto, batendo a porta e descendo os degraus a passos largo e pesados. Passou por Hinata e Naruto que conversavam com Ino e Gaara. A loira, notando que algo estava errado, correu até a amiga.

- Hey, o que foi que houve? Pra onde vai com tanta pressa? Cadê o Sasori?

- Eu não sei e não me interessa! Terminei com aquele egocêntrico nojento e estou indo pra casa! - Respondeu irritada, sem se dar o trabalho de olhar a amiga, que apenas parou surpresa ao ouvir as palavras da outra, então viu a amiga seguir pela rua, indo embora da festa.

- Está tudo bem? - Perguntou Gaara ao se aproximar da namorada.

- Eu acho que não. - Disse a loira, se virando para o namorado. - Pode me levar pra casa da Sakura, e aproveitar dar uma carona a ela?

- Ah… Claro… - Disse, meio incerto, mas já foi seguindo a loira até o carro.

Logo eles alcançaram a rosada e Ino a fez entrar no carro, em seguida Gaara as levou até em casa. Ino se despediu do namorado, pedindo desculpas pela festa, então entrou em casa com Sakura, ela sentia que tinham muito o que conversar.


Notas Finais


E foi so isso que eu consegui

Ficou fraco, eu sei

Mas prometo que vai melhorar ^^

Espero que tenham curtido

bjus e ate a proxima ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...