História Stand by me - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Christian Chávez, Demi Lovato, Fifth Harmony, One Direction, Selena Gomez
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Christian Chavez, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Camren, Larry, Norminah, Romance, Semi
Exibições 69
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá como vocês estão?

Nesse capítulo eu me inspirei em No Way. Mas foi em um cover. Então se você quiserem ter a mesma experiência que eu, segue o link

https://youtu.be/CuRfVICxSCE

Capítulo 14 - Capítulo Quatorze


Camila POV

Tudo o que tinha acontecido nas últimas horas seria suficiente para me deixar trancada no quarto por pelo menos uma semana. Ser humilhada mais uma vez por Austin, na frente de um monte de gente certamente me abalava. Mas ver Laurence Jauregui desmoronar nos meus braços tinha sido meu fim.

Mas por incrível que pareça eu me senti forte, ver aquele homem chorando na minha frente, querendo se afastar de mim só para não me ver sofre pelo julgamento dos outros, me fez ser forte.

Ele conseguiu guiar o carro até o hotel. Nós entramos, ele se sentou na cama e voltou a chorar. Eu me sentia impotente em relação a isso. Por mais que eu o abraçasse, por mais que eu o beijasse, por mais que eu dissesse que o amava. Aquela ferida estava muito aberta. Aqueles desgraçados conseguiram abrir novamente aquela enorme ferida que ele achava que já tinha cicatrizado.

Ele abriu o frigobar é começou a beber tudo o que tinha ali. Eu permanecia estática, parada ali, apenas esperando uma brecha para me aproximar. Ele começou a dizer que era um lixo, que não me merecia, que foi um erro achar que a nossa relação ia dar certo. Eu não podia mais ouvir aquilo, não podia deixa-lo achar que aquilo era verdade. Eu me sentei no colo dele. Obrigando-o a me olhar.

- Presta atenção Laurence. Não me importa nada do que vão achar.- eu comecei a enchugar o rosto dele com as mãos - Você é meu homem - eu o beijei rapidamente - você me dá prazer - eu sussurrei no ouvido dele enquanto minhas mãos desabotoavam a camisa dele - Você me deixa louca - eu mordisquei a orelha dele - eu te amo - eu segurei o rosto dele para que me olhasse - e eu vou lutar por esse amor.

(…)

Eu estava agradecendo a Deus por aquela noite ter terminado muito melhor do que começou. Ele se acalmou, nós tomamos banho juntos e fizemos amor. Eu me entreguei totalmente a ele. Eu o amava, e era hora de parar de esconder isso dele e de mim mesma. Ele tinha se exposto completamente para me proteger dos comentários daqueles idiotas.

Nós dormimos abraçados. Mas bem cedo eu voltei para casa. Troquei de roupa e me deitei um pouco mais, esperando que minha família levantasse. Liguei meu celular e vi o tanto de mensagens que tinham me mandado. Tinha doze ligações de Taylor. E setenta e três mensagens de pessoas diferentes.

Taylor pedia desculpa. Que ela tinha se enganado. Que ela sentia muito ter dito algo para o Austin. E blá blá blá! Eu queria era enfiar meu celular a boca dela.

A maioria das mensagens era das pessoas me mandando mensagens positivas. As outras eram do Jonathan, um dos melhores amigos do Austin. Ele tava pedindo desculpa. Que a festa tinha acabado, tava todo mundo triste e bravo com o Austin. Que o Laurence era um cara legal, que se preocupava comigo ao ponto de se expor e evitar levar a briga a diante. Que eles tinham feito um mutirão para apagar todos os videos de quem tinha gravado a briga com o celular. E que ele esperava que eu perdoasse o resto do pessoal antes de ir para Miami.

Eu não respondi nenhuma. Joguei meu celular de lado quando ouvi barulhos vindos do andar de baixo. Eu desci e encontrei minha mãe e meu pai preparando o café da manhã. Eu beijei eles e dei bom dia.

- A festa estava legal ontem Kaki? Nem vi você chegar! - eu quase engasguei com o copo de leite. Era óbvio que eu não ia contar tudo o que tinha acontecido.

- Tava legal… até o Austin aparecer!

- Aquele idiota tava lá também? - meu pai se virou de repente - Eu não falei pra você não chegar mais perto dele Karla!

- Eu não sabia pai…

- E ele fez alguma coisa Karla? - minha mãe me olhou preocupada

- Ele foi idiota como sempre. Começou a falar um monte de besteira, devia tá bêbado - eu dei de ombros.

- E aí?

- E aí que o Laurence me defendeu e os dois brigaram!

- Meu Deus! - Minha mãe se sobressaltou e meu pai deixou escapar um sorriso - Eles se machucaram?

- Na verdade foi só o Laur que bateu no Austin!

- Eu to adorando esse garoto…

- Alejandro!

- O que foi amor? Ele fez o que eu devia ter feito. - ele tomou um pouco de café - Ele vai vir almoçar com a gente hoje né Mila?

- Vou ligar mais tarde para ele!

(…)

Laurence veio para o almoço e parecia bem melhor do que a noite passada. Meu pai o cumprimentou com um sorriso nos lábios. Eu tinha feito ele prometer que não comentária nada sobre a briga, mas eu tinha minhas dúvidas.

Durante o almoço minha mãe aproveitou e perguntou tudo o que ela queria sobre a universidade de Miami e como eram as pessoas lá. Laurence a todo o momento dava respostas positivas. Dizendo que o campus era maravilhoso. E que as pessoas eram muito atenciosas.

Depois do almoço nós levamos a Sofia até o parque. Ela acabou encontrando umas amiguinhas e estava brincando com elas. Nós dois não tínhamos trocado muitas palavras desde a noite anterior, ele parecia ainda um pouco arisco. Nós estávamos sentados na grama olhando as crianças brincando na areia. Eu deixei meu corpo se inclinar e ele se virou um pouco, permitindo que eu me encostasse no peito dele, deixando uma perna de cada lado. Eu entrelacei nossos dedos. Ele suspirou.

Deus! Como eu queria poder voltar no tempo. Como eu queria não ter arrastado ele até aquela casa. Como eu queria ter o poder de não permitir que aqueles olhos ficassem tão tristes.

- Esquece eles!

- Eu não tô pensando no que aconteceu Camila! Eu to pensando em nós dois. - eu comecei a brincar com os dedos dele, tentando afastar do ar aquela melancolia.

- É melhor você começar a pensar mesmo! - eu ri - O sr Alejandro Cabello me perguntou hoje mais cedo, quais são suas intenções com a filha dele - Ele finalmente pareceu ceder.

- O sr Alejandro que quer saber isso? - ele entrou na brincadeira

- Ele disse que hoje vai dormir um pouco mais tarde e amanhã vai acordar um pouco mais cedo - eu ri da cara de surpreso dele

- Sério?

- Sério! - as mãos dele começaram a suar - Ele disse que quer a resposta antes do Garotão de Miami poder ficar tanto tempo sozinho lá na faculdade com a filha dele.

- Você tá falando mesmo sério Camila?

- Não! É brincadeira! - ele parecia mais aliviado - No que você tava pensando? - ele suspirou

- Antes do que aconteceu ontem… - ele respirou fundo - … eu ia te levar pra jantar comigo… - a mão dele começou a tremer. Eu me virei para olha-lo - … olha Camila eu não esperava que você aceitasse antes e vou entender se você… se você não aceitar agora... - ele estava nervoso e suando - ...Eu queria que fosse de uma forma especial, mas não consegui pensar em muitas coisas depois do que aconteceu… então... SOSOH! - ele gritou chamando atenção de Sofia.

Eu me virei confusa. Só agora eu percebi que as meninas não estavam brincando. E que a garota e o cara com um violão, que estavam próximos a nós se levantaram, enquanto começavam uma nova música. Sofia e as quatro amiguinhas também se levantaram rindo. Cada uma com uma folha de papel na mão e uma rosa. A voz da mulher começou a ser ouvida.

I know you don't want me anymore

By the look on your face

They say when it rains it pours

You can tell by my face

A primeira garotinha se aproximou

Oh, and I know

Ela mostrou a placa que continha a letra que a mulher estava cantando

(você sabe que já estivemos aqui antes

E acho que sei como deveria terminar)

And you know that we've been here before

I think I know how it should end

We got an audience calling us crazy

We ignore those with opinions of hate

We're not like the rest of them

Friends with insanity as of lately

Então foi a vez da próxima garotinha,

(Todo mundo vem com cicatrizes

Mas você pode amar até que elas desapareçam)

Everyone comes with scars

But you can love them away

I told you that I wasn't perfect

You told me the same

A outra se aproximou ensaiando um passinho de dança.

(Acho que é por isso que devemos

Ficar juntos e não nos envergonhar)

I think that's why we belong

Together and unashamed

I told you that I wasn't perfect

No way, way, way

Way, way, way

No way

No way

When I look in your eyes

I see through to my soul

I know the core of you is good

You're my tarnished hero

Oh, and I know

Por fim a última garotinha

(você sabe como a nossa história é contada

Só nós sabemos o que é)

And you know how our story is told

Only we know what it is

We got an audience calling us crazy

A música continuou e os dois músicos se aproximaram, a garota me puxou para que eu me levantasse e Laurence também se levantou.

We ignore those with opinions of hate

We're ain't like the rest of them

Friends with insanity as of lately

Everyone comes with scars

But you can love them away

I told you that I wasn't perfect

You told me the same

Por último Sofia veio até mim com duas rosas e uma caixinha presa nelas.

(Você foi meu passado

É meu presente

Quer ser meu futuro?)

I think that's why we belong

Together and unashamed

No fundo a voz da garota ia aos poucos encerrando o último refrão. Meu coração estava muito acelerado. Eu estava tremendo. Laurence estava vermelho, me encarando com aquele par de esmeraldas trêmulos.

I told you that I wasn't perfect

No way

No way

No way

No way

- Você aceita Camz? Você aceita ser minha namorada?


Notas Finais


Heita Camilinha!

Gente eu lamento lês informar, mas vou ficar alguns dias sem postar. Vou viajar para SP, para a CCXP . Mas logo logo eu volto amores... Não me abandonem. Amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...